12 de julho de 2014

Apreciação de recurso de deputado Riva fica para dia 17


Apesar de ter sido colocado na pauta desta quinta-feira (10) do Pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), o julgamento do processo sobre suposta compra de votos em 2010 por parte do deputado estadual José Riva (PSD) foi adiado para a próxima semana. Agora, a apreciação do agravo regimental impetrado pela defesa deve ser realizada somente no próximo dia 17. 

Conforme a denúncia do Ministério Público Eleitoral, a prática teria ocorrido em Campo Verde (99 km de Cuiabá), quando Riva buscava se reeleger à Assembleia Legislativa. 

Em MT, Candidatos evitam denunciar adversários

Os candidatos que devem protagonizar a disputa ao comando do Palácio Paiaguás nesta eleição optaram por não registrar pedidos de impugnação dos registros de seus adversários junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE). 

José Riva (PSD), Lúdio Cabral (PT) e Pedro Taques (PDT) não se manifestaram até ontem à noite neste sentido. Mesmo prometendo uma disputa calorosa, eles preferiram abrir mão, ao menos neste primeiro momento, de ir para o embate. 

O prazo para apresentações destes pedidos termina hoje. Segundo informou a assessoria do TRE, até a tarde de ontem, não só estes candidatos se mantiveram inertes. Nenhum pedido de impugnação foi recebido. 

Nem mesmo a candidatura do deputado José Riva, tida no meio político como incerta por conta de três condenações contra o social-democrata, foi questionada. 


Campanha para o Senado deverá custar mais de R$ 1 bilhão

A campanha eleitoral para o Senado deverá custar mais de R$ 1 bilhão, segundo as estimativas de despesas entregues pelos candidatos à Justiça Eleitoral. Levantamento do G1 nos 26 estados e no DF mostra que os 178 candidatos preveem desembolsar, juntos, até R$ 1.035.384.167,16 para se eleger.
O valor é pouco superior ao que pretendem gastar os 11 candidatos à Presidência (R$ 916 milhões) – Dilma Rousseff, Aécio Neves e Eduardo Campos estimam gastar, juntos, quatro vezes o valor que os oito adversários somados. Para a campanha aos governos dos estados, a cifra estimada é de R$ 2,43 bilhões – equivalente ao orçamento de um município como Niterói.
CUSTO DAS CAMPANHAS A SENADOR POR ESTADO
Unidade da federação
Candidatos
Gasto total previsto
São Paulo
10
R$ 113.530.000,00
Mato Grosso
6
R$ 70.000.000,00
Bahia
5
R$ 52.500.000,00
Goiás
7
R$ 52.200.000,00
Distrito Federal
8
R$ 50.810.000,00
Rio de Janeiro
8
R$ 50.760.000,00
Paraná
8
R$ 48.810.000,00
Alagoas
8
R$ 44.000.000,00
Minas Gerais
8
R$ 42.725.000,00
Tocantins
5
R$ 39.600.000,00
Paraíba
7
R$ 39.418.000,00
Santa Catarina
7
R$ 38.525.000,00
Rondônia
5
R$ 37.500.000,00
Roraima
6
R$ 35.820.000,00
Amapá
10
R$ 34.730.000,00
Maranhão
6
R$ 34.100.000,00
Pará
11
R$ 31.920.000,00
Rio Grande do Norte
5
R$ 30.420.000,00
Mato Grosso do Sul
6
R$ 28.266.167,16
Piauí
6
R$ 28.180.000,00
Amazonas
6
R$ 26.680.000,00
Ceará
4
R$ 25.860.000,00
Rio Grande do Sul
7
R$ 22.050.000,00
Pernambuco
5
R$ 17.480.000,00
Espírito Santo
5
R$ 14.500.000,00
Sergipe
5
R$ 14.230.000,00
Acre
4
R$ 10.800.000,00
TOTAL
178
R$ 1.035.384.167,16

Prazo para impugnação de candidaturas termina neste domingo

O prazo para impugnação de candidaturas termina neste domingo (13). São cinco dias desde a data em que foi publicada a lista com os nomes dos pretendentes a cargos públicos.

Dilma: A Copa do Mundo foi feita para os ricos

Em entrevista à jornalista Renata Lo Prete, da Globonews, exibida na noite desta sexta-feira, a presidente Dilma Rousseff discordou do diagnóstico feito pelo ministro Gilberto Carvalho (Secretaria Geral da Presidência da República) de que a insatisfação com o governo, expressa nos xingamentos dirigidos a ela na abertura da Copa, no Itaquerão, atingiu camadas mais pobres da população.
A presidente afirmou que quem compareceu nos estádios foi predominantemente “a elite branca” que pôde pagar os preços cobrados pela Fifa.
A Copa do Mundo foi feita para os ricos. Pobre não entra!

Mudança na tributação não afeta preços ao consumidor

Apesar de ter sido divulgada pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), uma nova tabela de preços de referência dos combustíveis, prevendo reajustes nos valores a partir da quarta-feira (16), com um aumento de R$ 0,03 centavos repassado para as refinarias e distribuidoras – o valor atual é R$ 3,03 e passará a ser R$ 3,036 – o reajuste não será sentido pelo consumidor final do Rio Grande do Norte, uma vez que o preço médio ponderado ao consumidor final já está acima do valor que é referência de combustível no estado, conforme explica o secretário de Estado de Tributação, José Airton da Silva.

Juro do cheque especial sobe seis vezes mais que a Selic

A ameaça de que o país mergulhe na recessão, com queda do Produto Interno Bruto (PIB) com risco de aumento do desemprego, levou os bancos a se precaverem. Além de reduzirem a oferta de crédito, com medo de uma onda de calote, as instituições financeiras, inclusive as controladas pelo governo, estão pesando a mão sobre os juros, principalmente nas operações de maior risco. Para se ter uma ideia desse movimento, enquanto a taxa básica de juros (Selic) aumentou 3,75 pontos percentuais desde abril de 2013, de 7,25% para 11% anuais, o custo médio do cheque especial saltou, no mesmo período, 25 pontos, de 136,8% para 161,8% ao ano, segundo o Banco Central. Ou seja, seis vezes mais.