17 de dezembro de 2014

PSDB quer cassar Dilma hoje, antes da diplomação amanhã

20141217040855_cv_VANAAECIIIIIMAGEM_NOTICIA_5_gdeO PSDB decidiu apresentar hoje ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral para pedir a cassação do próximo mandato de Dilma Rousseff por abuso de poder político na campanha.
Um dos exemplos citados para justificar a representação será a suspeita de que os Correios favoreceram a entrega de material gráfico da candidatura petista. A ação precisa ser apresentada antes da diplomação da petista, que está marcada para amanhã. A informação é de Vera Magalhães, na sua coluna de hoje na Folha de S.Paulo.

Forças Armadas: troca de comando agita a caserna

20141216104246_cv_MILICOSimagesCA0U0A2E_gdeUma disputa interna agita a caserna de olho na escolha dos novos comandantes das Forças Armadas, segundo apurou a repórter Tahiane Stochero, do G1. Os atuais chefes do Exército, da Aeronáutica e da Marinha ocupam os cargos desde o segundo mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e foram mantidos pela presidente Dilma Rousseff em seu primeiro mandato.
A expectativa no meio militar é que Dilma renove os comandos das três forças, estagnados desde o início de 2007.
Na Força Aérea Brasileira, os três nomes no topo da lista são os dos brigadeiros Nivaldo Rossato – que está no Estado-Maior; Francisco Joseli Parente – há anos comandando o avião presidencial; e Hélio Paes de Barros Júnior – responsável pela área logística. Os três oficiais são os mais antigos da FAB, requisito principal para ocupar o comando.

Governo Dilma é aprovado por 40% dos eleitores, diz Ibope

20141008053342_cv_Dilma-lendo_gdePesquisa Ibope, encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e divulgada nesta quarta-feira (17/12), mostra que o governo Dilma Rousseff é aprovado por 40% dos eleitores. O percentual leva em consideração entrevistados que avaliaram a gestão como “ótima” ou “boa”.
A aprovação do governo se manteve estável, de acordo com a margem de erro. Na pesquisa anterior, divulgada em setembro de 2014, era de 38%. Foram entrevistadas 2.002 pessoas em 142 municípios, entre 5 e 8 de dezembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais e o grau de confiança, 95%.

Ibope: Saúde e não combate à corrupção são piores aspectos do governo

mafia saude
Pesquisa do Ibope divulgada nesta quarta-feira pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostra que houve poucas mudanças significativas na avaliação da população por áreas de atuação do governo. Com relação a setembro, o percentual da população que desaprova a política de juros se manteve em 68%, igual percentual a setembro. Nesse aspecto, a aprovação é de 25% em dezembro ante 23% em setembro. A política de combate à inflação é desaprovada por 69% ante 68% em setembro. Nesse item a aprovação é de 27% ante 25%. Já a política tributária do governo é desaprovada por 72% ante 73% em setembro. A aprovação é de 24% ante 20% em igual período até dezembro.
“Poucos investimentos na área de saúde” foi citado espontaneamente como um dos três principais aspectos negativos do primeiro governo Dilma por 30% dos entrevistados. Em segundo lugar, 26% citam o “não combate à corrupção”, seguido por “pouco investimento na segurança pública” por 21%. Em terceiro e quarto lugares têm-se “poucos investimentos na área de educação” e “baixo crescimento econômico”, com respectivamente 13% e 12%. Já o “combate à fome e à pobreza” é considerado espontaneamente o principal aspecto positivo do primeiro mandato do governo Dilma, citado como um dos três principais por 24% da população.
Em segundo lugar aparece “investimento em programas sociais” com 17%, seguido por “investimento na área da educação” (15%) e “priorização da população mais carente” (13%). Para 19% da população não houve ponto positivo no primeiro mandato da presidente Dilma e 21% não souberam ou não quiseram responder. Para 13% da população não houve ponto negativo no primeiro governo Dilma e 21% não souberam ou não quiseram responder.

Graça Foster põe cargo na Petrobras à disposição de Dilma

fosterA presidenta da Petrobras, Graça Foster, confirmou hoje (17) que conversou com a presidenta Dilma Rousseff sobre a sua própria demissão e sobre a saída dos outros diretores da empresa. Segundo ela, o assunto foi tratado algumas vezes com a presidenta, devido às investigações da Operação Lava Jato e ao atraso que isso vem causando ao fechamento do balanço financeiro do terceiro trimestre da empresa.
“A coisa mais importante para esta diretoria é a Petrobras. É muito mais importante que o meu emprego. Não vou dizer o que a presidenta me respondeu [sobre ter colocado o cargo à disposição]. Isso é ela que tem que dizer. Mas hoje estou aqui, presidenta da Petrobras, e vou continuar enquanto contar com a confiança da presidenta [Dilma] e ela entender que eu deva ficar”, disse Graça Foster.