3 de junho de 2011

Bastidores do encontro da Associação Atlética Serra com a imprensa tangaraense

Associação Atlética Serra (AAS) promoveu ontem, à noite, na residência do presidente da entidade, advogado Valter Locatelli, importante encontro com membros da imprensa de Tangará da Serra.

Na oportunidade, foi lançado o carnê para angariar recursos para a manutenção do time nos próximos seis meses.

Veja na sequência, momentos do evento que contou com a presença do presidente da Associação Tangaraense de Imprensa (ATI), jornalista Dorjival Silva, secretário municipal de Esportes Wellington Bezerra e do vereador João Negão, além de jogadores e corpo técnico do principal time local.

O presidente da ATI, como forma de colaboração com o time tangaraense, disponibilizou à Associação Atlética Serra, serviços de assessoria de imprensa durante este ano, sem ônus algum para ela.

Valter Locatelli, Ferreira Jr. e TonWeber
Wellington (Esportes), Valter Locatelli (AAS)
e Dorjival Silva (ATI)
Humberto, Valdemar, Leani, Locatelli,
Dorjival e Sílvio Sommavilla
Wellington, Locatelli e Dorjival Silva fizeram uso da palavra
Mesa redonda: Valdemar fala aos presentes

Vereadores de Alto Paraguai negam extorsão

FERNANDO DUARTE
Diário de Cuiabá

Apesar das gravações que indicam a extorsão, os vereadores de Alto Paraguai (218 quilômetros de Cuiabá) negaram todas as acusações de cobrança de dinheiro para aprovação de projetos e para não afastar o prefeito do município, Adair José Alves Moreira (PMDB).

Até a noite de ontem, os policiais da Delegacia Fazendária haviam interrogado três dos seis detidos na quarta-feira. Segundo a assessoria de comunicação da polícia, foram ouvidos o ex-prefeito do município, Alcenor Alves, e os vereadores Gilbert de Souza Lima, relator da última comissão processante que afastou Moreira, e Aluísio Carvalho Júnior.

FOI TARDE: Primeira-dama envolvida em esquema de corrupção pede demissão

A primeira-dama Rosely Nassim Jorge dos Santos, apontada como centro do suposto esquema de corrupção, fraudes em licitações e desvios de recursos públicos desmantelado pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), voltou à sede do Ministério Público do Estado de São Paulo em Campinas na tarde desta quinta-feira para prestar depoimento. Ela havia se apresentado espontaneamente nesta quarta-feira e, segundo nota divulgada pela assessoria de imprensa da Prefeitura, manteria silêncio enquanto não tivesse conhecimento sobre as conversas gravadas e detalhes da investigação.

Remédio barato

O Governo poderá oferecer vantagens às farmácias e drogarias para venderem remédios a preço de custo para aposentados. A diferença entre o preço praticado e o de mercado seria registrado em despesas operacionais, garantindo um subsídio aos revendedores. O benefício atenderá a aposentados, portadores de doenças crônicas e usuários do SUS. O projeto depende apenas de aprovação na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado.

Isenção da taxa de inscrição no vestibular nas universidades federais

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania aprovou a proposta que isenta da taxa de inscrição no vestibular nas instituições federais de ensino superior os candidatos que tenham cursado todo o ensino médio em escola pública e os que tenham recebido bolsa integral em escola privada. Em ambos os casos, os candidatos devem comprovar renda familiar per capita igual ou inferior a um salário mínimo e meio.

RF anuncia que deixará de emitir o cartão CPF em formato plástico

A Receita Federal anunciou que deixará de emitir o cartão CPF em formato plástico a partir da segunda-feira (6). O comprovante de inscrição no CPF será emitido somente no ato do atendimento pelas entidades conveniadas à Receita ou poderá ser impresso pela página da Receita na internet. O motivo da suspensão da emissão não foi explicado pelo órgão.

Delegada Federal: "Maria (Guimarães, diretora do Idheas) precisaria de cinco vereadores..."


O relatório final da Comissão Especial de Investigação da Saúde da Câmara de Tangará da Serra, cidade do médio-norte de Mato Grosso,  foi pontual nos apontamentos das responsabilidades em torno escândalo. Por prática de atos de improbidade em série, o prefeito  Júlio César Ladeia é apontado como o protagonista de todo o esquema que envolveu desvio de dinheiro.  Aos vereadores Celso Ferreira (DEM), Genílson Kezomae (PR), Haroldo Lima (DEM) e Paulo Porfírio (PR), além do suplente Celso Vieira (PP), foram imputados crimes de quebra de decoro e também por improbidade. 

Já afastado do cargo de prefeito em função de outro procedimento investigatório, Júlio César Ladeia é indicado  o responsável por ter iniciado o relacionamento do município com o Instituto Idheas, organização da sociedade civil de interesse público (oscip) contratada de forma direcionada e sem a devida licitação para gerenciar a saúde pública de Tangará da Serra.