27 de novembro de 2010

Blogueiro do RN é fustigado por quase 40 demandas judiciais


Do blog de Evânio Araujo

Segunda (29), no Juizado Especial Criminal de Mossoró (RN), a prefeita de Mossoró, enfermeira Fátima Rosado (DEM), participará de seis audiências consecutivas.

O réu é a mesma pessoa: o jornalista e blogueiro Carlos Santos.

As audiências serão presididas pela juíza Welma Duarte. São seis queixas-crimes a que Carlos responde por ser uma das raras vozes de opinião, crítica e jornalismo investigativo na segunda maior cidade do Rio Grande do Norte, com quase 250 mil habitantes e orçamento superior a 369 milhões para este exercício.

Carlos transformou-se em "inimigo público número 1" dessa facção política do clã Rosado, que desde o final dos anos 40 domina Mossoró, se digladiando e somando entre si, sem espaço para qualquer tipo de força alternativa. São governo, "oposição" e "alternativa".

Ao todo, Carlos Santos - que tem quase 26 anos de profissão, com atuação em jornal impresso, rádio, TV e mídias alternativas - é fustigado por quase 40 demandas judiciais, entre queixas-cimes, ações por danos morais e ações de interpelação, todas ingressadas nos últimos três anos.

Todas, sem exceção, são provocadas por membros do esquema da prefeita, familiares, aliados e até mesmo o próprio município, além de existirem ações de interpelações assinadas por todos os secretários municipais.

Só no dia 7 de maio de 2010 foram protocalados 10 processos.

Há outra particularidade nisso tudo: o escritório que patrocina todas essas ações é do presidente da OAB local, advogado Humberto Fernandes. Até aí, nada de estranho.

Estranho mesmo é que até o primeiro trimestre deste ano, esse escritório prestava serviço para o grupo da deputada federal Sandra Rosado (PSB), prima e adversária de Fafá.

Na campanha de 2008, por exemplo, Humberto e sua equipe de advogados patrocinaram ações que pediram a cassação da prefeita Fátima Rosado, por conduta vedada.

Esse mesmo escritório defendeu a então candidata Larissa Rosado (PSB), nome a prefeito contra Fafá em 2008, além do seu irmão e candidato a vereador Lahyre Rosado Neto (PSB) - que se elegeu vereador -, da montagem de uma farsa para torná-los inelegíveis.

Os irmãos foram inocentados em primeira e segunda instância no escândalo que ficou conhecido como "Caso Capitão 40". Foi atestado nos autos, que foram forjadas provas e depoimentos para incriminá-los.

Pessoas ligadas à facção de Fafá aparecem como envolvidas na manipulação.

Apesar da enxurrada de processos, o jornalista Carlos Santos continua firme e forte na sua maneira de praticar jornalismo. Critica o que tem que criticar na gestão municipal e elogia o que tem que elogiar. Ele acredita que outros processos virão, tomando como base o perfil perseguidor dos gestores da Prefeitura.

NOTA DO EDITOR - Conheci este profissional de comunicação do RN no início da década de 90 quando ensaiva meus primeiros passos no jornalismo. À época, ele já era um experiente, respeitado e admirado jornalista. Até chegamos a trabalhar juntos na Rádio Difusora de Mossóro. Lembro como suas opiniões eram (e ainda são) sempre bem abalizadas. Para mim, um estreitante, Carlos Santos, Canindé Queiroz, Nilo Santos, Gilberto de Souza, Amâncio Honorato, Aglair Abreu, Givanildo Silva, Emery Costa e César Santos, eram (e ainda são) os maiores e melhores jornalistas de Mossoró. Sempre me pautei no trabalho desses brilhantes e inesquecíveis profissionais de comunicação. Hoje, vendo Carlos enfrentando tantas demandas judiciais por escrever sobre aquilo que pensa, me fortaleço muito, porque como ele, também entendo que jornalismo tem que ser livre, sem amarras, cabrestos, subserviência, etc. Abraços Carlos!

Capital do País sedia 'corrida contra a corrupção'

Leio no site de Cláudio Humberto que Será realizada amanhã (28), em Brasília, na Esplanada dos Ministérios, uma corrida de rua em comemoração ao Dia Mundial de Combate à Corrupção. O objetivo do evento é fazer com que a sociedade participe da luta pela transparência da aplicação do dinheiro público, pela prevenção e pelo combate à corrupção. O evento é organizado pelo Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral, Associação Contas Abertas, Instituto de Fiscalização e Controle e Comunidade de Inteligência Policial e Análise Evidencial. O início da corrida está marcado para a 9h.

NOTA DA REDAÇÃO - Bem que a população tangaraense deveria fazer algo nesse sentido também.

PRP reúne lideranças para discutir participação do pleito eleitoral de 2012

O Partido Republicano Progressita - PRP de Tangará da Serra realizou na manhã deste sábado (27.11) reunião com suas principais lideranças políticas no município. Sob o comando do presidente da sigla, professor Dorjival Silva (foto), o encontro ocorreu das 9h30 até às 11h35, no auditório do Posto Tanaka, localizado à Avenida Brasil, centro da cidade.


Participaram do encontro: o futuro administrador de empresas, Willian Victor, o bel em Direito Divaldo Ferreira, o agricultor Messias, o professor especialista Elissandro, o profissional de RH Givaldo Venâncio, o estudante Pedro Santos, presidente do Centro Acadêmico da Unemat-Tangará Moisés Passos, presidente do Sindicato dos Bares, Restaurantes, Pizzarias, Churrascarias, Lanchonetes, Boates e Similares do Estado de Mato Grosso - Sindecombares Niversino Santana de Almeida, pedagoga especialista e professora municipal Glória Custódio e a Bióloga Franciele Caroline - todos filiados há mais de ano ao PRP.

Na reunião, o presidente Dorjival Silva apresentou balanço da participação do partido nas últimas eleições em Mato Grosso e no País. Discorreu sobre a grande aceitação da sigla em Tangará da Serra, lançou nova campanha de filiação e convocou as lideranças para entrar com força total nas eleições de 2012.

Silva disse que o partido elegeu como meta chegar ao final de 2011 com pelo menos 300 pessoas filiadas. "Se atingirmos esse alvo poderemos lançar chapa própria em 2012", pontuou.

Ficou aprovado que em fevereiro de 2011 as lideranças voltam a se encontrar para elaborar o calendário de reuniões a serem promovidas em todos os setores, bairros e comunidades de Tangará da Serra até as proximidades das eleições.

"Vamos levar nossa proposta de um possível governo municipal do PRP e aliados para todas as pessoas de Tangará da Serra" completou o presidente. A Assessoria

Exemplo de impunidade

É o caso da máfia das sanguessugas. O processo tem todo o esquema revelado, as cópias dos cheques pagos como propina, o extrato das contas onde o dinheiro entrou e os depoimentos dos envolvidos confirmando a mutretagem.

Mesmo com tudo isso, com tudo apurado e provado, lá se vão cinco anos e nenhum dos envolvidos passou sequer em frente à porta de uma cadeia.

A quem interessar possa

"Não tenhamos pressa, porém, não percamos tempo".

Banditismo ou narcoterrorismo?

O Brasil inteiro e o mundo estão discutindo a situação instalada do Rio de Janeiro. Todos as nossas atenções e os nossos olhos estão voltados para a outrora Cidade Maravilhosa.

Segundo o analista Merval Pereira, o que vem acontecendo no Rio de Janeiro é violência explícita e indiscriminada e não terrorismo. E é ele mesmo quem explica: - "se fosse terrorismo teria uma conotação política, já o banditismo significa a luta pelo poder no submundo do tráfico de drogas & afins".

Agora, recorro ao encaixado jornalista Alberto Dines que se aprofunda mais analisando essa mesma situação do Rio de Janeiro.

Ele escreve que "falar em segurança é desagradável, cria insegurança". E acrescenta que "os nossos veículos de comunicação estão sendo treinados pelos anunciantes para apostar em futilidades, modismos, leveza.

Nas redações criou-se a convicção de que a questão da violência deixa de ser palpitante e crucial para se transformar em chata quando tratada por especialistas".

Realmente as milícias incrustadas no Rio de Janeiro são organizações paramilitares que disputam entre diferentes facções o controle de morros e favelas.

O que se está vendo são facções de bandidos que se unem contra as milícias e levam o terror ao Rio de Janeiro, escreveu Dines. E se essa situação se espalhar pelo Brasil inteiro?

Sabidamente o tráfico e uso de drogas estão se disseminando a passos largos nesse País. E não é privilégio apenas do Rio de Janeiro.

Daí que fica fácil concluir que mais dia, menos dia o que se vê hoje no Rio de Janeiro com o narcotráfico dominando, ele tem plenas condições de estar na nossa porta, de se espalhar pelo Brasil. Pensemos nisso enquanto é tempo. Emery Costa

Programa Justiça Plena é lançado pela CNJ

A Corregedoria Nacional de Justiça lançou esta semana o programa Justiça Plena, que vai monitorar o andamento de processos de grande repercussão social que estão com o andamento paralisado no Judiciário brasileiro.

Os processos monitorados serão incluídos em um sistema eletrônico que ficará disponível no site do CNJ (http://www.cnj.jus.br/ ). Pelo sistema, os cidadãos poderão acompanhar os avanços na tramitação das ações.

Vereador é assassinado por denunciar esquema de corrupção

O vereador de Guarujá Luís Carlos Romazzini (PT), 45 anos, foi morto na madrugada desta sexta-feira (26), após ter sua casa invadida, no distrito de Vicente de Carvalho. O crime ocorreu por volta das 2 horas, quando três homens armados e não identificados já chegaram atirando.

Romazzini também atuava como advogado na cidade. Ele teve participação ativa nas investigações do "Mensalinho do Guarujá", ocasião em que oito vereadores foram filmados recebendo propinas num suposto esquema de corrupção, com dinheiro que teria sido pago pelo então prefeito Farid Madi, para que aprovassem seus projetos no Legislativo, em 2006.

Naquela oportunidade, comentava-se até que a morte de três vereadores vinha sendo tramada.