2 de junho de 2011

Pingos nos "is" - as duas faces da mesma moeda


Por Luciana Menoli

Pois bem! Os vereadores da comissão de inquérito emitiram o relatório, constatando que houveram sim irregularidades na celebração do contrato com a oscip Idheas. Pergunto: Alguém, em sã consciência, tinha dúvidas? Agora, a população tangaraense, pela segunda vez em pouco mais de 10 anos, aguarda que a prefeitura e a Câmara sejam 'limpas' novamente. Será que vai dar cassação ou pizza em tamanho família???

Leia mais AQUI

MEC suspendeu 242 vagas do curso de direito em MT

O Ministério da Educação (MEC) suspendeu 242 vagas para o curso de Direito em Mato Grosso devido ao baixo índice no Conceito Preliminar de Curso (CPC). A decisão atingiu 4 instituições de ensino, que têm 30 dias para apresentarem defesa ao MEC. Ao todo, foram suspensas 10.912 vagas em todo o país.
A faculdade Afirmativo, Centro Universitário de Várzea Grande (Univag), Centro Universitário Cândido Rondon e a Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais Aplicadas do Araguaia (faculdade Cathedral) tiveram índices abaixo de 2. A escala é de 0 à 5 e leva em consideração a avaliação dos alunos, corpo docente e estrutura física. 
 

Alto Paraguai: vídeo mostra vereador cobrando propina a prefeito

Um dia após a Delegacia Fazendária prender seis vereadores, acusados de extorquir o prefeito Adair José Alves Moreira (PMDB), foi divulgado um vídeo em que o vereador Milton de Campos Luz (PR) cobra R$ 500 pela “tranquilidade” do gestor municipal. No total, segundo o republicano, seriam necessários R$ 3,5 mil ao mês para garantir a governabilidade de Adair. “Não é nada. Não é nada; eu sei que é fácil para você tirar isso (...) Eu sou contra isso (...) mas não adianta, não adianta”, diz Milton, num trecho da gravação. Do RDNews


Mais informações AQUI

Clima político é tenso em Tangará da Serra

O clima político em Tangará da Serra, após a divulgação do relatório da CEI da Saúde, ontem, na Câmara de Vereadores, não poderia ser mais tenso.

A população não fala noutro assunto senão na possibilidade de uma grande alteração no quadro da administração municipal.

O presidente da Câmara, Miguel Romanhuk (DEM) se prepara para assumir o comando do poder executivo municipal. Quatro suplentes de vereadores também não veem a hora de tomar posse como titulares.

Êita! É coisa de louco mesmo.

Enquanto isso, os atuais secretários e todos que assumem cargos de confiança de Ladeia e Jaconias, tremem só em pensar que perderam seus bons empregos.

É coisa de dias. Aguardemos, pois!

Lei ‘Elias Maluco’

Nesta data, em 2002, o jornalista Tim Lopes era torturado e morto por traficantes do Rio de Janeiro. Ele fazia reportagem investigativa sobre o tráfico de drogas em bailes funks nos morros cariocas. Tim morreu porque era um representante do “olho público”, fazia de sua profissão um instrumento de combate ao crime, em defesa de uma sociedade mais justa.

A morte de Tim provocou reações imediatas, porém pontuais, sem consistência, à medida que o exercício da liberdade de expressão e do jornalismo investigativo continua incomodando os donos dos poderes – constituídos e paralelos. Qual a diferença da arma marginal do bandido “Elias Maluco”, que calou Tim, para o dedo das autoridades que constantemente aponta para limitar o exercício da imprensa? Nenhuma.

São armas letais que ameaçam a liberdade de expressão. Da forma como os bandidos tentam calar jornalistas à bala, donos de mandatos eletivos, em linha desonesta, procuram criar leis para limitar a prática do jornalismo. Veja o mau exemplo que vem Câmara dos Deputados: a Comissão de Constituição e Justiça aprovou projeto que tipifica como crime vazamento de informação de investigação criminal sob sigilo.

Se virar lei – falta a votação no Plenário –, o jornalista estará proibido de divulgar informações sobre investigação criminal, podendo ser enquadrado em crime que prevê pena de dois a quatro anos de prisão, além de multa.

O projeto, de autoria do deputado Sandro Mabel (PR-GO) – figura repetida em escândalos de corrupção –, ultrapassa o limite da insensatez, pois o seu nível de periculosidade é tão violento quanto os bandidos que deram fim a Tim Lopes. Eles querem enterrar o único meio capaz de servir à sociedade. É um crime contra o estado democrático de direito.César Santos

Mudança na data de posses

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados aprovou a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que muda a data da posse do presidente da República para o dia 4 de janeiro, e de governadores e prefeitos para o dia 3 de janeiro. A PEC agora será examinada por uma comissão especial, antes de ir para votação.