2 de julho de 2010

Bastidores da convenção do Partido Republicano Progressista

Presidente estadual do PRP Dr. Rubney Brito e o prefeito de Paranatinga, Vilson Pires, celebram aprovação do nome do professor e jornalista Dorjival Silva como candidato único a deputado federal pelo partido
Rubney Brito (ao centro), celebra aprovação pela convenção, na última quarta-feira (30) no plenário da AL, dos nomes dos seis candidato a deputado estadual e o único a disputar a Câmara Federal Dorjival Silva pelo PRP

Candidato a deputado federal Dorjival Silva sendo abraçado e recebendo manifestação de apoio de Vilson Pires, prefeito de Paranatinga
Vilson Pires, prefeito de Paranatinga e os candidatos a estadual, Dito (baixada cuiabana), Lourenço (Denise), Paraguai (região de Alta Floresta) e a federal Dorjival Silva (região de Tangará da Serra)
Vilson Pires, prefeito de Paranatinga ladeado pelos candidatos a deputado federal Dorjival Silva e estadual França Neto (Nova Olímpia)
Candidato a deputado federal Dorjival Silva depois de seu discurso no plenário na Assembléia Legislativa

Presidente do PRP Rubney Brito, e os candidatos a deputado estadual Dito Moraes e federal Dorjival Silva

Vereador Luizão do Bolichão do município de Colíder em conversar com o candidato a deputado federal Dorjival Silva

Luizão do Bolichão, vereador colidense, candidato a federal Dorjival Silva e o vereador Paraguai, do município de Nova Monte Verde (região de Alta Floresta), um dos seis candidatos a deputado estadual pelo PRP. DA ASSESSORIA

As regras que devem ser seguidas

Do site do TSE: EMISSORAS DE RÁDIO E TV TÊM DE OBEDECER A VÁRIAS NORMAS ELEITORAIS A PARTIR DESTA QUINTA (1°) As emissoras de rádio e televisão do país devem ficar atentas às proibições impostas pela Lei das Eleições (9.504/97) a partir desta quinta-feira (1°).

Entre outras vedações, esses veículos de comunicação não podem dar tratamento privilegiado a candidato em seus noticiários nem na programação normal.

Também estão proibidos de divulgar nome de programa que se refira a candidato escolhido em convenção.

Quem desrespeitar as regras fica sujeito ao pagamento de multa que varia de R$ 21.282,00 a R$106.410,00 e, em caso de reincidência, a multa pode ser duplicada.

Confira outras proibições:

NOVELAS
As novelas, filmes ou minisséries não podem fazer crítica ou referência a candidatos ou partido político, mesmo que de forma dissimulada.

MONTAGEM
As emissoras também estão proibidas de usar trucagem ou montagem de áudio ou vídeo que degradem ou ridicularizem candidato ou partido ou que desvirtue a realidade para beneficiar ou prejudicá-los. Também não podem transmitir programas com esse fim.

APRESENTADORES
Candidato que já tenha sido escolhido em convenção para concorrer às eleições de 3 de outubro não pode apresentar nem comentar programa.

As emissoras também não podem divulgar nome de programa que se refira a candidato escolhido em convenção, inclusive se a denominação do programa coincidir com o nome do candidato ou com o que ele indicou para uso na urna eletrônica.

Se o programa tiver o mesmo nome do candidato, fica proibida a sua divulgação. O candidato que desobedecer a essa regra pode ter o registro cancelado.

PROPAGANDA
As emissoras de rádio e televisão também estão proibidas de veicular propaganda política, inclusive paga, ou difundir opinião favorável ou contrária a candidato ou partidos.

IMPRENSA ESCRITA
A imprensa escrita pode emitir opinião favorável a candidato. No entanto, a matéria não pode ser paga. Abusos ou excessos serão apurados e punidos nos termos da Lei 64/90, o que pode levar à cassação do registro e à inelegibilidade do beneficiado.

Campanha política custará 6 dias a mais em milhões de reais

Mudando de assunto... Copa? Que Copa? Sim... Mudando de assunto, no Brasil, a campanha política começa agora, dia 6, de acordo com o calendário da Justiça Eleitoral. Caso aquele outro assunto ainda estivesse em pauta, de repente a campanha só começaria dia 12. Seria uma economia de 6 dias em milhões de reais para muitos candidatos. Agora o gasto será maior.

Ensino médio está pior do que o fundamental

Deu em O Globo

Índice de Desenvolvimento da Educação Básica mostra avanço nas séries iniciais, mas, nas últimas, nota foi de 3,6

Demétrio Weber

O ensino brasileiro deu sinal de melhora, mas o avanço perde força entre os estudantes mais velhos.

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica de 2009 (Ideb), divulgado ontem pelo Ministério da Educação, mostrou que a maior elevação ocorreu nas séries iniciais do ensino fundamental (1 ao 5 ano), com aumento de 4,2 pontos, em 2007, para 4,6, em 2009, antecipando inclusive a meta estabelecida para 2011.

Nas séries finais do ensino fundamental (6 ao 9 ano), o acréscimo foi de 3,8 para 4. O ensino médio teve o pior desempenho: a nota passou de 3,5 para 3,6, numa escala que vai de 0 a 10.
O Ideb é um indicador criado pelo MEC para medir a qualidade dos sistemas de ensino público e privado. Ele considera as notas dos alunos na Prova Brasil/Saeb e o índice de aprovação nas escolas. Para o MEC, o resultado foi positivo.

— O fantasma da queda de qualidade, que nos assombrou até o começo dos anos 2000, está ficando para trás — disse ontem o ministro Fernando Haddad, ao anunciar os resultados. — Estamos distantes da nossa meta final, mas estamos com uma trajetória consistente, já pelo quarto ano consecutivo. Não é hora de esmorecer. É tentar acelerar o ritmo das mudanças.

O avanço captado pelo Ideb não significa que o nível de aprendizagem nas escolas brasileiras seja bom. Longe disso. A Prova Brasil/Saeb, usada no cálculo do índice, avalia conhecimentos de português e matemática a cada dois anos. A nota média dos alunos do 5 ano do ensino fundamental em português foi de 184,3 pontos, numa escala de até 400.

A nota dos estudantes do 3 ano do ensino médio foi 268,8, na escala até 800. Em todos os níveis, no entanto, houve progresso. Em 2009, apenas 75,9% dos alunos de nível médio passaram de ano. Nas séries finais, 81,3%. Nas iniciais, 88,5%. Os indicadores de fluxo também melhoraram em relação a 2007.

Ao criar o Ideb, o ministério reconheceu que o Brasil estava mais de uma geração atrás dos países desenvolvidos na área do ensino. Por isso, traçou como meta chegar a 2021, véspera do bicentenário da Independência, com o mesmo nível de aprendizagem atingido pelo mundo desenvolvido em 2003.

No modelo matemático que está por trás do Ideb, isso equivale a obter nota 6 no Ideb de 2021. De 2005, quando o índice foi calculado pela primeira vez, até 2021, foram traçadas metas bienais. São essas metas que foram superadas em 2007 e 2009.

CULTURA

O brasileiro possui uma cultura oral. Não lemos a bíblia, preferimos ouvir o pastor ou o padre; não escrevemos diários, preferimos conversar com os vizinhos e amigos; não lemos livros, assistimos novelas.

Candidatos opinam sobre o aborto

Os discursos dos presidenciáveis José Serra (PSDB), Dilma Rousseff (PT) e Marina Silba (PV) são muito semelhantes, sobretudo quando se trata de economia, programas sociais, investimentos públicos e tributação.

Uma divergência que pude constatar foi no que se refere ao aborto. Serra acha que a descriminação liberaria uma carnificina, Dilma acha que é problema de saúde pública e Marina Silva é pessoalmente contra a legalização, mas faria um plebiscito para a sociedade decidir.

O aborto é um sério problema que a sociedade precisa debater. Enquanto esse debate não vem, mulheres ricas fazem aborto em clínicas muito bem equipadas e mulheres pobres morrem em abortos desassistidos e com instrumentos caseiros e precários.

DOAÇÃO

O mundo está cheio de campanhas incentivando as pessoas a doarem dinheiro e donativos para isso e para aquilo. Nunca vi uma prestação de contas destas campanhas. Não podemos confiar cegamente nelas. Há gente para tudo. Duvida?

Derrotados por pura incompetência

Após a derrota para a Holanda o brasileiro mostra a sua futibilidade, a palavra usada começa com "fu..." propositadamente, para se relacionar ao futebol derrotado por pura incompetência.

É uníssono o ponto de vista que o nosso goleiro é o melhor do mundo e eu sou um dos que assinam o rol, como também assino o rol pela sua coragem de assumir a sua responsabilidade, faculdade de poucos, muito poucos.

Para nossa felicidade ou não, o marasmo acabou, os professores terão de fezer as avaliações "fora" das previsões que neste caso são parceiros dos alunos que contavam com a dilação de prazos.

Mas não adianta os lamentos, aliás, nem mesmo sei porque alguns choram uma simples derrota, quando deveriam está preocupados com a educação, saúde. segurança, entre outros parâmetros do nosso dia a dia.

É fato que por ser peladeiro e brasileiro gostaria que o brasil ganhasse, mas na hora da "onça beber água" o patriotismo é muito ínfimo e as moedas estrangeiras falam mais alto.

Fico arrepiado em ver um time 100% estrangeiro, na véspera de um jogo, trocando gentilezas, enquanto nós simples trabalhadores estamos fantasiados de "idiotas" torcendo bravamente pelos mercantilistas, quando estes na sua maioria não cantam o hino nacional.

Nota do blog: A polícia que volte as ruas pois os larápios não têm mais jogos para assistirem e voltarão com certeza a infernizar a vida de todos. Há derrotas que servem como alerta e esta foi uma delas!

Nota do Blog II: O grande perigo agora é a polotoíca partidária, onde o judiciário via Gilmar Mendes, já deu um aval a pessoas como Heráclito Fortes. Viche Maria!

Ficha Limpa

O Ficha Limpa pegou o ficha suja Anthony Garotinho. Ele desistiu de disputar o Governo do Rio de Janeiro, antes que tivesse a candidatura vetada pela Justiça Eleitoral.Mas, não pegou o senador democrata ficha suja Heráclito Fortes. O ministro do STF Gilmar Mendes o liberou para tentar renovar o mandato no Piauí.

Vedado

Emissoras de rádio e TV não podem dar tratamento privilegiado a candidato em seus noticiários nem na programação normal. A norma do TSE entrou em vigor ontem.

E AÍ?

O ministro do Supremo Tribunal Federal- STF, Gilmar Mendes, determinou a suspensão da aplicação da Lei da Ficha Limpa para o senador Heráclito Fortes (DEM-PI). De acordo a decisão, o registro da candidatura do senador não poderá ser negado com base nas restrições impostas pela nova Lei. Gilmar Mendes concedeu efeito suspensivo a um recurso extraordinário apresentado pelo senador para suspender de imediato decisão do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI) que condenou o parlamentar, em ação popular, por conduta lesiva ao patrimônio público.