30 de março de 2012

Tangará da Serra sedia Brasileiro de Ciclismo neste domingo

Os atletas da modalidade de ciclismo olímpico prometem mais uma disputada rodada nas principais ruas da cidade de Tangará da Serra, que neste domingo (01.04), será a sede nacional do ciclismo brasileiro.

A competição, uma realização da Federação Mato-grossense de Ciclismo, com a supervisão da Confederação Brasileira de Ciclismo e apoio do Governo do Estado de Mato Grosso, por meio da Secretária de Estado de Esportes e Lazer, conta com a participação de atletas das principais cidades do Estado e mais delegações do Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, Goiás e Rondônia.

Mato Grosso será representado pelos principais atletas em nível nacional, que são, pela categoria Elite, Josias Serafim (Tangará da Serra) e Railson Mateus (SER Cidade Verde/Rosário Oeste); pela categoria Júnior, os participantes são Sandro Espessoto (SER Cidade Verde/Rosário Oeste) e Luiz Vinícius (SER Cidade Verde/Rosário Oeste).

Participam da categoria sub-30, Daniel Moretti (Cuiabá) e Adam Menzel (Sinop). Na categoria Juvenil, Lucas Rebeque (SER Cidade Verde/Rosário Oeste) e Wesley Canela (Tangará da Serra). Na categoria máster 30-34 os participantes são Clemilson Ramires (Cuiabá) e Leônidas dos Santos (Rondonópolis). Categoria Infanto-juvenil José Nathan (Tangará da Serra) e Antônio Edilson (Rondonópolis), entre outros.

MPE investirá R$ 2,1 milhões em futura sede própria em Tangará

Uma empresa de Cuiabá construirá a sede própria das promotorias de Tangará da Serra. O resultado da licitação homologado, hoje, aponta que o preço apresentado foi de R$ 2,1 milhões. O processo foi reaberto em janeiro depois do anterior, em dezembro, ter sido declarado deserto. Na oportunidade, nenhuma empresa manifestou interesse na obra, que tem a expectativa de iniciar ainda este ano.


O memorial descritivo aponta que a estrutura será em um terreno de 900 metros quadrados, sendo 890,95 de área construída, com três pisos. Na seleção da empresa para elaboração do projeto, o MP apontou que a construção deverá ser sustentável, com a adoção de soluções que minimizem o impacto ambiental, devendo ser utilizados materiais e tecnologias de baixo impacto, que promovam a conservação e o uso racional da água e a eficiência energética e a especificação de produtos com certificação ambiental.


Há pouco dias, o Ministério Público também definiu que uma empresa de Cuiabá construirá a nova sede das promotorias de Sorriso. Ela apresentou o menor preço, com valor de R$ 2,2 milhões. As obras podem começar ainda este semestre. 


A promotoria funciona em sede provisória e a nova será construída um terreno de 1.250 metros quadrados, tendo 876 metros de área construída, doado pela prefeitura. O edital apontou que a estrutura deve seguir moldes sustentáveis, com a adoção de soluções que minimizem o impacto ambiental, como no projeto para Tangará.

Tangará da Serra é o próximo destino do ciclo de ‘Seminários Regionais da Fiemt’

Na próxima terça-feira (03/04), a partir das 18h30, na Associação Comercial e Empresarial de Tangará da Serra (Acits), empresários do município e região terão um encontro com equipes técnicas de entidades de classe e do governo estadual para obter mais informações e sanar dúvidas sobre os programas de incentivos às indústrias e as linhas de crédito voltadas para o fomento da economia local. As inscrições são gratuitas e as vagas limitadas.

Tangará é o segundo destino do ciclo de 'Seminários Regionais' promovido pela Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Fiemt) em parceria com os Sindicatos Patronais Industriais, Secretaria de Estado de Indústria, Comércio, Minas e Energia (Sicme), Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e o Banco do Brasil. O projeto percorrerá nove regiões do Estado, atingindo cerca de 130 municípios.

Durante o evento são apresentados aos empresários e industriais os programas do governo do Estado, como incentivos fiscais atuais, as linhas de empréstimos e financiamentos de instituições de fomento, os procedimentos para o enquadramento das empresas do setor industrial no Programa de Desenvolvimento Industrial e Comercial de Mato Grosso (Prodeic), Fundo de Desenvolvimento Industrial e Comercial (Fundeic), Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste e as condicionantes para o acesso aos benefícios.

Os representantes da Fiemt, de instituições financeiras e consultores econômicos vão explicar quais oportunidades são compatíveis para o segmento e como contratá-las. Ao final das palestras, os técnicos ficarão à disposição dos participantes para tirar as dúvidas e dar orientações.

Como ocorrido em Juína, que foi o primeiro município a receber o encontro, na manhã seguinte ao evento a comitiva da Fiemt irá visitar indústrias e parceiros da região. A programação dos 'Seminários Regionais da Fiemt' se estende até maio, passando ainda pelos municípios polos de Cáceres, Pontes e Lacerda, Alta Floresta, Sinop, Água Boa, Rondonópolis, e o encerramento do evento em Cuiabá. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail operacional.ueda@fiemt.com.br ou pelo telefone (65) 3611-1666.

29 de março de 2012

Secretaria do PT: A saga dos alunos-fantasmas

Quatro servidores da educação estadual são suspeitos de executar um esquema para desviar verbas do Governo Federal


Enquanto funcionários da educação pública se reúnem em nível nacional, exigindo o aumento da verba destinada à educação, quatro servidores da educação estadual de Mato Grosso são afastados por suspeita de executar um esquema para desviar verbas do Governo Federal destinadas à Educação de Jovens e Adultos (EJA). 

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) afastou de forma cautelar o diretor Enio Vaz, as coordenadoras pedagógicas Ana Lúcia Capucho, Maria Salette Marquioreto Mazeto e Wilma Regina de Amorim, todos lotados no CEJA Antonio Cesário de Figueiredo Neto, popularmente conhecida apenas como “Cesário Neto”. 

Todos são alvos de uma Sindicância Administrativa pela suposta ocorrência de diversas irregularidades na matrícula de alunos e composição de turmas desde 2010 até a atualidade. 

Wilma Regina Amorim, hoje coordenadora pedagógica, era diretora da Escola Cesário Neto no biênio de 2010/2011. Por ações nesse período ela é investigada pelo Ministério Público por nepotismo, além de também ser alvo de outro processo administrativo na Seduc por denúncias de abuso de poder, atos de coação e assédio moral. 

A fraude, se comprovada, consistia na criação de “alunos fantasmas”. Com um número maior de alunos, a escola receberia verbas adicionais do Governo Federal, seja do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), do Plano de Desenvolvimento da Escola (PDE), ou outros. Essa hipotética verba adicional seria “embolsada” pelos envolvidos no esquema fraudulento. 

Além do esquema descrito acima, algumas turmas do ano letivo de 2011 daquela escola apresentariam um número de alunos matriculados menor do que 35, mínimo exigido pela Seduc para a criação de uma classe (contando com os supostos fantasmas). Além de conseguir verbas extras, professores temporários seriam requisitados para lecionar nestas classes, gerando um gasto desnecessário que poderia ser convertido para unidades escolares com real necessidade de docentes. 

De acordo com o que foi publicado no Diário Oficial no dia 23 de março, esses servidores também serão investigados por não atualizar as informações dos alunos no Sigeduca, fato que estaria privando alguns alunos da Escola Cesário Neto do uso do passe livre e de qualquer outro beneficio. 

Para o secretário de Educação, Ságuas Moraes, as investigações ainda estão em fase inicial e nenhuma avaliação pode ser feita no momento. “Todo dia é aberto um processo administrativo na Seduc. Muitas vezes não passa de denúncias sem provas”, afirmou. Ainda segundo ele, o afastamento da equipe gestora é um procedimento normal e, enquanto seguem as apurações, interventores são indicados para gerir a unidade. A reportagem tentou entrar em contato com os investigados, mas não obteve êxito. Por JARDEL PATRÍCIO ARRUDA

26 de março de 2012

Unemat contrata professores para Sinop, Alta Floresta e Tangará

Com Assessoria

 A Universidade do Estado de Mato Grosso abre, nesta segunda-feira o período de inscrições para contratar professores temporários, além de preencher o cadastro de reserva. Trinta e seis vagas são para os campi de Sinop, Alta Floresta e Tangará da Serra. Não há taxa de inscrição e os salários variam de R$ 1,6 mil a R$ 3,7 mil.

No campus de Sinop há 17 vagas, mais cadastro de reserva. São para disciplinas dos cursos de ciências contábeis, ciências econômicas, engenharia civil, letras e matemática. A prova escrita acontece no dia 2 de abril e a de desempenho didático, nos dias 3 a e 4. O resultado final sai no dia 11.

Em Alta Floresta são 9 vagas mais cadastro de reserva. São para disciplinas nos cursos de agronomia, ciências biológicas e engenharia florestal. A prova escrita também acontece dia 2 de abril e a de desempenho didático, dia 4. O resultado final do processo sai dia 11.

No campus de Tangará da Serra há dez vagas, mais o cadastro de reserva. São para disciplinas nos cursos de administração, agronomia, ciências biológicas, ciências contábeis e letras. As datas das provas é a mesma que acontecerá em Alta Floresta.

O prazo de inscrições acaba nesta sexta-feira (30).

Pesquisa realizada em Tangará da Serra recomenda novas cultivares de abacaxi no Mato Grosso

A Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) lança publicação sobre novas cultivares de abacaxizeiro para o Estado. O trabalho de pesquisa foi realizado no Campo Experimental, no município de Tangará da Serra, avaliando as características produtivas, qualidade do fruto e variedades resistentes à fusariose (doença devastadora que causa a morte da planta).

As cultivares Vitória e Jupi foram as selecionadas e recomendadas para os produtores rurais.

 A pesquisadora da Empaer, Maria José Mota Ramos, fala que 100% da variedade Pérola é cultivada no Estado e apresenta características produtivas e de qualidade físico-química do fruto similar com a cultivar Jupi. O Pérola tem formato cônico e Jupi é cilíndrico, a diferença básica entre as duas cultivares está no formato do fruto. Conforme Mota, a Jupi é mais interessante para a indústria, pois há um maior aproveitamento do fruto devido ao seu formato cilíndrico. As variedades são destinadas para consumo in natura e indústria.

 A cultivar Vitória é resistente à fusariose e não necessita de aplicação de agroquímico para controlar essa doença. O custo de produção é menor em comparação com outras variedades, possibilitando competitividade dos fruticultores principalmente do agricultor familiar. O teste de degustação do fruto teve uma aceitação de 89,99% entre os provadores, que gostaram extremamente em torno de 33,33%; que gostaram muito 56,66%. A planta não tem espinhos nas folhas e a casca fica com a cor amarela no período de colheita.

 Conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na safra 2010, a região Centro-Oeste plantou 4.745 hectares de abacaxi, com uma produção de 105 milhões de frutos e Mato Grosso plantou 2.104 hectares e colheu 47 milhões de frutos de abacaxi. O município de Tangará da Serra é considerado um dos polos importantes na produção da cultura do abacaxi e ocupa uma área de 800 hectares.

 A publicação com os resultados de pesquisa sobre as cultivares recomendadas podem ser encontradas na biblioteca da Empaer, que fica localizada no bairro Coxipó, na Rua Jari Gome, número 454,em Cuiabá. O projeto de pesquisa, comportamento de cultivares de abacaxizeiro em Mato Grosso foi financiado com recursos da Fapemat (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Mato Grosso). “Para manter a fruticultura promissora é fundamental investimentos em inovação tecnológica, com novos materiais genéticos e sistemas de produção mais adequados”, destaca Maria José.


ROSANA PERSONA
Assessoria/Empaer-MT

"Proposta Republicana" vai à pauta das sessões ainda esta semama, garante Luiz Henrique

Vereador tangaraense Luiz Henrique Matias
O presidente da Câmara Municipal de Tangará da Serra, vereador Luiz Henrique Barbosa Mathias, garantiu na sexta-feira (23.03), durante evento promovido pela Associação Mato-grossense do Ministério Público, que nesta semana, colocará em pauta nas sessões do legislativo a "Proposta Republicana", apresentada por promotores de Justiça que atuam no município. A medida é para alterar a legislação visando assegurar transparência, profissionalismo e eficiência da gestão pública.
De acordo com o promotor Renee do Ó Souza, a "Proposta Republicana" foi apresentada à câmara em julho do ano passado, mas ainda não foi apreciada em plenário. Os promotores propõem a aprovação de vários projetos de lei relacionados ao endurecimento da legislação municipal sobre desmandos administrativos: proibição da prática de nepotismo no âmbito na prefeitura e câmara; instituição do programa de metas pelo Executivo; proibição de destinação de recursos públicos para festas e patrocínios; proibição de utilização de nome de pessoas vivas nos bens públicos; implementação do portal transparência; criação do Conselho Municipal de Transparência de Combate à Corrupção e à Impunidade; e criação da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle na Câmara Municipal.
"A atuação do Ministério Público não precisa ser meramente repressiva. Essa proposta serve para dar sustentação a uma atuação preventiva, inibindo e coibindo os desmandos administrativos, e, simultaneamente, repressiva, ao prever arcabouço jurídico apto ao enquadramento de comportamentos da gestão como ilícito administrativo", afirmaram os autores da proposta, promotores de Justiça Renee do Ó Souza, Antonio Moreira da Silva, Fernando Daher Rodrigues Ferreira e Mauro Poderoso de Souza.
De acordo com o presidente da Associação Mato-grossense do Ministério Público, promotor de Justiça Vinícius Gahyva Martins, a "Proposta Republicana", apresentada em Tangará da Serra, será discutida nos demais municípios polos visando a sua implementação no restante do Estado. "Pretendemos levar essa proposta para ser discutida nos encontros que serão promovidos pela AMMP/MT nos municípios polos. Além dos temas incluídos na proposta de Tangará da Serra, existem também medidas relacionadas à aprovação da lei da Ficha Limpa municipal e instituição do voto aberto nas atividades do Poder Legislativo", informou.
Segundo Gahya, além de discutir o assunto com os promotores de Justiça, a AMMP/MT também irá fazer um trabalho de articulação junto aos Poderes Legislativo e Executivo para aprovação e viabilização da "Proposta Republicana". "Em Tangará da Serra, nos reunimos com o prefeito e o presidente da Câmara e conseguimos obter a garantia de que a proposta será apreciada em plenário", destacou o presidente da AMMP.
ENCONTRO: Cerca de 160 pessoas participaram, em Tangará da Serra, do evento de integração e interiorização da AMMP no Polo do Médio-Norte. O presidente da associação, promotor de Justiça Vinícius Gahyva Martins, fez uma explanação sobre o papel do Ministério Público e esclareceu dúvidas da plateia sobre as atribuições da instituição.
Compuseram a mesa de honra do evento, o procurador-geral de Justiça, Marcelo Ferra de Carvalho; o prefeito da cidade, Saturnino Masson; o presidente da Câmara Municipal, vereador Luiz Henrique Barbosa Mathias; o diretor presidente da Fundação Escola Superior do MP, promotor de Justiça José Antônio Borges Pereira; o coordenador do Grupo de Estudos do polo de Tangará, promotor de Justiça Renee do O Souza; e os procuradores de Justiça Paulo Roberto Jorge do Prado e Edmilson da Costa Pereira.
Vários promotores de Justiça que atuam nos municípios que integram o polo de Tangará da Serra, Cuiabá e Várzea Grande também participaram da discussão. "Eventos desta natureza possibilitam ao Ministério Público se aproximar ainda mais da sociedade. É uma oportunidade de esclarecermos à população sobre nossas atribuições e também ouvirmos os seus anseios", ressaltou o procurador-geral de Justiça, Marcelo Ferra de Carvalho.
Rondonópolis sediará o próximo encontro em 13 e 14 de abril, depois será em Cáceres, em 4 e 5 de maio, em Alta Floresta está previsto para 25 e 26, em Sinop 1 e 2 de junho, Barra do Garças, 22 e 23 e, Juína, 6 e 7 de julho. Com Assessoria

23 de março de 2012

Justiça federal bloqueia bens do ex-prefeito Júlio César Ladeia. Veja repercussão na mídia estadual

Ex-prefeito Ladeia tem R$ 1,3 milhão bloqueado

Diário de Cuiabá - ‎há 9 horas‎
A pedido do Ministério Público Federal (MPF), o juiz da 1ª Vara, Julier Sebastião da Silva, determinou o bloqueio de R$ 1,3 milhão em bens do ex-prefeito de Tangará da Serra, Júlio César Ladeia (PR), por conta de uma ação de improbidade administrativa.

Justiça de MT bloqueia R$ 1,3 milhão em bens de prefeito cassado

G1.com.br - ‎há 14 horas‎

Prefeito cassado tem R$ 1,3 mi em bens bloqueados

Circuito Mato Grosso - ‎há 15 horas‎
O juiz da 1ª Vara Federal, Julier Sebastião da Silva, decretou a indisponibilidade dos bens do prefeito cassado de Tangará da Serra (240 km de Cuiabá), Júlio César Davoli Ladeia (PR), em até R$ 1,3 milhão, por aplicação irregular de recursos referentes ...

Tangará: Julier bloqueia bens de prefeito em mais de R$ 1 milhão

CenárioMT - O cenário da notícia em Mato Grosso - ‎há 16 horas‎
O juiz da 1º Vara Federal de Mato Grosso, Julier Sebastião, determinou o bloqueio dos bens do prefeito cassado de Tangará da Serra (245 km de Cuiabá) Julio Cesar Ladeia em R$ 1.352.812,78 para garantir o ressarcimento ao erário.

Justiça determina bloqueio de bens de Ladeia por não prestar conta ...

O Documento - ‎há 16 horas‎
O juiz da 1ª Vara Federal de Mato Grosso, Julier Seabstião da Silva, deferiu um pedido de liminar e determinou o bloqueio dos bens do ex-prefeito de Tangará da Serra, Júlio Ladeia (PR). O montante bloqueado soma R$ 1.352.812,78 milhão.

Juiz determina bloqueio de R$ 1,3 milhão de ex-prefeito de Tangará

Só Notícias - ‎há 17 horas‎
O juiz da 1ª Vara Federal de Mato Grosso, Julier Sebastião da Silva, decretou a indisponibilidade dos bens do ex-prefeito de Tangará da Serra, Júlio César Ladeia (PR) no valor de até R$ 1,3 milhão. A decisão acata uma ação civil pública por improbidade ...

22 de março de 2012

Projeto de Integração e Interiorização da AMMP será apresentado em Tangará

A cidade de Tangará da Serra vai sediar nos dias 23 e 24 de março, o evento para a apresentação do “Projeto de Integração/Interiorização da AMMP no Pólo do Médio-Norte”. Esse é o início de uma série de eventos que a Associação Mato-Grossense do Ministério Público promoverá este ano, nos Pólos Regionais: Pólo da Região Sul – Rondonópolis, Pólo da Região de Cáceres – Cáceres, Pólo da Região do Extremo-Norte – GREEN – Alta Floresta, Pólo da Região Norte – Sinop, Pólo da Região do Vale do Araguaia – GEVA – Barra do Garças e no Pólo da Região do Vale do Juruena – GEVAJU – Juina.
 
O Projeto tem por objetivo estimular o diálogo e a troca de idéias, interna e externamente, especialmente entre os integrantes da instituição, mas também com a comunidade jurídica e acadêmica, com a classe política, com a sociedade civil organizada, imprensa e a população em geral. Enfim, visa promover a busca do diálogo transparente e contínuo entre a AMMP, a classe e a sociedade.
 
O evento contará com a Diretoria da AMMP e de vários membros do Ministério Público do Estado de Mato Grosso, especialmente os que compõem o Pólo e se encontram em exercício nas Comarcas de Tangará da Serra, Barra do Bugres, Diamantino, Sapezal, Campo Novo do Parecis, São José do Rio Claro, Arenápolis, Nortelândia, Nobres e Rosário Oeste.
 
O prefeito de Tangará da Serra, Saturnino Masson, o presidente da Câmara de Vereadores, Luiz Henrique Barbosa Mathias e o diretor do Fórum daquela Comarca, além dos prefeitos, o presidente de Câmara de Vereadores e os diretores dos Fóruns dos outros nove municípios que integram o Pólo Regional, foram convidados a participar do evento no dia 23, quando a programação será voltada para a sociedade e terá início às 19h30min, no Centro Cultural Pedro Alberto Taiano Filho, na Avenida Brasil, 377 N, Centro.
 
           No dia 24, a programação será somente para os membros do Ministério Público Estadual, que integram o grupo de estudos. Essa etapa da programação tem como finalidade analisar experiências positivas da atuação do Ministério Público nas diversas áreas de atribuições entre a classe, aperfeiçoar as relações entre o Ministério Público, seus membros, demais instituições públicas e a sociedade em geral, estimular e aprofundar a discussão de temas institucionais e teses jurídicas, colher subsídios para o aperfeiçoamento da AMMP e do Ministério Público e da legislação em vigor, discutir as dificuldades enfrentadas pelos membros do Ministério Público e apresentar propostas e soluções na busca de maior eficiência e efetividade aos direitos que os cabem defender e promover a integração dos membros ativos, inativos e pensionistas do Ministério Público. As teses aprovadas nos GE’s serão submetidas à Plenária, que ocorrerá durante o Encontro Estadual do Ministério Público.
 
Os Grupos de Estudos (GE’s) serão promovidos pela Associação Mato-grossense do Ministério Público (AMMP), com o apoio do Ministério Público do Estado de Mato Grosso por intermédio do Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional (CEAF) e da Fundação Escola Superior do Ministério Público de Mato Grosso (FESMP).

21 de março de 2012

Fantástico mostra como é feita fraude em licitações de saúde pública

Em uma reportagem especial feita por Eduardo Faustini e André Luiz Azevedo, o Fantástico mostra como funciona um esquema para fraudar licitações de saúde pública, feito entre empresas fornecedoras e funcionários públicos. (Vídeo: Clique e assista a íntegra da reportagem na notícia original)

SAIBA MAIS
. PF abre inquérito sobre fraudes em licitações em hospitais públicos do RJ
. Esquema em hospitais 'não pode ser tolerado', diz ministro da Justiça
. Imagens em hospital são 'provas irrefutáveis' de corrupção, diz ministro
. Ministério oficializa suspensão de contrato após fraude em hospitais
. Veja a portaria do Ministério da Saúde suspendendo os contratos
. Prefeitura do Rio também cancela contratos após denúncia de fraude
. RJ cancela contratos com empresas após denúncia de fraude em hospitais
. PF do Rio abre inquéritos para apurar denúncia de fraudes em hospitais

Com o conhecimento do diretor e do vice-diretor do hospital pediátrico da Universidade Federal do Rio de Janeiro, o repórter Eduardo Faustini fingiu ser o novo gestor de compras da instituição. Todos os outros funcionários acreditavam que ele era mesmo o responsável pelo setor de compras, onde pôde acompanhar livremente todas as negociações e contratações de serviços.

Duas das empresas apresentadas na reportagem não se manifestaram. Outra afirmou que afastou o diretor, que é investigado e que negou ao Fantástico conhecimento das fraudes. Eles não sabiam que estavam sendo filmados.

“Todo comprador de hospital, a princípio, é visto como desonesto. Acaba que essa associação do fornecedor desonesto com o comprador desonesto acaba lesando os cofres públicos. E a gente quer mostrar que isso não é assim, em alguns hospitais não é assim que funciona”, disse Edmilson Migowski, diretor do hospital.

As negociações foram todas filmadas de três ângulos diferentes e levadas até o último momento antes da liberação do pagamento. Nenhum negócio foi concretizado, nenhum centavo do dinheiro do contribuinte foi gasto.

O delegado Victor Poubel, titular da delegacia de repressão a crimes financeiros da Polícia Federal do Rio de Janeiro, informou que vai abrir um inquérito para investigar a denúncia do Fantástico. Segundo ele, todas as pessoas que aparecem na reportagem serão intimadas a prestar depoimento e todos os contratos serão investigados.

A fraude
A lei brasileira prevê que toda empresa que vá fazer um serviço para um hospital público dispute uma licitação, com outras que oferecem o mesmo serviço. É uma maneira de tentar garantir que o dinheiro público não vai ser desperdiçado.

No esquema flagrado pelo Fantástico, no entanto, as empresas fornecedoras se unem para fraudar a disputa. A que quer ganhar paga uma porcentagem do total do contrato para as demais -- que entram na concorrência com orçamentos mais altos. Ou seja, entram para perder.

"Eu faço isso direto. Tem concorrência que eu nem sei que estou participando," comenta a gerente de uma empresa chamada para a licitação de contratação de mão de obra para jardinagem, limpeza, vigilância e outros serviços, que ganharia R$ 5.200.000 se a licitação tivesse existido.

Sem nenhuma interferência do hospital, o repórter escolheu quatro empresas, que estão entre os maiores fornecedores do governo federal. Três são investigadas pelo Ministério Público, por diferentes irregularidades. E, mesmo assim, receberam juntas meio bilhão de reais só em contratos feitos com verbas públicas.

Uma locadora de veículos, foi convidada para a licitação de aluguel de quatro ambulâncias. “Cinco. Cinco por cento. Quanto você quer?”, pergunta de imediato o gerente. Falando em um código em que a palavra "camisas" se refere à porcentagem desviada, ele aumenta a propina. “Dez camisa [sic], então? Dez camisa?".

O presidente do conselho da locadora garante que o golpe é seguro e o pagamento é realizado em dinheiro ou até mesmo em caixas de uísque e vinho. A empresa ganharia R$ 1.680 milhão pelo contrato. "Eu vou colocar o meu custo, você vai falar assim: ‘Bota tantos por cento’. A margem, hoje em dia, fica entre 15% e 20%", explicam o diretor e o gerente de uma empresa convidada para a licitação de coleta de lixo hospitalar. "Nós temos hoje, aproximadamente, três mil clientes nessa área de coleta", afirmam.

Para esconder a fraude da fiscalização, o dinheiro do suborno é espalhado por vários itens da proposta vencedora. O dono da empresa de jardinagem e vigilância diz à reportagem que está acostumado a fraudar licitações, e a gerente comenta que o fraude é "ética de mercado". "No mercado, a gente vive nisso. Eu falo contigo que eu trago as pessoas corretas. Eu não quero vigarista, não quero nunca".

Outro lado
A Rufolo, uma das fornecedoras mostradas, informou que não falaria sobre o caso. Jorge Figueiredo, que no meio da licitação desistiu de disputar o contrato apresentado pelo Fantástico, disse não acreditar na gravação e na unidade de sua empresa a reportagem da TV Globo não foi recebida. Carlos Sarres, gerente da prestadora de serviços Locanty, negou envolvimento nas fraudes. Por email, a empresa informou que o afastou temporariamente do cargo. G1

O mito da imparcialidade no jornalismo

Do blog do Noblat

Este é um dos mitos cultivados há mais de século: jornalista é imparcial. Ou tem obrigação de ser.

Ninguém é imparcial. Porque você é obrigado a fazer escolhas a todo instante. E ao fazer toma partido.

Quando destaco mais uma notícia do que outra faço uma escolha. Tomo partido.

Quando opino a respeito de qualquer coisa tomo partido.

Cobre-se do jornalista honestidade.

Não posso inventar nada. Não posso mentir. Não posso manipular fatos.

Mas posso errar - como qualquer um pode. E quando erro devo admitir o erro e me desculpar por ele.

Cobre-se do jornalista independência.

Não posso omitir informações ou subvertê-las para servir aos meus interesses ou a interesses alheios.

Se me limito a dar uma notícia devo ser objetivo. Cabe aos leitores tirarem suas próprias conclusões.

Se comento uma notícia ou analiso um fato, ofereço minhas próprias conclusões. Cabe aos leitores refletir a respeito, concordar, divergir ou se manter indiferente.

Jornalista é um incômodo. E é assim que deve ser. Se não for não é jornalista.

19 de março de 2012

Exclusivo: conheça os segredos do apóstolo milionário

Líder da Igreja Mundial do Poder de Deus usa dinheiro dos fiéis para enriquecimento próprio
Do Domingo Espetacular
 
Saiba com exclusividade como o dirigente evangélico Valdemiro Santiago desvia dinheiro doado pelos fiéis para enriquecimento pessoal. Documentos obtidos pelo Domingo Espetacular, da Rede Record, comprovam que o apóstolo comprou várias fazendas no Pantanal (MT) com dinheiro da igreja. São terras de perder de vista e milhares de cabeças de gado, pista de pouso e mansão com piscina.

Leia mais notícias no R7

São fazendas riquíssimas encravadas no coração do Pantanal. Elas foram compradas com dinheiro dos fiéis da Igreja Mundial do Poder de Deus. O dono delas é o homem que se intitula apóstolo e presidente da igreja.

Segundo a Justiça, a Igreja Mundial tem dezenas de templos ameaçados de fechar por ordens de despejo. Ao mesmo tempo, o apóstolo Santiago fica cada vez mais rico.

Foi no município de Santo Antônio de Leverger, em Mato Grosso, que o apóstolo Valdemiro virou dono de várias fazendas, uma ao lado da outra. Juntas, elas formam uma imensa propriedade, de dar inveja aos homens mais ricos do país. São mais de 26 mil hectares, o equivalente a 13,4 mil estádios do Maracanã.

Somando tudo, gado, terras e benfeitorias, o investimento total de Valdemiro chega a R$ 50 milhões em dinheiro vivo, mais do que a maioria dos prêmios da Mega-Sena acumulada. O valor é suficiente para comprar 20 Ferraris 0 km, o carro mais caro do Brasil, ou dez coberturas em Nova York (EUA), a cidade mais cara do mundo.

Assista ao vídeo:
 

17 de março de 2012

Deputado federal do PRP tem indicação aprovada para criação da Universidade Federal do Extremo Sul da Bahia

Depois de haver conseguido uma grande vitória, com a criação da Universidade Federal do Extremo Sul da Bahia, o Deputado Jânio Natal continua trabalhando, para que a Reitoria Universitária, inicialmente prevista para implantação em Itabuna, seja instalada em Porto Seguro.
Por isto, Jânio comemorou muito o pronunciamento do Ministro da Educação, Aloizio Mercadante, durante a Audiência Pública realizada em 15 de março, no Congresso Nacional. Mostrando-se favorável à Reitoria em Porto Seguro, o Ministro disse: “Precisamos interiorizar o desenvolvimento, desconcentrando a educação, levando-a para lugares que não tenham Universidades; lugares agradáveis, onde exista natureza, onde existam belezas naturais; locais tranquilos, onde não haja o caos do trânsito.”.


E Mercadante continuou: “Porto Seguro, além das suas belezas naturais e locais agradáveis, tem um significado histórico que é fundamental. Foi em Porto Seguro que o Brasil começou a colonização. Foi lá que o Brasil virou nação. Com um Centro Educacional de ponta, num lugar exuberante como Porto Seguro, ganharão a Bahia, o Brasil e o planeta. Tenho certeza que os grandes pesquisadores e cientistas do mundo inteiro ficarão motivados a estar presentes num centro de excelência, em um local tão belo quanto Porto Seguro!”.


Entusiasmado, Jânio Natal fez questão de enviar uma carta ao Ministro, agradecendo o seu pronunciamento e hipotecando total solidariedade à opinião por ele manifestada. “Estou solicitando ao Ministro uma audiência, para que possamos discutir os detalhes e juntos continuarmos a defender essa ideia. Com a força de Deus, vamos trazer essa Reitoria para Porto Seguro, o que significará um grande avanço econômico e social para a educação brasileira, para Porto Seguro e para toda a nossa região!”, afirma o deputado.

16 de março de 2012

Para que serve seus impostos?

PR não quer ser oposição, só quer uma “boquinha”

"Fui lá [Palácio do Planalto] hoje [ontem]. Não tinha definição. Eu não quero mais negociar porque o negócio não desenvolve. Então, resolvemos que estamos fora da discussão [senadores do PR] e isso significa que estamos na oposição". (Foto: Maggi, que sempre conviveu com Dilma na copa do Planalto, agora, posa de oposição no Congresso)

SAIBA MAIS
. Jabor chama PR de Maggi de "chantagista" e "milícia parlamentar"

A declaração do senador Blairo Maggi, no fim da tarde de quarta-feira (14), anunciando o rompimento da bancada republicana no Senado com a presidente Dilma Rousseff, é mais um capítulo na sucessão de derrotas do Governo do PT, no âmbito do Congresso Nacional. Mas, antes de mostrar um mero descontentamento de um bloco político, revela, de forma cabal, como se constroem os muitos “balcões de negócios” no âmbito do Senado, por exemplo.

Partidos como o PR do ex-governador de Mato Grosso – e há aos montes nas duas casas do Legislativo – não têm o menor interesse em discutir programas de Governo, tampouco as necessárias reformas no espectro político, como contribuição ao processo de desenvolvimento do País.

Essas siglas, por meio de seus representantes, estão a fim, mesmo, é de “boquinhas”, como frisou o analista do jornal O Globo e do canal pago GloboNews, jornalista Merval Pereira.

Com efeito, tudo o que a cúpula do PR quer é retomar o controle do Ministério dos Transportes. A mesma pasta, por sinal, que, quando era comandada por um republicano, o amazonense Alfredo Nascimento, ganhou as manchetes, como antro de corrupção.

O saldo do escândalo já é por demais conhecido: o ministro caiu e levou com ele figuras de relevo, como o afilhado político de Blairo Maggi, o sempre mal-humorado Luiz Antonio Pagot, que chefiava o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), apontado como base do propinoduto que ligaria o ministério à cúpula nacional do PR.

Não foi por falta de negociação (termo bastante utilizado por Maggi, como líder do PR no Senado) que os republicanos deixaram de se entender com o Palácio do Planalto. Como amplamente divulgado, nesta semana, a ministra Ideli Salvatti retomou as conversas com o partido e transmitiu a oferta de Dilma: “diretorias” em órgãos do Governo. Maggi bateu o pé e disse que o PR quer voltar a comandar o Ministério dos Transportes. Sem chance, pois.

Ainda assim, numa entrevista, no começo da noite, quando o “racha” na base governista já era de domínio público, Maggi disse que, mesmo com o rompimento com o Governo, senadores do PR não deveriam votar contra projetos importantes, como os que prevêem a criação do Fundo de Previdência Complementar do Servidor Público (Funpresp) e a Lei Geral da Copa.

O mesmo líder do PR, na sua incansável maratona para se apresentar aos olhos da opinião pública como oposição, em outra entrevista, deixou claro que, se a presidente Dilma resolver “negociar” (mais uma vez, o termo preferido do ex-plantonista do Palácio Paiaguás), os sete rebeldes republicanos com assento no Senado estarão firmes, a postos, para voltar à base aliada.

Como se vê, esse tipo de oposição declarado pelo PR não merece o menor crédito.

Para quem estava descontente com o marasmo, a monotonia do Legislativo – ele até “ameaçou” se licenciar e ceder a vaga para o obscuro suplente José Aparecido, o “Cidinho” -, o senador Blairo Maggi até que se revela bastante animado com as “agitações” do Senado.

Entrou rapidinho no clima de feira livre que impera na Casa. MidiaNews

15 de março de 2012

Turista de São Paulo desapareceu há mais de 10 dias em um rio no município de Tangará da Serra

G1/MT

Um turista de São Paulo desapareceu há mais de 10 dias em um rio no município de Tangará da Serra, a 242 quilômetros de Cuiabá. De acordo com o Corpo de Bombeiros, que faz buscas na região, o homem que tem 32 anos sumiu no Rio Sepotuba no dia 3 de março.

Márcio da Silva Santos é consultor de moda em São Bernardo do Campo (SP) e estava em Tangará da Serra para visitar primos e tios. O turista já tinha visitado Mato Grosso em outras ocasiões e com frequência ia aos pontos turísticos de Tangará da Serra.

No dia 3 de março, Márcio, os primos dele e um grupo de amigos foram até a Cachoeira Salto Maciel, no Rio Sepotuba. Em entrevista ao G1, o primo de Márcio, Fábio Santana, relatou que o grupo estava em uma parte rasa do rio. “Tinha chovido muito na cabeceira do rio, estávamos tirando foto da cachoeira. A água subiu, mas estávamos em uma parte que aparentemente não oferecia perigo”, contou.

Uma jovem que estava com eles começou a se afogar em um redemoinho de água e de acordo com a família, Fábio tentou salvá-la. “Eu a segurei e fiquei de costas pra ele. Ouvi ele [Márcio] gritar 'Fábio, a água tá me puxando'. Foi nesse momento que ele afundou na água. Não sei se foi o susto de vê-la se afogando ou a água que subiu demais”, explicou o primo de Márcio.

Em seguida, outro primo tentou ajudar os dois que se afogavam mas, de acordo com os bombeiros, Márcio não sabia nadar. “Foi um desespero. Ele chegou a subir de novo, mas afundou novamente e não subiu mais”, lamentou o primo.

Os pais de Márcio também moram em São Paulo e viajaram a Tangará da Serra para acompanhar de perto as buscas. Uma equipe dos bombeiros utiliza barcos para tentar localizar o consultor de moda.

Juíza de Tangará condena empresa áerea a indenizar obesa

A juíza de direito Tatiane Colombo, da Quinta Vara Cível da Comarca de Tangará da Serra (246km a médio norte de Cuiabá), condenou a empresa Oceanair Linhas Aéreas S/A – Avianca a indenizar uma portadora de necessidades especiais e obesidade mórbida por danos morais. A empresa desrespeitou a Lei de Acessibilidade ao se recusar a transportar as baterias da cadeira de rodas elétricas da passageira e foi condenada a reparar o dano. A indenização foi fixada em R$10 mil.

A Avianca também terá de repassar à vítima mais R$ 380 por danos materiais, diante do fato de a passageira ter sido obrigada a comprar novas baterias para suprir as suas necessidades de locomoção na cidade onde desembarcou. A magistrada também sentenciou a prestadora de serviços a arcar com as custas processuais e os honorários advocatícios, estabelecidos em 15% sobre o valor da condenação.

Tatiane Colombo embasou sua decisão na Lei de Acessibilidade nº 5296, de 2 de dezembro de 2004, que regulamenta regras para facilitar o transporte dos portadores de necessidades especiais nos transportes coletivos, tanto terrestres, aquaviários como aéreos. A juíza entendeu que o direito à acessibilidade deve ser pleno e fez referência ao artigo 44º da lei que fixou prazo para a adequação das empresas aéreas eliminarem os entraves que dificultam a acessibilidade.

A companhia aérea tentou se esquivar da responsabilidade pelo dano à cliente, alegando que não transportou as baterias por conterem líquidos corrosivos e por questões de segurança de vôo. Tentou ainda atribuir culpa à agência de viagens La Sierra Turismo, responsável pela venda das passagens. Alegou ter sido informada pela agência apenas que a passageira era cadeirante, mas afirmou não ter sido orientada sobre o equipamento elétrico. A empresa também tentou amenizar o constrangimento gerado para a viajante e defendeu que a situação ocasionou apenas um aborrecimento e não caberia ser enquadrada em dano moral. Contudo, a justificativa não convenceu a Justiça.

A juíza entendeu que a passageira armazenou as baterias da cadeira de rodas da melhor forma que pôde e pontuou que a empresa aérea tem obrigação de dispor de embalagens adequadas para o acondicionamento de objetos incomuns. A magistrada entendeu ainda que houve negligência por parte da empresa aérea em não suprir as necessidades da usuária, o que demonstra despreparo dos atendentes da companhia. Ela também refutou as alegações da empresa de que não houve dano moral e responsabilizou a Avianca pelo ocorrido, isentando a agência de viagens La Sierra Turismo.

A juíza Tatiane Colombo também observou que a empresa aérea tem que estar preparada para as diversas situações decorrentes das necessidades especiais dos passageiros, citando a Instrução da Agência Nacional de Aviação Civil IAC 2508-0796. “As administrações aeroportuárias, as empresas aéreas e as empresas de serviços auxiliares de transporte aéreo deverão assegurar que às pessoas portadoras de deficiência serão fornecidas todas as informações necessárias, ao longo de todas as fases de suas viagens (desde o momento em que confirma a reserva, ou a partir da chegada ao aeroporto, até a saída da área pública do aeroporto de destino). Assegurarão, também, a estes passageiros, a assistência necessária durante todo o trajeto da viagem independentemente do tipo de deficiência”, diz trecho da instrução.

13 de março de 2012

Senadores multiplicam cargos comissionados em até cinco vezes

Uma brecha criada por normas internas do Senado custa caro aos cofres públicos. Graças a esse expediente, cada um dos 81 parlamentares pode multiplicar os cargos comissionados que tem à disposição - 12 no total. Alguns aumentaram esse número em mais de cinco vezes. Com isso, a despesa anual dos comissionados somente com vale-refeição cresceu 157%, passando de R$ 7,441 milhões para R$ 19,178 milhões. Todo servidor, efetivo ou comissionado, tem direito a um vale-refeição de R$ 638 mensais, independentemente do valor do salário.

SAIBA MAIS
.
BRASIL É O PARAÍSO DOS CORRUPTOS VII: STF arquiva inquérito contra mensaleiro Valdemar da Costa Neto, acusado de promover churrasco para amealhar votos
.
Empresa ligada a neto de Sarney recebe verba da Câmara
.
Senadores empregam fantasmas e até parlamentares cassados
. Os senadores e os funcionários fantasmas
. Na folha do Senado, advogados de bancos e empreiteiras
. Veja casos de senadores que empregam fantasmas e parentes
. Fantasmas: para OAB-RJ, ilegalidade e imoralidade
. FGV cancela provas de concurso do Senado
. BRASIL É O PARAÍSO DOS CORRUPTOS VI: Carlos Lupi, jogado fora por Dilma após denuncias de corrupção é nomeado para gabinete de Eduardo Paes com salário de R$ 8,5 mil
.
BRASIL É O PARAÍSO DOS CORRUPTOS VI: Carlos Lupi, jogado fora por Dilma após denuncias de corrupção é nomeado para gabinete de Eduardo Paes com salário de R$ 8,5 mil
.
NÃO APENAS O MALUF, O VALDEMAR DA COSTA NETO E A JAQUELINE RORIZ: Taques defende que a população também participe efetivamente na reforma política
.
SÓ NO BRASIL: Depois de Tiririca em Comissão legislativa para a Educação, "reforma política me-engana-que-eu-gosto" tem os fichas encardidas Maluf e Valdemar Costa Neto do Mensalão
.
Laudo suspeito do Dnit teve aval de aliado de Valdemar
. BRASIL É O PARAISO DOS CORRUPTOS V: Congresso ignora série de escândalos e infla verba de ONGs em até R$ 3,4 bilhões. Explicação: Ano eleitoreiro e ONGs ligadas a politicos
.
MINISTÉRIOS E ONGS DA CORRUPÇÃO: Dono de ONG desmente Carlos Lupi e afirma que viajou com o ministro em avião particular durante compromisso oficial
.
COMO AUMENTAR VERBA PARA INVESTIGAR E DERRUBAR MINISTROS QUE VÃO ASSUMINDO E CAINDO EM SEGUIDA?: Verba de combate à corrupção subiu apenas 1,2% no ano passado
. MINISTÉRIOS E ONGS DA CORRUPÇÃO: Ministério do Trabalho engavetou mais de 500 prestações de contas de ONGs, revela TCU. Triste: só serão checados daqui a 5 anos
(LEIA ABAIXO MAIS NOTÍCIAS SOBRE FARRA COM O DINHEIRO PÚBLICO)

Os senadores empregam 2.505 funcionários comissionados, o que representa um gasto de R$ 1,598 milhão por mês somente com esse benefício. O Guia do Parlamentar - cartilha elaborada pela diretoria do Senado e entregue a cada senador quando assume o mandato - diz que em regra o gabinete é composto por 12 assessores: cinco assessores técnicos, seis secretários parlamentares e um motorista. Mas, na prática, essas funções estão sendo desdobradas e multiplicadas. Se os parlamentares contratassem apenas os 12 servidores sugeridos, o gasto mensal com auxílio-refeição seria de R$ 620 mil. Ou seja: o Senado gasta 157% a mais só com um benefício, porque os senadores incham o quadro de funcionários e esse benefício é pago individualmente.

Há casos como o do senador Ivo Cassol (PP-RO), que desmembrou as 12 funções em 67 cargos comissionados, lotados em seu gabinete e nos dois escritórios políticos que mantém em Rondônia. Como o auxílio-refeição é de R$ 638 por mês, se Cassol seguisse a sugestão do Guia do Parlamentar, gastaria R$ 7,6 mil por mês, mas a despesa do seu gabinete chega a R$ 42,7 mil com esse benefício.

João Ribeiro (PR-TO) - réu em uma ação no Supremo Tribunal Federal na qual é acusado de manter 35 funcionários em sua fazenda em regime análogo à escravidão - não se importa muito em gastar o dinheiro do contribuinte para contratar assessores para trabalhar para ele, pagos pelo Senado. O senador mantém 53 pessoas no gabinete ou nos escritórios políticos - gasto de R$ 33,8 mil. Clóvis Fecury (DEM-MA) é outro que multiplicou seus auxiliares. Ele tem 56 funcionários, 38 lotados em seu gabinete em Brasília. Um gasto de R$ 35,7 mil.

Já o senador Fernando Collor (PTB-AL) tem 54 comissionados no gabinete e o senador Gim Argello (PTB-DF), que empregava seu contador particular, tem 46 assessores. O novato Eduardo Lopes (PRB-RJ), que acaba de assumir a vaga de Marcelo Crivella (PRB-RJ) no Senado, herdou 43 comissionados no gabinete. Ele assumiu o mandato semana passada, após Crivella aceitar o convite da presidente Dilma Rousseff para ser ministro da Pesca.

O vale-refeição é só um exemplo do aumento de gastos no Senado pela contratação excessiva de servidores comissionados. Eles também fazem horas extras, limitadas a R$ 2.500 por mês. Os funcionários efetivos não têm esse direito. Além disso, apesar de não ter plano de saúde pago pelo Senado, os comissionados podem ser atendidos, quando precisam, pelo serviço médico que funciona na Casa. Quanto mais funcionários ativos, mais gastos para manter esse serviço.

Neste domingo, O GLOBO revelou que a farra das nomeações continua, apesar da crise institucional na qual o Senado mergulhou em 2009 por conta de atos secretos que escondiam fantasmas e parentes dos parlamentares. O GLOBO identificou pelo menos 25 senadores que mantêm nos escritórios pessoas que não aparecem para trabalhar, porque fazem curso no exterior; ou profissionais que atuam em clínicas médicas e escritórios particulares de advocacia, ganhando salário pelo Senado. Há também outros que empregam políticos cujos mandatos foram cassados pela Justiça Eleitoral ou são denunciados pelo Ministério Público por desvio de verba.

O próprio Ivo Cassol, que emprega 67 comissionados, patrocina uma ilegalidade. Desde dezembro passado, mantém no gabinete o jornalista Francisco Sued de Brito Pinheiro Filho, nomeado em 1 de fevereiro para trabalhar na presidência da Assembleia Legislativa de Rondônia. A assessoria do senador disse que ele já havia identificado o problema e iria demitir o servidor, mas até ontem o nome dele constava no Quadro de Servidores Efetivos e Comissionados do Senado.

Senadores não controlam ponto
Assim como acontece nos escritórios políticos nos estados, os senadores também não exercem controle sobre a atuação de seus servidores nos gabinetes do Senado, em Brasília. São poucos os que exigem que os funcionários registrem o ponto eletronicamente. Levantamento no Quadro de Servidores Ativos e Comissionados mostra que dez senadores aboliram a regra para todos os seus assistentes.

Ano passado, o Senado gastou mais de R$ 1,2 milhão com o ponto eletrônico biométrico. Mas, por acordo entre parlamentares, eles determinam quem tem e não tem a obrigação de bater o ponto.

Há casos como o do senador Jayme Campos (DEM-MT). Dos 21 servidores de seu gabinete, 20 não têm a obrigação de registrar a hora que chegam e a que saem. O único que não está livre da burocracia é um servidor efetivo (aprovado em concurso), que trabalha no Senado desde 1984 e é subchefe de gabinete do senador.

A segunda vice-presidência, ocupada pelo senador Waldemir Moka (PMDB-MS), desobriga 20 de seus 21 servidores de registrarem o ponto. Já a quarta secretaria, que está a cargo de Ciro Nogueira (PP-PI), não obriga nenhum dos 13 funcionários a bater o ponto. Também no gabinete do próprio Ciro ninguém registra o horário de entrada ou saída.

A presidência do Senado é mais controladora. Dos 42 assessores, somente três têm a vantagem de não registrar os horários de trabalho. Alguns senadores são mais rigorosos ainda. Não permitem que ninguém deixe de bater o ponto. Isso acontece nos gabinetes de Cristovam Buarque (PDT-DF), Humberto Costa (PT-PE), Lindbergh Farias (PT-RJ), Paulo Bauer (PSDB-SC), Paulo Paim (PR-RS), Pedro Simon (PMDB-RS) e Wellington Dias (PT-PI).
O Globo

SAIBA MUUUITO MAIS
.
PREVIDÊNCIA DESPREVENIDA À CORRUPÇÃO: Ministro afasta funcionário que cobrava propina para liberar recursos. Lupi diz que vai investigar denúncia da 'Veja'
.
ONGs DA CORRUPÇÃO: ONGs cobram taxa por vagas no Minha Casa, Minha Vida. Como sempre: Governo "vai investigar", mas Caixa admite ser "difícil" provar a pilantragem
. "NOVO" BRASIL DE DILMA: Lupi insiste em defender aparelhamento de Ministério pelo PDT, além de liberar R$ 11 milhões a entidades vinculadas a sindicatos
. A META É DEIXAR TUDO COMO ESTÁ E TENTAR [DES]GOVERNAR O RESTO DO MANDATO DO "NOVO" BRASIL III: Cai 5º ministro enrolado e entra outro tão enrolado quanto Novais
. Ministro do Trabalho abriga cúpula do PDT e turbina central aliada com verba
. Lupi abriga cúpula do PDT e 'turbina' central aliada
. Lupi admite ‘função de militante’ e faz elogio a parcerias
. Sem estrutura, entidade recebe R$ 1,5 mi de Lupi
. Lupi minimiza rumores sobre saída do ministério
. PSDB quer investigação de empreguismo no Trabalho
. UM PARTIDO E SEU [DES]GOVERNO INFAXINÁVEL!: No pós-mensalão, PT estuda inchar quadro de filiados e aumentar dízimo, enfiz provar para que serve um partido
.
Doação vieram de empresa acusada de fraudes
.
Na Câmara, Vieira dizia ser ignorado pelo governo
.
Linha do tempo: Os ministros que já caíram
.
TV ESTADÃO: Sarney vira Dr. Ulysses de Dilma, diz Toledo
.
O MENSALÃO EXISTIU NO GOVERNO LULA E OS CRIMINOSOS TÊM NOME E SOBRENOME. SE SERÃO PUNIDOS É OUTRA HISTÓRIA: Gurgel: "José Dirceu era o chefe da quadrilha"
. A META É DEIXAR TUDO COMO ESTÁ E TENTAR [DES]GOVERNAR O RESTO DO MANDATO DO "NOVO" BRASIL II: Aloprada Ideli Salvatti apresentou emendas para beneficiar ONG de assessor
.
A META É DEIXAR TUDO COMO ESTÁ E TENTAR [DES]GOVERNAR O RESTO DO MANDATO DO "NOVO" BRASIL: Dilma diz que 'faxina' em ministérios não é 'meta de governo'
. NORMAL CHAFURDAR NO EXTERCO DO JEITINHO E CORRUPÇÃO: 'Tudo legal, moral e constitucional', diz Negromonte sobre empresa contratada na campanha eleitoral
. Empresa contratada na eleição por ministro recebeu verba da Câmara
.
Deputado do PP confirma encontro com Negromonte
.
Planalto quer evitar nova baixa para preservar governo
.
O "NOVO" BRASIL DE DILMA BICHADO PELOS PICARETAS E A CORRUPÇÃO SEM FIM DESDE LULA: Setores do PMDB já rifam Novais e cresce pressão sobre Paulo Bernardo
.
BANDALHEIRA SEM FIM — O MENSALÃO PRÓPRIO DO MINISTÉRIO DAS CIDADES: No vale-tudo para retomar o controle do PP, Negromonte dá mesada de R$ 30 mil
.
O PICARETA QUE NÃO SABE DE NADA E SUAS PICARETAGENS EXPLONDINDO NO COLO DA SUCESSORA: Petistas temem que ‘faxina’ de Dilma carimbe gestão de Lula como ‘corrupta’
.
MUDANÇA SEMPRE PARA PIOR: Flagrado em rolo com lobista, novo ministro da Agricultura defende "lobistas não-ladrões". Projeto dele regulamenta a prática
.
Dilma tenta secar o pântano de Brasília, diz 'Economist'
. "NOVO" BRASIL DE DILMA PODRE DESDE LULA: Acuado por denúncias, ministro Wagner Rossi pede demissão; é a quarta saída do governo em oito meses
.
O PRÓXIMO ANTRO VI: Agricultura teve licitações "corrompidas", diz servidor. Funcionário que denunciou lobista em ministério ataca gestão de Wagner Rossi
.
TROCA-TROCA DE SUSPEITOS: Dança das cadeiras no governo Dilma
. Oposição afirma que vai protocolar representação contra ministro da Agricultura
. O PRÓXIMO ANTRO V: Esquema de corrupção no Ministério do Turismo mirava Copa e Olimpíada, diz jornal. Para juiz, pilantras potencializariam fraudes nos eventos
.
O PRÓXIMO ANTRO IV: Gravação mostra Frederico da Costa, o segundo homem de Dilma no Turismo, ensinando empresário a montar farsa para receber recursos
.
O PRÓXIMO ANTRO III: Ministério do Turismo suspende convênios por 45 dias para apurar irregularidades, após a prisão de 35 pessoas suspeitas de desvio de dinheiro
.
Ouça áudio divulgado pelo "Jornal Nacional" acessando a notícia original da Folha Online.
.
O GLOBO: Secretário-executivo do Turismo ensina empresário a montar entidade de fachada
. O PRÓXIMO ANTRO II : PF prende secretário-executivo do Ministério do Turismo, Frederico Costa, em operação contra quadrilha que desviava recursos
.
Número 2 do Turismo e petista são presos pela PF sob suspeita de fraude
.
ONG usou documentos falsos em convênios
. Investigações começaram há dois meses
.
A ficha suja do executivo do Turismo
. O PRÓXIMO ANTRO: Irmão de Jucá denuncia corrupção no Ministério da Agricultura, que foi loteado por PMDB e PTB com o objetivo de arrecadar dinheiro ilegal
.
ANTRO DE PICARETAGEM E BANDALHEIRA SEM FIM XII: Senador diz que quer ver Pagot "muito tempo na cadeia". Mário Couto diz que "não vai sossegar"; "E agora, presidenta?"