14 de agosto de 2015

Presidente da CUT chama movimentos de esquerda a ‘sair às ruas com armas na mão’

Meses depois do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ameaçar enfrentar com o ‘exército de Stédile’ os movimentos que pedem a saída da presidente Dilma Rousseff, um novo exército apresentou-se nesta quinta-feira em defesa do mandato da petista. O presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Vagner Freitas, pediu aos movimentos sociais a ida à “rua entrincheirados, com armas na mão, se tentarem derrubar a presidente”. A frase foi dita durante o evento Diálogo com Movimentos Sociais – do qual a própria presidente participa, em mais um aceno à esquerda diante do agravamento da crise política.
Freitas afirmou ainda que se houver “qualquer tentativa de atentado à democracia, à senhora ou ao presidente Lula nós seremos um exército”. Como os outros que o antecederam, o presidente da CUT fez duras críticas ao ajuste fiscal e ao mercado financeiro. “O mercado nunca deu e nunca dará sustentação ao seu governo. O povo dá sustentação ao seu governo”, disse. “Queremos também que governe com a pauta que ganhamos na eleição passada e não com recessão”, concluiu.

Partidos políticos já receberam quase meio bilhão este ano

partidos-politicos-300x184Ao contrário da população e do governo federal, os partidos políticos terão que lidar apenas com crise política. A crise econômica deverá passar longe dos cofres das agremiações. Com o aumento aprovado pelo presidente Dilma Rousseff no final de abril, os repasses do Fundo Partidário cresceram 163% nos sete primeiros meses de 2015.
Dessa forma, entre janeiro e julho do ano passado, os partidos receberam R$ 179,8 milhões para financiamento das atividades das 32 siglas. No mesmo período desse ano, os valores já chegaram a R$ 473,3 milhões aos cofres das entidades. Isto é, os partidos já receberam quase R$ 300 milhões a mais neste exercício.
Em números absolutos, o PT e o PSDB encabeçam a lista de maiores beneficiários dos recursos públicos. O Partido dos Trabalhadores recebeu R$ 34 milhões a mais em 2015, em relação ao ano passado. Neste ano, R$ 63,4 milhões foram destinados à sigla no poder. No ano passado, o valor atingiu R$ 29,4 milhões no mesmo período.

Lobista enrolado na corrupção da Petrobras tinha piscina de ouro

ouroAcredite. Esse Hamylton Padilha, lobista da Petrobras preso na Lava-Jato que vai devolver R$ 70 milhões, tem uma casa de praia no Condomínio Porto Real, em Angra/RJ, cuja piscina tem piso de ladrilhos folheados a ouro. O bacana mandou trazer material do México.

Dilma segue a odisseia em busca da popularidade perdida

A presidente Dilma Rousseff segue a odisseia em busca da popularidade perdida. Dilma ofereceu jantar para ministros do Supremo Tribunal Federal, advogados e representantes do Ministério Público Federal. O mote foi a comemoração do Dia do Advogado e da criação de cursos jurídicos no País. O ministro Marco Aurélio Mello, contudo, não compareceu ao encontro e disse que esse tipo de reunião pode passar uma imagem distorcida para a sociedade. “A leitura que o pagador de impostos, o cidadão, faz, não é boa e isso acaba por desgastar a instituição”, explicou.

CUT defende “reação com armas na mão”

acaeb5fde48cb762eb772e851ea98fb6Em evento nesta quinta-feira (13) no Palácio do Planalto, o presidente da CUT (Central Única dos Trabalhadores), Vagner Freitas, afirmou que, se for preciso, os movimentos sociais irão às ruas “com arma na mão” para preservar o mandato da presidente Dilma Rousseff.
“O que se vende hoje no Brasil é a intolerância, o preconceito de classe. Somos defensores da construção de um projeto nacional de desenvolvimento para todos e todas. Isso implica ir para a rua entrincheirados, com arma na mão, se quiserem tentar derrubar a presidente”, disse Freitas, que é petista. Fazendo eco ao discurso de outros dirigentes de movimentos sociais, disse que os entusiastas do impeachment são “golpistas”.

Lava Jato: meta final é mesmo chegar em Lula

tiro-ao-alvoSe os petistas tinham alguma dúvida de que o partido é o foco principal da Operação Lava Jato, essa incerteza se desfez ontem. Depois da prisão de Alexandre Romano, advogado e ex-filiado ao PT e, ainda, a decoberta de um braço no Ministério do Planejamento, onde só houve petistas no comando nos últimos 12 anos, todos estão convictos de que as ligações de João Vaccari Neto, o ex-tesoureiro preso, ficarão sob os holofotes. E tudo isso ás vésperas do protesto convocado para 16 de agosto.
Com isso, voltaram a crescer as desconfianças no Partido dos Trabalhadores de que talvez o objetivo final seja mesmo chegar em Lula. Não por acaso, o ex-presidente e Dilma buscam os movimentos sociais ao mesmo tempo em que seguram o PMDB.