5 de novembro de 2014

Número de miseráveis no Brasil cresce


O número de indivíduos em situação de miséria no Brasil subiu pela primeira vez em dez anos. Em 2013, a população abaixo da linha de extrema pobreza aumentou 3,68%, a primeira alta desde 2003. Os dados foram divulgados pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O órgão não apresentou nenhum estudo, apenas atualizou as estatísticas na platatorma de dados Ipeadata no fim da semana passada, em 30 e 31 de outubro.

O total de pessoas que vivem na extrema pobreza passou de 10.081.225, em 2012, para 10.452.383 no ano passado. A proporção de extremamente pobres subiu de 5,29% para 5,50%, também a primeira alta desde 2003.

Para definir a extrema pobreza, o Ipea considera os critérios da Organização Mundial de Saúde (OMS) e da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO). Os dois organismos baseiam-se em uma estimativa do valor de uma cesta de alimentos com o mínimo de calorias necessárias para suprir adequadamente uma pessoa.

Com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o levantamento do Ipea define diferentes valores para a linha de extrema pobreza em 24 regiões do país. Cada área tem uma faixa mínima de renda abaixo da qual se caracteriza situação de miséria.

O Ipea, no entanto, também fez os cálculos conforme os parâmetros do Programa Brasil sem Miséria, que estabelece em R$ 77 per capita por mês a linha de extrema pobreza. Pelos critérios oficiais, o percentual da população em situação de miséria também subiu, de 3,6%, em 2012, para 4%, em 2013. Foi a primeira alta desde o início da série histórica, em 2004.

Apesar do aumento da população em extrema pobreza, a população em situação de pobreza (que enfrenta carências, mas não é classificada como miserável) continuou a cair no ano passado pelos critérios da FAO e da OMS. O total passou de 30.350.786 em 2012 para 28.698.598 em 2013, redução de 5,44%. Em termos percentuais, a fatia de pobres caiu de 15,93% para 15,09%.

O Ipea define a linha de pobreza como o dobro da linha de extrema pobreza. Pelos parâmetros do Programa Brasil Sem Miséria, no entanto, a proporção de pobres subiu no ano passado, de 8,9% para 9%.

Procurado pela Agência Brasil, o Ipea informou que não vai se manifestar sobre os dados. De acordo com o órgão, um pronunciamento depende da apresentação dos respectivos estudos sobre a renda das famílias brasileiras, que ainda não foram divulgados. Apenas os números foram lançados na plataforma de dados.

“Luz no fim do túnel”: proposta da Aneel pode aliviar alta nas contas de luz em 2015

m_duro_de_matarUma proposta apresentada nesta quarta-feira (5) pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que estabelece o rateio entre as distribuidoras do país da eletricidade gerada por hidrelétricas cujas concessões vencem a partir de 2015, deve contribuir para aliviar o aumento nas contas de luz no ano que vem.
O texto ainda vai passar por consulta pública e, depois, retorna à diretoria da agência para votação. O processo é semelhante ao feito em 2012, quando o governo renovou a concessão de usinas, sob a condição de que a energia produzida por elas ficasse até 70% mais barata, e promoveu um corte médio de 20% nas tarifas.

Comissão aprova proibição de validade para créditos de celular pré-pago

Homem_falando_no_telefone_celular_-_19-07-07[1]A Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática aprovou nesta quarta-feira (5) proposta que proíbe a imposição de prazo de validade aos créditos de celulares pré-pagos. De acordo com o texto, a operadora poderásuspender o serviço totalmente, inclusive com o bloqueio para o recebimento de chamadas, apenas 12 meses após a utilização do último crédito.

Aécio diz que brasileiros não toleram mais corrupção e ineficiência

aecio discurso
O senador Aécio Neves (PSDB-MG) iniciou há pouco seu primeiro pronunciamento em Plenário após a disputa das eleições presidenciais. Ele disse que houve uma disputa desigual, com uso do aparato estatal pelo governo, e voltou a se apresentar como uma alternativa na defesa de um estado mais moderno e eficaz.
Como já havia feito nesta terça, Aécio ressaltou que sua candidatura deixou de ser apenas “de um partido político”, para se tornar um movimento maior, que pode ser sentido mesmo depois das eleições nas ruas e nas redes sociais. Segundo ele, os brasileiros não toleram mais a corrupção e a ineficiência que caracterizam o atual governo.

Por falta de acordo, Câmara cancela votações da PEC dos Cartórios

Com a falta de acordo entre os partidos, o 1º vice-presidente da Câmara, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP), retirou de ofício a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 471/05, do deputado João Campos (PSDB-GO), que torna titulares os substitutos ou responsáveis por cartórios de notas ou de registro que assumiram esses serviços antes da Constituição de 1988.

Resolução do Contran torna obrigatório itens em transporte escolar

escolar 2Resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), publicada na edição de hoje (5) do Diário Oficial da União, torna obrigatório o uso de espelhos retrovisores, câmera-monitor ou outro dispositivo equivalente nos veículos destinados ao transporte escolar (categorias M1, M2 e M3). A medida tem o objetivo de oferecer ao motorista visão completa do entorno do veículo no momento de embarque e desembarque dos passageiros.
A partir de 1° de janeiro de 2016, todos os veículos destinados ao transporte escolar fabricados no país ou importados devem cumprir os requisitos da resolução. Os fabricados ou importados antes de 1° de janeiro de 2016 terão até 1° de janeiro de 2018 para adequação. A determinação está na Resolução n° 504, de 29 de outubro de 2014. De acordo com o texto, as modificações destinadas a atender esses requisitos não serão consideradas alterações de características.

CPI da Petrobras faz acordo para não chamar Lula e Aécio

G1 – Líderes da base do governo e da oposição que integram a CPI mista da Petrobras fizeram um amplo acordo nesta quarta-feira (5) para evitar a convocação ou o convite de políticos tanto do PT quando do PSDB. Em pauta, havia a convocação de nomes como os dos ex-ministros da Casa Civil Antonio Palocci e Gleisi Hoffmann, além de tucanos como os senadores Aécio Neves (PSDB-MG) e Álvaro Dias (PSDB-PR). Antes de abrir a reunião administrativa desta quarta-feira, os líderes partidários que compõem a CPI mista se reuniram a portas fechadas por cerca uma hora e meia para fechar o acordo. Dos 497 requerimentos que estavam pauta, eles decidiram aprovar apenas os que não enfrentariam resistência por parte de nenhum partido.
Os requerimentos polêmicos sequer foram colocados em votação, como os convites à presidente Dilma Rousseff e ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e as convocações dos ministros Guido Mantega (Fazenda) e Paulo Bernardo (Comunicações), dos senadores Aécio Neves (PSDB), Álvaro Dias (PSDB) e Gleisi Hoffmann (PT), dos tesoureiros do PSDB Rodrigo de Castro e José Gregori, do tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, do ex-diretor da Petrobras Renato Duque, e do diretor licenciado da Transpetro, Sergio Machado.
O relator, deputado Marco Maia (PT-RS), disse que os líderes decidiram evitar a convocação de políticos por causa do prazo “exíguo” da CPI mista. O colegiado foi instalado em maio e tem duração prevista até 23 de novembro, mas deverá ser prorrogada até 22 de dezembro. “Nós tivemos um acordo aceito por todos de que nós, em função do prazo exíguo, não trataríamos da convocação de ninguém da política, portanto se incluiu os tesoureiros dos partidos, os dirigentes partidários e os parlamentares”, afirmou Maia em entrevista à imprensa após a reunião.
Entre os requerimentos aprovados nesta quarta-feira, está a convocação de seis pessoas consideradas pelo relator Marco Maia “laranjas” de suposto esquema de lavagem de dinheiro comandado pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e pelo doleiro Alberto Youssef. Terão que prestar esclarecimentos à CPI mista Marcio Andrade Bonilho, sócio da Sanko Sider; o executivo João Procópio Junqueira; Marcelo Barboza Daniel, sócio do genro de Paulo Roberto Costa; Waldomiro de Oliveira, da MO Consultoria; Saul Sabbá, representante do Banco Máxima; Rafael Angelo Lopes, ex-funcionário da GFD Investimentos e Meire Bonfim Poza, ex-contadora de Alberto Youssef e que já prestou depoimento à CPI mista.
G1 CPI

Senado aprova mudanças na correção das dívidas dos estados

O plenário do Senado aprovou hoje (5) projeto de lei complementar alterando o indexador das dívidas dos estados e municípios, permitindo que eles paguem juros menores à União e tenham descontos sobre o atual saldo devedor. O texto teve longa tramitação, passou por numerosos impasses, mas foi aprovado conforme texto recebido da Câmara dos Deputados. O projeto seguirá para sanção da presidenta Dilma Rousseff.
A matéria estava parada desde abril, quando chegou a ser levada para votação em plenário. Como recebeu emendas, teve de ser submetida a nova análise das comissões de Constituição e Justiça e Assuntos Econômicos. As emendas receberam pareceres contrários do relator, senador Luiz Henrique (PMDB-SC), permitindo que o texto voltasse ao plenário.

Advogados de Adriano negam envolvimento do jogador com o tráfico de drogas

adriano lanceOs advogados do jogador de futebol Adriano negaram hoje (5) que o atleta tenha ligações com o tráfico de drogas, conforme denunciou ontem (4) à Justiça o Ministério Público (MP). Em nota distribuída à imprensa, Raphael Mattos e Ary Bergher frisaram que a denúncia do MP “não encontra respaldo legal e probatório no inquérito policial”. A nota explica que os fatos são referentes à compra, em 2008, de duas motos de alta cilindrada. Salienta que uma delas acabou com um traficante de drogas da Vila Cruzeiro, na zona norte do Rio, ao lado do Complexo do Alemão, comunidade onde Adriano cresceu.
De acordo com a denúncia, uma das motos teria sido colocada em nome da mãe do traficante e utilizada para o tráfico de drogas na região. “As motocicletas foram levadas para o interior do complexo de favelas da Vila Cruzeiro (…), servindo às atividades da organização criminosa, que eram voltadas para o tráfico de entorpecentes e crimes afins”. Para os advogados, o jogador não foi indiciado na investigação, “havendo claro excesso acusatório”. Segundo eles, o atleta “foi vítima, em razão da venda da moto que lhe pertencia, por terceira pessoa, sem sua autorização e consentimento e com uso de sua assinatura falsificada”.

PSDB não sai de cabeça de Dilma Rousseff

A campanha terminou, mas o PSDB não sai da cabeça da presidente reeleita, Dilma Rousseff. Alguma dúvida? Leia o que ela disse durante o evento com o PSD, na manhã de hoje (05): “Eu acho que o PSDB… Não, não, PSD”. Resultado: o riso tomou conta dos presentes. “Vocês podiam ter ficado sem essa. E eu também”, brincou Dilma.

Deputados federais eleitos por MT gastaram R$ 14,7 milhões

Adilson Sachetti (PSB), Fábio Garcia (PSB), NIlson Leitão (PSDB)
e Ezequiel Fonseca (PP) foram os que mais arrecadaram
O investimento total dos deputados federais eleitos por Mato Grosso atingiu o montante de R$ 14,7 milhões. A vaga na Câmara dos Deputados obtida com maior custo pertence ao ex-prefeito de Rondonópolis, Adilton Sachetti (PSB), que arrecadou R$ 3,8 milhões e gastou todo o montante.

Sachetti foi eleito com 112.722 votos e as quantias mais expressivas foram doadas pela família do senador Blairo Maggi (PR), seu padrinho político. O republicano doou diretamente R$ 250 mil e a agropecuária Maggi LTDA R$ 400 mil. O empresário Elizeu Maggi Scheffer doou R$ 150 mil e o empresário Eraí Maggi efetuou dois repasses que totalizaram R$ 50 mil.

Estreante na disputa eleitoral, o empresário Fábio Garcia (PSB), ex-secretário de governo da Prefeitura de Cuiabá, gastou R$ 3,8 milhões enquanto arrecadou 3,065 milhões, fechando assim as contas de campanha com déficit de R$ 773 mil. O maior doador de sua campanha foi o diretório estadual do PSB, presidido pelo seu padrinho político, prefeito de Cuiabá Mauro Mendes.

Conforme disponível no site do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), foi doado o montante de R$ 1,1 milhão. Por meio do PSB, ainda foram doados R$ 60 mil após o recebimento de cheques de terceiros como o empresário Gustavo Pinto Coelho Oliveira que doou R$ 15 mil. O próprio Fábio Garcia ainda doou do próprio bolso o total de R$ 671,900 mil o que representa uma das mais expressivas quantias a sua campanha eleitoral.

Eleito para o segundo mandato de deputado federal com 127.179 votos, o presidente do diretório estadual do PSDB, Nilson Leitão, arrecadou R$ 2,4 milhões para a campanha eleitoral, mesmo valor que conteve suas despesas, fechando assim o caixa financeiro com total equilíbrio. Por isso, cada voto custou-lhe aproximadamente R$ 52,99.

A maior doação financeira foi feita pelo diretório nacional do PSDB que repassou R$ 500 mil recebidos pela empresa Galvão Engenharia S/A, administradora da CAB Cuiabá. Houve ainda expressivas votações como a CRBS S/A que doou R$ 179 mil e do empresário Elizeu Maggi Scheffer que doou R$ 223 mil. 

Presidente do diretório estadual do PP, o deputado estadual Ezequiel Fonseca, que a partir do próximo ano vai exercer o primeiro mandato na Câmara dos Deputados, arrecadou R$ 2,5 milhões e gastou todo o montante, fechando as contas sem dívidas. A maior doação veio do diretório estadual do PP, o que correspondeu a R$ 400 mil.

O deputado federal Carlos Bezerra (PMDB) que vai exercer o terceiro mandato seguido, arrecadou R$ 1,621 milhão e gastou R$ 1,173 milhão, economizando R$ 448 mil. A maior doadora foi a empresa JBS Friboi que doou R$ 500 mil. O mesmo valor foi doado pela direção nacional do PMDB, com o restante sendo contemplado por pequenas doações de pessoas físicas.

O deputado federal Valtenir Pereira (PROS) arrecadou R$ 320.536,15 e gastou R$ 567.974,87, fechando as contas de campanha com saldo negativo em R$ 247 mil. O próprio candidato doou R$ 53,5 mil enquanto o diretório estadual do PROS, presidido pelo próprio parlamentar, fez sucessivas doações que ultrapassaram R$ 100 mil.


Veja quanto gastou cada deputado federal eleito por MT:


Adilton Sachetti (PSB) – R$ 3,860 milhões

Fábio Garcia (PSB) – R$ 3,838 milhões

Ezequiel Fonseca (PP) – R$ 2,5 milhões

Nilson Leitão (PSDB) – R$ 2,4 milhões

Carlos Bezerra (PMDB) – R$ 1,6 milhões

Ságuas Moraes (PT) – R$ 993 mil

Victório Galli (PSC) – R$ 814 mil

Valtenir Pereira (Pros) – R$ 320 mil

FONTE: Mídia News

Reação do corpo abre perspectiva para a cura da Aids

A aparente cura de dois homens portadores de HIV graças a um fenômeno natural abre perspectivas interessantes nas buscas pela cura da Aids, revelou nesta terça-feira (4) um estudo científico publicado na revista especializada “Clinical Microbiology and Infection”. Este fenômeno natural permite ao organismo infectado integrar o vírus no DNA, neutralizando-o.
Os dois pacientes em questão estavam infectados com o HIV sem nunca terem estado doentes, nem terem uma quantidade detectável de vírus no sangue, segundo a investigação. Nenhum deles foi submetido a tratamentos. “Esta observação é muito interessante e pode representar um caminho para a cura” da Aids, explicou Didier Raoult, professor da Faculdade de Medicina de Marselha (França), coautor da pesquisa com outra equipe francesa, liderada pelo professor Yves Levy.
A análise realizada graças a tecnologias modernas permitiu reconstituir o vírus encontrado no genoma dos pacientes. Os pesquisadores conseguiram provar que o vírus foi inativado por um sistema de interrupção da informação fornecida pelos genes do vírus. O sistema, denominado “codon-stop” marca o fim da tradução de um gene em proteína. O vírus torna-se incapaz de se multiplicar, mas permanece presente no DNA dos pacientes. Estas interrupções se devem a uma enzima conhecida, o Apobec, que faz parte do arsenal disponível nos seres humanos para combater o vírus, mas que normalmente é desativada por uma proteína do vírus.

Aumento no salário de deputados pode custar R$ 38 milhões

tumblr_li5vnpzC841qeirb0_thumb[3]A chamada “pauta-bomba” da Câmara e do Senado nesta semana — apelidada assim por elencar projetos de teor econômico que aumentam gastos ou reduzem arrecadação federal — inclui uma proposta equiparando os salários recebidos por deputados, senadores, presidente da República e vice-presidente aos de ministros do STF (Supremo Tribunal Federal).
O impacto do projeto na folha de pagamento será de R$ 38,165 milhões, se aprovado, conforme cálculo feito pela Consultoria de Orçamentos e Fiscalização Financeira da Câmara a pedido do Broadcast Político, serviço da Agência Estado de notícias em tempo real.

Primeira parcela do 13º salário deve ser paga até 30 de novembro

carteira dinheiroOs empregadores têm até o dia 30 de novembro para adiantar o pagamento de 50% do 13º salário, benefício que deve ser entregue aos empregados em duas partes iguais, sendo uma entre os meses de fevereiro e novembro e outra em dezembro.

Doleiro diz ter dado R$ 1 milhão a ex-ministra

O doleiro Alberto Youssef afirmou em sua delação premiada que deu R$ 1 milhão para a campanha de 2010 da ex-ministra da Casa Civil Gleisi Hoffmann (PT-PR), que foi eleita senadora naquele ano. Alvo central da Operação Lava Jato, o doleiro disse que o valor foi entregue a um empresário, dono de shopping em Curitiba (PR), em quatro parcelas.
A afirmação de Youssef confirma o que disse o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, também em delação premiada, de que em 2010 recebeu pedido “para ajudar a campanha” de Gleisi. Segundo ele, foi o marido da senadora, o atual ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, quem fez a solicitação. Youssef confirmou esse pedido e disse ter viabilizado a entrega do valor. A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) informou, via assessoria de imprensa, que “não conhece Alberto Youssef”. “Desconheço completamente os fatos”, informou Gleisi. “Todas as doações constam na prestação de contas aprovada pela Justiça Eleitoral.”

PMDB prorroga até 2015 mandatos dos diretórios estaduais e municipais

logo_PMDBA Executiva Nacional do PMDB decidiu prorrogar os mandatos dos diretórios nacional, estaduais e municipais do partido até o até o dia 31 de outubro de 2015. Ofício circular assinado pelo presidente nacional, Michel Temer, foi encaminhado às representações peemedebistas de todo o país, dando conta da decisão.

Em jantar com Temer, o PMDB mastigou Dilma

temer jantar
O colunista Josias de Souza , do UOL, destacou que o vice-presidente da República e presidente do PMDB, Michel Temer ofereceu na noite desta terça-feira (5) um jantar para congressistas, governadores, ministros e caciques regionais do seu partido. Além do repasto, os convidados mastigaram Dilma Rousseff no Palácio do Jaburu. Morderam também o PT. Entre a entrada e a sobremesa, previram um 2015 inóspito, com crise econômica e turbulência política.
Passaram pelo Jaburu mais de uma centena de políticos. Não houve discursos nem decisões. No jogo de aparências que caracteriza o exercício do poder, o evento fora concebido como uma confraternização que projetasse para fora a imagem de um partido relativamente coeso, pronto para prover a Dilma mais quatro anos de governabilidade. “O encontro se destina a nos confraternizarmos”, disse Temer ao saudar os comensais. “Por mais que tenhamos divergências localizadas, elas não acontecem em um encontro nacional.”

PMDB articula renovação anti-Planalto e PT estuda como equilibrar forças

Segundo o Correio Braziliense, as indefinições da reforma ministerial, as pressões do PT e dos partidos de esquerda para dar um tom mais progressista ao segundo mandato, e as movimentações do PMDB — e de outras legendas — para recriar o blocão anti-Planalto na Câmara levaram a presidente reeleita Dilma Rousseff (PT) a pedir ajuda ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Os dois se reuniram na noite de ontem, na Granja do Torto, para tentar amenizar as turbulências que se avolumam diante do palácio.
A presidente recebeu, na manhã de ontem, o governador do Ceará, Cid Gomes (Pros) — cotado para ser o próximo ministro da Educação, embora mantenha o desejo de se tornar consultor do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) — e o governador eleito do estado, Camilo Santana (PT). Ele articula a criação de uma frente alinhada com os partidos mais voltados à esquerda na expectativa de atenuar a pressão que o governo vem sofrendo, especialmente do PMDB da Câmara. Após encontro com Dilma, Cid disse que é fundamental que a petista possa ter, além do PT, dois partidos ou frentes fortes que possam ajudá-la na governabilidade. “Penso que esse movimento, de ter uma frente ou um partido de centro para além do PMDB e um partido ou frente à esquerda, ajuda na governabilidade e reduz o espaço da pressão que muitas vezes beira até a chantagem”, explicou.
A sugestão do governador é seguir a ideia do presidente PSD, Gilberto Kassab, que tem conduzido a criação do Partido Liberal, composto de um grupo mais alinhado com a direita para integrar a base do governo. No caso de Cid, a proposta inclui atrair governadores de partidos como PDT, PCdoB e insatisfeitos de legendas como PSB e até PSol. “A criação de uma frente na Câmara tem que ser discutida para que a gente aprimore e veja a melhor estratégia. O melhor, para mim, seria, inicialmente, compor a frente e que ela possa evoluir, na sequência, a um partido novo, que resulte da fusão de algumas legendas”, disse o governador do Ceará. Para ter peso político, o ideal, segundo o governador, é que a frente tenha pelo menos 10% dos deputados da Câmara e conte com atuação no Senado.

Governo federal perdeu R$ 105 bilhões com crise do setor elétrico

torreenergiaO governo federal perdeu 105 bilhões de reais com a crise do setor elétrico, desde a publicação da Medida Provisória 579 em setembro de 2012 que determinava a redução das tarifas e a renovação das concessões de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica. O valor equivale a um ano de receitas das distribuidoras de energia.
Os cálculos foram realizados pelo especialista do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), Adriano Pires, e pelo especialista da Consultoria PSR, Mário Veiga. “O racionamento em 2001 causou um rombo de 25 bilhões de reais. Essa crise, sem racionamento, já custou o quádruplo”, disse Pires à Veja

Agora no regime aberto, Dirceu espera ‘voltar a dormir bem’ e fala em se casar

dirceu estadaoAgora que progrediu do regime semiaberto para o regime aberto, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, condenado no julgamento do mensalão, tem dito que não vê a hora de voltar a ter um sono normal. “Quero voltar a dormir bem”, disse o petista a um amigo nesta semana, conforme apurou o iG. Ontem, Dirceu foi liberado pela Vara de Execuções Penais (VEP) de Brasília para cumprir o regime de prisão domiciliar após determinação do Supremo Tribunal Federal (STF). Até então, ele dormia no Centro de Progressão Penitenciária de Brasília, mas passava o dia trabalhando no escritório de advocacia do criminalista José Gerardo Grossi.
Ao falar aos amigos sobre a expectativa quanto à prisão domiciliar, Dirceu comentou que as instalações do Centro de Progressão Penitenciária, onde dormem os presos que têm trabalho em Brasília, eram piores que a penitenciária da Papuda, onde ficam os detentos do regime fechado. A partir de agora, ele passará a dormir em casa e não mais na prisão. Assim, ele é obrigado a ficar em casa, das 21h às 5h. O restante do dia ele pode manter qualquer outra atividade funcional. Inclusive empresariais, de consultoria e afins.
Segundo pessoas próximas, Dirceu planeja dormir na residência da atual namorada, a funcionária do Senado Simone Pereira, com quem tem uma filha. Ele fala ainda em oficializar a união com a funcionária pública nas próximas semanas. Ainda segundo interlocutores, Dirceu quer manter a discrição dessa nova fase da vida e tentar, ao máximo, “curtir” a filha caçula Maria Antônia.

Reforma ministerial: Marta Suplicy e Garibaldi Alves fora dos planos de Dilma

A presidente reeleita Dilma Rousseff anunciará uma reforma ministerial entres os dias 15 e 16 deste mês.
Pelo menos dois nomes deverão deixar o governo: A ministra da Cultura, Marta Suplicy, que já se antecipou ao fato e o ministro da Previdência Garibaldi Alves Filho que deverá retornar ao senado.

Justiça condena diretor dos Correios do Mato Grosso

O Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE) condenou o diretor regional da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos de Mato Grosso, Nilton do Nascimento, por abuso de poder político e uso indevido de meio de comunicação durante a campanha eleitoral deste ano.

A decisão foi proferida pelo juiz Alberto Pampado e publicada no Diário de Justiça Eletrônico do Tribunal Regional Eleitoral do Estado que circula na última terça-feira (4). Nilton terá que desembolsar R$ 5 mil para pagar a multa imposta como punição pelo magistrado.

A decisão é reflexo de uma denúncia oferecida pelo Ministério Público Eleitoral (MPE).

Lula quer nova direção no PT e retomada com PSB

lula voltaCom o intuito de fortalecer o PT no segundo mandato de Dilma Rousseff, o ex-presidente Lula tem defendido que a legenda ganhe musculatura na atuação partidária e em novas lideranças. Sugere a entrada de Gilberto Carvalho e Marco Aurélio Garcia na direção, segundo a colunista Mônica Bergamo.
Quanto aos aliados, quer retomar guinada mais à esquerda e se reaproximar do PSB, que apoiou o tucano Aécio Neves nas eleições. Um dia após a eleição, Dilma conversou com lideranças pessebistas como Rodrigo Rollemberg, governador eleito do DF.

“Comeram o figo de Dilma” no jantar de ontem do PMDB

bife de figadoDurante o jantar que o vice-presidente da República, Michel Temer, ofereceu ontem à noite aos caciques do PMDB eles “comeram o figo de Dilma” como se diz no ditado popular.
Apesar de não ter havido nenhum discurso, nas rodinhas que se formaram as palavras de ordem eram as de: olho no olho e dente por dente. Não haverá trégua.
O PMDB demonstrou uma profunda mágoa com o PT. Resultado das eleições estaduais deste ano.
Dilma foi triturada.

PMDB articula renovação anti-Planalto e PT estuda como equilibrar forças

melhores-gifs-1As indefinições da reforma ministerial, as pressões do PT e dos partidos de esquerda para dar um tom mais progressista ao segundo mandato, e as movimentações do PMDB — e de outras legendas — para recriar o blocão anti-Planalto na Câmara levaram a presidente reeleita Dilma Rousseff (PT) a pedir ajuda ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Os dois se reuniram na noite de ontem, na Granja do Torto, para tentar amenizar as turbulências que se avolumam diante do palácio.

O governador eleito Pedro Taques foi o que mais arrecadou no período eleitoral, mas, assim como adversários, encerrou a disputa no vermelho

O senador Pedro Taques (PDT) arrecadou R$ 27,1 milhões em sua campanha para o comando do Palácio Paiaguás. O valor é 27% maior que o arrecadado por Silval Barbosa (PMDB) em 2010, quando venceu o pleito com arrecadação de R$ 21,2 milhões. 

A Cervejaria Petrópolis foi uma das maiores doadoras da campanha do pedetista. Somente no último mês de campanha, a empresa – que tem fábrica em Rondonópolis - repassou R$ 3 milhões em duas transferências. 


A família Maggi Scheffer foi responsável por boa parte das doações recebidas pelo senador em sua campanha vitoriosa ao governo do Estado. Lideradas por Eraí, as doações em pessoa física ultrapassaram R$ 3,4 milhões. 

Apesar da arrecadação recorde na campanha ao governo, as contas ainda não foram fechadas. Isso porque o comitê financeiro do pedetista declarou que foram gastos de pouco mais de R$ 29,5 milhões. 

Entre os gastos da campanha de Taques, R$ 1,8 milhão foi para a empresa T.R. Produção e outros R$ 1,7 milhão para a Antecipar. Também foram feitos outros 11.144 pagamentos relativos a despesas com pessoal. 

O ex-vereador de Cuiabá Lúdio Cabral (PT) terminou sua campanha ao governo do Estado com débito superior a R$ 2,6 milhões. Enquanto o petista gastou R$ 6.983,536, sua arrecadação ficou em R$ 4.335.812,03. 

Quem mais contribui para a campanha de Lúdio foi o candidato o senador eleito Wellington Fagundes (PR), que repassou quase R$ 1,1 milhão à campanha do petista. A presidente Dilma Rousseff (PT) foi a segunda maior doadora para a campanha de Lúdio. As transações da coligação de Dilma para o comitê financeiro da campanha de Lúdio contabilizaram mais de R$ 1,093 milhão. 

A candidata Janete Riva (PSD), que ficou na terceira colocação no pleito, teve arrecadação de R$ 2,4 milhões. E, assim como os dois principais candidatos, também deixou o pleito com débitos. A social-democrata gastou R$ 3,8 milhões, ou seja, R$ 1,4 milhão a mais que o valor arrecadado. 

A principal doadora foi a empresa A a Z Locadora de Veículos, que repassou R$ 820 mil para a campanha de Janete. Os gastos da social-democrata foram concentrados em empresas de táxi aéreo e contratação de pessoal para militância de rua. 

Assim como ocorreu durante a campanha eleitoral, o candidato derrotado ao governo José Roberto (Psol) foi o primeiro, entre os seis concorrentes ao Palácio Paiaguás, que apresentou sua prestação de contas final junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE). 

O advogado afirma ter gastado R$ 97,7 mil durante os três meses de campanha. A arrecadação também está fixada no mesmo valor. O Diretório Regional do Psol foi o maior doador de sua campanha, contribuindo com mais de R$ 30 mil. Diário de Cuiabá

Após a merda que fez, Diogo Mainardi pede desculpas a Hulk e ao Nordeste

Depois de dar declarações polêmicas sobre o povo nordestino durante as eleições presidenciais, quando chamou a região de “bovina” e utilizar termos como “subalterno” e pouco educado”, o jornalista Diogo Mainardi, da Globo News, se desculpou. No programa Manhattan Connection de domingo (2), ele pediu perdão por ter ofendido o Nordeste e citou o nome do atacante Hulk, que o criticou através das redes sociais.
“Não tem troco. Peço desculpas ao Hulk e a todos que se sentiram ofendidos. Não era minha intenção ofender ninguém. Minha intenção era ofender a mixórdia petista que usou e abusou dos programas sociais do governo para rebanhar votos nas regiões mais pobres do País, em especial o Norte e o Nordeste”, afirmou Mainardi, que perdeu a linha após a reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT).
“Essa eleição é a prova de que o Brasil ficou no passado. Não é Bolsa Família, não é marquetagem. O Nordeste sempre foi retrógrado, sempre foi governista, sempre foi bovino, sempre foi subalterno durante a ditadura militar, depois com o reinado do PFL e agora com o PT. É uma região atrasada, pouco educada, pouco construída, que tem uma grande dificuldade para se modernizar na linguagem. A imprensa livre só existe da metade do Brasil para baixo. Tudo que representa a modernidade tá do outro lado”, falou Mainardi.
“Sei que o termo bovino ofendeu muita gente, peço mais uma vez desculpas, mas gostaria de esclarecer que ha décadas e décadas nós usamos os termos curral eleitoral e voto de cabresto para designar compra de votos. Imaginar um nordestino num curral ou um nordestino com um cabresto não é diferente de bovino. Não pretendi em momento algum culpar a vítima da manipulação e sim quem a pratica. Só isso”, completou Mainardi.
Confira o vídeo abaixo:

A falência econômica de uma nação.


A origem de um Estado, até um analfabeto sabe.
Existe um território ocupado por um povo, que decide legitimar - se como uma entidade. Por isso, para criar um Estado, a população estabelece leis, que julga definirão o convívio de seus cidadãos.

Para tanto, uma consequência é a adoção de poderes, em geral três, o Executivo, o Legislativo e o Judiciário, que, equilibradamente, irão conduzir os destinos do Estado.
Evidentemente, surgem os ônus financeiros, para a manutenção dos recursos humanos necessários à rotina burocrática  e  também para as obras e uma série de medidas que deverão ser adotadas em prol do bem - comum.

Assim, escolas, hospitais, estradas, postos fronteiriços, segurança interna, segurança externa, prisões e uma infindável relação de atividades, algumas de altos custos, necessárias ao estabelecimento e à preservação do que for construído.

É oportuno lembrar que a população cresce e as necessidades, inclusive as materiais, que devem acompanhar a demanda, e serem melhoradas em decorrência de seu desgaste e das evoluções da tecnologia, da engenharia, da medicina e, assim por diante.
Ou seja, um Estado custa caro, ainda que os seus gastos sejam bem administrados e sem roubalheiras.

Daí a contribuição de cada um através de impostos, que serão destinados à gestão da coisa pública e aos salários de seus funcionários.

Até aqui, elementar, meu caro Watson.

Hoje no Brasil, além dos custos com o Estado em si, incluindo um batalhão de apadrinhados políticos e das obras necessárias aos seus cidadãos, existe a sobrecarga da esmola em prol do voto; ou seja, cabe a cada brasileiro, um óbice extra para a manutenção de bolsas e inúmeros benefícios para denominadas categorias (cor de pele, distorções sexuais, indígenas, quilombolas e um elenco de outras), que fornecem ao desgoverno, o ferramental para promover as dicotomias.

Sem contar o perdão de dívidas de países “cumpanheiros” e os empréstimos ou esmolas do BNDES para outras nações impregnadas do socialismo festeiro, conforme determinação do Foro de São Paulo, que já destacamos como o maior poder no atual desgoverno nacional.
Para quem não sabe, o segundo Poder é o Executivo e o terceiro é o PT.

Na prática, podemos concluir que se os gastos com outros destinos, que não os destinadas ao usufruto da população, forem excessivos, faltarão os recursos destinados às necessidades nacionais, objetivo primeiro da criação do Estado.

Consta que o BNDES, cujos recursos são extraídos do Tesouro Nacional, que por sua vez vive dos impostos que a população paga, financia 20 obras para outros países “amigos”, envolvendo somas monumentais.

Sendo que entre 2004 e 2014 existem empréstimos financeiros concedidos a diversos países “cumpanheiros”, cujos valores astronômicos não são informados aos contribuintes.

Hoje, nitidamente, pelo abandono das obras destinadas ao desenvolvimento e a implantação do que seria o bem - comum, entendemos que faltam os recursos para a sua execução.

Assistimos à derrocada da administração pública e, explicitamente, a má gestão dos recursos decorre por vários motivos: a dimensão da estrutura pública, tanto pelo número de ministérios, secretarias e autarquias existentes, como o efetivo espantoso de funcionários, entre os quais, os milhares cargos de confiança e similares.

Cumpre assinalar que na área empregatícia, sendo admitidos os cupinchas e amigos ou parentes nos cargos públicos, em geral indivíduos incompetentes que ocupam lugares onde deveriam ser exigidos padrões de conhecimento e experiência, mas numa demonstração de que a Nação pode ser espoliada, claramente, o principio da meritocracia é jogado no lixo.
Ao sublinhar a nossa bancarrota econômica, não esqueçamos a hecatombe moral, e destacar que pelo andar da carruagem, além da falta de cidadania, faltará bolo para todos.

Doravante, o desgoverno usará de todos os subterfúgios para arrecadar o máximo da população. Uma delas é através das multas de trânsito, que a maioria da população desconhece que o grandioso recolhimento não vai para minimizar os acidentes nas ruas e estradas, mas que é utilizado para cobrir os gastos desenfreados da sua incompetente gestão.

Hoje o valor das multas foi aumentado astronomicamente e soa no ouvido dos idiotas como uma medida “politicamente correta”, devido à preocupação que este desgoverno tem para com o bem estar do populacho.

Para quem não sabe a nossa energia é a mais cara do mundo e o nosso combustível, também; e para piorar, brevíssimo, a gasolina e o diesel sofrerão mais um aumento. Ou seja, o que já era ruim, ficará bem pior.

Portanto, é de chorar de alegria, saber que nos próximos 04 anos não mudará nem a M..., nem as moscas.

E viva a manipulação da democracia, que permite que mergulhemos de cabeça no comunismo.
Brasília, DF, 04 de novembro de 2014


Gen. Bda Rfm Valmir Fonseca Azevedo Pereira

Controle dia mídia


Dilma quer “regular” os meios de #Comunicação. Ela só não fala como e nem dá garantias de que manterá a#LiberdadeDeExpressão!

Para se ter uma ideia, ela quer que o petista Ricardo Berzoini toque o projeto. Vale lembrar que em seu Twitter, Berzoini tem feito ataques à TV Globo, dando mostras de que a liberdade de expressão, pra ele, só vale quando a emissora não mostra as sujeiras do PT.