15 de outubro de 2010

Vice-prefeito, eu?

Bem acabaram as eleições do primeiro turno e pelo menos duas agremiações políticas de Tangará da Serra já formularam convite a este humilde blogueiro, ex-candidato a deputado federal, para ser candidato a vice-prefeito do município nas eleições de 2012.

Isso só pode ser uma brincadeira.

A todos tenho dito que meu projeto político visa conscientizar a comunidade regional de que nós reunimos condições de sobras para eleger um/uma deputado federal em 2014.

Esse trabalho, sim, já estou fazendo em todos os eventos e reuniões em que participo e haverei de intensificar ainda mais esta luta.

Além disso, não estou pensando em nada com vistas à 2012, quando escolheremos prefeito, vice e possivelmente 15 vereadores tangaraenses.

Chove em Tangará da Serra

Uma gostosa chuva caiu na região de Tangará da Serra nesta tarde de sexta-feira. Muito bom. Já sentimos mudanças na temperatura que nos últimos dias estava torrando.

Dorjival Silva publica homenagem ao Dia do Professor

Aos meus colegas professores e professoras,

Todas homenagens neste dia 15 de outubro.

Trabalho visando alcançar grandes melhorias para nossa classe.

Creio piamente que a Educação é o melhor dos caminhos para a transformação de nossa sociedade.

Educação e Cultura são as molas metras para o desenvolvimento de nosso estado de Mato Grosso e de toda a Nação.

Tenho investido parte de minha vida no nobre trabalho de educar, informar, lutar para que nossas crianças, jovens e adolescentes tenham um futuro melhor.

Tangará da Serra estando no meu raio de ação política, tenho feito e ainda farei muto mais para que alcançe o alto grau de excelência desejado na área da Educação.

Com carinho e respeito por todos os colegas educadores e educadoras, parabenizo-os pelo dia 15 de Outubro, Dia do Professor. Nosso Dia.

Abraços

Prof. Esp. Dorjival Silva
Ex-candidato a deputado federal

DIÁRIO DA SERRA: Dorjival Silva novamente citado como prejudicado por seu partido

Por Sérgio Roberto/Diário da Serra

Foi nas eleições proporcionais do último dia 03 de outubro que os tangaraenses protagonizaram as situações mais extremas desde o pleito de 1994.

Se por um lado os eleitores locais concentraram mais votos em candidaturas locais para deputado estadual, por outro simplesmente abandonaram o único candidato a deputado federal do município.

Os seis candidatos de Tangará da Serra a deputado estadual reuniram 78,13% dos votos do município.

O índice é semelhante ao das eleições gerais de 2006, quando 77,8% dos eleitores de Tangará da Serra confiaram o voto em candidatos do município.

O menor índice de concentração de votos foi registrado em 1998, quando uma parcela de 60% do eleitorado local votou em candidatos tangaraenses. Em 1994 o percentual foi de 73%, enquanto em 2002 o índice chegou a 71%.

O índice de concentração de votos para deputado federal estabeleceu, porém, um recorde negativo em 2010. O único candidato a deputado federal pelo município, Dorjival Silva (PRP), foi votado por menos de 3% dos eleitores de Tangará da Serra.

Este índice é o mais baixo da história eleitoral do município, já que nas quatro eleições anteriores os índices de votação em postulantes locais para o parlamento federal foram de 41% (1994), 37% (1998), 60% (2002) e 67% (2006).

Vale destacar que Dorjival Silva enfrentou problemas de homologação de sua candidatura por culpa do seu próprio partido, que criou entraves burocráticos por falta de alguns documentos para o registro da candidatura.

A situação acabou prejudicando Dorjival na medida em que frustrou a captação de recursos para o financiamento e encurtou sua campanha em dois meses. Leia mais AQUI

A salvação dos mineiros

Tirante a espetaculosidade mostrada o tempo inteiro pela televisão, aqueles momentos de tensão e expectativa da salvação dos trabalhadores em uma mina no Chile, emocionaram meio mundo. Pode-se dizer que todos tiveram as suas atenções voltadas para o que se fez ali visando salvar 33 preciosas vidas.

E, tirante essa propalada espetaculosidade, o que restou foi a autêntica lição de solidariedade; ficaram as cenas cheias de emoções e de exemplos.

Todos os que acompanharam as cenas são unânimes em afirmar que ficaram marcados indelevelmente por aqueles momentos de solidariedade, moral, garra, coragem e heroísmo que nos dão a plena certeza de que é possível, sim, se viver num mundo melhor, onde reine a justiça e um maior espírito de humanidade entre as pessoas.

Claro que os chilenos comemoraram com muita justiça o feito e cantaram até o Hino Nacional daquele país. Mas, nós não podemos perder de vista como lição desse episódio que tudo só se consolidou depois de uma importantíssima colaboração internacional que resultou na criação de condições objetivas e claras para resgatá-los com vida.

O que ficou também como resultado daquela ação é que foi uma atividade de alto risco, mas efetuada debaixo de um planejamento muito bem elaborado.

O que restou de bom nisso tudo foi que todos eles foram devolvidos ao seio dos seus familiares sãos e salvos, depois de se cumprir um roteiro rico em detalhes e com os riscos de uma empreitada dessa ordem presentes em cada passo do que ali estava sendo executado.

Bom, se se puder dizer que a avaliação do episódio é altamente positiva em tudo por tudo, então essa é a verdade absoluta.

Mas, repetimos, o que restou mesmo depois de tudo aquilo foi o exemplo de solidariedade e a demonstração cabal de que é possível sim haver a cooperação entre as pessoas quando um objetivo maior está diante delas. Emery Costa