9 de julho de 2011

O Tangaraeense circula na manhã desta segunda-feira com grandes reportagens

O jornal O Tangaraense - dominical de Tangará da Serra - edição deste domingo, dia 10, circula na manhã da próxima segunda-feira, dia 11. Um pequeno problema na editoração de nosso impresso impediu que o mesmo ficasse pronto neste sábado, como de costume.

EM TEMPO: O Tangaraense trará grandes reportagens nessa edição.

Judiciário mantém Gilcélio Peres fora da Comissão Processante

Aconteceu o esperado.

A Justiça não permitiu o retorno do vereador-suplente Gilcélio Peres (PT), na relatoria da Comissão Processante em curso na Câmara de Vereadores de Tangará da Serra.

Como havia despachado a juíza Tatiane Colombo, o juiz Jamilson Haddad ratificou decisão em desfavor de Peres que queria às custas de uma liminar expedida pelo Juiz Cláudio Zeni retornar ao posto de relator.

Agora muito dificilmente o petista, defensor público da fritura de Ladeia e da salvação de seu amigo Jaconias da Silva, retornará à Comissão.

EM TEMPO: Ontem, a presidente da CP, vereadora-suplente Geane Rosemar disse que os trabalhos estão entrando em fase final. O relator Amauri Paulo Cervo também garantiu, em entrevista, que seu relatório já caminha para a conclusão.

Com isso, há todas as possibilidades do relatório ser votada na última sessão que antecede ao recesso parlamentar.

Trocando em miúdo: dentro de 10 dias a população tangaraense já saberá se Ladeia, Jaconias e demais acusados serão inocentados ou perderão seus respectivos mandatos.

Na hipótese de cassação dos mandatos de Ladeia e Jaconias, o presidente da Câmara, vereador Miguel Romanhuk assume o comando do município por 60 dias. Nesse período, será convocada eleição indireta, onde os partidos indicarão nomes e os parlamentares elegerão o novo prefeito de Tangará da Serra.

Como se percebe, ainda há muita água para passar debaixo da ponte. Mas devagarinho as coisas estão progredindo. O restante, colocamos nas mãos de Deus, o supremo Juiz.

Marina deixa o PV

Mais conhecida como Marina "Melancia" ( verde por fora e vermelha por dentro), a ex-senadora Marina Silva, deixou o PV.
 
Sem ambiente no partido, onde não conseguiu ser a "proprietária" e portanto, impor suas concepções mais petistas e retrógradas do que nunca, sobre ecologia, leva consigo personalidades polêmicas que a acompanham em busca de novos horizontes ecológicos, parecidos com uma cruzada contra o agronegócio e o desenvolvimento do país.
 
A cerimônia de desfiliação da ex-senadora teve um certo ar de solenidade onde pontificou a  clareza dos motivos pelos quais ela debandou com seus "amigos e colaboradores": A ex-presidenciável sai do PV, após "desentendimentos" com a liderança do partido. Ah, tá!

TEXTO DO BLOG A DIREITA EM AÇÃO