24 de fevereiro de 2011

Empresários também reclamam de abandono em Tangará da Serra

Agora a pouco um empresário tangaraense manteve contato com o blog e fez o seguinte desabafo:

"Caro redator:

Não apenas os professores estão incrédulos em relação ao futuro de Tangará da serra, mas toda a população. Porém, os professores e outros profissionais têm vós, enquanto o "povão" que é o que mais sofre com os descasos dos gestores municipais não fala. Minha classe, a dos empresários tangaraenses, que é quem esta mantendo Tangará em pé, estamos mais que abandonados. Pior: ainda estamos vendo todo dia novas empresas se instalando em municípios vizinhos. Só nos resta chorar juntos com os mestres.

Edson Cavalari"

Educação perde R$ 1 bi; corte atinge universidade

Do corte de R$ 50 bilhões no Orçamento anunciado pela equipe econômica, R$ 1 bilhão deverá vir do Ministério da Educação, dos R$ 70 bilhões autorizados inicialmente para a pasta.

O MEC ainda não definiu quais dos seus programas perderão recursos, mas uma parte da conta ficará para as universidades federais. Leia mais AQUI

Rádio Stúdio FM promete nova programação para os próximos dias





A Rádio Comunitária Stúdio FM (103,5) de Tangará da Serra está reorganizando sua programação artística para oferecer aos seus ouvintes, em poucos dias, muita inovação e qualidade.

Sob a direção do jornalista e radialista Vando Nascimento a estação, bastante aceita pela comunidade, passará a oferecer bons programas nos horários, matutino, vespertino e noturno. E promete inovar com a apresentação de segunda à sexta-feira, ao meio dia, de um programa jornalísitico profissional, com direito a entrevistas e a voz da comunidade.

Há anos militando na imprensa tangaraense, onde já atuou como repórter e apresentador de rádio e televisão, Nascimento garante saber muito bem o que os ouvintes gostam de ouvir e saber.

Por isso molda uma nova programação com vistas a atender a exigência de todos os públicos.

A comunidade tangaraense agradece o emprenho e a vocação comunicativa desse profissional que só tem pensado em colaborar com o desenvolvimento da cidade.

Parabéns Vando! Quero que sua rádio, ou melhor, nossa rádio chegue aos melhores patamares de audiência dentre os mais variados segmentos sociais e culturais de nossa terra.

Ganhamos muito com seu empreendimento.

Indisciplina: qual é a causa desse problema comportamental?


Por Franciele Caroline

A indisciplina encontra se em pleno debate no meio dos profissionais da educação, pois entender esse fenômeno comportamental parece ser a principal preocupação da maioria dos professores, tendo em vista que poucas pesquisas foram realizadas no sentido de compreender esse comportamento dos alunos.

Em outubro de 2009 a edição da revista NOVA ESCOLA, trouxe em sua matéria de capa, resposta a 29 profissionais da educação que sugeriram a reportagem, que juntamente como o Ibope em 2007 realizou uma pesquisa com 500 professores de todo país, revelando que 69% deles apontavam à indisciplina à falta de atenção dos alunos, entre os principais fatores da indisciplina escolar.

Para Vichessi Beatriz (2009), esse resultado não passa de uma doce ilusão, pois o comportamento inadequado dos alunos seria, na verdade, a transgressão de dois tipos de regras. As morais como, por exemplo, não bater, não mentir, e as convencionais estabelecidas pelos grupos escolares.

Outro fato interessante e que 100% dos professores esperam que essa formação moral seja realizada pela família, sendo essa também uma tarefa de sua competência, como afirma Áurea de Oliveira, do Departamento de Educação da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP).

Em Tangará de Serra, na pesquisa para minha conclusão do curso de Ciências Biológicas (Unemat/2009), os resultados obtidos indicaram que professores, no caso, da Escola Estadual João Batista, também atribuem a indisciplina em sala de aula, à família. Para os entrevistados, mesmo a família tendo deixado de ensinar os chamados valores morais para seus filhos, admitiram ser também responsáveis pelo problema no ambiente escolar.

Penso que esse é o caminho para que ocorra a mudança, pois quando o professor analisa sua atuação profissional, e faz uma auto-reflexão, verificando quais as suas responsabilidades no processo de indisciplina em sala de aula, é que ocorrem as mudanças, que não devem partir apenas deles, mas de todo conjunto de pessoas envolvidas no processo: pais, alunos, educadores e a própria escola devem trabalhar em conjunto, para evitar as consequências da indisciplina em sala de aula.

Franciele Caroline Silva é graduada em Ciências Biológicas pela Unemat. Professora da rede estadual de ensino de Mato Grosso.

Faculdade Indígena da Unemat poderá ter prédio próprio

A Faculdade Indígena Intercultural da Universidade do Estado de Mato Grosso, no campus René Barbour de Barra do Bugres, poderá ter uma sede própria ainda neste ano.

A possibilidade foi anunciada pelo prefeito Wilson Francelino de Oliveira durante a solenidade de entrega de entrega do antigo hospital das Usinas Barralcool para a Unemat, na tarde desta quarta-feira (23) no município.

A proposta do município é doar a antiga Escola Agrícola para a Unemat a fim de que no local os índios que vêm de várias aldeias para cursar o ensino superior tenham melhores condições de ensino e pesquisa.

Escola Antônio Hortolani expõe retrato do abandono e descaso com a Educação

Uma parte da escola estadual Antonio Hortolani, localizada no Distrito São Joaquim, distante a 23 km de Tangará da Serra, pode desabar a qualquer momento.

As rachaduras das paredes que já preocupavam no ano passado, com a intensidade das chuvas deste período se acentuaram mais ainda.

Essa unidade escolar teria recebido a última reforma no ano de 1989.

De lá para cá sequer um pincel de tinta fora passado às velhas paredes.

A escola é uma das mais antigas do município de Tangará da Serra. E apesar da sua importância para a localidade, uma vez que evita que alunos sejam obrigados a se deslocar para estudar Distrito Progresso ou mesmo na sede do município, não tem recebido a atenção devida das autoridades públicas.

Essa unidade escolar é o verdadeiro retrato do abandono e descaso com a educação pública brasileira.

Encravada numa comunidade propositalmente isolada das ações governamentais, a Escola Antonio Hortolani, além de está caindo aos pedaços, não oferece sequer a menor condição para quem nela estuda e trabalha.

Nem precisaria dizer que na condição de presidente do Distrito São Joaquim, mais uma vez, em nome das pessoas que aqui residem, apelo por melhorias.

Urgentes melhorias.

Escola Dr. Hélcio de Souza está funcionando em situação precária

Os alunos da Escola Estadual Dr. Hélcio de Souza, no município de Tangará da Serra, adotaram o improviso para conseguir estudar.

Sem espaço físico suficiente estudantes e professores tentam se adaptar ao local que abriga o setor administrativo, salas de aula, biblioteca, computadores, sala dos professores, coordenação, direção, secretaria, cozinha, banheiros, área de lazer e quadra poliesportiva sem cobertura.

Fundada em 1992 a escola mantém a originalidade de sua construção, conta com 247 alunos matriculados no período matutino e vespertino, totalizando 25 por sala.

De acordo com a diretora a reforma realizada no ano de 2004/2005 não ampliou a estrutura e nem resolveu os problemas de rachaduras, pisos quebrados e banheiros.

Tá vendo... Esssa é a triste realidade vivida por professores e estudantes que residem em Tangará da Serra.

Professores estão incrédulos em relação ao futuro de Tangará da Serra

Tenho conversado bastante com profissionais da educação em Tangará da Serra.

E um fato tenho observado: grande parte vem se mostrando insatisfeita com o quadro político-admintrativo desenhado na cidade.

Há revolta, desilução e incredulidade com relação a dias melhores, pelo menos enquanto não houver mudança de comando no município, dizem

Como professor, também estou deveras decepcionado, especialmente com a falta de respeito imposta aos mestres que aqui atuam.

Quanta decepção!

Unemat confere grau a 60 profissionais em Barra do Bugres

Comunidade Acadêmica, autoridades civis e população se reuniu na noite desta quarta-feira (23) no ginásio municipal de Barra do Bugres para a cerimônia de colação de grau de 60 acadêmicos dos cursos de Arquitetura e Urbanismo, Engenharia de Produção Agroindustrial, Ciências da Computação e Matemática ofertados pelo campus da Universidade do Estado de Mato Grosso em Barra do Bugres.

A cerimônia foi presidida pelo reitor da Unemat, Adriano Aparecido Silva, e contou com a presença do vice-governador Chico Daltro, secretário de Ciência e Tecnologia Eliene Lima, prefeito municipal Wilson Francelino de Oliveira, vice-reitor Dionei José da Silva, coordenador do campus de Barra do Bugres, Alexandre Porto, além de vereadores e professores.

Tangaraense está em UTI com fortes sintomas de hantavirose

Um agricultor de 30 anos de idade, morador duma chácará dos arredores de Tangará da Serra, está há três dias internado numa UTI de Cuiabá, com fortes suspeitas de ter contraído a doença transmitida pelo rato silvestre, identificada como Hantavirose.

De acordo com informações de familiares, passadas com exclusividade ao Blog, o agricultor teria sentido os primeiros sintomas da doença no último domingo.

E como seu quadro clínico foi ficando cada vez mais crítico, a Saúde local providenciou sua transferência para um hospital da capital, na terça-feira pela manhã.

Ontem, um parente próximo comentou que apesar de o trabalhador permanecer ainda numa UTI, já eram observadas melhoras em sua saúde.

Empresas têm até 2ª feira para entregar DIRF

As empresas e pessoas físicas que fizeram pagamentos com retenção de imposto em 2010 têm até segunda-feira (28) para entregar a Declaração de Imposto de Renda Retido na Fonte (Dirf). O prazo é o mesmo para o envio aos trabalhadores do Comprovante de Rendimentos.

As pessoas jurídicas que deixarem de apresentar a Declaração estão sujeitas à multa mínima de R$ 500,00. Já as empresas do Simples e as inativas que não entregarem o documento pagarão multa mínima de R$ 200,00. A penalidade para a não-entrega do Comprovante de Rendimentos é multa de R$ 41,43 por documento. Além disso, sem essas informações o contribuinte fica impossibilitado de preencher e enviar a declaração do IRPF.

Neste ano, o prazo de entrega começa em 1º de março e termina em 29 de abril. A transmissão das informações sobre retenção de imposto só pode ser feita pela página da Receita na internet. (www.receita.fazenda.gov.br). FONTE: Assessoria de Comunicação Social - Ascom/RFB.

Bagaço de cana vira plástico

O bagaço da cana-de-açúcar, hoje apenas queimado, promete ter um destino mais nobre, naquilo que depender do Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo (IPT)

Isso porque a ideia dos cientistas do órgão paulista é construir uma usina-piloto de processamento desse material, que deverá não apenas gerar energia elétrica, como substituir plásticos derivados do petróleo e produzir biocombustível líquido (etanol).

"Em vez da queima, vamos ter o uso para produção de energia limpa", disse o ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, que foi conhecer o projeto.

A usina deverá entrar em atividade em três anos e será construída em Piracicaba, no interior de São Paulo. A intenção é que ela sirva de modelo ao setor sucroalcooleiro.

O projeto foi apresentado ainda ao vice-governador de São Paulo, Guilherme Afif Domingos. Os governos federal e estadual, juntamente com empresas privadas, vão investir R$ 110 milhões na construção da planta-piloto.

Em 2009 o Brasil colheu 650 milhões de toneladas de cana-de-açúcar. Essa quantidade gerou 210 milhões de toneladas de biomassa. Segundo o IPT, caso essa biomassa tivesse sido gaseificada - como se prevê na usina-piloto - teria gerado R$ 24 bilhões em energia elétrica.

Uma das ideias do projeto é testar a eficiência da tecnologia de gaseificação do bagaço da cana-de-açúcar. Nela, ele é posto em uma caldeira e queimado por uma espécie de maçarico gigante. Da queima é gerado um gás, chamado gás de síntese, com as três aplicações já citadas.

O processo já é conhecido pelos pesquisadores brasileiros, mas ainda não foi aplicado em grande escala. A usina do IPT será a primeira a fazer isso com um grande volume de bagaço de cana.

Se o potencial for comprovado, especialistas estimam um grande aumento na produtividade das usinas. "O processo pode triplicar o potencial de geração de energia das usinas", afirmou Nilson Zaramella Boeta, diretor superintendente do Centro de Tecnologia Canavieira (CTC). "Seria uma outra Itaipu produzindo energia." Fonte: Portal do Agronegócio