13 de maio de 2014

Partidos descartam PR em grupo de Taques


O grupo de oposição ao governo Silval Barbosa (PMDB) praticamente descartou a presença do PR na composição da chapa para as eleições deste ano. Em reunião na casa do pré-candidato ao governo, senador Pedro Taques (PDT), os partidos definiram que serão 3 os postulantes à vaga ao Senado, negando assim uma das exigências dos republicanos.
A reunião serviu, principalmente para aparar arestas, após recentes entrevistas de integrantes do grupo sobre uma eventual ida do PR para a oposição. Taques abriu espaço para que cada um dos representantes das siglas falasse e conseguiu, com isso, a unidade do grupo em torno do projeto de governo.
Os 3 pré-candidatos já fazem parte do grupo desde a sua formação, com a divulgação da intenção de Taques em assumir o Palácio Paiaguás em janeiro do ano que vem. São eles o senador Jayme Campos (DEM), a ex-senadora Serys Marli (PTB) e o deputado federal Nilson Leitão (PSDB). O nome do escolhido deve ser definido até o dia 26 deste mês.
No mesmo dia, a intenção dos atuais 11 partidos que compõem o grupo (PDT, PSB, PPS, PV, PTB, DEM, PSDB, PSC, PRP, SDD e PTdoB), além do PP, que deve anunciar a adesão em breve, é a de definir também o nome do candidato a vice-governador pela chapa.
Aval – De olho na vaga do grupo ao Senado, o DEM deu o aval para que o coordenador da campanha de Taques, Mauro Mendes (PSB) continue as negociações com o PR. No entanto, as exigências republicanas, como a imposição do nome do deputado federal Welington Fagundes como nome para o Senado, bem como a formação de um “chapão” para as eleições proporcionais, tornam difíceis uma aliança.
As exigências do PR causaram uma série de rusgas entre os partidos do grupo, incluindo o PDT. Na última semana, o presidente estadual da sigla, deputado Zeca Viana, chegou a afirmar que a entrada do PR no grupo enfraqueceria o discurso de oposição.
Ainda que não vá oficialmente para o grupo encabeçado por Taques, a tendência é a de que parte do PR irá, de uma forma ou outra, apoiar a chapa de oposição. Gazeta Digital

O novo presidente do TSE

A posse do ministro Dias Toffoli na Presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) será realizada nesta terça-feira (13), às 19h, no plenário do Tribunal, em Brasília.
A cerimônia vai ser transmitida ao vivo pela TV Justiça e pelo Portal do TSE.
Familiares e diversas autoridades foram convidados para a sessão solene, além dos jornalistas e fotógrafos que se credenciaram para acompanhar a posse. Os profissionais de mídia poderão ficar na sala do Comitê de Imprensa (1º subsolo, próxima ao Plenário), no espaço reservado no Plenário ou na área de imprensa próxima ao local dos cumprimentos. Os fotógrafos e cinegrafistas poderão, ainda, ficar na área em frente ao local dos cumprimentos. As credenciais serão retiradas no térreo do Edifício Sede, a partir das 17 horas.
Toffoli tomou posse em dezembro de 2009 como ministro substituto da Corte Eleitoral e, no dia 10 de maio de 2012, foi eleito pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para integrar o TSE como membro titular, cargo que passou a ocupar no dia 29 de maio de 2012. No dia 19 de novembro de 2013 assumiu a vice-presidência do TSE, na ocasião em que o ministro Marco Aurélio ocupou o cargo de presidente do Tribunal Superior Eleitoral.
Serviço
Posse do ministro Dias Toffoli na Presidência do Tribunal Superior Eleitoral.
Data: 13 de maio de 2014, às 19h, no plenário do Tribunal Superior Eleitoral, localizado no Setor de Administração Federal Sul, quadra 7, lotes 1 e 2, Brasília-DF.

* TSE