28 de setembro de 2015

Afinal, PMDB é governo ou oposição?

charge-pmdbO impasse político vivido atualmente entre o PMDB e o governo da presidente Dilma Rousseff está levando o País para uma “anomalia social”.   É o que avalia o jornalista Ricardo Kotscho em sua coluna neste domingo, 27.
“O PMDB, afinal, está no governo ou na oposição? De qual PMDB estamos falando? Com mais alas do que escolas de samba, o partido está com um pé em cada canoa, como de costume, e é o principal responsável pelo impasse político que o país está vivendo. Para contemplar a todas estas alas e seus respectivos caciques, a presidente Dilma corre o risco de aumentar em vez de diminuir o número de ministérios”, afirma.
Para o colunista, com Dilma Rousseff em viagem aos Estados Unidos, sem conseguir antes anunciar o novo ministério, o PMDB “deitou e rolou”.
“Primeiro, colocou no ar o seu programa de propaganda eleitoral no rádio e na TV, em que não citou nenhuma vez o nome da presidente e bateu pesado no PT, sem muita sutileza, anunciando o fim de um ciclo e o início de outro. “É hora de deixar os estrelismos de lado” e “o Brasil não pode ficar no vermelho” foram algumas das finas ironias dos peemedebistas a caminho do desenlace”, afirma.

Vingança de Lula contra delator

Um dia após o ex-deputado Pedro Corrêa aparecer na capa de Veja, afirmando que Lula montou o esquema do petrolão durante uma reunião no Palácio do Planalto, na qual esteve presente, sua fazenda foi invadida, ontem, por mais de cem pessoas ligadas ao MST. Fábio Corrêa, filho do ex-parlamentar, não tem dúvidas de que foi uma reação orquestrada pelo líder do MST, João Pedro Stédile, a pedido do ex-presidente Lula.

Viagens de Lula sob investigação

Os detalhes da intensa agenda de viagens nacionais e internacionais do ex-presidente Lula nos últimos anos estão em fase final de coleta de informações na investigação sigilosa que ocorre no Núcleo de Combate à Corrupção do Ministério Público Federal do Distrito Federal. O MPF-DF quer saber quem está pagando a conta e as consequências que isso trará.
Levantamento do Instituto Lula aponta que, de 2011 a 2014, o ex-presidente teve 174 reuniões com 107 chefes de Estado, autoridades, empresários e dirigentes de organismos multilaterais e organizações sociais, sendo 63 delas no Brasil e 111 no exterior. O instituto Lula defendeu-se: por meio de nota disse que o ex-presidente tem direito de ir e vir. As informações são do jornal Estado de S. Paulo.

Cunha afirma ser “impossível” o retorno da CPMF antes de julho

cunha com dilma
Em programa de TV exibido na noite desde domingo (27), o presidente da Câmara, deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ), disse que considera “impossível” uma eventual volta da CPMF antes de julho de 2016. Em entrevista concedida ao colunista do GLOBO Jorge Bastos Moreno, no programa “Preto no Branco”, do Canal Brasil, Cunha detalhou o longo caminho processual que a proposta terá que trilhar e, abrindo fogo contra o governo Dilma Rousseff, com quem está rompido, destacou que, se a medida fosse aprovada pela Câmara e pelo Senado, só passaria a vigorar no segundo semestre de 2016, tendo, portanto, efeito nulo sobre o Orçamento que foi enviado ao Congresso com um déficit de R$ 30,5 bilhões.

Líder do PMDB na Câmara defende autonomia de ministros

picianeLíder do PMDB na Câmara, o deputado Leonardo Picciani, 35 anos, menciona a entrega do Ministério da Saúde como porteira fechada. Seria esse o acordo com o governo. “Certamente, o ministro deve ter autonomia para montar a sua equipe, até para poder se responsabilizar pelo trabalho e o trabalho dar resultado”, diz ele ao Correio Braziliense.
Picciani chama a ala oposicionista, que ensaia críticas ao convite a dois deputados, como “velha guarda da Mangueira”, e considera que a manutenção de ministérios separados não inviabilizará esse acordo. Quanto ao impeachment, é taxativo: fatos ao mandato anterior não devem ser considerados. “Em casos de quebra de decoro, os fatos prescrevem. O mesmo deve valer para as contas de um presidente da República”, diz. “Quem tem legitimidade para governar é a presidente Dilma”, completa.