9 de dezembro de 2015

Pesquisa do Serasa aponta desemprego como principal razão da inadimplência

semdinheiroPesquisa divulgada hoje (9) pelo Serasa apontou o desemprego como principal motivo da inadimplência dos brasileiros. Segundo o levantamento, realizado com 8.288 consumidores, 26% dos entrevistados disseram que a perda do emprego é a explicação para as contas atrasadas. A segunda razão mais apontada, citada por 17% dos consumidores, é o descontrole financeiro.
O economista Luiz Rabi, da Serasa, informou que é a primeira vez que a empresa realiza um levantamento do tipo. As informações foram obtidas por meio de enquetes com consumidores negativados que compareceram às agências da Serasa. Rabi chamou atenção para o resultado em um momento em que há crescimento simultâneo da inadimplência e do desemprego.

Supremo vai definir todo o rito do processo de impeachment, diz ministro

fachinO ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse hoje (9) que vai propor ao plenário da Corte na quarta-feira (16) o rito que deverá ser seguido pelo Congresso para dar continuidade ao procedimento de impeachment da presidenta Dilma Rousseff.
Em entrevista após a sessão do tribunal, Fachin afirmou que sua decisão de suspender a tramitação do processo não interferiu nas deliberações do Legislativo.
Ontem (9), o ministro suspendeu a tramitação do pedido de impeachment de Dilma até quarta-feira, quando a Corte deve julgar, a pedido do PCdoB, partido da base aliada do governo, a validade da Lei 1.079/50, que regulamentou as normas de processo e julgamento do impeachment.

Ex-relator de processo contra Cunha diz ter sofrido ameaças e pede investigação da PF

O deputado Fausto Pinato (PRB-SP) anunciou nesta quarta-feira (9) que pediu ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que a Polícia Federal abra inquérito para investigar supostos crimes de ameaça que teria sofrido enquanto estava na relatoria do processo contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), no Conselho de Ética. Em entrevista coletiva poucas horas após ser destituído do cargo, Pinato voltou a relatar as ameaças que ele e familiares teriam sofrido e deu a entender que teria recebido, inclusive, propostas financeiras para salvar Cunha em seu relatório.
Antonio Augusto / Câmara dos Deputados
Pinato foi destituído da função de relator nesta quarta-feiraPinato foi destituído da função de relator nesta quarta-feira

PMDB destitui líder da bancada favorável a Dilma

Deputados da ala pró-impeachment do PMDB conseguiram destituir o líder da bancada e aliado do governo Dilma Rousseff, Leonardo Picciani (RJ). Com isso, os 67 peemedebistas passam a ser liderados pelo mineiro Leonardo Quintão, apoiado pelo grupo que defende o afastamento da presidente Dilma Rousseff.

Essa ala da bancada do PMDB protocolou uma lista com 35 assinaturas, uma a mais que o mínimo necessário. A mudança na liderança do partido já foi divulgada pelo site oficial da Câmara. Picciani permanece, porém, como líder do bloco PMDB-PEN, mas na prática sua capacidade de articulação entre os peemedebistas já está fragilizada.

Depois de 12 anos em vigor, Estatuto do Desarmamento pode ser revogado

balas
Depois de doze anos em vigor, a lei brasileira que restringiu a posse e o porte de armas de fogo no país está prestes a ser alterada pelo Congresso Nacional. Desde 2003, o Estatuto do Desarmamento (Lei 10.826) vem sendo ameaçado por tentativas de revogação que agora podem ser concretizadas com a aprovação do Projeto de Lei 3.722/2012, que está pronto para votação no plenário da Câmara dos Deputados.
Em meio a polêmicas e bate-bocas públicos entre parlamentares, as mudanças no estatuto foram aprovadas no começo de novembro pela comissão especial criada na Câmara, de onde seguiram para o plenário. Se aprovada pela maioria dos deputados, a proposta ainda precisa passar pelo Senado Federal, onde o debate deve ser mais equilibrado.
O projeto, batizado de Estatuto do Controle de Armas, dá a qualquer cidadão que cumpra requisitos mínimos exigidos na proposta o direito de comprar e portar armas de fogo, inclusive a quem responde a processo por homicídio ou tráfico de drogas. Além disso, reduz de 25 para 21 anos a idade mínima para comprar uma arma e garante o porte de armas de fogo a deputados e senadores.
O embate em torno das mudanças extrapola os corredores do Congresso e opõe entidades da sociedade civil e especialistas em segurança pública. O tema também tem ganhado espaço nas redes sociais.

Senador é condenado a 26 anos de prisão pelo STF

estevao
O Supremo Tribunal Federal (STF) manteve a condenação o ex-senador Luiz Estevão a 26 anos de prisão, nesta quarta-feira (9/12). O empresário é acusado de desviar R$ 2 bilhões de recursos da obra do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de São Paulo. Apesar dos percalços judiciais e do abandono forçado da vida pública, o bilionário conseguiu postergar a prisão por mais de uma década.
Segundo o Ministério Público Federal, desde o início do processo, a defesa de Luiz Estevão apresentou 21 recursos e 11 habeas corpus. A estratégia para atrasar o desfecho do caso foi eficiente: a pena de 31 anos de cadeia foi reduzida para 26 anos em 2014, já que a demora levou à prescrição das penas relativas aos crimes de formação de quadrilha e de uso de documento falso. Mas, a condenação por corrupção ativa, peculato e estelionato está mantida. Os ministros não analisaram pedido do MP para cumprimento imediato da pena. A defesa ainda pode recorrer da decisão. Agora, será publicado um acórdão e, segundo o ministro Marco Aurélio Melo, ainda cabem embargos declaratórios. O prazo regimental para a publicação do acórdão é de 60 dias.
Luiz Estevão cumpre hoje pena em prisão domiciliar, depois do trânsito em julgado de outro processo, em que ele foi condenado a 3 anos e 6 meses em regime semiaberto por falsificar documento público.

Processo contra Cunha tem novo relator no Conselho de Ética

Uma série de debates, discussões e requerimentos está impedindo a votação do parecer preliminar do deputado Fausto Pinato (PRB-SP) no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, que avalia processo de cassação de mandato do presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Após duas horas de reunião, foram votados, e rejeitados, dois requerimentos para adiar a votação.
Há pouco, o presidente do conselho, José Carlos Araújo (PSD-BA), nomeou Zé Geraldo (PT-PA) como novo relator do processo contra Cunha. Araújo disse que acatou a decisão do primeiro vice-presidente da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), de afastar o relator.
Pinato deixou a relatoria, mas pediu que Araújo recorra da decisão. “Como democrata que sou, respeito a decisão da Mesa da Câmara dos Deputados, mas não concordo”, disse o parlamentar, ressaltando que não tem apego à relatoria. O novo relator, Zé Geraldo, limitou-se a dizer que não alteraria o texto de Fausto Pinato, para que o levassem à votação. Alguns deputados contestaram a decisão de Araújo, que alegou ter-se baseado no regimento interno da Casa para efetuar a troca.

Como vivem na cadeia cinco figurões da política de Mato Grosso

Silval Barbosa, ex-governador (foto) e que está preso desde 17 de setembro, se tornou o mais carismático entre os colegas reeducandos e agentes prisionais da Casa de Custódia, em Cuiabá, até mais que o ex-deputado Riva. 

Demonstra simplicidade, acorda cedo e ajuda nas tarefas cotidianas. O ex-secretário dos governos Blairo e Silval, Pedro Nadaf, mesmo em cárcere, mantém a pose. Na opinião de muitos ali, ele é uma figura arrogante. Constantemente fuma seu charuto e é o mais isolado dos presos "ilustres". 

Nadaf disse guardar mágoa da imprensa e do governador Taques. Riva está com saúde debilitada e o ex-secretário de Fazenda Marcel de Cursi vive mais chorando do que sorrindo. 

Eder Moraes, outro ex-secretário, segue na mesma linha do ex-patrão Silval. 

Enquanto isso, os agentes prisionais fazem verdadeiro malabarismo para manter os figurões sem contato, conforme determinação judicial e, ao mesmo tempo, assegurar a eles direito à visita e ao banho de sol. Fonte: RDNews