11 de agosto de 2015

Irmão de Dirceu recebeu ‘mensais de R$ 30 mil’ de operador de propinas

pacotedinheiroA Agência Estado destaca que o irmão do ex-ministro-chefe da Casa Civil do governo Lula, José Dirceu, admitiu à Polícia Federal que recebeu “pagamentos mensais de R$ 30 mil em espécie” do lobista Milton Pascowitch, apontado como pagador de propinas na Diretoria de Serviços da Petrobrás – cota do PT na estatal.
Os repasses, segundo Luiz Eduardo Oliveira e Silva, ocorreram entre 2012 e 2013. O irmão de Dirceu afirmou que “não solicitou quaisquer valores a Milton Pascowitch”. Ele disse que o lobista “começou a pagá-lo de forma espontânea, a título de ajuda para despesas variadas”.

Comissão especial do Senado se reúne hoje para analisar reforma política

Depois de aprovar uma série de projetos de lei, no final de julho, a Comissão da Reforma Política do Senado se reúne nesta terça-feira à tarde para analisar as mudanças na legislação partidária e eleitoral já aprovadas pelos deputados. O prazo para os senadores apresentarem emendas às propostas aprovadas na Câmara dos Deputados termina hoje.
O relator da comissão, Romero Jucá (PMDB-RR), lembra que, além das emendas dos parlamentares, vai agregar à proposta alguns temas já aprovados pelo colegiado. Jucá pretende ainda acrescentar sugestões recebidas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). “Nós estamos trabalhando para que as resoluções do TSE que dizem respeito a questões eleitorais, ao funcionamento de partidos e a regras que criam obrigações diretas ou acessórias sejam transformadas em lei”, informou.

Governo Dilma tem índice de rejeição de 77% entre as pequenas e médias empresas no Brasil, revela pesquisa

dilmamagraMais de 77% das pequenas e médias empresas (PMEs) no Brasil avaliam o segundo mandato de Dilma Rousseff como péssimo para os negócios. O índice é fruto da recente pesquisa da Consultoria Doctor Trade, especializada em assessoria e gestão empresarial para PMEs.
A pesquisa foi realizada com mais de 150 representantes de pequenas e médias empresas espalhadas pelos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Paraná. Entre o público pesquisado, encontram-se companhias dos setores de alimentação, de varejo e de serviços.
Segundo o levantamento, menos de 2% avaliam as políticas econômicas do governo Dilma como boas ou ótimas. E pouco mais de 20% consideram a atuação da presidente como regular. Quando questionados sobre os fatores que levaram ao baixo nível de avaliação, mais de 20% das PMEs apontam a desaceleração da economia e a alta da inflação no primeiro semestre. Entretanto, quase 15% afirmam que as questões internas têm mais impacto nos negócios do que a política de governo.

STJ determina retorno de 60% dos servidores do INSS ao trabalho

O Superior Tribunal de Justiça decidiu na noite desta segunda-feira que, até sexta-feira, pelo menos 60% dos servidores do INSS vão ter de comparecer ao trabalho. O pedido foi feito na semana passada, pelo governo federal. A decisão, em caráter liminar, determina que, se esse percentual não for respeitado, a Fenasps, federação que representa os servidores da Previdência Social, será multada no valor de 100 mil reais por dia. A previsão é de que a decisão do STJ seja publicada na quinta-feira e, só então, entre em vigor.
Logo após a decisão judicial, o Comando de Greve se reuniu para planejar o que fazer. Procurada pela reportagem, a Fenasps não se pronunciou. Nesta terça-feira, a greve do INSS completa 35 dias. A paralisação afeta serviços como perícia médica e concessão de benefícios.

Em jantar, Dilma faz apelo para que senadores barrem pautas-bomba na Câmara

Em jantar, Dilma faz apelo para que senadores barrem pautas-bomba na Câmara Fábio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Em jantar realizado na noite desta segunda-feira, a presidenta Dilma Rousseff pediu apoio do Senado para que barre pautas-bomba, propostas provenientes da Câmara que elevam o gasto público. As informações são do site G1. A Casa deve votar nesta semana o projeto de lei que reduz as desonerações de empresas. Última matéria do ajuste fiscal, a proposta é o primeiro item de pauta do plenário do Senado.
Além do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e de líderes dos partidos aliados, o convite para reunião foi estendido a outros senadores. O jantar começou por volta das 20h. O vice-presidente e articulador político do governo Michel Temer, e os ministros da Aviação Civil, Eliseu Padilha, e da Casa Civil, Aloizio Mercadante, também estavam presentes.
Após se encontrar nesta segunda-feira com Renan, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy disse que os senadores e a equipe econômica buscam uma agenda de longo prazo que trate da etapa pós-ajuste fiscal. Segundo Levy, é preciso analisar quais são as medidas estruturantes necessárias para que o país promova um novo ciclo de geração de empregos e investimentos.

PR vai discutir afastamento da base aliada do governo federal

Partido da República (PR) convocou dirigentes de todos os estados para encontro, hoje (11), em Brasília. Na pauta, o provável afastamento do Governo Dilma, onde ocupa o Ministério dos Transportes. Se a revoada for confirmada será, na prática, o terceiro partido a minguar os votos governistas no Congresso. Na semana passada, PDT e PTB caíram fora, mas, paradoxalmente, não entregaram os cargos.