23 de outubro de 2014

Datafolha: Dilma tem 53%, e Aécio, 47%

Os candidatos à Presidência da República, Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT)
Pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira aponta que a presidente-candidata Dilma Rousseff (PT) tem 53% das intenções de votos válidos (excluídos brancos, nulos e eleitores indecisos), contra 47% do tucano Aécio Neves. Como a margem de erro é de dois pontos porcentuais, é a primeira vez que os dois candidatos não aparecem em empate técnico no segundo turno. Na rodada anterior, a petista marcava 52%, e o tucano, 48%.
Segundo o levantamento, encomendado pelo jornal Folha de S. Paulo e pela TV Globo, se contabilizados os 5% de eleitores que pretendem votar em branco ou nulo e outros 5% que ainda não sabem em quem vão votar, Dilma marca 48% das intenções de votos, ante 42% de Aécio. A sondagem também aponta que a rejeição ao tucano chegou a 41%, superando a taxa da adversária, de 39%. O instituto ouviu 9.910 eleitores, nos dias 22 e 23 de outubro, em 399 cidades. A pesquisa está registrada na Justiça Eleitoral com o número BR-01162/2014.

Dilma tem 54%, e Aécio, 46% dos votos válidos, diz pesquisa Ibope

Ibope (Foto: Arte/G1)Pesquisa Ibope divulgada nesta quinta-feira (23) aponta os seguintes percentuais de votos válidos no segundo turno da corrida para a Presidência da República:
– Dilma Rousseff (PT): 54%
– Aécio Neves (PSDB): 46%
Para calcular esses votos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição.
A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal “O Estado de S. Paulo”.
No levantamento anterior do instituto, divulgado no dia 15, Aécio tinha 51% e Dilma, 49%.
Votos totais
Se forem incluídos os votos brancos e nulos e dos eleitores que se declaram indecisos, os votos totais da pesquisa estimulada são:
– Dilma Rousseff (PT): 49%
– Aécio Neves (PSDB): 41%
– Branco/nulo: 7%
– Não sabe/não respondeu: 3%
O Ibope ouviu 3.010 eleitores em 203 municípios entre os dias 20 e 22 de outubro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de dois pontos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-01168/2014.
Rejeição
O Ibope perguntou, independentemente da intenção de voto, em qual candidato o eleitor não votaria de jeito nenhum. Veja os números:
Aécio – 42%
Dilma – 36%
Expectativa de vitória
O Ibope também perguntou aos entrevistados quem eles acham que será o próximo presidente da República, independentemente da intenção de voto. Para 51%, Dilma sairá vitoriosa; 38% acreditam que Aécio ganhará; 10% não sabem ou não responderam.

‘Darei última palavra aos indecisos’, diz Aécio no Rio

Ao chegar ao hotel onde vai gravar as últimas inserções de propaganda na TV que vão ao ar nesta sexta-feira, 24, o candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, disse que fará uma “convocação final da militância” e dará “uma última palavra para os indecisos”. O tucano afirmou que não está mais preocupado com ataques adversários e se concentra na reta final da campanha.
“Vamos fazer a convocação final da militância, dar uma última palavra para os indecisos. Dei a chance ao Brasil de mudar. O recado foi dado, agora é fecho, a convocação para a mobilização final. Vou fazer o papel que fiz até aqui”, afirmou o ex-governador. O candidato tucano passou a manhã desta quinta-feira, 23, em seu apartamento, em Ipanema, na zona sul da capital fluminense.

Vereador é detido por porte ilegal de arma, mas paga fiança e é liberado


O vereador do município por Juruena (a 880 km de Cuiabá), Marcos José Palácio (DEM), foi preso em flagrante pela Polícia Civil, na tarde de quarta (22), por porte irregular de arma de fogo. A prisão aconteceu após  denúncias de que o parlamentar costuma andar armado, intimidando diversas pessoas pela cidade. Diante das informações colhidas com populares, uma equipe de investigadores passou a monitorar o vereador até realizar a abordagem.


No interior do veículo do político, foi encontrada uma pistola marca Taurus, calibre 380, além de 30 projéteis intactos e dois carregadores. O vereador Marcos José Palácio, que já foi secretário de Educação de Juruena, acabou conduzido à Delegacia de Polícia e autuado em flagrante pelo crime de porte irregular de arma de fogo. O delegado responsável arbitrou fiança de cinco salários mínimos para o democrata responder em liberdade. (Com Assessoria). Jacques Gosch

Silval teve menor quantia monetária “congelada” pela Justiça; confira lista de bloqueios

OLHAR DIRETO

O governador Silval Barbosa (PMDB) foi servidor público com a menor quantia monetária bloqueada pela Justiça devido às denúncias do Ministério Público de um esquema para conceder incentivos fiscais ilegais ao Grupo JBS em Mato Grosso. O peemedebista teve R$ 155 mil indisponibilizados, enquanto o atual e o ex-secretário de Fazenda, Marcel de Cursi e Edmilson José dos Santos tiveram mais de R$ 1,6 milhão congelado, cada um.

Leia mais: Advogado de Silval afirma que espera informações para falar sobre bloqueio de bens

A empresa JBS, no entanto, teve a maior quantia afetada peã decisão: R$ 73,5 milhões estão sub judice e podem ser usados para ressarcir o erário, caso a fraude tributária seja comprovada. Confira abaixo a lista dos bloqueios:

De acordo com o “Detalhamento de Ordem Judicial de Bloqueio de Valores com ações selecionadas (Transferências, Desbloqueios, Reiteração de Não Respostas)” emitido pelo Sistema BacenJud (fls. 167/177) foram efetuados os seguintes bloqueios e transferências, já subtraídos os valores correspondentes aos respectivos subsídios:

Réu: Silval da Cunha Barbosa
Instituição Financeira: Banco Bradesco.
Valor bloqueado e transferido: R$ 155.058,71

Réu: Marcel Souza de Cursi
Instituição Financeira: Banco do Brasil.
Valor bloqueado e transferido: R$ 1.603.924,28.

Réu: Pedro Jamil Nadaf
Instituição Financeira: Banco Safra.
Valor bloqueado e transferido: R$ 282.838,48
Instituição Financeira: Banco do Brasil
Valor bloqueado e transferido: R$ 201.709,18

Réu: Edmilson José dos Santos
Instituição Financeira: Caixa Econômica Federal
Valor bloqueado e transferido: R$ 1.686,57

Réu: Valdir Aparecido Boni
Instituição Financeira: Banco Itaú Unibanco
Valor bloqueado e transferido: R$ 535.520,84
Instituição Financeira: Caixa Econômica Federal
Valor bloqueado e transferido: R$ 8.979,85

Réu: JBS S.A (CNPJ/MF n. 02.916.265/0001-60)
Instituição Financeira: Banco Industrial e Comercial
Valor bloqueado e transferido: R$ 73.563.484,77

O caso


O juiz Bertolucci autorizou o bloqueio das contas bancárias e aplicações financeiras de Silval da Cunha Barbosa e dos secretários de Fazenda Marcel Souza de Cursi e da Casa Civil, Pedro Jamil Nadaf, além do diretor do MT PAR Edmilson José dos Santos, do economista Valdir Aparecido Boni e da empresa JBS. Todos estariam envolvidos em uma suposta concessão de créditos tributários fictícios para a rede de frigoríficos. O Governo teria editado um decreto direcionado ao perfil da empresa com o objetivo de conceder incentivos fiscais ilegais.

“PT não tem monopólio da esquerda”, diz presidente do PSB

Eleito presidente do PSB no momento mais tenso vivido pela sigla em sua história recente, Carlos Siqueira, não esconde a mágoa que ficou do PT, partido do qual o PSB foi parceiro durante dez anos no governo federal. “Acho que o PT tem um estilo de fazer política muito pouco republicano. E que a mim mesmo nunca surpreendeu. Acho que essa campanha caracteriza bem a forma desse partido fazer política”, dispara em entrevista ao Congresso em Foco sobre o tom adotado no primeiro turno.
Ainda que tenha protagonizado desavenças com a ex-senadora Marina Silva, candidata à presidente pelo PSB, Siqueira condena o tom agressivo adotado pelo PT, mas atribui a presidente e candidata à reeleição, Dilma Rousseff,responsabilidade. “Nós consideramos que é possível fazer a política de centro-esquerda em outro pólo. O PT não tem a exclusividade de políticas progressistas e nem o monopólio da esquerda, de maneira que nós não precisávamos da chancela desse partido para tomarmos a nossa posição”, completa.

Governo segura divulgação de dados que podem afetar campanha de Dilma

20141008053342_cv_Dilma-lendo_gdePor decisão do governo federal, o país chegará ao segundo turno da eleição presidencial no domingo sem ter dados atualizados sobre o desempenho dos alunos em português e matemática e a arrecadação de tributos, estatísticas potencialmente negativas para a campanha da presidente Dilma Rousseff.
Como a Folha de São Paulo informou, também só serão divulgados depois da eleição dados sobre o desmatamento e um novo estudo sobre o contingente de pobres e de miseráveis. Avaliações independentes ou informações oficiais já publicadas sinalizam que os indicadores mostrarão piora nessas duas áreas. Diferentes instituições do governo Dilma Rousseff responsáveis por esses dados apontam questões técnicas, administrativas ou legais para explicar o que houve.

Revista Época: Primeira-dama da Paraíba se opõe a Dilma e critica Chico Buarque