14 de maio de 2015

Estilo "largadão" de vereador e ex-prefeito de Várzea Grande repercute na internet

A vestimenta não define o caráter das pessoas. No entanto, o estilo "largadão" do vereador por Várzea Grande Maninho de Barros (PSD) causa furor nas redes sociais e tem gerado inúmeros comentários. Nesta quarta (13), o social-democrata posou com a camisa desabotoada e exibindo a barriga ao lado da deputada estadual Janaína Riva (PSD), em foto postada no Instragram e Facebook, destacando visita do correligionário ao gabinete na Assembleia.

 Ontem à noite, Maninho de Barros ainda foi flagrado pelo jornal A Gazeta exibindo a barriga na Arena Pantanal, enquanto assistia Cuiabá x Vasco. A imagem foi publicada na coluna Aparte.

Na semana passada, Rdnews já havia flagrado Maninho de Barros em situação similar no gabinete do prefeito de Várzea Grande. Em plena crise gerada pela cassação de Walace Guimarães (PMDB), o vereador estava de barriga amostra, deitado no sofá e fumando sem se preocupar com a presença de jornalistas.


O estilo despojado já é considerado marca pessoal de Maninho de Barros. O desleixo pega mal para o vereador no terceiro mandato, ex-prefeito de Várzea Grande por três meses e servidor de carreira do Tribunal de Contas do Estado.  

Aluno coloca hino de time em redação do Enem

A divulgação dos espelhos das redações do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) está causando questionamento sobre os critérios de avaliação do MEC (Ministério da Educação) quanto as notas obtidas pelos candidatos.
Dois estudantes do Rio Grande do Norte e da Paraíba escreveram brincadeiras nos textos e conseguiram obter notas acima de 600 pontos. Os candidatos citaram hino de time de futebol e a data do aniversário no contexto do tema “Publicidade infantil em questão no Brasil”.
Apaixonado pelo time de futebol Flamengo, Francisco Elias da Silva, 26, do Rio Grande do Norte, disse que resolveu “homenagear” o rubro-negro e escreveu o hino no terceiro parágrafo da redação.
Silva mora na cidade de Alto Rodrigues (RN), localizada no Vale do Açu, e cursa Ciências Contábeis em uma faculdade particular no município de Assu.
“Essa foi a quarta vez que fiz Enem e observei que a nota que obtive em 2010 foi melhor do que a de 2013, mesmo eu achando que o texto não tinha sido tão bom quanto o outro. Ano passado tive a ideia para testar se corrigiram a sério mesmo a prova e vi que tem algo estranho”, disse o estudante.
 

Ex-deputados são denunciados por envolvimento na Operação Lava Jato

tres na cadeia
O Ministério Público Federal (MPF) denunciou os ex-deputados André Vargas, Pedro Corrêa e Luiz Argôlo à Justiça Federal do Paraná, nesta quinta-feira (14). Além deles, outras 10 pessoas foram denunciadas, dentre elas a filha de Pedro Corrêa, Aline Corrêa, que também foi deputada federal. As três denúncias são relacionadas à11ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada em abril, e são referentes ao núcleo de cada ex-parlamentar.
Veja os acusados e os crimes em cada denúncia:
– Núcleo André Vargas
André Luiz Vargas Ilário – Corrupção, Lavagem de dinheiro, Organização Criminosa.
Leon Dênis Vargas Ilário – Corrupção, Lavagem de dinheiro, Organização Criminosa.
Milton Vargas Ilário – Corrupção, Lavagem de dinheiro, Organização Criminosa.
Ricardo Hoffmann – Corrupção, Lavagem de dinheiro, Organização Criminosa.
-Núcleo Pedro Corrêa
Pedro Corrêa – Corrupção passiva, Lavagem de dinheiro, Peculato.
Ivan Vernon – Lavagem de dinheiro, Peculato, Organização criminosa.
Márcia Danzi – Lavagem de dinheiro, Organização criminosa.
Aline Corrêa – Peculato.
Alberto Youssef – Lavagem de dinheiro.
Rafael Ângulo Lopez – Lavagem de dinheiro.
Fábio Corrêa – Lavagem de dinheiro, Organização Criminosa.
– Núcleo Luiz Argôlo
Luiz Argôlo – Corrupção, Lavagem de dinheiro, peculato.
Alberto Youssef – Corrupção, Lavagem de dinheiro.
Rafael Ângulo Lopez – Corrupção, Lavagem de dinheiro.
Carlos Alberto Costa – Corrupção, Lavagem de dinheiro.
Os ex-parlamentares estão entre os sete presos da 11ª etapa da ação da Polícia Federal (PF). Eles seguem presos na carceragem da Polícia Federal em Curitiba. Paraná, Bahia, Ceará, Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo foram os seis estados envolvidos na 11ª etapa da operação, que foi batizada de “A Origem”.

José Dirceu, à espera de nova prisão

jose_dirceuEm prisão domiciliar depois de ter ficado preso por pouco mais de um ano na Penitenciária da Papuda, em Brasília, José Dirceu, ex-ministro-chefe da Casa Civil do governo Lula, apontado pela Justiça como o cabeça do esquema do mensalão, corre o risco de ser preso novamente – desta vez por ordem do juiz Sérgio Moro, do Paraná, que investiga a corrupção na Petrobras.
Moro pediu à construtora OAS documentos que comprovassem seus negócios com a JD Consultoria, empresa de José Dirceu. A OAS negou-se a fornecê-los. Alegou que eles poderiam ser usados pelo juiz para decretar a prisão de alguns dos seus executivos. Citou em defesa de sua posição decisões da Justiça de Portugal e da Alemanha, que aqui não são válidas.
Mais de uma vez, o ex-ministro se ofereceu para dar explicações a Moro sobre os serviços prestados à OAS. O juiz não respondeu às ofertas. Advogados que acompanham a evolução da chamada Operação Lava-Jato alertaram José Dirceu para a possibilidade de ela ser preso de uma hora para a outra. Vários deles acham que Moro atravessa um momento de fraqueza à frente da Lava-Jato.
O Supremo Tribunal Federal soltou executivos de empresas que eram mantidos presos em Curitiba. E como quis vender caro a delegação premiada que interessava a Ricardo Pessoa, dono da empreiteira UTC, Moro acabou vendo Pessoa acertar a delação com Rodrigo Janot, Procurador Geral da República.
– Moro cobrou de Ricardo Pessoa mais revelações do que ele gostaria de fazer. Janot cobrou menos e levou – explica um dos advogados.
A eventual prisão de José Dirceu seria também mais um passo a ser dado por Moro na direção de Lula. O juiz suspeita que Lula está por trás do que aconteceu na Petrobras.
Por Ricardo Noblat

Apagão atinge região central de Mato Grosso por meia hora na noite desta terça-feira

Um apagão atingiu várias cidades do estado de Mato Grosso no início da noite desta quinta-feira (14). 
Internautas informam que a capital Cuiabá ficou totalmente às escuras por mais de  30 minutos. 
Segundo informações da assessoria de impressa da Energisa, a queda não foi no sistema da energisa e sim no operador nacional do sistema. 
O problema foi em duas linhas de transmissão nacional que trazem a energia para Mato Grosso. O apagão foi solucionado relativamente rápido, já que as energias foram sendo religadas aos poucos, pois não se pode religar todas ao mesmo tempo.
O Operador Nacional do Sistema Elétrico ainda não se sabe, com exatidão qual foi o motivo da queda nem qual o número de cidades no estado afetadas.
O que se sabe até o momento é que o apagão atingiu a região central e oeste de Mato Grosso. 
HÁ UM ANO
No final de março do ano passado, um outro apagão deixou sem energia 141.187 mil consumidores na Baixada Cuiabana. Com períodos que variaram de 10 minutos a uma hora, as luzes de bairros da Capital e da cidade de Chapada dos Guimarães, permaneceram completamente apagadas.

Na época, a então concessionára Rede Cemat  explicou que o problema foi ocasionado devido o de um cabo de alta tensão na linha que vai da usina Casca III, em Chapada, até a subestação Barro Duro, em Cuiabá. Além disso, a empresa registrou defeito interno na SE Barro Duro, provavelmente ocasionado por descarga atmosférica.

As corrências provocaram o desligamento da subestação Barro Duro e de A interrupção começou às 19h09 e durou 10 minutos para os bairros da região do Coxipó e Cidade Alta. Já para os bairros da região do Bosque da Saúde, Canjica e Lixeira, a interrupção durou cerca de uma hora. 

Em 2015, o Prêmio Empresário do Ano vai para Edelo Ferrari

A Associação Comercial e Empresarial de Brasnorte – ACIB entrega no próximo sábado (16), a Edelo Ferrari, o Prêmio Empresário do Ano em Brasnorte - MT.

ACIB dará o Prêmio Vereador do Ano para Pedro Coelho


Ex-presidente da Câmara Municipal de Brasnorte e ex-prefeito municipal, Pedro Coelho receberá da Associação Comercial e Empresarial de Brasnorte - ACIB, em evento festivo no sábado (16), o Prêmio Vereador do Ano.

Júnior da Saúde recebe o prêmio Homem do Ano da Associação Comercial de Brasnorte

A Associação Comercial e Empresarial de Brasnorte - ACIB entrega no próximo sábado (16) em evento festivo, o Prêmio HOMEM DO ANO para o vice-prefeito e secretário de Saúde de Brasnorte Nilson Kokojiski (Júnior da Saúde).

Cadeia à Vista: Braço direito do ex-governador Silval Barbosa estaria no alvo


Nos bastidores não se fala em outra coisa: um dos diletos auxiliares do ex-governador Silval Barbosa (PMDB) estaria sendo alvo de uma intrincada investigação. O objetivo seria conseguir colocá-lo atrás das grades. A suspeita é que o cidadão teria "lavado" uma verdadeira fortuna em um paraíso fiscal. A compra de um  apartamento em área nobre de Cuiabá - e colocado em nome de terceiros - já teria sido identificada.

Até o momento, nada de concreto foi apresentado oficialmente contra o ex-secretário. E o Ministério Público Estadual (MPE) estaria tentando obter as peças que faltam para montar o quebra-cabeça contra o ex-poderoso.

Decisão judicial libera “cinquentinhas” de emplacamento

cinquentinha1Uma decisão do juiz da 6ª Vara da Fazenda Pública, de João Pessoa, suspende a resolução do Detran-PB para o emplacamento de motos do tipo “cinquentinhas”.
Na sentença, o juiz entende que não é de competência do Estado o processo de registro de licenciamento desses veículos.
A ação foi movida pelo Sindicato dos Trabalhadores com Moto de João Pessoa.

Sem dinheiro, Caixa cria ´fila de espera´ para financiar casa

filaA Caixa Econômica Federal criou uma “fila de espera” para atender a novos pedidos de empréstimo imobiliário que usam dinheiro da poupança.
Cada agência ou regional tem uma cota de dinheiro para o crédito imobiliário. Aquelas que já emprestaram todos os recursos orientam aos clientes a procurarem outra unidade ou a aguardarem até que possa encaminhar o pedido. Não há previsão para a liberação de novos recursos, acrescenta o jornal.

Agora torou dentro! Querem aumentar o mandato de senador para 10 anos

senado nova
Alvo de uma série de pressões da cúpula do PMDB, que comanda hoje o Congresso Nacional, o relator da reforma política, Marcelo Castro (PMDB-PI), anunciou na manhã desta quinta-feira (14) alterações em seu relatório apresentado há dois dias, entre elas o aumento do mandato dos senadores de oito para dez anos.
Em seu texto original, Castro propunha o contrário: que o mandato dos 81 senadores fosse reduzido para cinco anos, de forma a coincidir com o tempo defendido por ele para os demais cargos eletivos.
A mudança de posição do relator ocorre após acerto entre os presidentes da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), segundo o qual cada Casa terá a palavra final sobre alterações que lhes dizem respeito.
“Não é razoável, não é minimamente crível que isso [aumento do mandato de senadores] possa ser uma solução desejada pelo povo brasileiro”, reclamou na sessão desta quinta o deputado Max Filho (PSDB-ES).

Por causa da Gota ex-deputado Riva pode ser internado em um hospital de Cuiabá

Uma forte crise de gota, doença congênita que eleva a quantidade de ácido úrico no sangue, forçou os médicos do Centro de Ressocialização de Cuiabá, antigo Carumbé, a mudar radicalmente a dieta alimentar do ex-presidente da Assembléia Legislativa, José Riva (PSD). Preso há 83 dias, acusado de liderar esquema de desvio de dinheiro público no legislativo estadual, o ex-deputado, segundo informou fonte de ODOC, apresentou fortes dores nas articulações dos joelhos e pés. Para conter o avanço da doença, os médicos que atenderam Riva, cortaram alimentos como feijão, tomate e carne vermelha da alimentação diária dele. Caso os sintomas não desapareçam até sexta-feira, o ex-deputado estadual poderá, com autorização judicial, ser internado em um hospital de Cuiabá.   

Tem gente dizendo que Wallace não vira o ano em liberdade

A cada dia cresce nos bastidores políticos comentários sobre a possível prisão do prefeito cassado de Várzea Grande, Wallace Guimarães (PMDB). Atolado em denúncias de corrupção, má administração pública e pagamentos suspeitos, no apagar das luzes, que antecederam a perda do mandato eletivo, Wallace ainda enfrenta investigação do GAECO (Grupo de Combate ao Crime Organizado), por envolvimento em supostas irregularidades no município. As denúncias estão sendo apuradas pelo Ministério Público Estadual, com base em documentos recolhidos durante a operação Operação Camaleão. Na bolsa de apostas, Wallace não vira o ano em liberdade.  

Sindicalistas abaixam as calças na Câmara e são retirados do plenário

calças
Em protesto pela aprovação na Câmara dos Deputados do texto principal da medida provisória 664, que restringe o acesso à pensão por morte, sindicalistas que acompanhavam a votação das galerias do plenário abaixaram as calças para mostrar as nádegas e acabaram retirados do local pela Polícia Legislativa por ordem do presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).
Apesar de somente dois sindicalistas terem sido vistos mostrando as nádegas, todos foram retirados do local.
A MP foi aprovada em uma sessão bastante tumultuada, marcada por vaias e cantoria por parte dos manifestantes.
O texto principal da MP recebeu 277 votos a favor, 178 contra e uma abstenção.
Durante a sessão, os sindicalistas que estavam nas galerias entoaram diversas vezes o coro que parodia o samba “Vou festejar”, de Beth Carvalho: “O PT pagou com traição a quem sempre lhe deu a mão”. Eles foram acompanhados por parlamentares oposicionistas. No plenário, os deputados também levaram faixas contra o governo Dilma. Houve empurra-empurra quando as faixas foram estendidas após a aprovação da MP.
Depois do esvaziamento das galerias, Cunha disse que havia tolerado as manifestações até então, mas que elas haviam passado dos limites. “Infelizmente, acabou no ambiente perdendo-se o controle”, disse, acrescentando que “o Parlamento tem que deliberar através dos seus discursos e dos seus votos”.

Lava Jato: PF pede ao STF quebra dos sigilos fiscal e bancário de Renan e Collor

A Polícia Federal (PF) pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a quebra do sigilo fiscal e bancário do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e do senador Fernando Collor (PTB-AL). Eles são investigados em inquéritos da Operação Lava Jato, abertos, em março, com base nos depoimentos de delação premiada do doleiro Alberto Youssef.
Os pedidos chegaram ao Supremo no dia 7 de maio e serão julgados pelo ministro Teori Zavascki, relator dos processos da Lava Jato. A PF também pediu autorização para cumprir diligências contra os deputados federais Aníbal Gomes (PMDB-CE) e Eduardo da Fonte (PP-PE) e o senador Valdir Raupp (PMDB-RO), todos investigados na Lava Jato.

‘Índice de infelicidade’ do brasileiro é o maior em 9 anos

A sensação de bem-estar da população brasileira medida pelo “índice de infelicidade” –soma das taxas de desemprego e inflação– atingiu no primeiro trimestre de 2015 seu pior patamar em mais de nove anos.
Entre os três últimos meses de 2014 e os três primeiros deste ano, o indicador (também conhecido como “índice de miséria”) saltou de 13,5 para 15,5 pontos. Trata-se do maior nível registrado desde o último trimestre de 2005, segundo a LCA Consultores.
O cálculo considerou a inflação, acumulada em 12 meses, de 8,1% em março e a taxa de desemprego de 7,3% (com ajuste sazonal), entre janeiro e março deste ano, segundo a Pnad Contínua, pesquisa que mede o nível de ocupação em todo o país.
infelicidade

Brasil tem recorde de mortes por arma de fogo

A cada dia, 116 pessoas morrem vítimas de armas de fogo no Brasil. Em 2012, data dos últimos dados disponíveis, foram 42.416 mortos. A principal causa das mortes foram homicídios, motivo apontado em 95% dos casos. Os dados, que fazem parte do Mapa da Violência 2015, realizado por órgãos do governo federal e Unesco, são os mais altos já registrados no país por este motivo desde 1980, início da série histórica.
Segundo a Folha, nesse período, as mortes por armas de fogo cresceram 387%, segundo a pesquisa que será divulgada nesta quinta-feira (14). Em dez anos, porém, o aumento foi menor: 11,7%. A pesquisa aponta os jovens entre 15 e 29 anos como as principais vítimas. Ao todo, foram 24.882 mortes neste grupo, o que leva a outro recorde negativo: são 59% do total de casos.

Só 5% dos hospitais no Brasil têm selo de qualidade

saudeApenas 4,61% dos 6.140 hospitais brasileiros possuem algum tipo de acreditação, espécie de chancela de que a instituição opera dentro de padrões estabelecidos de qualidade e segurança.
Não há lei que obrigue a instituição a buscar certificação, feita por empresas externas encarregadas de avaliar centenas de processos em um hospital como prontuários, taxa de infecção e capacitação de funcionários.

Vírus Chikungunya já afetou quase 2 mil em 12 estados

DENGUE-55555O Brasil registrou entre janeiro e abril de 2015 quase 2 mil casos confirmados de infecção pelo vírus chikungunya, que circula no país desde setembro de 2014 e é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, mesmo vetor da dengue, doença que já registrou 745,9 mil ocorrências apenas neste ano. A infecção pelo vírus chikungunya provoca sintomas parecidos com os da dengue, porém causa mais dor e tem menor índice de mortalidade.
Levantamento feito pelo G1 em todas as Secretarias Estaduais de Saúde aponta que de 1º de janeiro a 30 de abril foram confirmados 1.978 casos de chikungunya em 12 estados mais o Distrito Federal. Destes, 1.949 ocorreram na Bahia e no Amapá, o que corresponde a 98,5%.
O total nacional deste ano pode ser ainda maior pois há muitos exames clínicos que não foram concluídos. No período citado, foram notificadas 9.691 suspeitas da doença. Do total já confirmado, 1.935 são autóctones, ou seja, a transmissão aconteceu dentro do estado ou município. Outros 40 casos são considerados importados (doença foi adquirida fora do estado ou município). Apenas três ocorrências, todas do Amapá, não tiveram sua origem definida.

PTB e DEM avançam no processo de fusão

As negociações entre as duas legendas se mantém com relatividade frequência. O PTB entregará ao DEM documento respondendo as exigências para a fusão, que deve consolidar o processo até o final de setembro. Este é o prazo para mudança para as eleições municipais.

FETHAB : Deputado José Carlos do Pátio denuncia Famato e Aprosoja

Decidido a comprovar que indiretamente entidades como a Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso – FAMATO e a Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso – APROSOJA, entre outras receberam e recebem indevidamente recursos públicos através de Fundos Privados, supostamente abastecidos com recursos do Fundo Estadual de Transporte e Habitação – FETHAB levaram o deputado estadual José Carlos do Pátio (SD) ir ao chefe do Ministério Público do Estado de Mato Grosso, Paulo Roberto Jorge do Prado. Na denuncia formulada o parlamentar aponta que nos últimos oito anos os Fundos de, Apoio a Cultura da Soja (FACS), de Apoio à Bovinocultura (Fabov) e de Apoio a Madeira (FAMAD), foram contemplados com R$ 206 milhões, segundo informações da Secretaria de Estado da Fazenda – Sefaz. Num primeiro momento, da Tribuna da Assembleia, José Carlos do Pátio acusou essas entidades de receber de volta indiretamente o imposto que recolhiam para o FETHAB, mas de posse de novos documentos públicos, abandonou essa tese e passou para a de que esses recursos não teriam sua prestação de contas apresentada.

Citando que as entidades receberiam ‘merenda’ que chegariam à casa dos milhões, o parlamentar sempre polêmico em suas falas, recuou a ponto de sinalizar que espera uma investigação profunda e denuncias por parte do Ministério Público de Mato Grosso para então verificar a veracidade das informações e decidir qual decisão será tomada.

Nos documentos repassados pela Secretaria de Fazenda de Mato Grosso, entre os anos de 2007 a 2015, o FACS que cuida da cultura da soja teria recebido a quantia de R$ 147,3 milhões, enquanto o FABOV teria sido contemplado com R$ 39,7 milhões e o FAMAD com R$ 19,5 milhões.


Como depende de uma investigação e da coleta de dados, o procurador-geral de Justiça, Paulo Prado sinalizou que iria analisar os documentos para verificar se persistem ou não os argumentos de irregularidades, pois se trata de uma arrecadação por Fundo Público que é repassado para Fundos Privados que mesmo assim devem obrigação de prestar contas. Prado despachou ontem mesmo para a assessoria especial abrir procedimento de apuração de fatos e coletas de novos dados. Desde o início do atual mandato o deputado José Carlos do Pátio tem insistentemente feito apontamentos para o setor produtivo que sinalizou estar pronto a prestar qualquer esclarecimento ou informação aos órgãos de controle, como Ministério Público ou Poder Judiciário. Ricardo Tomczyk, presidente da APROSOJA e Rui Prado da FAMATO sempre rechaçaram qualquer ilação quanto a utilização de recursos públicos por ambas as entidades que figuram entre as mais eficientes do agronegócio de Mato Grosso e do Brasil. (M.L)