14 de novembro de 2014

STF já tem 70 nomes em análise de políticos citados na Lava Jato

Está muito próximo o dia em que a Operação Lava Jato, que investiga corrupção na Petrobras, chegará de uma vez ao mundo da política. O ministro Teori Zavascki, relator do caso no Supremo Tribunal Federal, analisa o que fazer com os nomes de 70 pessoas citadas nas investigações e delações premiadas. Esses 70 nomes são de pessoas com foro privilegiado – que só podem ser julgadas pelo STF, ou seja, políticos com mandato no Congresso Nacional, por exemplo.
Quem contou ao blogue do Fernando Rodrigues, sobre o volume de nomes de políticos em análise no STF foi o presidente nacional de um dos maiores partidos brasileiros. Ele teve acesso à informação, mas não aos nomes exatamente que estão nas mãos do ministro Teori Zavascki. As agremiações mais atingidas, de longe, são PMDB, PP e PT.

Presos na Operação Lava Jato estão a caminho de Curitiba

Os 18 presos na sétima fase da Operação Lava Jato, deflagrada na manhã de hoje (14) pela Polícia Federal (PF), estão a caminho de Curitiba. A condução das investigações está sendo feita pela superintendência do Paraná. O avião Embraer 147 da PF saiu de Brasília à tarde, passou por São Paulo, e agora à noite chega ao Rio de Janeiro, de onde seguirá para Curitiba.
De acordo com a PF, o objetivo da operação é “desarticular organizações criminosas que tinham como finalidade a lavagem de dinheiro em diversos estados da Federação”. Pelo balanço divulgado no início da noite, foram cumpridos 49 mandados de busca e apreensão, sendo 29 em São Paulo, 11 no Rio de Janeiro e os demais no Recife, em Jundiaí (SP), Santos (SP), Curitiba, Belo Horizonte e no Distrito Federal.
Foram também expedidos nove mandados de condução coercitiva, seis deles cumpridos em São Paulo, no Recife, Rio de Janeiro e em Belo Horizonte. Todos foram encaminhados à delegacia, ouvidos e liberados em seguida. São Paulo teve ainda quatro mandados de prisão preventiva cumpridos e seis de prisão temporária. Também foram presos temporariamente uma pessoa em Osasco (SP), uma em Santos (SP), quatro no Rio de Janeiro e uma em Salvador, cujo mandado estava previsto para ser cumprido em São Paulo. Agora à noite, mais uma pessoa se apresentou no Rio de Janeiro.

PF tem ordem de prisão de 20 dirigentes das maiores empreiteiras do país


Entre os suspeitos de participação no esquema criminoso de superfaturamento de contratos da Petrobras, para pagamento de propina a parlamentares e partidos políticos, que tiveram a prisão preventiva ou temporária expedida hoje (14) na sétima fase a Operação Lava Jato, da Polícia Federal (PF), 20 são das maiores empreiteiras no país e dois subordinados ao doleiro Alberto Yousseff, preso desde março.
Até o momento, foram presas 18 pessoas, entre elas, o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque. Foram cumpridos seis mandatos de condução coercitiva e os investigados não localizados tiveram os nomes incluídos no sistema de procurados da PF.
Os agentes apreenderam registros e livros contábeis, recibos, agendas, ordens de pagamento e documentos relacionamentos à manutenção e movimentação de contas no Brasil e no exterior. Foram apreendidos também HDs, laptops, pen drives, smartphones; agendas manuscritas e eletrônicas dos investigados.
Estão sob guarda a polícia arquivos eletrônicos com a contabilidade em meio digital das empreiteiras e documentos relacionados com a contratação das empresas de fachada investigadas, especialmente MO Consultoria, GDF Investimentos, RCI Software, Empreiteira Rigidez.
Veja a lista de pessoas contra as quais há mandados de prisão:
Prisão preventiva
– Eduardo Hermelino Leite, diretor vice-presidente da Camargo Corrêa S.A.;
– José Ricardo Nogueira Breghiroll, funcionário da Construtora OAS;
– Agenor Franklin Magalhães Medeiros, diretor-presidente da Área Internacional da Construtora OAS S.A;
– Sérgio Cunha Mendes, diretor vice-presidente executivo da Mendes Júnior Trading Engenharia S/A;
– Gerson de Mello Almada, vice-presidente da Engevix Engenharia S.A.;
– Erton Medeiros Fonseca; diretor-presidente da Divisão de Engenharia Industrial da Galvão Engenharia S.A..
Mandado de prisão temporária (5 dias)
– João Ricardo Auler, presidente do Conselho de Administração da Construções e Comércio Camargo Corrêa S.A.;
– Mateus Coutinho de Sá Oliveira, funcionário da OAS;
– Alexandre Portel Barbosa, advogado da OAS;
– Ednaldo Alves da Silva, funcionário da UTC Participações S.A;
– Carlos Eduardo Strauch Albero, diretor técnico da Engevix Engenharia S.A.;
– Newton Prado Júnior, diretor técnico da Engevix Engenharia S.A.;
– Dalton dos Santos Avancini, diretor-presidente da Camargo Corrêa Construções e Participações S.A.;
– Otto Garrido Sparenberg, diretor de Operações da IESA Óleo & Gás S.A.;
– Valdir Lima Carreiro, diretor-presidente da IESA Óleo & Gás S.A.;
– Jayme Alves de Oliveira Filho, ligado a Alberto Youssef;
– Adarico Negromonte Filho, ligado a Alberto Youssef;
– José Aldemário Pinheiro Filho, presidente da OAS;
– Ricardo Ribeiro Pessoa, UTC Participações S.A.;
– Walmir Pinheiro Santana, UTC Participações S.A.;
– Carlos Alberto da Costa Silva, ligado a empreiteiras
– Othon Zanoide de Moraes Filho, diretor-geral de Desenvolvimento Comercial da Vital Engenharia, Grupo Queiroz Galvão;
– Ildefonso Colares Filho, diretor-presidente da Construtora Queiroz Galvão S.A;
– Renato de Souza Duque, ex-diretor da Petrobras;
– Fernando Antônio Falcão Soares, citado nas investigações como agente do PMDB no esquema criminoso.

Taques anuncia nomes para Administração e Planejamento

 DOUGLAS TRIELLI E ISA SOUSA
úlio Modesto e Marco Aurélio Marrafom foram
oficializados secretários de Taques

 O governador eleito Pedro Taques (PDT) anunciou oficialmente, nesta sexta-feira (14), dois nomes que farão parte do primeiro escalão de sua administração, a partir de janeiro de 2015.

O administrador e economista Júlio Modesto será secretário de Administração. O advogado Marco Aurélio Marrafom será secretário de Planejamento.

Outros nomes citados nesta semana, conforme Taques, são apenas especulação.
"Serão feitos cortes, mas nenhum que atrapalhe a continuidade da secretaria. Tudo será analisado"
Modesto atuou durante a campanha deste ano como coordenador financeiro.

Polícia Federal que investiga fraudes no Enem no CE, PB e PI

A Polícia Federal deflagrou hoje (14) a Operação Apollo, que investiga uma quadrilha acusada de fraudar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), além de diversos vestibulares e o ingresso em universidades públicas pelo sistema de cotas. Ao todo, foram cumpridos quatro mandados de prisão temporária e nove mandados de busca e apreensão no Ceará, na Paraíba e no Piauí. Segundo a corporação, a investigação começou há 13 meses e, além das prisões ocorridas hoje, foram presos em flagrante dois candidatos do Enem 2014, no sábado (06), na cidade de Juazeiro do Norte (CE). “As investigações seguem agora para identificar todos os possíveis beneficiários do esquema criminoso, responsável por fraudes ao Enem 2013 e 2014”, informou a PF.
De acordo com a PF, o esquema tinha como centro de atuação a região do Cariri, no sul do estado do Ceará, mas as ações da quadrilha se estendiam também pela Paraíba. Os fraudadores direcionavam a atuação a candidatos interessados em ingressar no curso de medicina de universidades públicas. A corporação destacou que o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira (Inep), órgão responsável pelas provas do Enem, tem colaborado com as investigações desde o ano passado, “fornecendo as informações necessárias à identificação dos investigados e à elucidação da fraude”.

Polícia Federal prende diretores da Odebrecht e Mendes Júnior

brasao policia federalA Polícia Federal prendeu nesta sexta-feira em Brasília o vice-presidente da construtora Mendes Júnior, Sérgio Cunha Mendes, e fez buscas na sede da empreiteira. Policiais também vasculharam endereços da Odebrecht e de três de seus executivos. Trata-se de Márcio Faria da Silva, Rogério Campos de Araújo e Saulo Vinicius Rocha Silveira.
As ações fazem parte da sétima fase da Operação Lava Jato, deflagrada hoje. Executivos das duas empresas são suspeitos de pagar propina a dirigentes da Petrobras em troca de contratos superfaturados em obras da estatal. Parte dos recursos do esquema era direcionada a partidos da base aliada do governo, entre eles o PT e o PMDB, segundo o inquérito. O Estado revelou hoje que a PF também prendeu um diretor da Iesa Óleo e Gás e fez busca e apreensão na sede da Camargo Correia, em São Paulo.

PSDB já colhe assinaturas para uma nova CPI da Petrobras, diz Aécio

aecio discurso
O senador Aécio Neves (PSDB-MG), candidato derrotado à Presidência da República, disse a jornalistas em São Paulo nesta sexta-feira que seu partido orientou a bancada no Congresso para começar a coletar assinaturas para uma segunda CPI da Petrobras na próxima legislatura. Segundo Aécio, falta vontade ao governo federal em avançar na apuração das denúncias sobre a estatal. Ele disse ainda que se “solidariza” com os funcionários da empresa, cuja história está “manchada” pela corrupção.
Aécio evitou comentar a prisão do ex-diretor Renato Duque, feita pela Polícia federal nesta manhã. Disse que é preciso aguardar as investigações, mas que “as coisas estão chegando muito próximo a altos dirigentes do governo. Aécio participou de evento com militantes e outros líderes tucanos em São Paulo para agradecer a votação do partido no Estado. Estavam com ele o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o senador e vice na sua chapa, Aloysio Nunes (SP), o coordenador da campanha Alberto Goldman, o governador paulista reeleito Geraldo Alckmin e o presidente estadual do PSDB, Duarte Nogueira, entre outros.

Vídeo: proposta defende eleição para suplentes de senador

O senador Antônio Aureliano (PSDB-MG) voltou a defender nesta sexta-feira (14) eleição direta para escolha dos suplentes de senador, conforme determina a PEC 39, de sua autoria. O senador disse que sua proposta é uma contribuição à reforma política que está na agenda de discussão nacional.

Câmara pode facilitar criação de municípios

O deputado Danilo Forte (PMDB-CE), vice-líder do PMDB e ex-relator da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), afirmou que há um acordo na base governista para derrubar o veto da presidente Dilma Rousseff ao Projeto de Lei Complementar 416/08, que regulamenta a criação de municípios. O texto havia sido aprovado pela Câmara dos Deputados em junho de 2013. “Há um acordo entre nós da base, que vivemos no mundo real, para derrubar esse veto”, disse o deputado. Esse é o primeiro item da sessão do Congresso Nacional marcada para esta noite, para votar vetos presidenciais.
Na justificativa do veto, o Ministério da Fazenda ponderou que a medida permitiria “a expansão expressiva do número de municípios no País, resultando em aumento de despesas com a manutenção de sua estrutura administrativa e representativa”. O ministério argumentou, ainda, que o crescimento de despesas não seria acompanhado por receitas que permitissem a cobertura dos novos gastos.

PF cumpre 85 mandados judiciais na sétima fase da Operação Lava Jato

A Polícia Federal cumpre neste momento 85 mandados judiciais, sendo 21 de prisão temporária, nove de condução coercitiva e 49 de busca e apreensão na sétima fase da Operação Lava Jato. A ação decorre da análise de material aprendido e de depoimentos colhidos em fases anteriores.
As ordens estão sendo cumpridas nos estados do Paraná, de São Paulo, do Rio de Janeiro, de Minas Gerais, de Pernambuco e no Distrito Federal. Foi decretado o bloqueio de aproximadamente R$ 720 milhões em bens pertencentes a 36 investigados. Segundo a PF, entre os mandados de busca e apreensão, 11 estão sendo cumpridos em grandes empresas.
À Justiça, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa disse que as empresas Odebrecht, Camargo Corrêa, Andrade Gutierrez, Iesa, Engevix, Mendes Júnior, UTC Engenharia, Queiroz Galvão e Galvão Engenharia participavam do esquema de superfaturamento de contratos firmados com a Petrobras e repasse de propina aos partidos.

Vergonha! Senador do PMDB é indicado para o TCU por abafar CPMI da Petrobras.

Vital do Rego protegendo Renan Calheiros na CPMI da Petrobras. Premiado com indicação ao TCU.

O presidente da CPI da Petrobras, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), já tem garantido seu prêmio pela atuação na comissão, questionada por parlamentares da oposição. Ele será o indicado pelo PMDB do Senado para ser ministro do Tribunal de Contas da União, na vaga de José Jorge, que se aposenta ainda este mês.

Integrantes da cúpula peemedebista contam que Vital, desde que chegou ao Senado, foi um fiel cumpridor das missões que os caciques do PMDB lhe delegaram. Exemplo disso foi a cena desta terça-feira, em que Vital encerrou de supetão a sessão da CPI para evitar a convocação do presidente licenciado da Petrobras, Sérgio Machado, indicado pelo senador Renan Calheiros (PMDB-AL). - Renan estava muito tenso com a possibilidade do Sérgio Machado ser convocado e Vital foi lá e cumpriu sua missão de impedir essa convocação - conta um peemedebista que faz parte do comando do partido. 

A experiência de Vital do Rêgo na disputa pelo governo da Paraíba este ano foi considerada um "desastre", com apenas 4% das intenções de voto. Isso, na opinião de caciques do PMDB, traz poucas perspectivas para Vital em 2018. Além disso, destacam, o irmão do senador, o ex-prefeito de Campina Grande Veneziano Vital do Rêgo, teria maior liderança política do que o irmão mais velho. 

A indicação para o TCU viria a calhar por esses motivos, pois Vital deixaria o caminho livre para o irmão assumir protagonismo na Paraíba e deixaria ao senador a garantia de um cargo vitalício, diante das suas pequenas chances de se eleger em 2018 para um novo cargo.

Vital vinha sendo elogiado pela oposição até poucas semanas atrás por demonstrar isenção no comando da delicada investigação. A relação começou a piorar, porém, quando na semana do segundo turno das eleições ele não permitiu a votação de requerimentos de convocação como o do tesoureiro do PT, João Vaccari Neto. Desde então, o senador do PMDB abandonou a independência e assumiu a postura de operador do governo. 

Na sessão desta tarde encerrou a parte deliberativa por falta de quórum e, quando o número necessário foi atingido, encerrou a própria reunião, em jogo combinado com o líder do PT, Humberto Costa (PE), que o alertou sobre o início de votações no plenário do Senado. Para virar ministro do TCU, Vital precisará ter seu nome aprovado pelo Senado com 41 votos favoráveis e ter a indicação referendada por 257 dos 513 deputados. (O Globo)