24 de agosto de 2011

Comissão pede cassação de 6 políticos de Tangará da Serra

A Comissão Processante (CP) em Tangará da Serra propôs a cassação do prefeito, vice e quatro vereadores do município por envolvimento em irregularidades na saúde, promovidas pela Oscip Idheas. Hoje, a partir das 8h, será iniciada a leitura do processo para os dez vereadores definirem seus votos.

A presidente da CP, vereadora Geane Rodrigues (PMDB), afirmou que a comissão apontou todos os indícios já apresentados nas denúncias do Ministério Público, da Polícia Federal e da Comissão Especial de Investigação (CEI), responsável por sugerir a criação da CP.

Estão sendo investigados os prefeito e vice afastados, Júlio César Ladeia (PR) e José Jaconias da Silva (PT) e os vereadores Celso Ferreira (DEM), Haroldo Lima (DEM), Genilson Kezomae (PR) e Paulo Porfírio (PR), ex-secretário de Obras do governo do prefeito republicano.

“Foram analisadas mais de 15 mil páginas, incluindo os argumentos das defesas dos acusados, para o apontamento de que há indícios para a cassação”.

Geane afirmou que será uma sessão única para a definição do futuro dos políticos. Assim, ou serão lidas as mais de quatro mil páginas que foram o relatório final ou a defesa dos acusados entram em consenso (omitindo a leitura) e vão diretamente para as considerações finais. A CP trabalhou em quase 70 dias para produzir o relatório.

Caso a cassação seja confirmada, eles também deverão ficar inelegíveis para as próximas eleições, de acordo com Geane. As acusações contra Ladeia é de não ter feito licitação para a escolha da Oscip para gerir determinados setores da saúde, além de não ter agido para coibir os atos.

Contra Jaconias, a falta de atitude para encerrar o contrato feito na gestão Ladeia. Jaconias assumiu a prefeitura após o prefeito ter sido internado devido a um acidente automobilístico.

Atualmente, governa o município o presidente da Câmara, Miguel Romanhuk (DEM), que afirma concluir as obras iniciadas ou não realizadas no período Ladeia. Diário de Cuiabá

Bebê é internado em estado grave após ser jogado no chão pela mãe em Tangará da Serra

Um bebê de seis meses foi internado em estado grave após ter sido jogado no chão pela própria mãe, durante uma discussão com o ex namorado, no município de Tangará da Serra.
 
De acordo com as informações do Centro Integrado de Operações e Segurança Pública (Ciosp), o crime ocorreu na zona rural. A acusada, de 17 anos, identificada até o momento apenas como “Rosane”, está presa.
 
A criança foi internada na segunda-feira (22) em uma unidade de saúde, mas já pela manhã desta terça-feira (23) foi liberado e encaminhado para um abrigo.