16 de março de 2015

Dilma nega crise com o Congresso

dilmadiscuros
O Congresso Nacional “não tem sido adverso” ao governo, disse a presidenta José Cruz/Agência Brasil
Apesar de ter sido alvo de críticas na sua relação com o Congresso Nacional e de ter sido obrigada a voltar atrás em recentes medidas, a presidenta Dilma Rousseff disse que o Legislativo “não tem sido adverso” a seu governo. Ela admitiu, no entanto, que não vê embate quando as propostas são explicadas e debatidas antes com os parlamentares.
Dilma deu as declarações em entrevista coletiva na qual comentou as reações do governo às manifestações de ontem (15), que levaram milhares de brasileiros às ruas de todas as regiões do país. Segundo ela, uma das atitudes que o Executivo vai tomar, em sintonia com a voz das ruas, é o envio, ainda nesta semana, de um pacote anticorrupção e pelo fim da impunidade, promessa feita durante campanha eleitoral no ano passado.

Aniversário do governador Pedro Taques foi comemorado no dia do protesto

Taques (PDT) completou 47 anos neste domingo (16). Em seu único pronunciamento feito no dia, pelo Facebook, o pedetista preferiu, no entanto, falar sobre os protesto contra a corrupção e contra o Governo Federal. “ Precisamos ouvir com humildade a voz das ruas para que o bem comum seja almejado por meio das ações dos governantes”, defendeu. “Desejo uma manifestação pacífica, sem violência, e com respeito ao patrimônio público e particular. Um bom domingo!”.

Após protestos, Aécio Neves cita Taques por envergadura para liderar debandada de partidos da base de Dilma

Ronaldo Pacheco
Foto: Danilo Bezerra/ Olhar Direto
Pedro Taques apoiou Aécio Neves, no ano passado: vitória tucana com 54% dos votos, em Mato Grosso
Pedro Taques apoiou Aécio Neves, no ano passado: vitória tucana com 54% dos votos, em Mato Grosso
A expectativa de que o governador José Pedro Taques (PDT) se consolide como um dos líderes a puxar a fila da dissidência dos partidos aliados do governo Dilma Rousseff levou o senador mineiro Aécio Neves (PSDB) a citá-lo, em entrevista ao blogueiro Josias de Souza, do UOL, após os protestos ocorridos no último domingo (15).

Ex-pastor, advogado e empresário estão entre os líderes do ‘fora, Dilma’

foradilmaCom afinidade com as redes sociais, três profissionais liberais se destacam na linha de frente das mobilizações populares que, nos últimos anos, têm dado dor de cabeça a quem está no poder. Além deles, um jovem “liberal” de 19 anos, que encabeça o Movimento Brasil Livre (MBL), ajuda a engrossar as fileiras que, amanhã (domingo, 15), estarão alinhados em protestos pelo Brasil com basicamente dois propósitos: o fim da corrupção e a retirada da presidenta Dilma Rousseff – e do PT – do comando do país.
Com o título “De onde vem a revolta”, reportagem da revista IstoÉ deste fim de semana esboça um perfil de cada um desses “Revoltados Online” – nome do grupo mantido no Facebook pelo ex-pastor Marcello Reis, que perdeu o emprego em dezembro depois de ir a Brasília protestar contra a aprovação do projeto que reviu a meta de superávit fiscal. O sonho de Marcello, registra a revista, é “tirar o PT do poder”.
Além do Movimento Brasil Livre e do Revoltados Online, ambos a favor do impeachment de Dilma, a revista registra informações sobre outros dois grupos de protesto contra desmandos políticos – o Vem pra Rua e o Quero me Defender, que não veem fundamentação jurídica nem contexto político para a cassação da petista. Eles estarão nas ruas amanhã (domingo, 15), mas para protestar contra a corrupção e o mau momento da economia.

Temer diz que será difícil acabar com financiamento de campanhas por empresas

temerentrevista
O vice-presidente da República, Michel Temer, voltou a defender hoje (16) o voto majoritário para vereadores, deputados estaduais e federais, o chamado o distritão. Em palestra na Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), Temer disse que será difícil eliminar o financiamento empresarial de campanhas políticas, como defendem setores da sociedade. Para ele, o financiamento é uma “contribuição do exercício da cidadania”.
Segundo Temer, o sistema proporcional, adotado hoje, leva em conta os votos de cada candidato e o conjunto de votos recebidos pelo partido,o que obriga as legendas a procurar pessoas com potencial de alavancar votos, em detrimento da afinidade ideológica. Com o voto majoritário, no qual ganha, de fato, o candidato mais votado, ele acredita que a representatividade nas câmaras será mais justa e democrática.

Deputado Baiano Filho já se considera governista e quer levar PMDB à base de Taques

O deputado estadual Baiano Filho (PMDB) já se considera integrante da bancada governista na Assembleia e articula para aproximar os correligionários Silvano Amaral e Romoaldo Júnior do Palácio Paiaguás. “Já decidi apoiar o Governo e estou fazendo este debate com meus companheiros. Quando a direção estadual do PMDB nos chamar para debater o assunto, vou defender a adesão. Temos que ajudar o Executivo, levar críticas construtivas e apoiar as ações em prol do desenvolvimento de Mato Grosso”, disse em entrevista ao Rdnews.

CRO-MT repudia declaração de ministro Aluizio Mercadante

O ministro Aloizio Mercadante,
que fez comparação com dentistas
O Conselho Regional de Odontologia de Mato Grosso repudiou as declarações de Aluizio Mercadante, ministro-chefe da Casa Civil da presidente Dilma Rousseff (PT). No último dia 9 de março, ele comparou o ajuste fiscal no Brasil com consultas odontológicas. “O ajuste fiscal é mais ou menos que nem ir ao dentista. Ninguém quer, mas tem que ir. De vez em quando, a gente tem que ir ao dentista e tem que fazer o ajuste fiscal. Quanto mais rápido, melhor para o país”.


Segundo o conselho, a comparação do ministro "desmotiva a população" a cuidar da saúde bucal, ficando nítida a relação com a dor, e que as visitas são desagradáveis. "É notável o avanço científico e tecnológico da Odontologia Brasileira. Alguns procedimentos tornaram-se menos invasivos, diminuindo a dor, proporcionando maior conforto, melhoria na mastigação, da autoestima e na qualidade de vida dos brasileiros", disse o conselho. Mídia News

SUPOSTAS FRAUDES: Justiça mantém bloqueio de R$ 2,3 milhões de dono de gráfica em Mato Grosso

LUCAS RODRIGUES
DO MIDIAJUR

Por falta de documentos considerados obrigatórios, a desembargadora Nilza Maria Pôssas de Carvalho, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, negou seguimento a recurso interposto pelo empresário Jorge Defanti, dono da da Gráfica Defanti, que tentava reverter decisão de primeira instância que bloqueou seus bens em R$ 2,3 milhões.

A decisão foi proferida na última sexta-feira (13). O bloqueio de bens, decretado liminarmente em janeiro, também atingiu o então deputado José Riva (PSD) e o deputado Mauro Savi (PR), além dos servidores públicos Luiz Márcio Bastos Pommot, Djan da Luz Clivati e Gleisy Ferreira de Souza.

Após 25 dias, Habeas Corpus que definirá futuro de Riva será julgado nesta terça às 15h

Arthur Santos da Silva
Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto
Após 25 dias, Habeas Corpus que definirá futuro de Riva será julgado nesta terça às 15h
 A 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), composta pelos desembargadores Rui Ramos, Marcos Machado e Rondon Bassil julgará, nesta terça-feira (17) às 15h, o mérito do Habeas Corpus interposto pelo ex-deputado estadual José Riva (PSD).

O ex-presidente da Assembleia Legislativa está preso no Centro de Ressocialização de Cuiabá, Carumbé, desde o dia 21 de fevereiro. A detenção foi determinada pela juíza Selma Arruda, da Vara Contra o Crime Organizado da Capital. As acusações que culminaram na prisão dizem respeito a suposto desvio de, pelo menos, R$ 60 milhões dos cofres públicos, em um envolvendo cinco empresas do ramo de papelaria, todas de 'fachada'. O esquema foi investigado pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco).

Morre terceira vítima de explosão em gabinete da Assembleia Legislativa

atrícia Neves
Foto: Wesley Santiago - Olhar Direto
Morre terceira vítima de explosão em gabinete da Assembleia Legislativa
O trabalhador Luciano Henrique Perdiza, de 24 anos, faleceu no início da tarde de hoje, 16 de março, depois de ser internado em uma Unidade de Terapia Intensiva do Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá (PSMC), em decorrência da explosão registrada no gabinete 114, da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, na noite de sexta-feira,13. Luciano é a terceira vítima da explosão e a informação quanto ao falecimento foi confirmada pela assessoria da presidência da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (AL-MT), que atua no caso desde o episódio. No dia seguinte ao acidente falaceram Wagner Nunes de Almeida e Jonathan Bruno Paes.

Carlos Lupi e possível saída de Pedro Taques do PDT

Reconduzido à direção nacional do PDT, Carlos Lupi acompanha à distância os passos de Pedro Taques (foto), com quem não consegue, há um bom tempo, estabelecer boa relação política.

E chegou a conclusão de que o governador mato-grossense está disposto a deixar o partido.

Não sente-se à vontade. Taques demonstra simpatia pelo PSDB. Busca pretexto para, uma vez saindo da legenda pedetista, não correr risco de perder o mandato com base na lei pró-fidelidade.

Um dos argumentos seria a pressão que vem sofrendo e que o tornaria vítima. Mas um dos que atacam o governo, deputado Zeca Viana, recebeu orientação de Lupi para não mais bater no "companheiro".

A dupla Lupi-Zeca está chateada porque o governador não dá a mínima atenção. Nem um telefonema.

MULTIDÃO: Manifestações reuniram 2 milhões no país

DO UOL

Cerca de 2 milhões de pessoas foram às ruas para protestar contra o governo federal e contra a corrupção neste domingo (15) em todos os Estados do país, além do Distrito Federal, segundo cálculos da Polícia Militar de cada Estado. Houve registro de incidentes em São Paulo e Brasília.

No começo da noite, o governo escalou os ministros José Eduardo Cardozo (Justiça) e Miguel Rossetto (Secretaria-Geral da Presidência) para comentarem os atos. Cardozo disse que o Brasil está longe do golpismo e prometeu lançar nos próximos dias medidas de combate à corrupção e à impunidade.

Mistura de etanol na gasolina sobe nesta segunda-feira

A partir desta segunda-feira (16), a gasolina usada pelos brasileiros passa a ter mais etanol em sua composição. O percentual do biocombustível na mistura passa de 25% para 27% para as gasolinas comum e aditivada. Para a premium, o percentual segue em 25%.


Ao anunciar a medida no início do mês, o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, informou que a decisão de não aplicar a mudança para a gasolina premium foi tomada a pedido das associações de fabricantes de veículos, a Anfavea.

R$ 192 milhões: Juiz aceita denúncia contra o ex-secretário de Estado Éder Moraes

O juiz Jeferson Schneider, da 5ª Vara Federal de Mato Grosso, recebeu a denúncia ingressada do Ministério Público Federal (MPF) contra o ex-secretário de Estado Éder Moraes e os empresários do ramo de transportes Genir Martelli e Márcio Luiz Barbosa. A medida foi tomada na última sexta-feira (13). Os três são acusados dos crimes de lavagem de dinheiro, corrupção ativa e corrupção passiva.


Segundo o MPF, Eder Moraes articulava a concessão de incentivos fiscais irregulares às empresas -  um total de R$ 192 milhões, e os valores eram posteriormente abatidos no pagamento no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Como "recompensa" ao grupo político envolvido no esquema, conforme a denúncia, os empresários repassavam parte do valor recebido como crédito fiscal.

Jornalista Dorjival Silva participa como um dos incentivadores do ato contra Dilma em Brasnorte

Dorjival Silva e a esposa Caroline Silva em ato contra corrupção 
O jornalista e professor Dorjival Silva (PDT), acompanhado da esposa, bióloga Franciele Caroline, participou do ato contra as políticas desastrosas do governo federal e pelo afastamento da presidente Dilma, realizado na tarde deste domingo (15) na Praça da Bíblia, em Brasnorte, interior de Mato Grosso.

Dorjival Silva foi o maior incentivador do protesto que reuniu cerca de 50 pessoas entre empresários, profissionais Liberais, professores, donas de casas e jovens.

“Brasnorte não poderia ficar de fora de um momento tão significativo para a história do Brasil. Fomos às ruas para cobrar das autoridades políticas mais respeito com a população, o fim da corrupção e o afastamento da presidente Dilma”, disse o jornalista que é o presidente do PDT no município. 

Qual é a saída para Dilma? Analistas e políticos listam três áreas de atuação

Acuada pela oposição, por aliados hostis e pelas críticas vindas das ruas ? inclusive de seus próprios eleitores ? a presidente Dilma Rousseff enfrenta a maior crise desde que chegou ao Planalto, há pouco mais de quatro anos: tem diante de si a árdua tarefa de superar o isolamento e restaurar a confiança da população em meio a um escândalo de corrupção de grande monta, uma economia fragilizada e ânimos cada vez mais polarizados.

Segundo estimativas, cerca de 2 milhões de pessoas estiveram nas ruas de várias cidades brasileiras para externar sua insatisfação com as políticas do governo, pressionando ainda mais a presidente que deverá se empenhar em encontrar uma solução para a crise.

NOVA FASE DA LAVA JATO PRENDE RENATO DUQUE E ADIR ASSAD


Um dia depois das manifestações, a Polícia Federal deflagra a décima fase da Operação Lava Jato, batizada de 'Que país é esse?', numa alusão a uma música de Renato Russo; foram presos Renato Duque, ex-diretor de Serviços da Petrobras, e Adir Assad, empresário que foi acusado, durante a CPI do caso Cachoeira, de emitir notas frias para empreiteiras, sobretudo a Delta Engenharia; ao todo, 40 policiais participam da operação; são dois mandatos de prisão preventiva, quatro de prisão temporária e 12 de busca e apreensão; a decisão pode criar conflito com o Supremo Tribunal Federal, uma vez que o ministro Teori Zavascki determinou, em janeiro, a soltura de Duque, alegando que não havia risco de fuga do País

Um dia depois das manifestações, a Operação Lava Jato entrou em sua décima fase.

Foram presos preventivamente Renato Duque, ex-diretor de Serviços da Petrobras, e Adir Assad, empresário acusado, durante a CPI do caso Cachoeira, de emitir notas frias para empreiteiras – sobretudo, a Delta.

Ao todo, 40 homens da Polícia Federal cumprem dois mandados de prisão preventiva, quatro de prisão temporária e 12 de busca e apreensão.

Esta décima fase da Lava Jato foi batizada de 'Que país é esse?', numa alusão a uma música composta por Renato Russo, da Legião Urbana, que fez sucesso na década de 80.


A decisão pode criar conflito com o Supremo Tribunal Federal, uma vez que o ministro Teori Zavascki determinou, em janeiro, a soltura de Duque, alegando que não havia risco de fuga do País.

Imprensa internacional repercute manifestações contra Dilma

As manifestações nas principais capitais brasileiras contra a presidente Dilma Rousseff e que levaram mais de um milhão de pessoas às ruas neste domingo (15/03) tiveram repercussão internacional.
Os sites da rede britânica BBC e do jornal norte-americano The Wall Street Journal deram destaques para o protesto na primeira página.
ex um
A matéria da BBC sobre o movimento enfatizou que as milhares de pessoas que foram às ruas pedindo o impeachment da governante e que a cidade de São Paulo abrigou o maior de todos os protestos.
O diário britânico The Guardian também fez uma matéria sobre as manifestações em várias cidades brasileiras, citando que milhares de pessoas pediam o impeachment de Dilma. O artigo do jornal ainda citava pessoas afirmando que não queriam que o país se transformasse em uma Venezuela.
guardia
A chamada do The Wall Street Journal deu destaque para o fato de mais de um milhão de pessoas foram para as ruas em, no mínimo, 11 capitais e dezenas de cidades menores em todo o país demonstrando frustração com o governo da presidente Dilma.
wall
Com informações da Agência Brasil

‘Silêncio de Dilma é sinal de covardia’, diz Aécio

aecio dilma debate
O senador Aécio Neves, presidente do PSDB, lamentou que Dilma Rousseff não tenha se pronunciado neste domingo sobre os protestos que a hostilizaram nas ruas do país. “O silêncio da presidente Dilma é um sinal de covardia”, disse ele, numa entrevista que concedeu ao blogue do ter coragem, sobretudo nos momentos mais difíceis.”
Aécio anunciou que organiza para esta terça-feira um encontro com os líderes da oposição e dissidentes governistas. “Precisamos definir qual é a nossa agenda. Faremos isso a partir do que as pessoas estão cobrando. Se o governo não se mexe, agimos nós”, disse.
Na avaliação do senador tucano, Dilma e o PT vivem uma crise mais grave do que aquela que se seguiu à explosão do escândalo do mensalão, em 2005. “Depois de 12 anos de governos do PT, é a primeria vez que eles encontram uma oposição conectada com o sentimento das ruas. Isso é algo que eles não tinham enfrentado ainda.”

Além de pacote anticorrupção, Dilma acelera mudanças no ministério

dilmamanifesto
Além de enviar esta semana ao Congresso o pacote anticorrupção, Dilma Rousseff apressa as mudanças no ministério para responder às manifestações e tentar estancar a crise política. A saída de Pepe Vargas da Secretaria de Relações Institucionais é “iminente”, segundo ministros à coluna Painel. O PMDB deve ganhar a pasta da Integração Nacional. Dilma quer, ainda, que Cid Gomes (Educação) vá à Câmara pedir desculpas por ter dito que existem entre 300 e 400 deputados “achacadores”.

‘Impeachment não vai adiantar’, diz líder pró-intervenção militar

Em meio aos protestos deste domingo (15) pelo Brasil, parte dos manifestantes defendeu abertamente uma intervenção militar para derrubar Dilma Roussef da presidência da República. Inconstitucional, o ato, já executado em 1964, não está na pauta dos três principais organizadores das manifestações de ontem – Movimento Brasil Livre, Vem Pra Rua e Revoltados Online.
“Entendemos que o governo todo está tomado por corrupção. Só os militares podem resolver. São 32 partidos políticos hoje e 17 são comunistas. Eles estão infiltrados na pátria. O impeachment não vai adiantar. Sai a presidente e fica o Congresso. A coisa toda está tomada. Por isso, só com intervenção militar”, disse o empresário Aparecido Duca, 59, um dos três líderes civis do SOS Forças Armadas, na avenida Paulista, em São Paulo.

Investigados na operação Lava Jato dobraram patrimônio

dinheiro_sacosSegundo reportagem d’O Globo, alguns políticos investigados na operação Lava Jato tiveram um crescimento gigantesco em seus patrimônios como, por exemplo, o senador Fernando Collor (PTB-AL) que teria aumentado o seu patrimônio em 175% em oito anos. Ele declarou ter R$ 7,3 milhões em 2006, já em 2014 seu patrimônio atingiu R$ 20,3 milhões. Outra citada foi a ex-ministra da Casa Civil, senadora Gleisi Hoffmann (PT),  que passou de R$ 736 mil em 2006 para R$ 1,4 milhão em 2014.
A publicação afirma ainda que dos 20 que enriqueceram, oito tiveram ganho patrimonial acima de 100% em apenas quatro anos. Os bens do deputado federal Arthur Lira (PP-AL) passaram de R$ 495 mil em 2002 para R$ 1,1 milhão em 2006. Em 2010, chegaram a R$ 2,7 milhões, mas caíram em 2014 para R$ 1,2 milhão. O parlamentar diz que a oscilação é natural.

10ª fase da Operação Lava Jato cumpre 18 mandados no RJ e SP

A Polícia Federal cumpre a 10ª fase da Operação Lava Jato desde as 6h desta segunda-feira (16) no Rio de Janeiro e em São Paulo. Conforme a PF, serão cumpridos: dois mandados de prisão preventiva, quatro mandados de prisão temporária e 12 mandados de busca e apreensão.
Também conforme a PF, um dos mandados é contra o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque. Ele foi preso na casa dele, no Rio de Janeiro. Entre os crimes investigados nesta etapa da operação estão associação criminosa, uso de documento falso, corrupção passiva e ativa, fraude em licitação e lavagem de dinheiro.

Partidos podem ter de indenizar a Petrobras

petrolaoOs partidos políticos envolvidos no escândalo da Operação Lava Jato podem ser obrigados a responder financeiramente pelos prejuízos causados à Petrobras, caso se comprove que eles receberam mesmo propina.

Polícia Federal deflagra décima fase da Operação Lava Jato

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã de hoje (16) a décima fase da Operação Lava Jato, intitulada Que País é Esse, que investiga desvios de recursos na Petrobras. Cerca de 40 policiais federais cumprem 18 mandados judiciais: dois de prisão preventiva, quatro de prisão temporária e 12 mandados de busca e apreensão. Os mandados estão sendo cumpridos nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro e foram expedidos pela 13ª Vara Federal de Curitiba.

Manifestação contra governo Dilma é a maior desde as ‘Diretas-Já’

pau hoje
Uma multidão foi neste domingo, 15, às ruas para protestar contra a presidente Dilma Rousseff, dois meses e meio após ela dar início ao segundo mandato numa acirrada disputa com o PSDB, principal adversário político do PT. Os manifestantes pediram o fim da corrupção, reclamaram da situação econômica e defenderam o impeachment da presidente. Uma minoria falou em intervenção militar. O antipetismo foi a marca comum entre todos os grupos que decidiram protestar.
Segundo o instituto Datafolha, essa foi a maior manifestação política registrada no Brasil desde o movimento das Diretas-Já, em 1984. Em São Paulo, a Avenida Paulista foi praticamente toda tomada. Grupos organizados discursaram de carros de som para um público predominantemente vestido de verde e amarelo. Políticos de oposição até participaram dos protestos, mas preferiram ficar à margem, sem comandar palavras de ordem. Aécio Neves (PSDB) e Marina Silva (PSB), principais adversários de Dilma em 2014, comemoraram a mobilização via rede social.
Estado de São Paulo