19 de setembro de 2014

Salvo em flagrante, hoje é o último dia em que candidato pode ser preso

Hoje (19) é o último dia em que as autoridades podem deter ou prender candidatos a cargos eletivos nas eleições gerais deste ano. A partir deste sábado (20), quando faltarão 15 dias para o primeiro turno das Eleições 2014, nenhum candidato poderá ser detido ou preso, salvo em flagrante delito. É o que estabelece o parágrafo 1º do artigo 236 do Código Eleitoral (Lei nº 4.737/1965).
O mesmo artigo determina também que, a partir de 30 de setembro (cinco dias antes da eleição) até 48 horas após o término do pleito, nenhum eleitor poderá ser preso ou detido, salvo em flagrante delito, ou em virtude de sentença criminal condenatória por crime inafiançável, ou, ainda, por desrespeito a salvo-conduto.

A influência das redes sociais nas eleições

redes sociais 2A maioria das pessoas está sempre conectada e atenta ao que acontece nas redes sociais. Recente pesquisa do Conecta aponta que os jovens brasileiros, entre 15 e 32 anos, têm, em média, 7 perfis em redes sociais. A mais acessada é o Facebook, com 96% dos usuários com perfil. Depois vem o YouTube, com 79%; Skype, 69%; Google+, 67%; e Twitter, com 64%.
O estudo mostra que grande parte dos acessos acontece por meio de smartphones e tablets. O aplicativo do Facebook está instalado em 88% dos smartphones, seguido pelo e-mail (84%), YouTube (81%) e WhatsApp (79%). Devido à popularidade das redes sociais e à facilidade de conversar com os públicos, candidatos à eleição estão atuando nesses ambientes virtuais a fim de alcançarem os jovens e influenciá-los, visto que muitos são instigados pelo que veem e leem na internet. A interação nas redes sociais é uma ação importante para atingir novos eleitores. A facilidade em enviar mensagens com dúvidas e discussões torna o debate ainda mais democrático.

“A turma do Lúdio está cara a cara com a derrota", diz Viana

O presidente do PDT em Mato Grosso, deputado estadual Zeca Viana, rebateu as críticas feitas pelo deputado federal Carlos Bezerra, presidente do PMDB no Estado. 

Bezerra afirmou, ontem (17), que o grupo do candidato a governador Pedro Taques (PDT) estaria “desesperado e apavorado” porque perderia a eleição. 

“Desesperado é ele quem deve estar. Sem dúvida, a turma do Lúdio está cara a cara com a a derrota... A derrota está na frente deles. Se nós estamos desesperados, é de alegria e satisfação, porque com certeza vamos ganhar a eleição. Talvez até no primeiro turno”, rebateu Viana. 
Para o deputado, um dos indicativos que mostram a “derrota” dos adversários é o fato de o governador Silval Barbosa (PMDB) sequer aparecer na campanha de Lúdio, mostrando seu apoio. 

Tribunal Regional Eleitoral diz que Pedro Taques não é investigado pela PF


A Justiça Eleitoral reconheceu que o candidato ao governo pela coligação “Coragem e Atitude Pra Mudar”, Pedro Taques (PDT), não é investigado pela Polícia Federal na Operação Ararath.

Em decisão publicada nesta quinta-feira (18), o juiz eleitoral Paulo Cézar Alves Sodré determinou a suspensão imediata do programa eleitoral na TV em que o candidato Lúdio Cabral (PT) faz a acusação a Taques com base em “um documento apócrifo, ao qual não se pode dar a menor credibilidade”.