7 de dezembro de 2010

Corrida na Esplanada contra a corrupção

(Renata Camargo) - O Brasil perde, por ano, de R$ 40 bilhões a R$ 69 bilhões no ralo da corrupção. Escolas arrebentadas, hospitais sem remédios, falta de segurança nas ruas, estradas esburacadas, obras inacabadas, são algumas das consequências dessa enfermidade que assola a país. Para dar a largada a uma mobilização nacional de combate à corrupção, entidades ligadas à Lei da Ficha Limpa realizam no próximo domingo (12), às 9h, em Brasília, a 1ª Corrida contra a Corrupção. A iniciativa simboliza o início de um movimento que pretende alcançar, entre outras coisas, a aprovação da reforma política no Congresso, partindo da mesma estratégia usada na ficha limpa: a pressão popular. Leia mais AQUI

Pleno do TRE inocenta Silval de acusações de Mauro Mendes

JEAN CAMPOS-DIÁRIO DE CUIABÁ - O governador Silval Barbosa (PMDB) saiu ileso de duas representações eleitorais, julgadas ontem pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), que pediam sua cassação. As representações partiram da coligação “Mato Grosso Melhor pra Você”, do candidato derrotado Mauro Mendes. Leia mais AQUI

Nojo de corruptos


Por Carlos Frederick

Esse fim de semana estava assistindo a uma reportagem na televisão que falava da situação degradante do sistema de saúde brasileiro. As imagens mostradas pela TV são chocantes.

Pessoas se amontoando nos corredores dos hospitais suplicando para serem operadas. Muitas morrem nas filas intermináveis de espera. Uma espera que na realidade não deveria existir.

A saúde é um direito básico de todo cidadão e de toda cidadã. Não é possível conceber que nosso sistema de saúde trate seus usuários com tamanho descaso.

Os gestores de saúde no Brasil e nos Estados deveriam ter vergonha na cara. Enquanto a corrupção corrói as verbas destinadas aos tratamentos de saúde pela rede pública pessoas estão morrendo nas filas devido à falta de estrutura, já que o dinheiro que deveria ser destinado a salvar vidas está nos bolsos dos ladrões dos cofres públicos.

É triste a situação. Os cidadãos e cidadãs carentes que dependem de atendimento de saúde da rede pública estão sendo tratados muito pior do que animais quando na realidade merecem um tratamento de seres humanos.

A hipocrisia é tanta que os agentes políticos brincam com a saúde. Alguns acham que política de saúde é pintar o hospital e reformar a fachada. Enganados estão. Política de saúde é não roubar o dinheiro público e destinar esses recursos para onde devem ser destinados.

É por essas e outras que sempre digo, TENHO NOJO DE POLÍTICO LADRÃO pois são eles a razão maior da desgraça de grande parte da população que não tem as condições mínimas para sustentar sua dignidade.

Vereador Roque Fritzen também votará em Romanhuk


O vereador Roque Fritzen (PDT) confirmou ao blog que votará em seu colega Miguel Romanhuk (DEM), caso ele seja candidato, à reeleição a presidência da Câmara.

Na presença de outros jornalistas, o parlamentar disse confiar no trabalho do democrata. Seu argumento baseia-se nos bons serviços prestados por Romanhuk, na gestão atual do legislativo. "Ele tem muitos créditos para permanecer como presidente da mesa diretora", completou.

O pedetista é o segundo vereador, a declarar a esta página, em quem deverá votar na escolha da nova presidência da Câmara de Vereadores de Tangará da Serra. O primeiro foi Melquezeque de Souza, em entrevista exclusiva na semana passada.

Nos corredores da Câmara, há comentários que mais dois vereadores, Luiz Henrique Matias (PTB) e José Pereira Filho (PT), também votariam na reeleição de Romanhuk. Esses, ainda não fizeram qualquer contato com o Diário de Tangará, confirmando ou não, a possibilidade.

Miguel Romanhuk, também contaria hoje, com a simpatia de outros vereadores. Entre esses, estaria o republicano Genilson Kezomae. Caso se confirme o que vem sendo dito, a reeleição do democrata é considerada certa.

A eleição está marcada para a sessão ordinária do próximo dia (22.12). Mas como disse certo colega de imprensa, até lá muitas águas ainda podem rolar por baixo da ponte. Esperemos, pois.

Receita médica: Um nó a mais para os pobres

Acertadíssima a medida do Ministério da Saúde determinando que os antibióticos de agora por diante só sejam vendidos mediante a apresentação da receita médica. Mas, o que se pergunta é o seguinte: como é que as pessoas mais pobres e dependentes, sem planos de saúde e que dependem de atendimentos nos postos e hospitais públicos vão fazer para ter acesso a uma consulta e assim conseguirem a receita? É aí onde está o nó.

Abandono de idosos, crianças ou seja lá quem for é crime

Foi não foi nós, que atuamos em organismos da imprensa, somos chamados a intervir denunciando casos de famílias ou pessoas que abandonam seus parentes, invariavelmente pessoas idosas e até mesmo crianças portadores de limitações físicas.

O que é preciso ficar meridianamente claro para essas pessoas e o conjunto da sociedade é que o abandono de idosos, crianças ou seja lá quem for é crime capitulado no artigo 133 do Código de Processo Penal e que determina de seis meses a três anos de prisão.

Reconhecemos que as vítimas nesses casos de abandonos tanto podem ser jovens, adolescentes, idosos ou adultos. O que precisa ficar bem claro é que não existe alegação alguma que justifique o abandono.

Principalmente se nos deparamos com casos de pessoas com limitações psíquicas ou físicas. Nesses casos se houver abandono aí é que os responsáveis deverão ser penalizados.

Mas, nós não estamos nem nos referindo ao abandono em abrigos, creches ou mesmo no olho da rua. Se o abandono se dá nas próprias residências das vítimas porque as famílias não têm condições financeiras de cuidar do parente esta família deve buscar o Estado.

Até mesmo nesses casos nada há que justifique o abandono. Compete à família que não tem condições de cuidar do seu parente buscar ajuda do Estado.

E ao Estado compete fornecer esse tipo de ajuda. Esse é que deve ser o comportamento correto e não simplesmente abandonar as pessoas à sua própria sorte.