14 de agosto de 2014

Dorjival Silva garante trabalhar em favor das APAEs


Candidato a deputado estadual pelo PDT, Dorjival Silva comentou com amigos no início desta semana em Tangará da Serra, que eleito, fará um excelente trabalho em favor das APAEs de Mato Grosso. Conhecedor e admirador do grandioso serviço que essas entidades prestam à sociedade, ele quer encontrar meios legais para que as APAEs aperfeiçoem ainda mais o que já fazem.

Para o futuro deputado, o trabalho realizado pelas APAEs em todas as cidades de Mato Grosso onde estão presentes, deve ser compreendido por todos como oportunidade para inclusão de cidadãos na vida social, econômica e política.

“Investir na modernização das estruturas físicas e na capacitação técnica de seus profissionais, além de pagar para esses profissionais uma remuneração diferenciada deve ser observado com muita seriedade também pelos governos”, defende o candidato Dorjival Silva.

Assessoria de Imprensa

Demora na liberação de corpo pode adiar enterro de Campos, previsto para domingo

O governo de Pernambuco informou, há pouco, que será sepultado domingo (17), às 16h, no Cemitério Santo Amaro, o corpo do ex-governador de Pernambuco e candidato do PSB à Presidência da República Eduardo Campos. A assessoria do governo teme, porém, que trâmites burocráticos na liberação dos corpos em São Paulo inviabilizem o sepultamento na tarde de domingo.
O atraso na chegada dos restos mortais de Campos e dos quatro assessores dele, que também morreram no acidente aéreo de ontem (13) em Santos (SP), pode inviabilizar o sepultamento nesse dia, porque a intenção é fazer pelo menos um dia de velório coletivo no Palácio do Campo das Princesas, sede do governo estadual. A previsão inicial de chegada dos corpos ao Recife é sábado (16) de manhã. O governador de Pernambuco, João Lyra Neto, viajou na manhã desta quinta-feira para São Paulo para tentar acelerar os trâmites para traslado dos restos.

Ex-prefeito de Juína Altir Peruzzo está fora da disputa nas eleições: Decisão é do TRE

Outro candidato que está fora da disputa de acordo com o TRE é o ex-prefeito da cidade de Juína, Altir Antônio Peruzzo (PT).

 Ele teve em 2012 as contas rejeitadas pela Câmara de Vereadores por ato de improbidade administrativa insanável.

Ligado ao deputado federal Ságuas Moraes (PT), o ex-prefeito foi indeferido também de forma unânime após parecer da desembargadora Maria Helena Póvoas. Ele pode recorrer ao TSE.


Reproduçao: site rádio Band fmJuína

Campanha de 2014 já registrou quatro acidentes com políticos

Em pouco mais de um mês de campanha eleitoral de 2014, quatro políticos já sofreram acidentes durante seus compromissos eleitorais conforme mapeamento do iG. Além do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, que morreu após a queda de uma aeronave, três deputados estaduais já se acidentaram desde o dia 6 de julho, quando começou oficialmente a corrida eleitoral de 2014. Um deles continua internado em estado grave. Esse ano, também teve o registro de um acidente com um deputado federal durante as convenções partidárias de junho.

Campos morreu na última quarta-feira (13), aos 49 anos, na queda de uma aeronave Cessna 560 XL em Santos, no litoral de São Paulo. Ele estava com quatro assessores. O voo que levava Campos saiu do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro e se dirigia para Santos onde ele participaria de eventos de campanha. Além de Campos, sofreram acidentes nessa campanha de 2014 os deputados estaduais Eliziane Gama (PPS-MA), Rubens Pereira Júnior (PCdoB-MA) e Glauber Coelho (PSB-ES). Esses sofreram acidentes de carro. Gama e Rubens Júnior tentam uma vaga na Câmara Federal em 2014. Coelho tenta a reeleição.

Taques lidera com 32%; Lúdio e Riva empatam com 14%


DANIEL PETTENGILL
DA GAZETA DIGITAL

O candidato do PDT ao governo de Mato Grosso, Pedro Taques, lidera as intenções de voto para as eleições de outubro deste ano. É o que aponta a pesquisa eleitoral realizada pelo Instituto Gazeta Dados em 66 municípios do Estado entre os dias 8 e 10 de agosto.

De acordo com a sondagem, o senador encabeça a lista de postulantes ao Palácio Paiaguás com 32% das intenções de voto, enquanto que seus dois principais adversários, José Riva (PSD), e Lúdio Cabral (PT) surgem empatados em 14%.

Em seguida aparece o candidato do Psol, José Roberto Cavalcante, com 3%, sucedido por José Marcondes, o “Muvuca” (PHS), com 1%. Os índices se referem à modalidade estimulada, em que os nomes dos concorrentes são apresentados previamente aos entrevistados para escolha.

Entre os 1.095 entrevistados, 27% não responderam ou disseram não saber em qual candidato votar. Brancos e nulos somaram 9%.

Ou seja, 36% das pessoas que participaram da pesquisa não escolheram entre os nomes colocados para disputa.

Já na modalidade espontânea, o pedetista Pedro Taques também surge na liderança, com 11%. Lúdio Cabral (PT) e José Riva (PSD) empatam novamente, desta vez com 4% das intenções de voto.

Nesta modalidade, a pergunta é feita de forma livre ao entrevistado, que não recebe uma lista prévia dos concorrentes ao governo. Sendo assim, foram citados, com menos de 1% dos votos, o candidato José Marcondes “Muvuca”, o deputado estadual Walter Rabello (PSD), o senador Blairo Maggi (PR), o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, e o vereador por Cuiabá Haroldo Kuzai (SD).

O número de eleitores que não respondeu ou declarou não saber responder chegou a 75% e outros 5% disseram que votariam em branco, nulo ou não escolheriam nenhum dos postulantes. A pesquisa quantitativa, registrada no Tribunal Regional Eleitoral sob o número 00048/2014, utilizou a técnica survey, que consiste na aplicação de questionário padronizado a uma amostra representativa do público pesquisado.

A margem de erro de é 3% para mais ou para menos e o intervalo de confiança da pesquisa é de 95%, isto é, se fossem realizadas 100 pesquisas, em 95 delas o resultado estariam iguais aos apresentados, dentro da margem de erro.

Segundo turno

Em um eventual segundo turno, os pesquisadores apresentaram aos entrevistados os cenários possíveis entre os três principais candidatos ao governo do Estado.

Na primeira simulação, Pedro Taques venceria com 38% dos votos contra 19% de Lúdio Cabral, tendo 13% de brancos e nulos. Não sabem ou não responderam somaram 30%.

Na disputa entre Pedro Taques e José Riva, o pedetista também venceria, mas por 40% a 19%.

Brancos e nulos seriam 12% e 29% não sabiam ou não responderam.


Um último cenário apontaria vitória de Lúdio Cabral sobre José Riva por 30% a 21%. Brancos e nulos chegariam a 15% e 34% não responderam ou disseram não saber em quem votar.