26 de outubro de 2014

Rollemberg vence e PSB governará Distrito Federal pela primeira vez

Senador Rodrigo Rollemberg (PSB) vence as eleições para o governo do Distrito Federal
O senador Rodrigo Rollemberg (PSB), 55, venceu o segundo turno das eleições e será o governador do Distrito Federal a partir do próximo ano. Apesar de ter começado a disputa em terceiro lugar, após a saída de José Roberto Arruda (PR) do pleito, o socialista assumiu a dianteira nas pesquisas de intenção de voto e confirmou o favoritismo no pleito deste domingo (26). O pessebista disputou o segundo turno com Jofran Frejat (PR), candidato que substituiu Arruda quando o ex-governador teve a candidatura barrada pela Justiça Eleitoral.
Esta será a primeira vez que o PSB assume o governo da unidade federativa. Desde 1989, o Distrito Federal já foi governado por PTR, PT, PMDB, PSDB, PFL, DEM e PR. No campanha do segundo turno, Rollemberg recebeu apoio do PV e do PRB, que estavam na coligação da candidatura à reeleição do governador Agnelo Queiroz (PT), além do PSDB e do PPS, que militavam pelo tucano Luiz Pitiman no primeiro turno.

Marconi Perillo vence Iris Rezende pela 3ª vez e se reelege em Goiás

Candidato à reeleição, o atual governador de Goiás, Marconi Perillo (PMDB), conquistou seu quarto mandato nas eleições deste domingo ao vencer seu rival do PSDB, Iris Rezende, com uma diferença de votos de cerca de 15 pontos percentuais.Perillo venceu as eleições com 57,51% dos votos válidos, enquanto Rezende ficou com 42,49% quando o total de urnas apuradas era de 92,83%. Esse foi o terceiro embate direto entre os  candidatos pelo governo de Goiás – e a terceira vitória do candidato do PMDB. No primeiro turno, o atual governador já havia superado o rival com uma diferença de pontos parecida.
Na ocasião, Perillo conseguiu 45,86%, e Rezende terminou com 25,40%. Perillo foi eleito governador de Goiás pela primeira vez justamente pelo PSDB em 1998, quando tinha apenas 35 anos de idade, tornando-se então o mais jovem governador do Brasil ao vencer Rezende. Foi reeleito em 2002 ainda no primeiro turno. Em 2006 não conclui seu mandato, desincompatibilizando-se para concorrer ao Senado. Em 2010, Perillo venceu Rezende pela segunda vez e elegeu-se governador de Goiás pela terceira vez.

José Ivo Sartori, do PMDB, é eleito governador do Rio Grande do Sul

sartori7
José Ivo Sartori, do PMDB, foi eleito governador do Rio Grande do Sul neste domingo (26) para os próximos quatro anos. Por volta das 18h30, com 88,67% dos votos apurados, o peemedebista tinha 61,23% dos votos válidos contra 38,77% do candidato à reeleição, Tarso Genro, do PT (confira a apuração completa no estado).

No Rio, Pezão ganha com 56% dos votos contra Crivella, que teve 43,9%

Na disputa pelo governo do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB) conquistou 56% e se mantém no comando do Palácio Guanabara. O peemedebista derrotou o ex-ministro da Pesca Marcelo Crivella (PRB), que obteve 43,9% dos votos.
Pezão assumiu o governo do estado com saída de Sergio Cabral (PMDB) do cargo, em abril deste ano. O atual governador esteve à frente das pesquisas em todo o segundo turno.

Três eleições depois, PMDB retoma o poder no Rio Grande do Sul

Tido como zebra no primeiro turno, o candidato do PMDB ao governo do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, venceu as eleições neste domingo (26) e leva o partido ao poder depois de três eleições – Germano Rigotto foi governador de 2003 a 2007, dando lugar a Yeda Crusius (PSDB) e, no atual mandato, a Tarso Genro (PT), que tentava a reeleição. Com 89,1% das urnas apuradas, Sartori teve 61,27% dos votos válidos, ante 38,73% de Tarso.
Nascido em Farroupilha, 66 anos completados em fevereiro, o governador eleito foi vereador em Caxias do Sul, deputado estadual em cinco mandatos e uma vez deputado federal. Também dirigiu a prefeitura de Caxias duas vezes. É formado em Filosofia. Sartori foi responsável por uma campanha marcada pela despolitização, evitando propostas concretas sobre uma série de temas importantes para os gaúchos. Chegou a fazer brincadeiras em torno de sua falta de objetivos concretos, como quando afirmou que os professores da rede estadual deveriam buscar o “piso” salarial em uma loja de material de construção.

Waldez Góes é eleito governador do Amapá

Waldez derrotou o atual governador do Estado, Camilo Capiberibe (PSB), e conseguiu seu terceiro mandato
O pedetista Waldez Góes, 52, foi eleito governador do Amapá após derrotar o atual chefe do Executivo estadual, Camilo Capiberibe (PSB), 42, no segundo turno das eleições. Seu principal apoio no pleito foi o senador José Sarney (PMDB). Waldez, que já foi governador por dois mandatos consecutivos (2003-2010), recebeu o apoio do PR, do PRB, do PHS e do grupo político liderado pela família Favacho – ligada ao PMDB – para a disputa da reta final do pleito.
O pedetista tentou sem sucesso conseguir o apoio da vice-governadora, Dora Nascimento (PT), e do Partido dos Trabalhadores. O presidente do PT no Estado, Joel Banha, disse que a legenda iria manter a aliança formada no primeiro turno, endossando a candidatura de Capiberibe. Acusado de “paralisar a ação de combate à corrupção do Ministério Público”, o governador eleito se disse um defensor da investigação e da punição desse tipo de crime. Segundo Capiberibe, a atitude de barrar a apuração dos casos “virou compromisso de Waldez para conquistar apoio de políticos processados”.
Durante a campanha no segundo turno, Waldez defendeu a criação de uma “central de licitações” para evitar e fiscalizar casos de corrupção nesses processos. Em 2010, Waldez foi preso pela PF (Polícia Federal) durante a operação Mãos Limpas junto com outras 17 pessoas sob a acusação de integrar um esquema de desvio de dinheiro público no Estado. O caso ainda não foi julgado.

Ricardo Coutinho é reeleito governador da Paraíba com 53% dos votos válidos

Os eleitores da Paraíba escolheram manter Ricardo Coutinho (PSB) no cargo de governador do Estado por mais quatro anos. Pouco mais de 2,7 milhões de paraibanos foram às urnas neste domingo (26) e reelegeram o socialista. que teve 53% dos votos válidos. Ricardo Coutinho disputou o segundo turno das Eleições 2014 com Cássio Cunha Lima, do PSDB, que recebeu 47% dos votos válidos. Pouco mais de 495 mil não compareceram ao pleito, o que corresponde a cerca de 18%.
No primeiro turno, Ricardo Coutinho havia consuiqstado 46,05% dos votos, o equivalente ao apoio de 937.009 eleitores. Já o candidato tucano teve 47,44%, cerca de 965.397 dos votos válidos. Na segunda etapa das eleições, Ricardo Coutinho recebeu apoio do terceiro candidato mais votado no primeiro turno, Vital do Rêgo Filho, e do senador eleito José Maranhão. Os demais postulantes ao cargo de governador – Antônio Radical (PSTU), Major Fábio (PROS) e Tarcio Teixeira (PSOL) – não apoiaram nenhum dos concorrentes no segundo turno.

Reinaldo Azambuja é eleito governador no Mato Grosso do Sul

B05qxVzIUAAk1KMCom 94% da urnas apuradas, o tucano Reinaldo Azambuja (PSDB)está matematicamente eleito governador no Mato Grosso do Sul,com 55,43% dos votos. Delcídio do Amaral (PT) teve 44,57% da preferência dos eleitores.

Dilma Rousseff é reeleita presidente da República

dilma expozebu
A presidente Dilma Rousseff (PT) foi reeleita neste domingo, 26, para a Presidência da República. A candidata do PT liderou a disputa pelo Palácio do Planalto, na reta final, contra o candidato tucano Aécio Neves. A reeleição de Dilma foi confirmada às 20 horas, momento em que o TSE já havia apurado maior parte seções.

Com mais de 53% dos votos, Camilo Santana é eleito no Ceará

Camilo Santana foi eleito governador do estado do Ceará. O candidato do PT obteve 53%,24 dos votos válidos, com pouco mais de 96% das urnas apuradas. Ele derrotou Eunício Oliveira, do PMDB, que teve 46,76%.

Robinson é eleito governador do Rio Grande do Norte com 54,42% dos votos

robinson voto
Eleito com mais de 877 mil votos, o candidato da coligação Liderados pelo Povo Robinson Faria (PSD) é o novo governador do Rio Grande do Norte. Ao lado de familiares e correligionários, Robinson agradeceu emocionado aos eleitores do Estado. “A nossa vitória representa a vitória da liberdade, da coragem e da resistência. Representa a vitória do povo potiguar!”, destacou Robinson.
Nota da vitória:
Primeiro lugar quero agradecer a Deus e aos mais de 877.196 mil potiguares pelos votos de confiança ao nosso projeto! A nossa vitória representa a vitória da liberdade, da coragem e da resistência. Representa a vitória do povo potiguar! A minha esposa Julianne, brava companheira de todas as horas. Uma das primeiras que me incentivou nesta caminhada, a minha eterna gratidão e amor. Obrigado por cuidar da nossa família quando eu estive ausente, desbravando o Rio Grande do Norte. Obrigado por tudo!
Aos meus filhos, Fábio, Nathalia, Janine, Maria Fernanda, Maria Luiza e Gabriel, todos, cada um com seu jeito, pelo apoio constante, as palavras e o carinho. Vocês foram fundamentaiAos partidos de nossa coligação, PT, PC do B, PP, PT do B, PEN, PRTB e PTC, obrigado por acreditarem no nosso sonho.
A meu vice-governador, Fábio Dantas. Você foi um gigante! De forma estratégica, altiva e jovial, você será, sem dúvida, um excepcional companheiro de governo. Parabéns! A minha senadora Fátima, a primeira de origem popular da história do nosso Estado. Fátima, muito obrigado! Você e o PT foram parceiros muito importantes e comprometidos com a nossa eleição!
Aos nossos deputados eleitos, José Dias, Fernando Mineiro, Galeno Torquato, Dison Lisboa, Cristiane Dantas, Carlos Augusto Maia, eleitos na nossa coligação Liderados pelo Povo, o nosso muito obrigado!
Aos nossos prefeitos, vereadores, ex-prefeitos, lideranças que nos apoiaram, motivaram e fizeram a campanha mais bonita do Rio Grande do Norte! Aos militantes de todos os partidos! O entusiasmo que vocês levaram às ruas contagiou o RN.
Muito obrigado!
Fui eleito para governar para todos os potiguares e por isso reafirmo o meu compromisso em fazer um governo técnico, focado na eficiência da máquina pública e no desenvolvimento social e econômico do Rio Grande do Norte. Mais de quatrocentas mil pessoas ainda vivem abaixo da linha da pobreza. Por isso, como disse em toda a campanha, vou trabalhar para os últimos por mais justiça social, por um Estado mais solidário.
Não vou governar pensando na próxima eleição; eu vou governar pensando nas próximas gerações. E como disse o Presidente Lula, agora é hora de reconstruir a história política do Rio Grande do Norte. Me alimentei de fé, coragem e resistência! LUTAREI PARA SER O MELHOR GOVERNADOR DA HISTÓRIA DO RIO GRANDE DO NORTE.
Muito obrigado!

José Melo é o próximo governador do Amazonas

Com 55,77% das urnas apuradas, o candidato do PROS, José Melo, está matematicamente eleito governador do Amazonas, com 55,77% dos votos válidos já apurados. Eduardo Braga, do PMDB, tem 44,23% dos votos válidos. Até o momento, os votos brancos somam 1,58% e os nulos 7,54%. A abstenção está em 22,12%.
Economista formado pela Universidade Federal do Amazonas, José Melo, 68 anos, já foi eleito deputado federal duas vezes (1994 e 1998). Conhecido também como professor José Melo, ele se tornou deputado estadual em 2002. Em 2010, foi eleito vice-governador na chapa encabeçada por Omar Aziz (PSD), que deixou o cargo este ano para concorrer a uma vaga ao Senado.

Vicentinho: partido terá de rever onde falhou e onde precisa melhorar

vicentinho universidade
O líder do PT na Câmara, deputado seridoense Vicentinho (SP), em entrevista há pouco para a Rádio Câmara, reconheceu que o partido deve discutir profundamente as ações para o segundo mandato da presidente Dilma Rousseff, eleita neste domingo. Vicentinho acrescentou que o partido terá de avaliar onde falhou e onde precisam melhorar para obter mais entendimento no Congresso Nacional. O líder reclamou, no entanto, que o Congresso ficou mais conservador.
Questionado sobre a divisão entre os partidos da base aliada, visto que muitos apoiaram o candidato Aécio Neves, Vicentinho acentuou que “será necessária uma boa conversa com os partidos da base aliada e também com os novos partidos.” Para o líder, o Congresso será fundamental para a caminhada do partido.” O líder disse ainda que a intenção agora é atuar com a participação do povo. “Embora os ataques tenham sido criminosos, o povo reconheceu o nosso trabalho”.

Suely Campos é eleita governadora de Roraima

A candidata Suely Campos (PP) acaba de ser confirmada como a nova governadora de Roraima. Com 94% das urnas apuradas, ela obteve 55% dos votos válidos, contra 45% do seu adversário, Chico Rodrigues (PSB). Até o momento, a apuração só não está definida no Acre, onde o governador Tião Viana (PT) disputa a reeleição contra o deputado Márcio Bittar (PSDB).
Os outros governadores eleitos são:
– Distrito Federal: Rodrigo Rollemberg (PSB)
– Goiás: Marconi Perillo (PSDB)
– Rio Grande do Sul: José Ivo Sartori (PMDB)
– Rio de Janeiro: Luiz Fernando Pezão (PMDB)
– Mato Grosso do Sul: Reinaldo Azambuja (PSDB)
– Amapá: Waldez (PDT)
– Paraíba: Ricardo Coutinho (PSB)
– Rio Grande do Norte: Robinson (PSD)
– Ceará: Camilo (PT)
– Rondônia: Confúcio Moura (PMDB)
– Pará: Simão Jatene (PSDB)
– Amazonas: José Melo (Pros)

Dilma e Aécio agradecem aos eleitores nas redes sociais

Reeleita, a presidenta Dilma Rousseff agradeceu aos eleitores nas redes sociais. Em mensagem divulgada no Twitter e no Facebook, a candidata reeleita pelo PT diz: “Muito obrigada! #Dilmais4anos”. A mensagem é acompanhada de uma foto de Dilma com o braço erguido mostrando o número 2 com a mão. No Twitter, Dilma tem 6,3 mil curtidas e 11 compartilhamentos. No Facebook, foram 174 mil curtidas e 103,5 mil compartilhamentos. A publicação foi feita quando o resultado foi oficializado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
Com 99,52% das urnas apuradas, Dilma tem 51,59% dos votos válidos e Aécio Neves, do PSDB, 48,41%. Aécio também agradeceu aos eleitores. Publicou no Facebook uma foto com os braços abertos com a mensagem: “Obrigado!”. A publicação, feita há poucos minutos, teve 24 mil curtidas e 1,6 mil compartilhamentos.
No Twitter, a equipe do candidato publicou techos do discurso feito por Aécio. “Muito obrigado. Eu serei eternamente grato aos brasileiros que me receberam tão bem”; “Aécio diz que que já ligou e cumprimentou à presidente reeleita”; e “Aécio afirmou ainda que fez uma campanha honrada para unir o Brasil”.

Crivella diz que recorrerá até ao TSE para cassar o mandato de Pezão

O candidato ao cargo de governador do Rio de Janeiro,Marcelo Crivella (PRB), concede entrevista (Fernando Frazão/Agência Brasil)
O candidato derrotado ao governo do Rio de Janeiro pelo PRB, Marcelo Crivella, disse, hoje (26), que espera assumir o governo do estado se a Justiça Eleitoral cassar a candidatura do governador Luiz Fernando Pezão, vencedor das eleições. Crivella ressaltou que Pezão responde a 13 ações por irregularidades na campanha, incluindo abuso de poder econômico, abuso de poder político e por uso da máquina pública. “Espero a cassação do registro. Se houver cassação, ele não vai ser diplomado e entra o segundo colocado. Tenho todas as esperanças [de assumir o governo], não só eu como 3 milhões 450 mil fluminenses que votaram em mim. Nós estamos com esperança que o tribunal julgue, faça justiça”, disse Crivella, em entrevista na sede do comitê de campanha.
Crivella adiantou que, se houver vitória de Pezão no Tribunal Regional Eleitoral, pretende recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). “Nós vamos até o final. Se ele perder aqui, o PMDB deve recorrer ao TSE, mas a luta será árdua”. O candidato do PRB comentou também a vitória da presidenta Dilma Rousseff, do PT, sobre Aécio Neves, do PSDB, e disse que isso compensava sua derrota ao governo do estado. “Foi um alívio e uma alegria. A vitória da presidenta Dilma compensa as tristezas que nós passamos no âmbito regional”.

IstoÉ/Sensus: Aécio tem 52,1% e Dilma, 47,9%

Presidenciável do PSDB, Aécio Neves, cumprimenta a presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, antes de debate em São Paulo
Pesquisa realizada entre os dias 24 e 25 de outubro e divulgada na noite deste sábado pela revista IstoÉ em parceria com o Instituto Sensus mostra o candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, à frente da candidata do PT, Dilma Rousseff. Aécio apareceu com 52,1% das intenções de votos válidos, ante 54,6% na pesquisa anterior, divulgada ontem.
Dilma ficou com 47,9% das intenções de votos válidos, ante 45,4% na pesquisa anterior. Se for considerado o número total de votos, Aécio aparece com 45,7% e Dilma com 42%. O levantamento mostrou também que Aécio tem índice de rejeição de 35,3%, enquanto Dilma tem 42,5%. A pesquisa realizou 2 mil entrevistas em 136 municípios, abrangendo as cinco regiões do País. A margem de erro é de dois pontos para mais ou dois pontos para menos. O nível de confiança é de 95%. Seu registro na justiça eleitoral é BR-01193/2014.

Plateia entoa ofensa a Dilma em evento do UFC

Em luta renhida, encerrada na madrugada deste domingo eleitoral, o brasileiro José Aldo venceu por pontos o desafiante norte-americano Chad Medes, mantendo o cinturão de campeão do UFC na categoria peso-pena. Deu-se no Rio de Janeiro, no Maracanãzinho. Durante o evento, a plateia entoou várias vezes o coro ofensivo que as arquibancadas da Copa já haviam dedicado à presidente da República. Dessa vez, Dilma não estava presente.

Brasileiro vence em luta emocionante e mantém cinturão do UFC

Não será desta vez que o Brasil ficará sem nenhum cinturão no UFC. Lutando em casa mais uma vez – e desta vez um ginásio que o fez se sentir ainda mais em casa -, José Aldo não sentiu o peso da pressão que tinha em seus ombros e bateu mais uma vez o norte-americano Chad Mendes, desta vez na decisão unânime dos jurados (49-46, 49-46 e 49-46).
Desta vez, porém, a conversa foi diferente do que havia sido em janeiro de 2012. Nada de nocaute com joelhada como acontecera no primeiro encontro entre os dois. Bem verdade que José Aldo ficou bem perto de acabar com a luta logo no primeiro round de novo e, curiosamente, até chegou a apagar o adversário. O soco que derrubou Mendes, porém, acabou saindo alguns centésimos de segundo depois do fim do assalto.
Aldo ainda partiu para cima e dominou os dois rounds seguintes. No terceiro, voltou a conseguir um knockdown e ficou perto de novo de nocautear. Mas Mendes se mostrou duro na queda. O norte-americano ainda contou com um corte no olho do brasileiro para levar o quarto assalto e chegou até a assustar com um gancho que balançou o campeão.

Eleições 2014: Quem começa em vantagens nos estados?

voto urnaRio de Janeiro
Pezão tem 55% e Crivella 45%
Distrito Federal –
Rollemberg tem 55%; e Frejat 45%
Rio Grande do Sul
Sartori tem 60% e Tarso Genro 40%
Ceará
Camilo (PT) tem 52%, e Eunício (PMDB) 48%
Amapá
Waldez tem 62% e Camilo 38% no Amapá
Goiás
Marconi Perillo tem 60% e Iris Rezende 40%
Mato Grosso do Sul
Delcídio tem 51% e Reinaldo 49%
Pará
Helder tem 50% e Jatene 50%
Paraíba
Ricardo tem 53% e Cássio 47%
Rio Grande do Norte
Robinson tem 54% e Henrique 46%

Abstenção chegou a quase 20% no primeiro turno

Dos 142,8 milhões de eleitores, compareceram ao pleito no primeiro turno 115.122.883, ou seja, 80,61%. As abstenções somaram 27.698.475 (19,39%). Os votos válidos foram 104.023.802 (90,36%), brancos, 4.420.489 (3,84%) e nulos, 6.678.592 (5,80%). Naquele dia, os eleitores puderam votar em presidente da República, governadores, senadores, deputados federais, estaduais e distritais.
Do eleitorado total, vivem fora do Brasil e estão aptos a votar no presidente da República 354 mil brasileiros, que moram em uma das 135 cidades espalhadas por 89 países. O maior eleitorado está nos Estados Unidos, com 112,2 mil pessoas, seguido do residente no Japão (30,6 mil) e em Portugal (30,4 mil). Em países onde há menos de 30 eleitores não haverá votação.
Em condições de votar em trânsito, ou seja, fora do domicílio eleitoral, estão 79.452 eleitores, que poderão exercer esse direito em uma das 91 cidades que contam com urnas especiais para esse fim. Esses eleitores só poderão votar no cargo de presidente da República. Mais de 21 milhões de eleitores deverão votar pelo sistema biométrico, o equivalente a 15,18% do eleitorado nacional, em 764 cidades. Haverá votação nos 5.570 municípios brasileiros. O eleitor deverá comparecer à seção com documento oficial com foto e com o título.
Diferentemente do primeiro turno, onde o eleitor votou em cinco cargos, nesta nova fase a votação será para presidente da República e governador. A votação terá início às 8h e se encerrará às 17h em todo o país, obedecendo o horário da localidade. Com a entrada do horário de verão no último domingo (19), haverá diferença de três horas do início e do término da votação entre o estado do Acre e o Distrito Federal. Com isso, a divulgação dos primeiros resultados da eleição presidencial só terá início após as 20h, horário de Brasília.

Próximo presidente assume Brasil ‘rachado’ pelas urnas

O jornal espanhol El País destaca que qualquer que seja o resultado das urnas neste domingo, metade do país sairá insatisfeita. Desde 1989 o Brasil não via uma disputa tão acirrada pela presidência da República e, dificilmente, o vencedor destas eleições ganhará de ‘lavada’. Na véspera da votação, o Instituto Datafolha apresentava um empate técnico entre a presidenta Dilma Rousseff e o senador Aécio Neves, que segundo o instituto chegam ao segundo turno com, respectivamente, 52% e 48% dos votos válidos.
Para o Partido dos Trabalhadores (PT), da candidata à reeleição, a oposição – amparada por parte da mídia tradicional – é a culpada por esse ‘racha’, devido à agressividade imputada na campanha. Já para o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), do presidenciável da oposição, foram os petistas quem dividiram o país, ao apostarem em uma campanha inspirada na luta de classes, no discurso do “nós contra eles”. Nas redes sociais, o clima de ‘fla-flu’ eleitoral virou até piada, com eleitores combinando de se unirem para passar o Natal e o Réveillon após brigar de família por conta da política. É provável que as relações familiares e as amizades sobrevivam a 2014, mas afinal, como governar pelos próximos quatro anos em um cenário tão belicoso?
Não se via uma eleição tão aberta desde 1989, quando o então sindicalista Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disputou o Governo com o hoje senador alagoano Fernando Collor (à época, do nanico PRN). Na semana que antecedeu o segundo turno, Collor tinha 46% das intenções dos votos válidos contra 45% atribuídos a Lula, segundo o Datafolha. Nas urnas, o resultado não foi muito diferente: Collor foi eleito com 53% dos votos, enquanto o metalúrgico deixou as urnas derrotado, embora tenha sido escolhido por 46%.

Gastos com publicidade crescem 20,8% em ano eleitoral

HD_20131219162432campanha_med_capaOs gastos com publicidade voltam ao cenário eleitoral. Na esfera federal, como de costume, os gastos aumentam em ano de campanha: até setembro, R$ 126,7 milhões foram gastos a mais com a rubrica quando comparado ao mesmo período do ano passado. Mais especificamente, apesar de em 2013 a dotação inicial do que seria gasto com publicidade ser significativamente maior do que a deste ano, R$ 986,9 milhões contra os R$ 856 milhões de 2014, o que foi efetivamente gasto não segue a linha das previsões.
Passados nove meses do ano, R$ 735,8 milhões já haviam sido gastos com publicidade, enquanto nos mesmos meses de 2013, foram aplicados um total de R$ 609,1 milhões, em valores já atualizados pela inflação. A diferença representa crescimento real de R$ 20,8% nos gastos. Essa alta é recorrente em anos de disputas eleitorais. Em 2010, quando Dilma Rousseff (PT) disputava as eleições contra José Serra (PSDB), houve alta tanto na dotação inicial – de R$ 795,9 milhões em 2009 para R$ 909,7 milhões em 2010 -, como nos recursos desembolsados – de R$ 469,5 milhões em 2009 para R$ 680,3 milhões em 2010. Houve, portanto, aumento de R$ 210,8 milhões, ou alta de 44,9%, considerados os períodos de janeiro a setembro dos respectivos anos.

Brasileiros que vivem no exterior voltam às urnas em 89 países

Seção eleitoral nos Estados Unidos - país com o maior número de eleitores brasileiros convocados para o pleito, 112,2 mil (Leandra Felipe/Agência Brasil)
Os brasileiros que vivem no exterior retornam às urnas neste domingo (26) para o segundo turno das eleições presidenciais. A votação ocorrerá em 135 cidades de 89 países. Ao todo, 354.184 pessoas estão aptas a votar no exterior, número 57% maior do que em 2010. Mais de 3,6 mil mesários trabalharão no pleito, em 916 seções.
No primeiro turno das eleições deste ano, 141.501 brasileiros votaram para presidente da República em 89 países. O número é 63% maior do que o registrado no primeiro turno das eleições presidenciais de 2010. A abstenção (número de eleitores aptos que não compareceram) também aumentou: de 55,5% para 59,9%. Quem não votou no primeiro turno, pode votar no segundo, pois a Justiça Eleitoral considera cada turno uma eleição diferente.
No primeiro turno, os eleitores que votaram fora do país preferiram o candidato Aécio Neves (PSDB). Ele teve 49,51% dos votos, contra 26,01% da candidata do PSB, Marina Silva. A petista Dilma Rousseff ficou em terceiro em território estrangeiro, com 18,35% dos votos. O maior número de eleitores em território estrangeiro está concentrado nos Estados Unidos (112,2 mil), seguido pelo Japão (30,6 mil). Os países europeus, juntos, abrigam 140 mil eleitores brasileiros, com destaque para Portugal (30,4 mil), a Itália (20,9 mil), Alemanha (17,5 mil) e Inglaterra (16.9 mil).

Eleitor tem 60 dias para justificar ausência na votação de hoje

O eleitor que estiver fora do domicílio eleitoral neste domingo (26) terá até 60 dias para preencher o Requerimento de Justificativa Eleitoral. O documento pode ser acessado gratuitamente nos sites do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e dos tribunais regionais eleitorais (TRE), cartórios eleitorais, postos de atendimento ao eleitor e fornecido, no dia da votação, nos locais destinados à justificativa.
Para estar em dia com a Justiça Eleitoral, o eleitor que estiver fora do domicílio poderá procurar hoje os postos de justificativa. Os endereços desses postos podem ser encontrados nos sites dos TREs. Nos locais, é só preencher o requerimento e entregá-lo aos mesários. Quem não estiver em dia com a Justiça Eleitoral não pode, por exemplo, obter passaporte ou carteira de identidade, participar de concursos públicos e obter empréstimos em estabelecimentos mantidos pelo governo.

Dilma Rousseff vota em Porto Alegre

dilma com chimarrao no colegio (Foto: Reprodução/RBS TV)
A presidente e candidata à reeleição, Dilma Rousseff(PT) , votou por volta das 8h43 deste domingo (26) na Escola Estadual Santos Dumont, na Zona Sul de Porto Alegre. Acompanhada do governador do Rio Grande do Sul e também candidato à reeleição, Tarso Genro (PT), a presidente levou poucos segundos para registrar seus votos na urna. Dilma chegou sorridente à seção eleitoral, cumprimentou jornalistas, eleitores e mesários. A presidente também tirou fotos com admiradores. Antes de votar, ela tomou chimarrão de uma cuia que estava com um dos mesários.
A agenda de Dilma prevê retorno a Brasília ainda na manhã deste domingo (26). Ela ficará no Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência da República, até o final da apuração dos votos. Durante a manhã, antes de votar, Dilma tomou café da manhã com Tarso Genro e outros integrantes do partido no Hotel Plaza São Rafael. No local, concedeu uma rápida entrevista e disse que a campanha eleitoral foi “cheia de mudanças”. Ela também comentou o nível de acirramento do tom da disputa entre os candidatos e afirmou que houve momentos “lamentáveis”.

Segundo turno: 142,8 milhões de eleitores estão aptos a votar neste domingo

As urnas estão abertas para receber o voto dos 142,8 milhões de eleitores que estão aptos a votar nas Eleições 2014. Os brasileiros escolherão o novo presidente da República e, em 13 estados e no Distrito Federal, também escolherão o novo governador. A votação será encerrada às 17h, considerando o horário de cada localidade. Os eleitores que estão fora do Brasil poderão votar nas 135 cidades espalhadas por 89 países. Ao todo, 354.184 estão aptos a votar no exterior, sendo que a eleição fora do país só ocorre para o cargo de presidente da República.
Em 764 municípios os eleitores votarão em urnas biométricas, ou seja, serão identificados por meio da impressão digital antes de votar. Mais de 21 milhões de eleitores serão identificados por essa modalidade. Toda a votação será por meio da urna eletrônica, que são 530 mil em todo o país. Serão instaladas mais de 450 mil urnas e as demais servirão de reserva, para serem utilizados em caso de falha ou defeito.
Para votar, o eleitor deve apresentar um documento oficial com foto e o título de eleitor. Quem não levar o título, mas souber o seu local de votação poderá votar apenas com o documento de identificação. São considerados documentos oficiais a carteira de identidade, carteira de identidade funcional, carteira de trabalho ou de habilitação com foto, certificado de reservista e passaporte. As certidões de nascimento ou casamento não serão aceitas como prova de identidade.

PMDB é o partido com mais candidatos na disputa eleitoral deste domingo

O PMDB é o partido com mais candidatos na disputa, 8 ao total. Em segundo lugar está o PSDB com 6, seguido pelo PT e PSB, ambos com 4. Outros seis partidos (PDT, PP, PR, PRB, Pros e PSD) têm um candidato cada na disputa pelo governo estadual.
Dos 10 maiores colégios eleitorais, onde estão 76% dos eleitores, haverá disputa para governador em 4 deles: Rio de Janeiro (3º), Rio Grande do Sul (5º), Ceará (8º) e Pará (9º).

Na segunda-feira, o grito dos derrotados

tumblr_lqlbhj7H1t1r2o856o2_500Depois da voz das urnas, um de dois gritos de revanche ecoarão de Norte a Sul, chefiados pelo Lula, se Dilma perder, ou por Geraldo Alckmin, se Aécio não conseguir a vitória. Obviamente, sem a participação do derrotado.  Não se prevê um conflito específico  entre esquerda e direita, já que as ideologias às vezes se confundem, mas um muito mais simples embate entre duas concepções de poder. E de conquista das  benesses por ele oferecidas.
Na segunda-feira pela manhã começará a erosão de quem for derrotado. No caso de Dilma, a certeza da volta a Porto Alegre,  apesar de mineira, para curtir  no ostracismo a ausência dos companheiros que ainda hoje a bajulam.

Justiça Eleitoral já substituiu 56 urnas em todo o país

No início da votação deste domingo (26), 56 urnas precisaram ser substituídas em todo país. O Rio de Janeiro foi o estado que teve mais urnas substituídas, totalizando 16, de acordo com o primeiro balanço oficial divulgado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Ainda segundo o balanço, São Paulo teve dez equipamentos substituídos, Paraná teve nove, Santa Catarina seis, Roraima cinco, Goiás quatro, Distrito Federal dois. Minas Gerais, Maranhão, Sergipe e Bahia tiveram uma urna substituída, cada.
Para resolver problemas desse tipo estão à disposição dos presidentes de mesa 61.438 urnas de contingência em todo país. O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Dias Toffoli, vai conceder às 13h a primeira entrevista coletiva à imprensa para falar sobre o andamento das eleições neste segundo turno.

Michel Temer já votou na PUC-SP

O vice-presidente da República Michel Temer votou neste domingo (26/10) por volta 8h50 da manhã na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Após votar, Temer disse ter uma expectativa positiva sobre o resultado das eleições: “O percentual favorece a candidata Dilma Rousseff. Mas, evidentemente, vamos esperar o fim da tarde, o início da noite, para verificar o que acontece. Hoje não adianta mais ter expectativa, só esperança”, disse.