2 de junho de 2010

Nem metade do PAC foi concluída

Lorena Rodrigues, da Folha de S. Paulo:

A sete meses do final do governo Lula, nem metade do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) foi concluída.

De acordo com o 10º balanço do programa, apresentado nesta quarta-feira, até abril foram terminados 46,1% dos empreendimentos previstos de 2007 até este ano.

Na área de logística, energia, social e urbana, foram concluídas apenas 33,6% do PAC. Já em habitação e saneamento o total chega a 46,1%.

Do total de R$ 656,5 bilhões previstos para o programa, já foram executados, incluindo os gastos públicos e privados, R$ 463,9 bilhões, ou 70,7%. Neste ano, do orçamento público de R$ 21,4 bilhões, R$ 6,8 bilhões já foram pagos.

Segundo o balanço, 6% das ações monitoradas estão em estado preocupante ou merecem atenção.

3 anos de filiação partidária para ser candidato

Agência Senado:

Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado (CCJ) aprovou nesta quarta-feira projeto de lei que exige pelo menos três anos de filiação a um mesmo partido para que o candidato possa concorrer nas eleições. A proposta prevê ainda a perda imediata do mandato para quem deixa a legenda com o qual foi eleito. Aprovado com ressalvas, o projeto de lei segue agora para a Câmara dos Deputados.

Baseando-se em decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre o "troca-troca" de políticos entre partidos, o relator do projeto, senador Demóstenes Torres (DEM-GO), acrescentou ressalvas às medidas propostas pelo autor da proposta, senador Aloizio Mercadante (PT-SP).

Uma delas diz que o candidato não terá de respeitar o prazo de três anos, nem perderá o mandato se mudar de sigla por conta da incorporação ou fusão de partido e da criação de um novo partido.

A mudança substancial ou desvio reiterado do programa partidário ou grave discriminação pessoal que torne impossível a convivência partidária também permitem a mudança do político de sigla sem a perda do mandato.


Leia mais em Senado aprova projeto que exige três anos de filiação partidária para disputar cargo nas eleições.

Aprovado projeto que impõe rigor à fidelidade partidária

Agência Brasil

Projeto que aumenta o rigor quanto à fidelidade partidária foi aprovado hoje (2) na Comissão de Constituição e Justiça do Senado. Pela proposta, quem quiser concorrer a cargos eletivos precisará estar filiado a partido político pelo menos três anos antes da data das eleições.

O prazo, no entanto, não será válido em casos de fusão ou criação de partido, desvio de programa partidário e discriminação pessoal que torne impossível a convivência na legenda. A lei atual determina que o candidato esteja filiado a partido pelo menos um ano antes da data fixada para as eleições.

A proposta determina ainda a perda automática do mandato para o parlamentar que deixar o partido pelo qual tiver sido eleito. “O troca-troca de partidos desrespeita, acima de tudo, a vontade do eleitor e representa, na realidade, uma espécie de fraude eleitoral”, justifica o autor do projeto, senador Aloizio Mercadante (PT-SP).

A matéria segue para análise da Câmara dos Deputados.

A Cara do PRP de Tangará da Serra XI

Profissional da educação de Mato Grosso, há 16 anos, a bióloga Regina Maura Corrêa está cada vez mais adaptada à Tangará da Serra. Tanto é que na semana passada, como prova de que deseja colaborar com a cidade, se filiou ao Partido Republicano Progressista – PRP, presidido no município por este blogueiro. Professora, é muito bom ter você conosco nesta abençoada terra dos tangarás.

VEJA OUTRAS PESSOAS ILUSTRES DE NOSSA CIDADE QUE TAMBÉM FAZEM PARTE DO PARTIDO REPUBLICANO PROGRESSISTA - AQUI

Coluna "Destaque Social" da semana

Na recondução ao cargo do prefeito Júlio César Ladeia, as presenças do secretário de Turismo João Batista Néri e o comunicador Sílvio Delmondes. Dois valorosos políticos de nossa sociedade tangaraense. Leia nossa coluna social online AQUI

Novamente com a "mão na massa"

Da mesma forma que acontecia anteriormente, o prefeito de Tangará da Serra Júlio César Ladeia (PR) voltou a realizar as rodadas de reuniões com os vereadores do município. Na manhã desta quarta-feira (02), aconteceu a primeira delas e contou com a participação de diversos vereadores. Participaram da rodada de reuniões, os seguintes vereadores: Roque Fritzen, José Pereira Filho, Genilson Kezomae, Luis Henrique, Celso Vieira, Aroldo Lima e Vânia Ladeia. Foto: Assessoria

PF já cumpriu 30 mandados na Operação "Re-Volver"; foragidos são de Tangará

A Polícia Federal informou que os 2 foragidos da operação “Re-Volver” são de Tangará da Serra.

Dos 32 mandados de prisão, 30 já foram cumpridos, sendo 1 em Imperatriz (MA), 1 preso em Rio Verde (GO), 1 em Rondonópolis, 1 em Nova Olímpia-MT, 1 em Campo Novo dos Parecis, 8 em Cuiabá e Várzea Grande e 17 em Cáceres.

Os presos deverão ser encaminhados às unidades prisionais nas mesmas cidades onde foram cumpridos os mandados, exceto as duas mulheres presas em Cáceres, que, por razões de vagas nas cadeias, serão transferidas para Cuiabá.

A operação é continuidade da “Volver”, deflagrada em julho do ano passado e que levou para prisão 26 pessoas, entre elas duas advogadas. Os presos são acusados de tráfico de drogas e roubo de veículos, além de formação de quadrilha.

Na operação de hoje há 2 policiais militares presos e um empresário de Cáceres. Os nomes não foram divulgados. O Documento

Grupo fortemente armado invade e fazem "limpa" na Unic (Cuiabá)


Um grupo fortemente armado, usando inclusive metralhadoras, invadiu a Universidade de Cuiabá (Unic). As primeiras informações são de que seis pessoas renderam os funcionários da instituição por volta da meia-noite. A ação foi demorada e os assaltantes deixaram o local por volta das 3 horas da manhã.

Os bandidos arrombaram o caixa eletrônico do Banco do Brasil e deixaram uma arma no local. Além disso, diversos setores da Universidade foi invadido. Na tesouraria da Unic, os assaltantes arrombaram dois cofres.

A Polícia ainda não tem informações sobre o grupo que praticou o assalto. Eles vão utilizar as imagens do circuito interno de segurança para obter mais informações sobre os assaltantes.
A Unic ainda não informou o prejuízo causado com a ação.

Grampos da PF revelam negociações de 14 sentenças no Judiciário de MT

Deu na Folha de S. Paulo

Diálogos interceptados pela Polícia Federal revelam os bastidores de suposta rede de corrupção que, segundo investigações chefiadas pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça), direcionava os resultados de ações judiciais em Mato Grosso.

No inquérito, ao qual a Folha teve acesso, são descritos 14 julgamentos nos quais a PF viu indícios de venda de sentenças ou de articulações frustradas nesse sentido.

Por meio de grampos e escutas, a PF descobriu que o tema era tratado abertamente por suspeitos de participação no esquema --do qual fariam parte advogados, juízes e desembargadores.

"US$ 3.000? Sabe quanto é US$ 3.000? Nem R$ 9.000. Nós fechamos um negócio agora de R$ 1 milhão. Vou mandar um de R$ 9.000? Por menos de 100, 200 mil ninguém faz no tribunal."

A afirmação, segundo a PF, é de Ivone Reis Siqueira, presa há duas semanas na Operação Asafe sob suspeita de ser uma das intermediárias do suposto esquema.

Ela falava com o sobrinho de um condenado por tráfico e queria, segundo a PF, saber "quanto que cobra para tirar ele no tribunal".

A operação prendeu outras oito pessoas. Entre elas estava a advogada Célia Cury, mulher do ex-desembargador José Tadeu Cury, apontada pela PF como sendo a "estrutura central do núcleo criminoso".

Foram cumpridos mandados de busca e apreensão nas casas de Cury, do ex-desembargador Donato Fortunato Ojeda, dos desembargadores Evandro Stábile (presidente do TRE-MT) e José Luiz de Carvalho, e dos juízes Eduardo Jacob e Ciro Miotto. Todos são citados nas gravações, segundo a PF.

Um dos casos investigados é o julgamento de recursos no TRE sobre a cassação do prefeito eleito de Alto Paraguai, Adair Moreira (PMDB). O grupo ligado à segunda colocada, Diane Alves (PR), aparece em diálogos tentando ratificar a cassação e se beneficiar do processo.

Em um trecho, Diane recebe a informação de que "o homem" quer se reunir com ela e que fará uma "proposta". No local e horário do encontro, a PF fez campana e fotografou a entrada de Stábile, presidente do TRE.

OUTRO LADO
O ex-desembargador José Tadeu Cury negou que sua mulher, Célia Cury, faça parte do suposto esquema de venda de sentenças.

Cury disse que Célia "sempre exerceu a função de advogada". "O trabalho que ela fez foi o de acompanhar os processos no tribunal."

Segundo ele, magistrados são "obrigados" a receber no gabinete os advogados. "Não há problema se um advogado pedir que um processo seja colocado na frente."

O advogado de Ivone Reis, Murilo Castro de Melo, disse que sua cliente nunca negociou sentenças, apenas indicava clientes para o escritório de Célia --o que, segundo ele, lhe rendia comissões.

A assessoria do desembargador Manoel Ornellas, corregedor do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, disse que ele não iria se pronunciar por não ser alvo de investigação.

Procurados, o desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha e do juiz Cirio Miotto não foram localizados.

O desembargador Evandro Stábile, presidente do TRE, qualificou a divulgação do inquérito como uma tentativa de "denegrir" a sua imagem. "Jamais tratei de apoio a candidato nem participo de encontro às escondidas." Sobre o encontro registrado pela PF, disse conhecer a dona da casa "há quase 20 anos".

Max Weyzer afirmou que não se pronunciará.

Charge do Dia

Autor: Néo Correia

DEPRESSÃO/TRISTEZA

Atualmente, ninguém mais aceita a existência do sentimento de tristeza. Todos acham que estão com depressão e partem logo para os antidepressivos, o que é um grande equívoco. É preciso diferenciar a tristeza normal da tristeza patológica. Essa é a opinião do psiquiatra Miguel Chalub, professor da UFRJ e UERJ.

Isso se chama marketing político

Rastreie, vá ao encalço de homens de toda e qualquer região, passe a conhecê-los, cultive e fortaleça a amizade, cuide para que em suas respectivas localidades eles cabalem votos para você e defendam sua causa como se fossem eles os candidatos”.

(Quinto Túlio Cícero aconselhando o irmão Marco Cícero, o grande tribuno, em 64. A . C, quando este fazia campanha para o Consulado de Roma).

NOTA DO BLOGUEIRO: Incrível como alguns ainda não aprenderam.

Pouco a comemorar

A Lei da Improbidade Administrativa alcança a maioridade. Completa hoje 18 anos de existência. Seria motivo de festa, não fossem as dificuldades em sua aplicação. Pouco foi feito até aqui para combater a corrupção e a malversação do dinheiro público. No Brasil, é possível grifar algumas vitórias. No Mato Grosso, porém, a lei não pegou nenhum gestor corrupto, e olhe que por aqui tem muitos.

Sinfra recebe últimos documentos para cobertura da Feira da Vila Alta

Secretário de Planejamento Clóvis Batista e dep. estadual Wagner Ramos

A obra será possível graças a uma emenda de R$ 200 mil, de Wagner Ramos, e a contrapartida de R$ 244 mil do município

Um encontro ocorrido no início da tarde desta terça-feira (01), na sede da Secretaria de Estado de Infraestrutura, selou definitivamente o processo para a obra da cobertura da Feira da Vila Alta, em Tangará da Serra.

Na ocasião, o deputado Wagner Ramos e o secretário de Planejamento de Tangará, Clóvis Batista, entregaram ao secretário adjunto de Obras Públicas, Jean Martins e Silva Nunes, os últimos documentos do projeto requerido pela Sinfra. A juntada dessa documentação vai proporcionar a formalização do convênio para que a liberação dos recursos ocorra imediatamente.

A realização da obra – uma estrutura premoldada com cobertura metálica de 4.050 metros quadrados, orçada em R$ 444 mil – será possível com a parceria firmada entre o vice-líder do Partido Republicano na Assembleia Legislativa e o Município de Tangará. Ela possibilitou a viabilização de uma emenda de R$ 200 mil, de autoria de Wagner Ramos, e a contrapartida de R$ 244 mil do município, recentemente aprovada pela Câmara Municipal.

“Em ano eleitoral como 2010, a legislação impede a liberação de verbas após o dia 30 de junho. E para esse prazo, faltam exatos 29 dias. Por isso, aguardamos a conclusão do processo e a liberação da nossa emenda”, explicou Wagner Ramos logo após o encontro com Jean Martins.

De acordo com Clóvis Batista, a cobertura da Feira da Vila Alta é um sonho antigo e a reivindicação de produtores e feirantes de Tangará da Serra. “Enfim, com mais essa parceria firmada entre o deputado Wagner Ramos e a Prefeitura de Tangará, será possível realizarmos mais uma obra que vai atender nossa população”, concluiu o secretário. Da Assessoria Parlamentar - (Informe Publicitário)