21 de fevereiro de 2015

Juíza diz que "Riva é um ícone da corrupção" no Estado de Mato Grosso

SÍLVIA DEVAUX

A juíza Selma Rosane Santos Arruda, da Vara Especializada contra o Crime Organizado, afirmou, na decisão que decretou a prisão preventiva do ex-deputado estadual José Riva, que ele "é um ícone da corrupção em nosso Estado".

“Ora, como bem assinalou o Ministério Público, o réu é um ícone da corrupção em nosso Estado, mas acrescento: também é um ícone de impunidade, um verdadeiro mau exemplo a todos os cidadãos de bem que pagam os seus impostos, trabalham diuturnamente e não cometem delitos, porque temem as consequências”, disse a juíza, assinalando que pesam contra ele centenas de ações penais contra a Administração Pública.

Ainda segundo a magistrada, a prisão foi importante por entender que ele representa perigo dada às circunstancias em que teria cometido os crimes.

“Entendo que é necessário que o réu responda ao processo sob a custódia estatal, para que sua liberdade precoce não sirva de estimulo para que outros pratiquem crimes desta natureza, achando que sairão impunes, pondo em xeque a própria credibilidade da Justiça e dos demais órgãos do Estado encarregados de manter a ordem e a paz social”, preferiu a juíza.

Líder de organização criminosa

José Riva é apontado pelo MP como líder de uma organização criminosa constituída com o desiderato de praticar crimes contra a Administração Pública, especialmente peculato, além de lavagem de dinheiro. Conforme a juíza, constam na denúncia “bastante extensa” uma série de indícios em documentos, fotografias, depoimentos e pericias; inclusive de materiais oriundos de quebra de sigilo fiscal e bancário determinada pela Justiça.

Ainda conforme a decisão, mesmo após perder o cargo público, Riva poderia continuar praticando os crimes devido à influência de relacionamentos desses 20 anos de vida pública; a destruição de inúmeros documentos sob pretexto de norma interna da Assembleia Legislativa que teria dificultado a investigação e o cumprimento das ordens judiciais na Casa; e as dificuldades que a nova Mesa Diretora está tendo em localizar documentos, significando que ele não medirá esforços para ocultar e falsificar qualquer documentação, além de fazer pressão sobre as testemunhas arroladas.

Os indícios do envolvimento de Riva estariam evidenciados, proque as“negociatas ilícitas só seriam possíveis com sua intervenção e assinatura, já que ele era o gestor dos recursos financeiros da Assembleia Legislativa”.

Ele é acusado por 26 crimes de peculato em quadrilha, que resultou em prejuízo ao erário público no montante de mais de R$ 40 milhões, que atualizada chega a R$ 60 milhões.

ENTENDA O CASO

Um novo esquema de desvio de dinheiro público, liderado pelo ex- presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso, José Riva, foi desvendado pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco). Desta vez, o ex-deputado foi denunciado por ter desviado mais de R$ 60 milhões dos cofres públicos com falsas aquisições envolvendo cinco empresas do ramo de papelaria, todas de “fachada”.

Para se ter uma ideia, em apenas um ano essas empresas venderam mais de 30 mil toners à Assembleia Legislativa que, na época dos fatos, contava com apenas 150 impressoras.

A prática reiterada e a gravidade dos crimes praticados foram os principais argumentos apresentados pelo Gaeco para garantir a prisão preventiva do ex-parlamentar, cujo mandado foi cumprido neste sábado. Além dele, foram denunciados a sua esposa, Janete Riva, servidores públicos e empresários. São eles: Djalma Ermenegildo, Edson José Menezes, Manoel Theodoro dos Santos, Djan da Luz Clivatti, Elias Abrão Nassarden Junior, Jean Carlo Leite Nassarden, Leonardo Maia Pinheiro, Elias Abrão Nassarden, Tarcila Maria da Silva Guedes, Clarice Pereira Leite Nassarden, Celi Izabel de Jesus, Luzimar Ribeiro Borges e Jeanny Laura Leite Nassarden.

Consta na denúncia, que a organização criminosa fraudou, nos últimos anos, a execução de contratos licitatórios na modalidade carta convite, pregão presencial e concorrência pública, visando a aquisição simulada de material de expediente, de consumo e artigos de informática. Durante as investigações, foi constatado que os materiais adquiridos não foram entregues, embora servidores tenham atestado as notas de recebimento e a Assembleia Legislativa tenha efetuado os pagamentos.

Informações obtidas por meio de quebras de sigilo bancário e interceptações, todas autorizadas pelo Poder Judiciário, entre outras diligências, comprovam que aproximadamente 80% do dinheiro desviado foi sacado na boca do caixa e repassado ao ex-deputado, que na época dos fatos era o primeiro secretário do Parlamento Estadual. Na ocasião, o cargo de secretária de Patrimônio era ocupada por Janete Riva.

“O dinheiro desviado por intermédio do estratagema apresentado transitava nas contas bancárias das pessoas jurídicas “fornecedoras” do material apenas para ocultar o seu retorno para as mãos de José Geraldo Riva, o que se fazia por intermédio do falecido Ademar Adams. Tanto é que 80% do montante depositado pelo Poder Público nas contas das empresas sob escusa de pagamento por produtos e serviços supostamente executados/entregados, foi sacado na boca do caixa”, diz um trecho da denúncia.

As cinco empresas envolvidas no esquema são: Livropel Comércio e Representações e Serviços Ltda, Hexa Comércio e Serviços de Informática Ltda, Amplo Comércio de Serviços e Representações Ltda, Real Comércio e Serviços Ltda-ME e Servag Representações e Serviços Ltda.

Conforme a denúncia, José Geraldo Riva responderá pelos crimes de formação de quadrilha e 26 peculatos, em concurso material.


PRISÃO: Segundo o Gaeco, o ex-parlamentar foi preso neste sábado, por volta das 14h, em sua residência e não apresentou resistência. A operação contou com a participação de 10 homens e quatro viaturas. O Gaeco é formado atualmente pelo Ministério Público Estadual, Polícia Judiciária Civil e Polícia Militar.

Riva teria desviado R$ 60 milhões com compras em papelarias

COM ASSESSORIA

 Um novo esquema de desvio de dinheiro público, liderado pelo ex- presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso, José Riva, foi desvendado pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco). Desta vez, o ex-deputado foi denunciado por ter desviado mais de R$ 60 milhões dos cofres públicos com falsas aquisições envolvendo cinco empresas do ramo de papelaria, todas de “fachada”.

Para se ter uma ideia, em apenas um ano essas empresas venderam mais de 30 mil toners à Assembleia Legislativa que, na época dos fatos, contava com apenas 150 impressoras.

A prática reiterada e a gravidade dos crimes praticados foram os principais argumentos apresentados pelo Gaeco para garantir a prisão preventiva do ex-parlamentar, cujo mandado foi cumprido neste sábado. Além dele, foram denunciados a sua esposa, Janete Riva, servidores públicos e empresários. São eles: Djalma Ermenegildo, Edson José Menezes, Manoel Theodoro dos Santos, Djan da Luz Clivatti, Elias Abrão Nassarden Junior, Jean Carlo Leite Nassarden, Leonardo Maia Pinheiro, Elias Abrão Nassarden, Tarcila Maria da Silva Guedes, Clarice Pereira Leite Nassarden, Celi Izabel de Jesus, Luzimar Ribeiro Borges e Jeanny Laura Leite Nassarden.

José Riva é preso pelo Gaeco na tarde deste sábado

Sem foro por não exercer mais mandato, foi preso na tarde deste sábado (21) o ex-deputado estadual José Riva (PSD). Segundo informações da Polícia Civil, a prisão foi feita pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), por conta das investigações da operação Edição Extra, deflagrada no final de 2014 pela Polícia Civil em Mato Grosso.

A prisão ocorreu na casa do ex-deputado, no Santa Rosa, em Cuiabá. Cerca de 10 policiais participarão da prisão. Riva foi encaminhado para um anexo do Centro de Ressocialização de Cuiabá, o Carumbé.
O procurador-geral de Justiça, Paulo Prado também confirmou a prisão de Riva. A prisão foi decretada pela juíza Selma Arruda, da Vara Especializada de Combate ao Crime Organizado.

A Operação Edição Extra investiga esquema milionário de desvio de dinheiro público através de licitações fraudulentas, envolvendo gráficas de MT. No ano passado a Operação chegou a prender os irmãos Dalmi e Fábio Defanti, donos da Gráfica Print, a maior de MT, e Jorge Defanti, dono da Gráfica Defanti, no final do ano passado.  
O então secretário-adjunto de Comunicação do Estado, Eupídio Spiezzi, e José de Jesus Nunes Cordeiro, adjunto da Secretaria de Estado de Administração também foram presos na ocasião, juntamente com um funcionário da Gráfica Defanti. Todos foram soltos. 
Familiares de Riva ficaram revoltados com a prisão, segundo eles, ocorrida fora de horário permitido e sem fato novo algum. Também acreditam ser uma forma de dar uma satisfação, já que o parlamentar está no foco de uma reportagem especial que vai ao ar no Fantástico, da Rede Globo, neste domingo (22). 

Mais informações em instantes.

IMG-20150221-WA0024.jpg
Prisão ocorreu na casa de Riva

Taques recebe transportadores e manda Sefaz criar grupo de trabalho

O governador Pedro Taques (PDT) se reuniu, na tarde desta sexta (20), com representantes dos caminhoneiros que bloqueiam, há dois dias, quatro trechos da BR-163 em Lucas do Rio Verde, Nova Mutum, Sorriso, Sinop e outros municípios.

Para atender as reivindicações da categoria, o chefe do Executivo determinou ao secretário de Fazenda, Paulo Brustolin, a criação de grupo de trabalho, com a participação de representantes do Sindmat (Sindicato das Empresas do Transporte de Cargas do Estado de Mato Grosso) e ATC (Associação dos Transportadores de Cargas de Mato Grosso), para avaliar a redução da alíquota de ICMS sobre o óleo diesel, de 17% para 12%, com objetivo de reduzir o custo do frete. Não existe prazo para conclusão do estudo, mas os trabalhos devem iniciar já na próxima segunda (23).

Riva é preso pelo Gaeco em sua residência, em Cuiabá

O ex-deputado estadual José Riva (PSD) foi preso há pouco, em sua residência, em Cuiabá. A prisão foi efetuada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado).

Atualizada 15h09
O ex-deputado estadual e ex-presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso José Riva (PSD) acaba de ser preso em Cuiabá. Informações preliminares dão conta de que a prisão é em decorrência das investigações sobre um esquema de fraude em licitações na prestação de serviços gráficos contratados pela Assembleia Legislativa, que culminaram na operação Edição Extra, deflagrada no final de 2014 pela Polícia Civil em Mato Grosso.

A Polícia acredita que pelo menos R$ 40 milhões teriam sido desviados no esquema. No último mês de dezembro, a polícia prendeu o então secretário-adjunto de Administração, José de Jesus Nunes Cordeiro, e o então assessor especial da Secretaria Estadual de Comunicação Social (Secom), Elpídio Spiezzi Júnior por suspeita de participação no esquema. Na ocasião, quando a operação Edição Extra foi deflagrada, Riva ainda tinha mandato parlamentar e foro privilegiado.

Primeira atualização às 14h56. Mais informações em instantes.

"Pé nos Bairros" se surpreende com situação de abandono da Escola Atrativa Modelo de Brasnorte e cobra providências



Em seu lançamento pela rede social Facebook neste sábado, dia 21 de fevereiro, o "Projeto Pé nos Bairros", idealizado pelo âncora do Jornal da Amazônia, jornalista e blogueiro Dorjival Silva esteve visitando pela manhã a Escola Atrativa Modelo, em construção na área central da cidade de Brasnorte.

A obra teve início em 8 de setembro de 2010 e tinha a previsão de ser concluída no dia 7 de setembro de 2011. A escola que viria a ser uma conquista para a educação no município aos poucos vai se transformando em um grande elefante branco, mesmo tendo sido consumidos de recursos públicos algo em torno de R$ 4 milhões.

O Projeto Pé nos Bairros cobra das autoridades públicas estaduais governador Pedro Taques, secretário de Estado da Educação Permínio Pinto Filho e do município de Brasnorte, agilidade na conclusão dessa obra para que entre em funcionamento e cumpra sua finalidade, evitando maiores prejuízos para a população local.

Dorjival Silva
Pé nos Bairros.

Auditoria encontra problemas em obras da Copa em MT; veja

DO JORNAL NACIONAL

Uma auditoria feita pela Controladoria Geral de Mato Grosso encontrou problemas em 14 obras para a Copa do Mundo. Sete meses depois do mundial, algumas ainda não ficaram prontas.

O relatório da auditoria aponta problemas que vão desde atrasos até falhas estruturais. Na lista das obras está a mais cara de todas. O VLT - Veículo Leve sobre Trilhos. O projeto prevê a construção de duas linhas com 22 quilômetros de extensão.

Entre os problemas apontados pelo relatório estão: falta de um cronograma de execução da obra e falta de projetos executivo e de desapropriação das áreas afetadas; também foram identificados problemas na qualidade das obras em execução, e no que já foi executado.

Os técnicos declaram que sem projetos adequados não há como garantir a qualidade e até a segurança das obras.

O VLT começou a ser construído em junho de 2012 e a previsão era de que ficasse pronto antes da Copa. Mas até agora, segundo o laudo técnico, apenas 16% dos trabalhos foram concluídos. E o consórcio responsável pela obra já recebeu mais de R$ 1 bilhão.

Originalmente, o orçamento total do VLT era de R$ 1,477 bilhão. Mas segundo o governo de Mato Grosso, serão necessários pelo menos mais R$ 500 milhões para a conclusão da obra.

“O recurso existe, mas há outras prioridades da sociedade que precisam ser colocadas para uma decisão madura de quanto investir e em que projeto", afirma o secretário de Projetos Estratégicos Gustavo de Oliveira.

Outra obra com problemas é um viaduto. Ficou pronto, mas está interditado há seis meses por falhas na estrutura que poderiam comprometer a segurança. Já os centros de treinamentos para a Copa nunca foram concluídos e as obras estão abandonadas.

“Isso é uma vergonha né. A cidade sede da Copa do Mundo não conseguir terminar as obras. Tudo mal feito”, reclama o motorista Sidney Paiva.

Os Ministérios Públicos Federal e Estadual de Mato Grosso entraram com uma ação contra o ex-governador Silval Barbosa, do PMDB, pelos prejuízos com a obra inacabada do VLT.

O ex-governador disse que a entrega foi adiada por dificuldades no projeto e o consórcio responsável pela obra afirmou que o atraso foi causado pela demora no pagamento e na liberação de terrenos.


O atual governador Pedro Taques, do PDT, disse que vai cobrar na Justiça a devolução do dinheiro gasto a mais e que não há prazo para a conclusão dos centros de treinamento.

Presidente do PDT de Brasnorte cria o Projeto Pé nos Bairros

Dorjival Silva
Bem, meus amigos e amigas, aproveitando a onda dessa criação de nomes dados para os passeios de autoridades públicas por logradouros diversos nas esferas estadual e municipal, resolvi também criar um projeto.

Seguindo o roteiro dos ex-governadores Blairo Maggi (PR) e Silval Barbosa (PMDB) que inventaram o ESTRADEIRO, governador Pedro Taques (PDT) que chegou a sugeri a invenção do BURAQUEIRO e as autoridades municipais de Brasnorte que estão lançando neste final de semana, o PÉ NA ESTRADA, crio a partir de hoje o projeto PÉ NOS BAIRROS.

O PÉ NOS BAIRROS pode existir em qualquer município de Mato Grosso e sugere que as autoridades municipais e demais lideranças políticas caminhem pelo menos uma vez por semana pelos bairros da cidade mantendo contatos com os moradores para conhecer mais de perto a realidade de cada localizada e adotar soluções devidas.

Está criado assim, o PROJETO PÉ NOS BAIRROS.

O Projeto acata sugestões da população pelo whatsapp 65 96285314

Dorival Silva
Presidente do PDT/Brasnorte/MT.

Dilma renova apelo contra execução de brasileiro na Indonésia

dilmahomenagem
A presidente Dilma Rousseff aproveitará a cerimônia de entrega das credenciais do novo embaixador da Indonésia no Brasil, nesta sexta-feira, 20, no Palácio do Planalto, para renovar o apelo contra a execução do brasileiro Rodrigo Gularte, de 42 anos, que está no corredor da morte naquele país. Ela pedirá que ele seja transferido da prisão para um hospital psiquiátrico.
A conversa de Dilma com o novo embaixador indonésio coincide com a ida, também hoje, de um diplomata brasileiro à penitenciária Pssar Putih, na Indonésia, para entregar em mãos ao seu diretor uma carta com novo apelo do governo brasileiro, dessa vez acompanhada de um atestado de médico local comprovando que Gularte sofre de esquizofrenia e precisaria ser internado.
Dilma conversou com o ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, sobre a situação do brasileiro, que cumpre pena por tráfico de drogas. O governo quer evitar, a todo custo, uma nova execução, como aconteceu com Marco Archer, no mês passado. A insistência do governo Dilma na transferência de Gularte para um hospital psiquiátrico na cidade de Yogyarta ocorre três dias depois de o governo indonésio anunciar o adiamento da execução do brasileiro, que ainda não tem nova data marcada.
O Brasil tem pressa na decisão em relação à transferência de Gularte para um hospital psiquiátrico, porque os processos de execução e de autorização para internação correm de forma distinta. Portanto, se a execução for marcada e o pedido de transferência para o hospital não tiver sido julgado, ele será morto, sem qualquer tipo de discussão ou apelo jurídico.

Papa critica quem não respeita funcionários

papa G1
O Papa Francisco condenou, durante a missa de Santa Marta desta sexta-feira (20), aqueles que se dizem cristãos, mas tratam mal seus funcionários. “Você não pode fazer ofertas à Igreja nas costas da injustiça que você comete com seus funcionários. É um pecado gravíssimo usar Deus para cobrir uma injustiça. Se alguém vai à missa no domingo e faz a comunhão, pode-se perguntar a ele: como é seu relacionamento com seus empregados? Você os paga corretamente e um salário justo?”, disse o Pontífice.
Para o líder dos católicos, os cristãos são chamados a viver de maneira coerente, com amor a Deus e ao próximo. Comentando as leituras do dia, Jorge Mario Bergoglio disse que é preciso saber distinguir o “formal, do real”. Para o Senhor, observou o Papa, não se pode “fazer jejum ou não comer carne” e depois “brigar e humilhar os funcionários”.

Projeto para evitar jornada de 12 horas para motoristas

motoristaA senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) informou que pretende apresentar um projeto de lei para tentar evitar a jornada de trabalho de até 12 horas diárias para motoristas profissionais. O novo limite consta de projeto aprovado na semana passada pela Câmara dos Deputados e enviado à sanção presidencial (PLC 41/2014).
Vanessa, que durante a discussão da proposta no Senado defendeu jornada de até 11 horas, lamentou a forma como o projeto foi aprovado na Câmara. Ela disse esperar que a sociedade não tenha de conviver com acidentes envolvendo caminhoneiros cansados. O texto que aguarda sanção também eleva o tempo de direção contínua — sem intervalo para descanso — das atuais 4 horas para 5,5 horas.
Segundo a senadora, a profissão de motorista já é “naturalmente estressante” e uma jornada muito extensa pode piorar a situação. Ela lembrou que, durante a discussão da matéria no Senado, foram apresentados dados sobre doenças e acidentes que mostrariam a importância de uma jornada menor para os motoristas profissionais. Para Vanessa, a jornada de 12 horas não atende o interesse da população, mas de grupos econômicos que visam aumentar os lucros.

Brasileiros de três regiões do país devem atrasar relógios em uma hora

relogio pulsoTermina na noite de sábado para domingo o horário brasileiro de verão. Os relógios de dez estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste e do Distrito Federal devem ser atrasados em uma hora. O principal objetivo do horário de verão é aproveitar melhor a luminosidade natural do dia, reduzindo o consumo de eletricidade no fim da tarde, quando ocorria o chamado horário de pico.
Neste ano, com o pico de consumo registrado no início da tarde, principalmente por causa do aumento do uso de aparelhos de ar condicionado, o governo chegou a pensar em uma prorrogação da vigência do horário diferenciado. A medida poderia ter sido tomada pela falta de chuvas, o que prejudicou os reservatórios das hidrelétricas.
Os relatórios finais sobre a economia de energia no horário de verão devem ser concluídos na próxima semana. No início do horário de verão deste ano, a estimativa do governo era uma economia de 278 milhões de reais, com geração de energia térmica no horário de pico. No verão de 2014, a economia foi de 405 milhões.

Campanha pedirá redução do consumo de energia

economialuzO governo vai começar uma campanha publicitária pela redução do consumo de energia em 1.º de março. A propaganda será veiculada por 30 dias em cadeia nacional de rádio e TV. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) apresentou às distribuidoras um resumo do que quer. A ideia é fazer uma campanha pelo uso racional de energia. Termos como racionamento e crise estão terminantemente proibidos no anúncio.
A campanha é compulsória e será financiada com recursos das próprias distribuidoras, que são obrigadas a recolher 0,5% de sua receita operacional líquida para um fundo e aplicar os recursos em projetos de eficiência energética. Cinco agências vão concorrer e apresentar seus projetos no início da próxima semana.
Embora a Aneel não tenha definido uma meta de economia de energia, fontes do governo afirmam que o país precisa obter redução de 5% no consumo para evitar um racionamento. O problema é que os consumidores residenciais, principais alvos da campanha, usam apenas 40% de toda a energia do País. Se todas as residências poupassem 10%, a economia global seria de 4% da carga total, atualmente de 70 mil MW médios.

Carros pipa transportam água do CE para abastecer 20 cidades secas da PB

agua carro pipaMesmo com as chuvas mais recentes municípios do Sertão paraibano continuam passando por dificuldades no fornecimento de água. Cerca de 20 cidades estão sendo abastecidas diariamente por 120 carros pipa que buscam água no açude Lima Campos, no Ceará, a quase 400 km de distância.
A operação vem sendo realizada desde o mês de novembro de 2014 e é coordenada pela 5ª Seção do Comando Militar do Nordeste no Exército Brasileiro (CMNE), auxiliando a população dos municípios de Uiraúna, Triunfo, Bernardino Batista, Poço Dantas, Cajazeiras, Souza, Aparecida, São João do Rio do Peixe, Marizopólis, São José de Piranhas, Diamante e centenas de localidades no Vale do Piancó.
O Portal Correio informou que a captação da água ocorre de maneira improvisada, com a utilização de dois motores que funcionam a óleo diesel que bombeiam a água através de canos, apoiados por tronco de árvores, até os carros pipa.

Magistrados mato-grossenses terão R$ 3,3 mil em auxílio-transporte

KAMILA ARRUDA E RAFAEL COSTA

A partir de agora os magistrados mato-grossenses contarão com mais um auxílio financeiro. Por maioria dos votos, o Pleno do Tribunal de Justiça aprovou a retomada do auxílio-transporte.

O auxílio-transporte corresponde a 15% do subsídio recebido pelo juiz e varia de R$ 3,5 mil a R$ 4,3 mil, de acordo com a Entrância em que o magistrado atua.

A medida irá atingir a todos os 304 juízes e a 30 desembargadores em exercício no Estado. O fato se deu em decorrência de um pedido formulado pela Associação Mato-Grossense dos Magistrados (Amam-MT).

Nilson e Sulla Kokojiski permanecem no primeiro escalão do governo Tarciso Aguiar

Sulla e esposo Nilson Kokojiski
Dois secretários municipais da atual gestão de Brasnorte, não serão “tocados” no processo de reforma administrativa iniciado neste mês, pelo prefeito Tarciso Aguiar (PSD). 

Nilson Kokojiski (Saúde) e a esposa Sulla Kokojiski (Ação Social), ambos do Partido Progressista (PP), continuarão em suas funções, disse nesta sexta-feira (20), à reportagem do Jornal da Amazônia, o secretário municipal de administração Ricardo Nogueira.

A reforma administrativa que vem sendo executada já substituiu pelo menos quatro secretários, inclusive o da Secretária de Administração.

As últimas alterações no primeiro escalão atingiram Glauco Bruno (Esportes), Carreirinha (Agricultura) e Iracino Fernandes (Obras e Infraestrutura).  

Ainda não é seguro afirmar. Mas, nos bastidores há informações de que mais uma pessoa do primeiro escalão deva “rodar” nos próximos dias.