5 de agosto de 2015

PF identifica 50 pistas clandestinas usadas pelo narcotráfico em Mato Grosso


Pelo menos 50 pistas clandestinas para aviões de provável uso do narcotráfico foram encontradas pela Polícia Federal em Mato Grosso somente em 2015. Todas em fazendas particulares de difícil acesso. 

Essas pistas são utilizadas por quadrilhas especializadas nesse tipo de crime para pouso e decolagem de aeronaves de pequeno porte cheias de entorpecentes. 

O delegado federal Marco Aurélio Faveri, do setor de combate ao narcotráfico, disse ao site G1MT, que essas 50 pistas estão todas localizadas na região de fronteira com a Bolívia e no Pantanal mato-grossense. 

Faveri afirma ter aumentado o uso desse tipo de avião no transporte de cocaína e derivados, mas se nega –– como é praxe em operações da PF –– a dar informações mais detalhadas sobre o mapeamento das áreas e as cidades-alvo dos narcotraficantes. 

“Nota-se que nos últimos meses houve um crescente número dessa modalidade de crime, em que os assaltantes obtêm aeronaves para trazer a droga. E não apenas em Mato Grosso, como também em diversos estados”, frisa o delegado. Ele informa ainda que os aviões, em sua maioria, são roubados ou comprados pelas empreitas criminosas por até R$ 700 mil. 

“Antes, eles praticavam o crime com aviões próprios, o que facilitava a identificação e fiscalização. Atualmente roubam de vítimas que estão próximas à fronteira, até mesmo para facilitar a fuga e o deslocamento para o país vizinho. Aí retornam com a droga para vender no Brasil”, explica. 

Faveri destaca a dificuldade do combate ao tráfico internacional de entorpecentes na fronteira com a Bolívia e o quanto equipamentos de tecnologia avançada estão ajudando a melhorar o monitoramento das atividades criminosas, especialmente o aparecimento de novas pistas. 

Também dificulta e muito a superespecialização que anda sendo efetivada em torno desse tipo de crime. Pra se ter uma ideia, há quadrilhas especializadas apenas em intermediar a venda e compra de aeronaves entre traficantes e traficantes ou “novos empreendedores”. Um dos casos recentes envolveu o grupo que acabou matando o policial federal Mário de Almeida Mattos em um tiroteio durante uma operação realizada em Sinop (cerca de 500 quilômetros ao norte da capital) para, justamente, frear a ação de uma dessas quadrilhas. 

Um dos homens presos logo após o tiroteio e morte do agente contou à PF que eles e o restante do grupo de cinco homens havia ido roubar o avião no aeródromo sob encomenda, para repassá-lo aos clientes traficantes por R$ 281 mil. A veracidade, ou não, da história está sendo investigada pela PF em inquérito aberto após o crime. 

Além do caso envolvendo a morte do agente, um Cessna teria sido subtraído desse mesmo aeroclube, no dia 15 de abril, e vendido por R$ 190 mil. Os autores desse roubo seriam os mesmos da tentativa frustrada pela PF que acabou desembocando no tiroteio fatal. 

Outra ocorrência do tipo envolveria um pequeno avião encontrado em uma plantação de algodão em Rondonópolis (a cerca de 220 quilômetros ao sul da capital) após uma suposta queda na Reserva Ambiental Carimã, a mais de 50 quilômetros de Rondonópolis. Ninguém foi encontrado, ninguém pediu ajuda. Para a PF, há sinais suficientes de que o avião usado no transporte de drogas foi obrigado a fazer um pouso forçado na região em que foi encontrado. 

‘É mais fácil matarem Dirceu do que ele fazer uma delação’, diz advogado

advogado de dirceu
O advogado do ex-ministro José Dirceu, Roberto Podval,descartou a possibilidade do petista fazer um acordo de delação premiada.
“É mais fácil matarem Dirceu do que ele fazer uma delação premiada”, disse Podval à reportagem. O criminalista também afirmou que não há chances do irmão do petista, Luiz Eduardo de Oliveira e Silva, firmar uma negociação com o Ministério Público Federal.
Os dois estão presos desde segunda (3), quando foram alvos da 17º fase da Operação Lava Jato, batizada de “Pixuleco”.
Na manhã desta terça (5), a colunista Mônica Bergamo publicou uma mensagem enviada por Dirceu à coluna afirmando que não cogitava fazer um acordo de delação. “Primeiro porque não tenho o que delatar. Segundo porque não tem nada a ver com minha vida e trajetória”, disse o ex-ministro.
A defesa de José Dirceu recebeu a informação de que o depoimento do petista não deve ser marcado para esta semana pela Polícia Federal.

Grupo de Collor é suspeito de receber R$ 26 mi em propina

collor uolInvestigadores da Lava Jato apontam que um grupo ligado ao ex-presidente e senador Fernando Collor (PTB-AL) recebeu cerca de R$ 26 milhões em suposta propina do esquema de corrupção da Petrobras entre 2010 e 2014. Segundo a Folha de São Paulo, o esquema vinculado ao congressista, segundo as investigações, envolvia assessores do Senado, colaboradores, empresas em atividade e outras suspeitas de serem de fachada.
As fontes dos repasses, segundo a Lava Jato, eram contratos de troca de bandeira de postos de combustível celebrado entre a Petrobras Distribuidora e a DVBR Derivados do Brasil. Os representantes de Collor seguiam uma “cartilha” para tentar dificultar a identificação do esquema, com várias transações financeiras para não chamar atenção dos órgãos de controle, como depósitos fracionados.

A conta de Lula no exterior

dinheiro (1)Se vier a ser confirmada a informação de que  Marcos Valério, preso como um dos operadores do mensalão, teria entregue à Justiça Federal uma suposta conta de Lula no exterior, o juiz Sérgio Moro terá encontrado o elo do esquema Lava Jato com o ex-presidente.
A conta teria sido especificada por Marcos Valério em 2012, quando prestou depoimento ao Ministério Público Federal. Segundo o publicitário, era identificada pelo número 01-00685-000, do banco francês Crédit Lyonnais, atual banco Crédit Agricole.

O fuzil está apontado para o chefe

lula_alvoVoz corrente que se ouve nos bastidores de Brasília depois da prisão do ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, na operação Lava Jato: Ora, se Dirceu é um “dos líderes principais”, se os presidentes das maiores empreiteiras já foram presos e alguns viraram delatores, se todos os operadores e funcionários corruptos já foram identificados, quem mais falta? Estão apontando o fuzil para Lula, vão prendê-lo e acusá-lo de ser o grande chefe.

Financiamento de campanha será votado nesta quarta-feira

Os deputados federais podem votar hoje (5) o último item da reforma política (PEC 182/07) em segundo turno: o financiamento de campanhas. Em decisão sobre questão de ordem do DEM e do PMDB, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, resolveu indeferir destaques do PT e do PPS que tinham sido inicialmente acatados pela Mesa. Esses destaques propunham a exclusão da expressão “jurídicas” do trecho que permite a doação de pessoas jurídicas a partidos para financiar campanhas eleitorais.

Câmara confirma idade mínima de 18 anos para candidatos a deputado…

O Plenário da Câmara dos Deputados rejeitou, por 412 votos a 16, o destaque do PR ao texto da reforma política (PEC 182/07), aprovado em primeiro turno, e manteve a mudança de idade mínima para as candidaturas a deputado (estadual, distrital ou federal) de 21 para 18 anos.