3 de maio de 2014

Taques garante a Jayme Campos que ele será candidato a senador


O senador Jayme Campos (DEM) será o candidato à reeleição na chapa que será encabeçada pelo senador Pedro Taques (PDT) nas eleições deste ano. De acordo com o presidente regional do DEM, o deputado federal Júlio Campos (DEM), seu irmão recebeu de Taques a promessa de ser o candidato a senador da coligação. 

“Em reunião na última quarta-feira (30), em Brasília, Taques acertou com Jayme que ele será o candidato a senador da chapa. Eu acredito que isso vai se confirmar nas próximas semanas, pois imagino que a palavra de um senador valha muito”, revelou Júlio aoMidiaNews.
"Em reunião na última quarta-feira, em Brasília, Taques acertou com Jayme que ele será o candidato a senador da chapa"

O presidente regional do PSDB e deputado federal Nilson Leitão (PSDB) afirmou que ainda é cedo para garantir a vaga a qualquer pessoa na chapa majoritária, mas confirmou que a tendência é Jayme ser o candidato.

“Até agora, Jayme é o nosso candidato a senador. O encaminhamento tem sido esse. Ele tem garantida sua vaga a senador por estar junto com Pedro Taques há um ano. Mas a aliança é quem vai bater o martelo sobre isso. Claro que o candidato a governador tem a palavra final, mas essa palavra final ainda não foi dada. Não há martelo batido nem porta fechada”, disse o tucano.

PR de fora

A definição veio após Jayme "ficar na bronca" com o colega de Senado pela insistência em incluir o deputado federal Wellington Fagundes (PR) em uma pesquisa para avaliar qual seria o melhor candidato para a chapa. 

Com a confirmação de Jayme, as negociações para aliança com o PR estariam encerradas. A cúpula republicana tem a pretensão de lançar o presidente regional do partido, Wellington Fagundes, como candidato a senador, e formar um “chapão” de candidatos a deputados estaduais para garantir a reeleição dos sete representantes da sigla. 

Os dois pleitos encontram dificuldades no grupo de Taques – o primeiro esbarra justamente em Jayme Campos, e o segundo esbarra nos candidatos a deputado do grupo, que têm menos potencial de votos e não querem servir de “escada” para os republicanos se reelegerem.

“Não é compatível discutir chapa majoritária com um partido que faz parte do Governo. Estamos debatendo os problemas do Estado e propondo uma mudança no modelo de governo atual, que vigora desde que o PR tinha o governador [Blairo Maggi]”, disse Leitão.Mídia News

Veja em qual cidade brasileira os travestis se transformam em escravos - vídeo

Travestis - preconceito e trabalho escravo

Em 15 dias, sete são presos por tráfico em Tangará da Serra


Dois traficantes foram presos em flagrante pela Polícia Judiciária Civil, no  município de Tangará da Serra (239 km a Médio Norte de Cuiabá). Os acusados, Peterson Teixeira Ramos Ribeiro e Vanderlei Antonio Costa Silva, foram presos com cerca de 6 quilos de maconha e irão responder pelos crimes de tráfico de drogas e posse de arma.

De acordo com a Polícia Civil, os dois suspeitos eram monitorados pela suspeita de comercialização de entorpecentes na região. Na tarde de terça-feira (15), os investigadores conseguiram surpreender a dupla com aproximadamente seis  quilos de maconha. 

A delegada de polícia, Nubya Beatriz Gomes dos Reis, destacou o excelente resultado do trabalho da Polícia Civil de Tangará da Serra, realizado no mês de abril, onde em menos de 15 dias foi retirado de circulação mais de 10 quilos de drogas, recuperados dois veículos oriundos de roubo, além de efetuado a prisão de 7 pessoas pelos crimes de tráfico de drogas, posse de arma e receptação.

“Essa ação é resposta da Polícia Civil para aqueles que insistem em viver à margem da lei, praticando crimes que aos poucos dizimam a sociedade. Agradeço muito à minha equipe de investigação, pois sem eles não conseguiríamos um resultado tão satisfatório em tão pouco tempo”, concluiu a delegada.


Assessoria

ISTOÉ/Sensus: eleição presidencial não deve ser revolvida em uma só votação

Pesquisa ISTOÉ/Sensus mostra pela primeira vez, desde que começaram a ser divulgadas as enquetes eleitorais de 2014, que a sucessão da presidenta Dilma Rousseff deverá ser decidida apenas no segundo turno.  No levantamento realizado com dois mil eleitores entre os dias 22 e 25 de abril, Dilma (PT) soma 35% das intenções de voto. É seguida pelo senador mineiro Aécio Neves (PSDB), com 23,7%, e pelo ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), com 11%. Juntos, Aécio e Campos têm 34,7% dos votos, praticamente a mesma votação de Dilma (diferença de 0,3%).
Como a pesquisa tem uma margem de erro de 2,2%, se a eleição fosse hoje o futuro presidente seria escolhido no segundo turno numa disputa entre Dilma e o tucano Aécio Neves. A mesma situação ocorre quando, diante do eleitor, é colocada uma lista mais ampla, incluindo os nomes de pré-candidatos nanicos como Levy Fidelix (PRTB) e Randolfe Rodrigues (Psol), por exemplo.
Nesse caso, a presidenta fica com 34% das intenções de votos e os demais candidatos, 32,4%. Diferença de 1,6%. Um cenário que também permite concluir pela realização de segundo turno entre Dilma e Aécio. “A leitura completa da pesquisa indica que a presidenta terá muita dificuldade para reverter o quadro atual”, afirma Ricardo Guedes Ferreira Pinto, diretor do Sensus.
Clique na imagem para melhor visualização