9 de março de 2015

MP não devolve ofício e habeas corpus de Riva não será julgado nesta terça-feira

Flávia Borges
Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto
MP não devolve ofício e habeas corpus de Riva não será julgado nesta terça-feira
No que depender da Justiça Estadual, o ex-deputado José Geraldo Riva não vai deixar a cadeia, pelo menos até a próxima terça-feira (17). Ocorre que o mérito do habeas corpus, negado monocraticamente pelo desembargador Rondon Bassil Dower Filho, não consta na pauta de julgamento da Primeira Câmara Criminal, que se reúne todas as terças-feiras. A expectativa da defesa era que o mérito fosse votado neste dia 10.

"O Estado tem critérios e não contrata servidor ficha suja"

DOUGLAS TRIELLI


O secretário-chefe da Casa Civil, Paulo Taques, responsável, junto com o governador Pedro Taques (PDT), pela validade das contratações do Governo, afirmou que também usa “critérios subjetivos” nas nomeações do Palácio Paiaguás.

A declaração é em resposta às críticas de que o governador não estaria respeitando o decreto número 5, que aplica os requisitos da Lei da Ficha Limpa em todos os cargos do Poder Executivo.

Dilma é vaiada nas ruas de ao menos 12 capitais durante pronunciamento

dilmadiscuros
A presidente Dilma Rousseff foi vaiada nas ruas de ao menos 12 capitais durante pronunciamento de rádio e TV neste domingo (8), por ocasião do Dia Internacional da Mulher. Durante a fala, motoristas fizeram buzinaços em São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Vitória, Curitiba, Porto Alegre, Goiânia, Belém, Recife, Maceió e Fortaleza.
Em São Paulo, nas janelas dos prédios, moradores batiam panelas, xingavam a presidente, enquanto piscavam as luzes dos apartamentos. No bairro de Pinheiros, zona oeste, as buzinas e gritos da “Fora, Dilma!” e “Fora, PT!” começaram assim que foi ao ar o pronunciamento, e duraram até três minutos depois do final da transmissão. As pessoas gritavam das janelas dos prédios, principalmente, mas também de dentro dos carros.
No Rio, gritos e vaias durante o pronunciamento da presidente foram ouvidos em diversos bairros, como Copacabana, Leme (na zona sul), Méier, Tijuca (bairros de classe média da zona norte), Santa Teresa (centro) e Barra da Tijuca, bairro nobre da zona oeste. Em alguns locais, segundo relato de moradores, pessoas saíram às janelas batendo panelas e motoristas que estavam nas ruas buzinavam durante o discurso de Dilma na TV. Na Barra, o protesto foi mais intenso e, em vários prédios e condomínios, moradores se manifestaram contra a presidente.

Para barrar derrotas, Planalto vai ignorar ataques do PMDB

dilma-zangada-300x168Em meio a uma guerra aberta com o comando peemedebista do Congresso e sob ameaça de novas retaliações como uma CPI no setor elétrico, o Palácio do Planalto decidiu ignorar os ataques de Eduardo Cunha e Renan Calheiros para tentar refazer as pontes com os dois caciques. Segundo a Folha, a prioridade é tentar salvar as medidas de ajuste fiscal que necessitam de aprovação no Congresso.
Incluídos no rol de investigados da Operação Lava Jato, os presidentes da Câmara, Cunha (PMDB-RJ), e do Senado, Renan (PMDB-AL), acusaram o governo de ter influenciado na decisão da PGR (Procuradoria-Geral da República) de pedir inquéritos contra eles. O Planalto e a PGR negam.
Para tentar a reaproximação, Dilma escalou Aloizio Mercadante (Casa Civil) para procurar Cunha e Renan. Já ela irá encontrar-se com o vice, Michel Temer (PMDB-SP), na manhã desta segunda (9). O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, deve participar. À tarde, Dilma recebe líderes aliados do Senado.

Cunha descarta deixar cargo de presidente da Câmara

cunhacamara
O deputado Eduardo Cunha (PMDB­RJ) descartou a possibilidade de deixar o cargo de presidente da Câmara para se defender no inquérito do Supremo Tribunal Federal (STF) que investiga seu possível envolvimento no esquema de corrupção da Petrobras. O peemedebista afirmou que não há motivo para nenhum deputado investigado deixar cargos em comissões da Câmara e no Conselho de Ética.
Em entrevista que vai ao ar às 23h15 deste domingo, no programa “Jogo do Poder”, da Rede CNT, gravada na sexta-feira, no Rio, Cunha criticou o procurador geral da República, Rodrigo Janot, por ter pedido abertura de inquérito contra 49 políticos citados durante as investigações da Operação Lava Jato, da Polícia Federal.
“Óbvio que não farei isso (se afastar da presidência). Fui líder do PMDB com uma denúncia, fui julgado e absolvido, fui presidente da Comissão de Constituição e Justiça quando tive um inquérito. Todos são iguais no exercício do mandato. Todos são qualificados enquanto estiverem lá. E, finalmente, fui eleito com 267 votos (para a Presidência da Câmara)”, afirmou.

Petrolão: antes e depois

ZZZZZ11A lista dos 34 parlamentares que responderão a inquéritos no Supremo instalou uma sombra de proporções inéditas sobre o Congresso. Agora a história dos escândalos terá que ser dividida entre antes e depois do petrolão.
Pela primeira vez, o mesmo caso de corrupção atinge os presidentes das duas casas legislativas, ambos eleitos pelo PMDB. Também envolve líderes do PT, que governa o país há 12 anos, e um senador do PSDB, o principal partido de oposição.
Isso já torna a lista de Janot mais abrangente que a do mensalão, restrita à base governista na Câmara. Outros escândalos com muitos investigados, como os anões do Orçamento e os sanguessugas, atingiram poucos políticos influentes.

Um jovem morre vítima de álcool a cada 36 horas no Brasil

stk92553corA morte do universitário Humberto Moura Fonseca, de 23 anos, em uma festa em Bauru, no sábado passado, após a ingestão de 25 doses de vodca, não é uma situação tão incomum no país. Dados levantados pelo jornal O Estado de S. Paulo no portal Datasus mostram que, a cada 36 horas, um jovem brasileiro morre de intoxicação aguda por álcool ou de outra complicação decorrente do consumo exagerado de bebida alcoólica.
De acordo com informações do Ministério da Saúde reunidas no portal, foram registradas em 2012, último dado disponível, 242 mortes na faixa etária dos 20 aos 29 anos causadas por “transtornos por causa do uso de álcool”, conforme definido na Classificação Internacional de Doenças (CID).

Lei do Feminicídio será sancionada hoje

A presidenta Dilma Rousseff anunciou que vai sancionar nesta segunda-feira (9), em cerimônia às 15h, no Palácio do Planalto, a Lei do Feminicídio. A assinatura ocorrerá antes de esgotar o prazo estabelecido após a aprovação pelo Congresso Nacional e encaminhamento para a Presidência da República, estabelecido pela Constituição em 15 dias úteis para sanção ou veto.

Saindo do seu bolso: Camareiras e banho de prata em utensílios da vice-presidência custarão R$ 16,3 mil

meu-dinheiro1O Gabinete da Vice-Presidência já assegurou a contratação de empresa para prestar serviços de camareira e para dar mais brilho nos utensílios domésticos do Palácio do Jaburu.
Juntos, os gastos somam R$ 16,3 mil aos cofres públicos.
Para as quatro camareiras que atendem o órgão foram reservados R$ 9,7 mil.
Já o banho de prata totalizará R$ 6,6 mil.
De onde vai sair a “dinherama”?
É fácil descobrir!