9 de outubro de 2010

DEU NO O JORNAL TGA: Dorjival diz que foi prejudicado por atraso em decisão


Por Diego Soares

Presidente municipal do PRP, o professor e jornalista Dorjival Silva decidiu correr o risco e disputar as eleições proporcionais desse ano. Focando sua campanha a deputado federal em Tangará da Serra e região, recebeu o aval da Justiça Eleitoral para de fato disputar o pleito faltando pouco mais de 20 dias para encerrar a corrida eleitoral.

Mesmo assim, Silva considera que sua atuação foi positiva e observa avanços principalmente quanto a conscientização do eleitor em tentar, quem sabe em 2014, eleger um federal pertencente ao Médio Norte. “Esse foi o meu objetivo nessa eleição, conscientizar a região de que ela pode eleger um federal”, frisou.

No geral Dorjival fez 1.462 votos. Ele avalia que o número poderia ser maior não fosse a demora da Justiça Eleitoral julgar seu recurso sobre indeferimento sofrido no início da disputa. “Minha campanha foi prejudicada em razão do indeferimento pela falta de certidões cível e criminal do Distrito Federal que foi uma exigência do TRE de Mato Grosso apenas.

Fiz contatos com empresários e produtores que se comprometeram colaborar com a campanha, mas em razão do indeferimento essas pessoas tiraram o pé do acelerador”, explicou. “Comecei a minha campanha atrasado, o resultado do TSE chegou tarde de mais e a campanha iniciou oficialmente dia 9 de setembro. A partir daí é que iniciei a distribuição de material, tarde de mais”.

Dorjival considerou a baixa estrutura de campanha de que dispunha como 2º fator prejudicial. “Meu cabo eleitoral era a minha esposa. Contei com voluntários, não dispunha de verba e nem estrutura e mesmo assim obtive mais de 1.400 votos.

As pessoas que votaram em mim vêem a possibilidade de Tangará um dia eleger o seu Federal.

A cidade se conscientizou de que deve ter até dois deputados estaduais, elegeu um, mas a Frentinha não fez o 2º. Isso é um avanço”, concluiu.

Presidenciáveis promovem "guerra santa" no 2º turno

Na estreia dos programas eleitorais do segundo turno, os candidatos Dilma Roussef (PT) e José Serra (PSDB) recorreram aos céus. Previsível.

A ladainha de hoje, de lado a lado, foi quase uma catequese cristã. E olhe que vivemos num país de "Estado laico".

Dilma agradeceu a Deus pela "graça" alcançada, defendeu a vida (alusão, indireta à questão do aborto) e rechaçou campanha "caluniosa" imposta pela oposição.

José Serra afirmou que estava "com Deus, com amor no peito". Com imagens de mulheres grávidas, o slogan: "A favor da vida, a favor do Brasil".

Dilma pede comparação de governos, Serra propõe comparativo entre biografias.Ufa!

Nota do Blog - Pela prioridade temática, até parece que vivemos num país de governo teocrático, como o Irã.

Aos poucos a gente vai descobrindo que também temos nossos talibãs, nos dois lados dessa contenda.Vivemos uma inusitada "guerra santa". Carlos Santos

PALHAÇADA

Convenhamos que no nosso parlamento já existem algumas palhaçadas, mesmo antes do "Tiririca" ter sido eleito com uma votação de mais de 1 milhão e 300 mil votos. Vejamos: o deputado mineiro Antônio Andrade colocou na Casa um projeto que visa a obrigar bares e restaurantes a oferecerem leite pasteurizado ou longa vida aos seus fregueses. Vá procurar o que fazer, senhor deputado!!

TRANSPARÊNCIA

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) estabeleceu esta semana que os tribunais devem divulgar na internet, com amplo a acesso à população, os dados básicos de todos os processos em tramitação, incluindo o interior teor das decisões. A medida será implantada por meio de resolução, aprovada pelos conselheiros durante a sessão.

PASSARINHO

O Twitter deve ganhar uma versão em português nos próximos meses, quando começará a tradução do site. Pelo menos é o que promete a responsável pelo suporte técnico e planos de internacionalização do Twitter, Laura Gõmez.

MERCADO - O Brasil é hoje o maior mercado internacional do Twitter, perdendo apenas para os Estados Unidos. Diariamente são publicadas 60 milhões de mensagens no site, 9,6 milhões vindas do Brasil.

GUERRA

O presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra, anunciou que a coligação de apoio à candidatura de Dilma Rousseff, lançará uma espécie de manifesto para combater o que classificam como "guerra suja" por parte de adversários e de José Serra.

REFORMA POLÍTICA

O presidente da OAB nacional, Ophir Cavalcante, pretende apresentar ao (a) presidente(a) eleito(a) uma plataforma de pontos básicos para uma ampla reforma política no país. O documento, intitulado "Carta aos brasileiros", será entregue ao(a) sucessor(a) de Lula no dia 18 de novembro.