26 de agosto de 2011

COMISSÃO PROCESSANTE: Cerca de quatro mil página já foram lidas

IMAGEM: Jornal O Tangaraense

Até o momento foram lidas cerca de 4 mil páginas das 15 mil que compõem o processo que poderá cassar os mandatos do prefeito afastado de Tangará da Serra, Júlio César Ladeia, do vice afastado, José Jaconias da Silval (PT), e de quatro vereadores também afastados (Celso Ferreira, Haroldo Lima, Paulinho Porfírio e Genilson Kezomae). A sessão de julgamento iniciou na última quarta-feira, às 8h, e desde então teve interrupção apenas para almoço e jantar, com 45 minutos de pausa para cada.

Um dos julgados, o vereador Genilson Kezomae, entrou com um pedido de mandado de segurança para que não haja a leitura do processo, do relatório final e a sessão seja derrubada, porém, foi negado.

A previsão do assessor de imprensa da câmara, Lauro Vaccari, é que o relatório final, que tem cerca de 725 páginas comece a ser lidas apenas na segunda-feira (29). No final os vereadores serão julgados em oito itens. Já o prefeito será analisado em doze e o vice em nove, sendo que se forem condenados em apenas um serão cassados.

ACUSAÇÃO - O grupo é acusado de se beneficiar de irregularidades e desvios de recursos destinados para a saúde, através da contratação do instituto Idheas, aprovado pela câmara tangaraense. Os vereadores são acusados de quebra de decoro parlamentar ao votarem o projeto que autorizou a contratação da Oscip pelo município para gerir a questão da saúde local. Devido a este fato, além da possibilidade de perder o mandato, os vereadores também podem ser condenados por atos de improbidade administrativa, no qual já respondem devido a uma ação civil pública proposta pelo Ministério Público.