21 de janeiro de 2011

Bandidos lançam um "novo cangaço" em Mato Grosso

Lampião, Maria Bonita e parte de seu bando

Maior bandido da história nordestina, chamado também de o “rei do cangaço”, Virgulino Ferreira da Silva, vulgo “Lampião”, foi citado nesta sexta-feira (21) em matéria jornalística publicada no site da Secretaria Estadual de Segurança de Mato Grosso. Seu nome e o modo como agia no cangaço foram usados para ilustrar o que uma quadrilha composta por 10 indivíduos vinha praticando em cidades do interior mato-grossense.
Leia o texto:

As agências bancárias de Nova Mutum, Aripuanã e Campo Novo do Parecis foram alvos de criminosos que agem na modalidade “Novo Cangaço”, cuja ação criminosa causa terror à população.

São quadrilhas fortemente armadas com fuzis e submetralhadoras que utilizam pessoas como escudo de proteção, inviabilizando qualquer intervenção policial no momento. "O melhor momento para investigar e prender esses criminosos é antes ou depois da ação", afirma o delegado Luciano Inácio.

A expressão “Novo Cangaço”, é uma alusão às ações criminosas praticadas por cangaceiros que, no século passado, agiam em grupos fortemente armados para roubar e espalhar terror no agreste pernambucano, sendo seu maior expoente Virgulino Ferreira da Silva, o Lampião.

Entre os anos de 1998 a 2010, foram contabilizadas 25 ocorrências em cidades do interior do Estado de Mato Grosso.

De acordo com o delegado Luciano Inácio, depois dos assaltos os bandidos se refugiam na mata e por lá ficam por cerca de dez dias, tempo necessário para o cerco policial ser desmontado. Eles sobrevivem de comida pré-preparada (rapadura, farinha e farofa).

“Os cangaceiros modernos diferem daqueles do passado, pois atuam camuflados por vestuários especiais (jaquetas, luvas e balas-clava), apenas olhos e bocas ficam expostos”, explica.

“Passado o período retornam com segurança às suas cidades de origem, onde gastam o dinheiro auferido com o crime e tramam novas empreitadas”, completa Inácio. Foto do Wikipédia

Dois homens são soltos com mandados de prisões em aberto do CDP de Tangará da Serra

O site Só Notícias informou nesta tarde que a Polícia Judiciária Civil de Nobres está novamente à procura de dois acusados de integrar uma quadrilha especializada em roubos de gado na região Médio-Norte, que foram colocados em liberdade na sexta-feira (14) do Centro de Detenção Provisória de Tangará da Serra.

Contra ambos, haviam três mandados de prisões expedidas pelas Comarcas de Rosário Oeste, Nobres e Tangará da Serra. No entanto, somente o mandado de Tangará foi revogado pelo Tribunal de Justiça devido ao atraso no processo.

Os outros dois mandados continuam valendo. Sendo assim, os dois acusados não poderiam ter ganho a liberdade com estes dois mandados em vigor. Continue lendo esse fato AQUI

Presa quadrilha que assaltou Banco do Brasil de Campo Novo do Parecis

Criminosos foram presos hoje em Cuiabá
Sílvio, de cabelos longos (chefe do bando) e o pai dele de 68 anos, à dir. Fotos do Mídia News.

As Informações são dos Sites: Mídia News e Parecis.net

A Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso prendeu na manhã de hoje, sexta-feira, 21, em Cuiabá, dez assaltantes da agência do Banco do Brasil de Campo Novo do Parecis, ocorrido no início do mês de dezembro de 2010.

A quadrilha foi desarticulada pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), na Operação Lacraia, sob o comando do delegado Luciano Inácio da Silva. Os mesmos bandidos teriam liderado ataques às agências de Aripuanã, ocorrido no dia 03 de março, e Nova Mutum, no dia 02 de julho de 2010.
Entre os assaltantes estão pai e filho, Sílvio César de Araújo, de 37 anos, líder do bando e Divino Marino de Araújo, de 68.

Os assaltantes foram presos em Cuiabá e Várzea Grande, em diligências especiais após a confirmação do serviço de inteligência.

Sílvio, vulgo 'Bruxa', era o articulador da organização criminosa e o seu pai era quem confeccionava as identidades falsas para todos os integrantes do bando. Muitas vezes não sabiam nem o endereço um do outro e mantinham contato por telefone.

De acordo com o delegado Luciano Inácio, o ‘Bruxa' estava seguindo os mesmos passos do irmão, José Maria de Araújo, que está preso no presídio Federal de Mossoró, Rio Grande do Norte, também por roubo à agências bancárias. O irmão foi condenado quase 100 anos de prisão.

Assaltantes presos hoje em Cuiabá

Na operação Lacraia também foram apreendidos oito carros (caminhonete L200 Triton, Renault Sandero, Astra, Mercedes, Saveiro, Gol, Fiesta, motocicleta XT 670), além de vários aparelhos celulares, diversos cartões de créditos para celulares, munições, lanterna, roupa camuflada, pistolas 9mm, uma .40, uma submetralhadora, uma carabina.

De acordo com o delegado eles planejavam roubar a agência do Banco do Brasil de São José do Rio Claro.

A prisão é fruto de uma investigação iniciada em abril. Segundo fontes da polícia, há possibilidade de haver conexão com outras quadrilhas que atuam no estado. Os dez assaltantes presos são de Minas Gerais (2), Rondônia (1), Ceará (1), Goiás (1) e Distrito Federal (1), o restante é de Mato Grosso, disseram as mesmas fontes.

Confira abaixo a lista completa dos presos:

1.Sílvio César de Araújo, 37, "Bruxa", líder do bando

2.Divino Marino de Araujo, 68, pai do Sílvio.

3.Paulo Alves de Souza, 44, “Tiozinho”

4. Marcos Antonio de Assis Machado, 27, “Marcão"

5. Fernando Cícero de Oliveira Mendes, 24, o “Fernando Bombado

6.José Hamilton da Silva, 24 anos, o “Ceará” (Também atende por Severino Rodrigues da Silva), natural de Aurora (CE)

7.Clóvis da Silva Veiga, 26, o “Branquinho"

8. Jefferson Ferreira de Arruda, 25 anos, o “Ereca”,

9. Sinval Machado Xavier, 29 anos, o “Sinval”,

10.Sérgio Nunes da Silva, 26 anos, o “Lacraia”.

O assalto em Campo Novo ocorreu na manhã do dia 02 de dezembro de 2010. Vários bandidos encapuzados, usando armas de grosso calibre invadiram a agência do Banco do Brasil da cidade, usaram clientes e funcionários como escudo humano, depois fugiram em caminhonetes levando mais de R$ 2 milhões.

REVISADA: Bandido leva mais de R$ 4 mil do Banco Popular de Tangará da Serra

Bandidos levaram de assalto nesta quinta-feira (20) mais de R$ 4 mil do Banco Popular de Tangará da Serra.

A agência está localizada à Avenida Tancredo Neves, área central da cidade.

Até agora, ninguém foi preso.

Esta não foi a primeira vez que a agência foi assaltada.

Duas mulheres são vítimas de tantativas de homicídio em Tangará da Serra

Duas mulheres residentes no Bairro Monte Líbano em Tangará da Serra estão, desde ontem à noite, internadas em estado grave. Uma delas, numa UTI de um hospital particular.

Ambas são vítimas de tentativas de homicídio em um mesmo local.

De acordo com o que noticiou agora a pouco a TV, uma das mulheres recebeu de um indivíduo um corte de faca no pescoço. A outra, foi atingida por um disparo de espingarda calibre 12 que estava em poder de um sujeito já conhecido da PM.

O atendimento às vítimas foi efetuado pelo Corpo de Bombeiros e SAMU. Os acusados ainda estão soltos nas ruas da cidade.

Os dois fatos podem estar relacionados a acertos de contas, segundo a PM.

Retrato da miséria em Mato Grosso

O jornal A Gazeta divulgou em sua edição desta sexta-feira (21) que mais de 337,9 mil famílias mato-grossenses (1,1 milhão de pessoas) são consideradas pobres de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) e fazem parte do Cadastro Único para Programas Sociais, do governo federal. Destas, 167.699 famílias (49,63%) têm a ajuda mensal do Bolsa Família, que varia de R$ 22 a R$ 200. Outras 11 mil estão na linha da extrema pobreza e atendem todos os requisitos para receber este benefício, mas ainda não foram contempladas por falta de recursos, segundo informações do secretário adjunto de Assistência Social do Estado, José Rodrigues Rocha Júnior.

OAB quer anulação de leis que garantem aposentadorias a ex-governadores

A OAB nacional promete recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) para anular as leis que garantem as aposentadorias nos estados. O presidente da Ordem em Mato Grosso, Cláudio Stábile, afirma que o benefício contraria a Constituição Federal e representa um privilégio, já que os trabalhadores comuns precisam contribuir com 35 anos com a previdência para ter direito à pensão. A OAB nacional já decidiu pedir ao STF anulação de leis estaduais em Santa Catarina, Sergipe, Paraná, Amazonas, Pará, Rio Grande do Sul, Piauí, Ceará e Maranhão. A seccional de MT ainda faz levantamento.

NOTA DO BLOG: Lendo hoje no jornal A Gazeta fiquei sabendo que o Conselheiro do TCE Humberto Bosaipo, que recebe a dita aposentadoria por ter permanecido 10 dias como governador, comunicou que não quer mais receber os proventos. Ele é o primeiro a decidir pelo não recebimento da remuneração em Mato Grosso.


Plano Collor II

Termina no dia 31 deste mês o prazo para recorrer das perdas impostas pelo Plano Collor II a quem tinha depósito em poupança entre janeiro e fevereiro de 1991.

A farra com os cartões corporativos

Segundo a ONG Transparência Brasil, as despesas com o cartão corporativo atingiram a cifra recorde de R$ 80 milhões em 2010. O valor representa R$ 15 milhões a mais do que o registrado no ano anterior. Desde que foi implantado, os gastos atingiram R$ 357,6 milhões. No topo está a Presidência da República, com quase R$ 105,5 milhões pagos. Detalhe: 93% destes gastos não podem ser discriminados por serem "informações protegidas por sigilo, para garantia da segurança da sociedade e do Estado".