18 de agosto de 2014

Colunista da Folha questiona sobre quem financia Marina

images-cms-image-000388016
Depois de revelar repulsa por Marina Silva por “ter se colocado como ‘viúva política’ para reivindicar seu espólio, o colunista da Folha de S.Paulo Reinaldo Azevedo questiona quem banca Marina Silva.
Ele insinua que financiamento da recém-escolhida candidata do PSB à Presidência, “há tanto tempo sem legenda, flanando por aí”, deveria ser investigado: “Imaginem se algum outro candidato à Presidência da República tivesse um banqueiro — ou uma banqueira… — pra chamar de seu. Ela tem. O que nos outros seria pecado é, em Marina, tratado como virtude”, diz em alusão à Neca Setúbal, herdeira do Itaú e fada madrinha da ex-ministra

Brasileiro está “no fio da navalha”

downloadO brasileiro está no fio da navalha: não tem folga no orçamento para ampliar as compras financiadas de itens de maior valor, como carro e eletrônicos, e corre maior risco de ficar inadimplente. É que a renda do trabalhador com carteira assinada cresce no mesmo ritmo do encarecimento do crédito. Com isso, se houver alta adicional no juro, poderá faltar renda para bancar a prestação, revela estudo da Confederação Nacional do Comércio (CNC).
Segundo o estudo, a prestação de um financiamento de R$ 1.000 assumido pelo consumidor nas condições vigentes de juros e prazos médios de junho, o último dado disponível do Banco Central (BC), foi de R$ 39,87. A cifra é 3,5% maior do que a prestação de R$ 38,54 de um empréstimo do mesmo valor contraído um ano atrás, de acordo com juros e prazos médios da época. A variação do valor da prestação desconta a inflação, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Papa Francisco supera 15 milhões de seguidores no Twitter

papa celular
A conta oficial do papa Francisco (@pontifex) no Twitter, escrita em nove idiomas, superou nesta segunda-feira número de quinze milhões de seguidores. O papa tem ao todo 15.006.027 seguidores no Twitter. A língua mais acompanhada é o espanhol, com 6.479.989 milhões de usuários.
Em seguida, aparecem as versões em inglês (4.367.249), italiano (1.868.219), português (1.123.806), francês (291.896), latim (271.693), polonês (251.246), alemão (206.366) e árabe (145.563). Francisco é uma das figuras mais seguidas no Twitter. O pontífice argentino utiliza frequentemente a rede social para se comunicar.

App bloqueia celular de filhos até que eles retornem ligação dos pais

Quem é pai sabe o quanto é irritante ligar para os filhos para saber se eles estão bem e eles não atenderem nem darem um mísero sinal de vida. A americana Sharon Standifird, do Texas, se cansou disso e resolveu criar uma solução para ter respostas dos filhos: ela é a mente por trás do IgnoreNoMore, um aplicativo que bloqueia todas as funções do celular da criança ou do jovem até ela ligar de volta para seus pais.
Sim, é isso mesmo que você leu: se o pai ligar, você não atender e não ligar de volta, nada de jogos, nem de curtir o post dos amigos no Facebook ou até mesmo mandar um WhatsApp para a galera, deixando a tela do celular toda preta. A única exceção para a tela preta é que o filho pode fazer chamadas de emergência.
O aplicativo tem só um pequeno problema: é preciso que os pais instalem e ativem o IgnoreNoMore no celular dos filhos — algo que não acontece com tanta frequência assim, não é mesmo? Depois de ativado, entretanto, o app só pode ser removido com autorização dos pais.
child-using-phone-reuters

Dúvida do PSB agora é na escolha do candidato a vice para a nova chapa


Embora o nome da ex-senadora Marina Silva já seja dado como certo dentro do PSB para substituir Eduardo Campos na corrida presidencial, a oficialização só vai ocorrer na quarta-feira (20), durante reunião da Executiva Nacional do partido, em Brasília, com a presença dela. A dúvida agora é a definição do nome do vice para a chapa. O líder do partido na Câmara dos Deputados, Beto Albuquerque (RS), é o nome mais provável.

Projeto proíbe ligações de cobradores fora do horário comercial

Mulher discando telefone fixoA Câmara dos Deputados analisa um projeto que determina que as ligações telefônicas de cobrança de dívidas sejam realizadas apenas em horário comercial e proíbe que sejam realizadas por números não identificados (PL 6846/13). A proposta, do deputado Dimas Fabiano (PP-MG), estabelece multa de R$ 15 mil por ligação efetuada em desacordo com a lei, dobrando-se o valor no caso de reincidência. A empresa que desrespeitar essas restrições poderá ter as atividades suspensas temporariamente ou ter a licença cassada. A proposta prevê ainda que as sanções poderão ser aplicadas cumulativamente, inclusive por medida cautelar.
Dimas Fabiano reclama que as instituições de cobrança não respeitam os horários de descanso dos consumidores, nem sua privacidade. “O consumidor inadimplente e sua família são submetidos a toda sorte de arbitrariedades e procedimentos que, em muitos casos, afrontam os direitos e garantias legais e constitucionais dos cidadãos”, afirma o parlamentar.

A TelexFree vai começar a devolver o dinheiro dos aplicadores

telexfreeA Veja destaca que milhares de brasileiros aguardam que se iniciem os ressarcimentos pelo dinheiro investido na TelexFree,empresa acusada de operar uma pirâmide bilionária no Brasil, nos Estados Unidos e outros países da América Latina e Europa. Contudo, o primeiro sortudo da fila não é nenhum ‘divulgador’, como são chamados os incautos que aderiram ao esquema — e, sim, a União Federal. A TelexFree, cuja razão social é Ympactus,tem uma dívida fiscal de 178 milhões de reais com a União, segundo documentos obtidos pelo site de VEJA — o que representa 23% do valor em bens da empresa e de seus sócios Carlos Costa, Carlos Wanzeler e Lyvia Wanzeler, que foram bloqueados pela Justiça do Acre em junho do ano passado, cerca de 660 milhões de reais.
O pagamento aos cofres públicos já começou a ser feito. Do montante devido, 65 milhões de reais foram pagos, mas ainda restam 113 milhões de reais a serem creditados à Receita. A transação foi garantida depois que a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional foi informada pela Receita sobre a dívida. Em seguida, o órgão protocolou um pedido de medida cautelar, que foi aceito no início de junho pelo juiz José Eduardo do Nascimento, da 4ª Vara de Execução Fiscal do Espírito Santo. A medida garantiu que os bens em nome da TelexFree não fossem usados para rassarcir divulgadores ou credores enquanto o débito com o Fisco não for quitado. “A requerida está com suas atividades suspensas e dificilmente voltará a operar, o que reduz a expectativa de pagamento do crédito tributário”, consta na decisão assinada por Nascimento. “Isto significa que a única forma de garantir o pagamento da dívida tributária é através dos bens hoje existentes em seu patrimônio”, completa.
A TelexFree até tentou suspender a medida cautelar, alegando que tinha um crédito de mais de 100 milhões de reais junto à Receita, proveniente de impostos pagos indevidamente. O Fisco, contudo, negou. No fim de julho, o juiz federal substituto Aylton Bonomo Junior rejeitou o pedido de suspensão. Ainda cabe recurso.