7 de março de 2015

Ex-vereador é preso por esquema para aquisição de lotes em Barra

Francis Amorim
De Barra do Garças


Quatro pessoas são presas pela Polícia Civil, nesta sexta (6), em Barra do Garças, por envolvimento em fraude de documentos em cartórios de registro de imóveis. A prisão aconteceu durante a operação “Actio Auctoritatis”, desencadeada para desarticular um esquema utilizado na venda de lotes por meio de documentos falsos apresentados em cartórios. Entre os detidos está o ex-vereador Ailton Rodrigues Rocha (PSDB).

Durante coletiva à imprensa, o delegado Joaquim Leitão Júnior, responsável pelas investigações, sete mandados de prisão e busca e apreensão em domicílios foram cumpridos no município. Além disso, sete prisões foram solicitadas para que os envolvidos não atrapalhem o andamento das investigações.

Colunista acusa presidente da AL Guilherme Maluf de operar em factoring; Ele nega participação em esquema


A colunista social Karina Nogueira, ex-mulher do empresário Júnior Mendonça, delator da Operação Ararath, afirmou, na tarde desta quinta-feira (6), que o esquema de lavagem de dinheiro continua funcionando, mesmo com as ações judiciais em curso.

Em depoimento ao juiz federal Jeferson Schneider, após ter sido arrolada para testemunhar em favor do ex-secretário de Estado Eder Moraes, Nogueira afirmou que o esquema conta com a participação de políticos da Assembleia Legislativa – citando, inclusive, o nome do presidente do Legislativo, Guilherme Maluf (PSDB).

Ex-deputado mensaleiro de MT Pedro Henry aparece em lista da Petrobras

RAFAEL COSTA


O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, autorizou abertura de inquérito para apurar a suspeita de participação do ex-deputado federal por Mato Grosso, Pedro Henry (foto), no esquema de corrupção da Petrobras que desviou até R$ 10 bilhões dos cofres públicos, conforme revelado pela Polícia Federal nas investigações da Operação Lava Jato.

A decisão atendeu pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que encaminhou a Suprema Corte abertura de inquérito por conta dos indícios de participação de deputados federais e senadores da República, que gozam de foro por prerrogativa de função na esfera criminal.

Casos de dengue aumentam 139% no país

dengueO ministro da Saúde, Arthur Chioro, informou hoje (6) que, nos dois primeiros meses do ano, houve aumento de 139% nos casos notificados de dengue, em relação ao mesmo período do ano passado. Em janeiro e fevereiro de 2015, foram 174,67 mil registros, contra 73,13 mil no primeiro bimestre de 2014.
Os números foram divulgados em um evento no qual estavam reunidos mais de 600 gerentes e diretores clínicos responsáveis pelas unidades Básicas de Saúde do município de São Paulo. Segundo o ministério, os números preliminares de mortes, casos graves, além da nova denominação dengue com sinais de alarme caíram 28% e somaram 555 casos. No ano passado, foram 771.

Conheça a lista com os 54 investigados da Operação Lava Jato

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Teori Zavascki, relator dos processos relativos à Operação Lava Jato, autorizou nesta sexta-­feira (6) a abertura de investigação contra políticos de ao menos quatro partidos: PT, PSDB, PMDB e PP. O ministro tirou o sigilo dos 28 pedidos de abertura de inquérito contra deputados e senadores acusados de envolvimento no esquema de corrupção na Petrobras.
Além dos presidentes da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB­RJ), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB­AL), a lista traz outros 52 nomes. Também nesta sexta, Teori acatou outros sete pedidos de arquivamento feitos pelo procurador­geral da República, Rodrigo Janot.
Veja abaixo a lista dos citados:
Renan Calheiros, Aníbal Ferreira Gomes ­ Instauração
Rosena Sarney Murad e Edison Lobão ­ instauração de inquérito e diligências
João Alberto Pizzolati Jr. ­ instauração de inquérito e diligências Pizzolaiti Jr. Inq e diligências Renan Cajeiros e Aníbal Gomes ­ instauração de inquérito e diligências Lindbergh Farias ­ instauração de inquérito e diligências Vander Loubert, Cândido Vacarezza ­ instauração de inquérito e diligências Gleisi Hoffman ­ instauração de inquérito e diligências
Humberto Costa ­ instauração de inquérito e diligências
Simão Sessim ­ instauração de inquérito e diligências
Arthur Cezar Pererira de Lira e Benedito de Lira ­ instauração de inquérito e diligências
Arthur Cezar Pereira de Lira e Benedito de Lira ­ instauração de inquérito e diligências
José Mentor ­ instauração de inquérito e diligências
Edison Lobão ­ instauração de inquérito e diligências
Eduardo Cunha ­ instauração de inquérito e diligências
José Otávio Gemrmano, Luis Fernando Ramos Faria ­ instauração de inquérito e diligências
João Alberto Pizzlati e Roberto Sérgio Ribeiro Coutinho Teixeira ­ instauração de inquérito e diligências
João Alberto Pizzolati Jr ­ instauração de inquérito e diligências
Nelson Meurer ­ instauração de inquérito e diligências
Eduardo Henrique da Fonte e Ciro Nogueira Lima Filho ­ instauração de inquérito sobre Eduardo e arquivamento em relação a Ciro Agnaldo Veloso Borges Ribeiro, Aline Corrêa, Aníbal Ferreira Gomes, Arthur César Perreira de Lira, Carlos Magno Ramos, Ciro Nogueira, Dilceu Sperafico, Eduardo Henrique da Fonte, Gladson de Lima Cameli, Gerônimo Pizzoloto, João Alberto PIzzolati Jr., João Felipe de Sousa Leão, João Luís Argôlo Filho, João Sandes Júnior, José Afonso Han, José Linhares da Ponte, José Olypio Silveira Moraes, José Otávio Germano, José Renan Vasconcelos Calheiros, Lázaro Botelho Martins, Luís Fernando Ramos Faria, Mário Negromonte, Nelson Meurer, Pedro da Silva Corrêa, Pedro Henry, Renato Mole, Roberto Ferreira de Brito, Roberto Sérgio Ribeiro, Romero Jucá, Simão Sessim, Valdir Raupp de Mattos, Vilson Luis Covatti, Valdir Maranhão Cardoso ­ instauração de inquérito e diligências Antônio Palocci Filho ­ remessa dos autos ao juízo de origem Valdir Raupp de Mattos ­ instauração de inquérito e diligências
Fernando Collor de Mello ­ deferiu diligencias
Antonio Augusto Anastasia, também inquérito aberto por PF e encaminhado para cá ­ deferiu diligência
ARQUIVADOS
Delcídio do Amaral Gomes
Romero Jucá
Alexandre José dos Santos
Henrique Eduardo Alves
Aécio Neves
REMESSA
Cândido Vacarezza ­ remessa dos autos a origem
Pizzolati Jr. Pedro Corrêa ­ remessa dos autos ao TRF ­1
Ciro Nogueira Filho, Agnaldo Veloso Borges Ribeiro ­ arquivado e remessa de documentos ao STJ
Cândido Vacarezza ­ remessa dos autos a origem

É muito grave presidentes do Senado e Câmara na lista, diz cientista

renan-e-cunha
O cientista político e professor da USP José Álvaro Moisés considerou muito grave o fato de os presidentes das duas maiores casas legislativas do País, o Senado e a Câmara, respectivamente Renan Calheiros (PMDB-AL) e Eduardo Cunha (PMDB-RJ) estarem na lista de políticos que serão investigados no âmbito da Operação Lava Jato, que apura esquema de corrupção na Petrobras.
Em entrevista à rádio Estadão, o cientista político disse que é preciso ver primeiro se as acusações irão ou não se confirmar, mas o fato de os nomes constarem da lista é grave. José Moisés lembrou da CPI dos Anões, que acabou provocando a cassação do mandato do então presidente da Câmara dos Deputados Ibsen Pinheiro, filiado ao PMDB do Rio Grande do Sul. “Só que a situação hoje é mais grave”, disse, citando as crises econômica e política. Na sua avaliação, a gravidade do momento ocorre também porque o próprio governo federal não consegue administrar essas crises. E disse que essa crise tem que resultar na elaboração de uma reforma política.

Brasil tem 281 milhões de linhas ativas na telefonia móvel

celularesO Brasil encerrou o mês de janeiro com 281,70 milhões de linhas ativas na telefonia móvel, o que representa 138,34 acessos para cada grupo de cem habitantes. De acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), em janeiro, os acessos pré-pagos totalizavam 213,40 milhões (75,75% do total) e os pós-pagos 68 30 milhões (24,25%).
A mais elevada teledensidade foi registrada no Distrito Federal, com 218,05 celulares para cada cem brasilienses (e um total de 6 277 milhões de linhas). A mais baixa teledensidade, de 96,68 linhas para cada cem habitantes, foi apurada no Maranhão (onde havia 6,643 milhões de linhas ao final de janeiro). O Estado de São Paulo tinha a maior base, de 68,381 milhões de linhas, resultando em uma teledensidade de 154,59 linhas móveis para cada cem habitantes.
Na divisão de mercado, a liderança ficou com a Vivo (80,708 milhões de linhas), com 28,65% de participação. A segunda posição foi ocupada pela Tim (75,786 milhões), resultando em fatia de 26,90%. O terceiro lugar ficou com a Claro (71,385 milhões), representando 25,34% do mercado. A quarta posição foi obtida pela Oi (50,657 milhões de linhas móveis), com 17,98% do mercado.

25 gramas são o máximo de açúcar que se pode ingerir por dia

açucarA inocente sobremesa depois do almoço já não é mais tão inocente assim. Diante dos comprovados prejuízos que o excesso de açúcar tem provocado, a Organização Mundial da Saúde (OMS) estabeleceu uma nova diretriz: incentivar os países a reduzirem o consumo de açúcar para até 5% da dieta diária da população.
Na vida prática, isso significa consumir no máximo 25 gramas do doce por dia, algo em torno de 6 colheres de chá ou um pouco menos do que duas colheres de sopa. Pareceria uma quantidade razoável se o órgão considerasse apenas a adição de açúcar que fazemos no dia a dia, como no cafezinho.
Mas a indicação da OMS engloba também o açúcar “escondido” nos alimentos industrializados e feitos em casa, como biscoitos, bebidas, bolos, e, ainda, naqueles açúcares naturais presentes no mel, em xaropes, sucos de fruta e concentrados de fruta. Uma latinha de 350 ml refrigerante, por exemplo, chega a ter quase 40g.

Dinheiro para campanha de Dilma em 2010 é alvo de pedido de investigação

dilma palocci
A Procuradoria-Geral da República argumentou que é impossível investigar a presidente Dilma Rousseff por “atos estranhos ao exercício de sua função” no âmbito da Operação Lava Jato, mas determinou a apuração sobre a arrecadação de recursos para sua campanha de 2010 no pedido de investigação contra o ex-ministro Antonio Palocci (PT). Palocci está entre os 50 da lista divulgada pelo STF (Superior Tribunal Federal) na noite desta sexta-feira (6), que traz os nomes de políticos envolvidos em inquéritos referentes à operação.
O pedido de inquérito contra o ex-ministro foi remetido para a primeira instância da Justiça Federal em Curitiba, já que Palocci, que era coordenador da campanha de Dilma 2010 e depois seu ministro da Casa Civil, não tem foro privilegiado. “O Procurador-Geral da República requer a remessa do expediente à 13ª Vara Federal de Curitiba para que seja em mais detalhes apurada a conduta eventualmente praticada por Antônio Palocci”, diz a petição.

Lava Jato: vice-governador da Bahia que está “cagando e andando”

joaoleao
Listado na relação de políticos citados pelas investigações da Operação Lava Jato, que investiga esquemas de corrupção na Petrobras, o vice-governador da Bahia, João Leão (PP), divulgou uma nota na noite desta sexta-feira (6) dizendo que está “cagando e andando”. No texto, o parlamentar afirmou que recebeu recursos da OAS em 2010, mas alegou que as doações foram legais. O vice-governador disse ser um “cara sério” e sem culpa.

Inflação atinge maior pico em 10 anos

20130913064029_cv_INFLPaixaoDilmaInflacao_gdeA inflação oficial extrapolou as expectativas mais pessimistas do mercado financeiro em fevereiro. A alta de 1,22% no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) levou a taxa acumulada em 12 meses a distanciar-se ainda mais do teto de tolerância do governo, aos 7,70%, maior patamar desde maio de 2005, informou nesta sexta-feira (6) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.
Economistas afirmam que a meta de inflação foi abandonada em 2015 e revisam para cima suas previsões para o IPCA do ano. “A meta já foi perdida. O Banco Central vai ter que explicar o que o levou a não cumprir a meta (de 4,5%), apesar da tolerância de 2 pontos porcentuais (até 6,5%). Estamos com uma previsão de 7,4% de inflação em 2015, mas já começamos a ouvir que pode chegar a 8%”, disse o economista Marcel Caparoz, analista da RC Consultores.

Governo ficou devendo R$ 320,5 milhões a empreiteiras da Lava Jato em 2014

dinheiro bloqueadoEm 2014, o governo federal deixou de pagar R$ 320,5 milhões às empresas envolvidas em esquemas de corrupção investigadas pela operação da Lava Jato. Os recursos se referem ao pagamento de obras ou serviços já executados pelas empreiteiras e reconhecidos pelo governo, mas que ficaram parados na boca do caixa. Como não foram pagos, os valores foram inscritos como restos a pagar processados em 2015.
Em outras palavras, os restos a pagar processados representam as despesas públicas liquidadas, ou seja, nas quais o serviço que deu origem a esse gasto já foi efetuado e reconhecido pelo ordenador de despesas, faltando, apenas, o desembolso efetivo do dinheiro (pagamento). Do total de restos a pagar processados transferidos para esse ano, R$ 293,3 milhões são referentes a serviços prestados em 2014. Os outros R$ 27,2 milhões foram reinscritos, isto é, referem-se a empreendimentos finalizados em anos anteriores.