19 de dezembro de 2015

É BOMBA! BUMLAI, O AMIGO DE LULA, CONTA TUDO PARA A FORÇA TAREFA DA LAVA JATO

No meio político, a semana passada ficou fortemente marcada pela decisão do Supremo Tribunal Federal de dar uma guinada no rito do impeachment inicialmente estabelecido pela Câmara e pela anunciada saída do ministro da Fazenda, Joaquim Levy. Para a força-tarefa da Lava Jato, outro fato se impôs como mais relevante e grave. Na segunda-feira 14, o pecuarista José Carlos Bumlai prestou um depoimento considerado nitroglicerina pura. Para os policiais federais, as palavras de Bumlai, amigo do ex-presidente Lula preso em Curitiba desde novembro, representaram mais do que uma delação premiada. Soaram como uma confissão. Em mais de seis horas de depoimento, o empresário reconheceu tudo o que havia refutado na primeira vez em que foi ouvido pelos integrantes da Lava Jato. As revelações colocam Lula e o PT numa encalacrada. Sem titubear, o pecuarista admitiu ter contraído em 2004 um empréstimo irregular de R$ 12 milhões junto ao Banco Schahin e repassou ao PT, por meio de laranjas.
O dinheiro, ainda segundo Bumlai, tinha uma destinação: abastecer as campanhas petistas. Em especial, a do ex-presidente Lula, candidato a reeleição em 2006. Bumlai foi além. Confirmou que, como contrapartida, o Banco Schahim foi contemplado com um contrato de R$ 1,6 bilhão para fornecimento de navios-sonda para a Petrobras. Para possibilitar o desvio, o contrato foi superfaturado. O modus operandi, acrescentou o pecuarista, teria se repetido em outras transações envolvendo outros laranjas, sempre tendo como beneficiário final as arcas do PT. “A estrutura da Petrobras era do PT”, disse o empresário aos agentes da PF.
O depoimento do pecuarista implica sobremaneira Lula por algumas razões fundamentais. A principal delas: Bumlai nunca foi empreiteiro nem mantinha negócios com a Petrobras. Agiu sempre em favor e em nome do ex-presidente como uma espécie de laranja dele e do PT. Perguntado pelos policiais federais sobre a motivação do empréstimo, o pecuarista disse: “Não iria custar nada a mim. Quis fazer um favor. Uma gentileza a quem estava no poder”. E quem estava no poder na ocasião? Lula, o presidente que forneceu a Bumlai um crachá para que ele pudesse ter acesso livre ao seu gabinete. Em recente entrevista, o presidente da Associação dos Criadores do Mato Grosso do Sul, Jonathan Pereira Barbosa, dileto amigo de Bumlai, contou que Lula costumava ligar para o pecuarista atrás de favores. “Eu estava com Bumlai, tocava o telefone e quem era? O ex-presidente. Pedindo que fizesse favor, isso e aquilo. Zé Carlos, muito gentil, concordava”. Ainda segundo Jonathan Pereira, Bumlai era constantemente chamado para “resolver uns problemas” para Lula em São Paulo e em Brasília.
O PODER DA INTIMIDADE 
Bumlai (no destaque), com Lula e Marisa em festa de Santo Antônio na Granja do Torto, em 2004.
No círculo íntimo do presidente Lula, todos sabem que o empréstimo junto ao Banco Schahin não foi a única gentileza feita pelo pecuarista ao amigão poderoso. Alguns préstimos já são públicos. Em depoimento à Lava Jato, o lobista Fernando Baiano disse que a pedido de Bumlai repassou R$ 2 milhões para uma nora de Lula quitar dívidas pessoais. Segundo apurou ISTOÉ, o fazendeiro ainda teria contribuído para aproximar o empresário Natalino Bertin, proprietário do Grupo Bertin, do clã Lula em meio às negociações para venda de uma fatia do frigorífico. A proximidade resultou em favores aos filhos de Lula. A pedido de Bumlai, Bertin disponibilizou um jatinho para os filhos do ex-presidente em São Paulo, entre 2010 e 2011.
As operações fraudulentas confirmadas pelo amigão de Lula foram trazidas à tona pela primeira vez em reportagem de capa de ISTOÉ em fevereiro deste ano. Àquela altura, Bumlai já era uma figura carimbada no Planalto, mas ainda pouco conhecida na cena política nacional. De lá para cá, foram lançadas luz sobre suas incursões no submundo do poder. Ninguém duvida mais de que ele privava da intimidade do ex-presidente Lula. Agora sabe-se, por exemplo, que Bumlai esteve ao lado de Lula e sua família em momentos bem particulares. Nas buscas realizadas durante a Operação Passe Livre, batizada com esse nome numa alusão ao acesso facilitado do pecuarista ao gabinete presidencial, os agentes federais encontraram fotos que confirmaram a grande proximidade dos dois. Numa das imagens, Bumlai aparece com Lula e dona Marisa Letícia festejando o dia de Santo Antônio na Granja do Torto no início do primeiro mandato do petista. Quem conhece os códigos do poder sabe que a presença num evento desses revela uma intimidade capaz de abrir portas a negócios escusos. O material fotográfico foi encontrado num dos endereços do pecuarista no Mato Grosso do Sul. Também foi encontrado um cartão de apresentação com o brasão da República, em nome da ex-primeira-dama. Daí o peso e a importância das revelações do pecuarista para os investigadores da Lava Jato. A confissão de Bumlai fez alguns procuradores o tratarem como “o laranja de Lula”.
GRUPO DA LAVA JATO IMPRESSIONADO
Também impressionaram os integrantes da Lava Jato a riqueza dos detalhes fornecidos pelo empresário e a semelhança no modo de atuar com outro operador petista: Marcos Valério. Em seu depoimento, Bumlai disse à PF ter sido procurado em 2004, segundo ano de Lula na Presidência da República, por pessoas ligadas ao PT. Entre eles estava Delúbio Soares, então tesoureiro do partido. O pecuarista disse que conheceu Delúbio no comitê da campanha presidencial de 2002. De acordo com o depoimento de 11 páginas, colhido pelo delegado Filipe Hille Pace, o grupo pediu a Bumlai que levantasse, em seu próprio nome, recursos junto ao Banco Schahin. “Delúbio esclareceu que se tratava de uma questão emergencial”, afirmou. O pecuarista disse ainda que, embora Delúbio não tivesse especificado no início a que se destinava o dinheiro, ele entendeu que seria para atender interesses do PT. Depois, teria vindo a confirmação de que o recurso era destinado a abastecer a campanha de Lula. A descrição e a época em que o negócio entre Bumlai e Schahin foi fechado remetem aos empréstimos tomados pelo empresário Marcos Valério nos bancos BMG e Rural para irrigar o caixa petista e de partidos aliados no primeiro mandato de Lula, o escândalo do mensalão.
Assim como os empréstimos contraídos por Valério, os R$ 12 milhões que Bumlai tomou emprestado no Schahin não eram para ser quitados. Em fevereiro deste ano, ISTOÉ teve acesso com exclusividade a relatório do Banco Central demonstrando que a operação foi liberada de forma irregular, “sem a utilização de critérios consistentes e verificáveis”. Para liberar a bolada, o  Schahin burlou normas e incorreu em seis tipos de infrações diferentes. De acordo com os procuradores da República que atuam na Lava Jato, há indícios de que o ex-ministro José Dirceu e o próprio Delúbio intercederam junto a Schahin para que o empréstimo fosse liberado. De acordo com delação de um dos acionistas da instituição financeira, Salim Schahin, os R$ 12 milhões emprestados ao Bumlai foram repassados a empresas do Grupo Bertin, do empresário Natalino Bertin, o mesmo que a pedido do pecuarista colocou seus jatinhos à disposição dos filhos de Lula. Na transação, os investigadores suspeitam que Natalino possa ter se encarregado de fazer pagamentos a terceiros, no caso laranjas, indicados pelo pecuarista. Bumlai ainda disse à PF acreditar que o empresário Salim Schahin usou o empréstimo de R$ 12 milhões para ocultar outras operações e negócios da empresa com o PT. Sempre para a formação de caixa dois eleitoral.

Clique sobre a imagem para vê-la ampliada
CASO CELSO DANIEL RETORNA
Em um dos trechos da confissão, Bumlai reavivou o caso Celso Daniel, confirmando outra revelação feita por ISTOÉ em fevereiro deste ano. O pecuarista afirmou ao delegado da PF que teve ciência, em 2012, depois de um depoimento de Marcos Valério ao MP, de que parte do empréstimo contraído por ele junto ao Banco Schahin – cerca de R$ 6 milhões – seria destinado a comprar o silêncio do empresário Ronan Maria Pinto, conhecido como Sombra. Pinto ameaçou comprometer a cúpula petista no assassinato do ex-prefeito de Santo André Celso Daniel, entre eles o ex-presidente Lula, e os ex-ministros José Dirceu e Gilberto Carvalho. Numa tentativa de conseguir uma delação premiada, Valério chegou a afirmar há três anos que o pecuarista intermediou operação para comprar o silêncio de Ronan. Agora, a PF cogita convocá-lo novamente para depor a fim de que esclareça melhor o caso. CLIQUE aqui para ler a Reportagem Completa, fotos e infográficos

Ministério Público impede festa que prometia ‘rodízio de mulheres’


xxx
O Ministério Público do Paraná (MP-PR) em Santo Antônio do Sudoeste impediu a realização de um evento que prometia uma “noite de rodízio” de mulheres. O anúncio do evento que seria realizado nos dias 10 e 11 de dezembro destacava que cada cliente pagaria R$ 200 para entrar e poderia “consumir quantas garotas aguentar”. A denúncia foi feita pelo movimento Marcha Mundial das Mulheres ao Núcleo de Promoção de Igualdade de Gênero (Nupige), o que levou a promotoria a abrir um inquérito para apurar o caso e tomar providências para evitar o crime de exploração sexual de mulheres.

“A princípio, a proposta era impedir que a festa acontecesse, agora as investigações devem prosseguir a fim de levantar se o local registrado como hotel e casa de shows vinha explorando mulheres sexualmente”, comentou o promotor responsável pelo caso, Bruno Henrique Príncipe França. “A princípio o dono negou que realizaria o evento e alegou que foi alvo de fraude.” Por enquanto, completou França, não há provas de que o panfleto tenha sido impresso e distribuído, apenas há indicios de que tenha circulado pela internet e aplicativos de mensagens de celular.
Além de proibir a festa e a realização de outros eventos que incentivem a prática deste tipo de crime, o MP deu prazo de três meses para que o proprietário providencie o auto de vistoria do Corpo de Bombeiros e providencie um novo alvará de funcionamento, já que o que apresentou tinha falhas como número de CNPJ inexistente.
Ainda segundo o promotor, a ação do MP neste caso “não vai contra as mulheres que tiram proveito do próprio corpo para obter algum tipo de renda, mas a terceiros que se aproveitam da situação para explorá-las sexualmente”. (G1)

Banqueiro investigado na Lava Jato é libertado de penitenciária

andre
O banqueiro André Esteves foi liberado nesta sexta-feira (18) do Complexo Penitenciário de Gericinó, onde estava preso desde o dia 24 de novembro, no Presídio Bangu 8. Esteves saiu de Gericinó às19h30 em uma viatura da Polícia Federal (PF) e, segundo informações de seu advogado, Antônio Carlos de Oliveira Castro, conhecido como Kakay, foi para a sede regional do órgão, na Praça Mauá. De acordo com o advogado, em seguida, Esteves irá para sua casa, em São Paulo, onde cumprirá medida de recolhimento domiciliar.
Sócio do banco BTG Pactual, André Esteves foi preso por ordem de Supremo Tribunal Federal (STF) por atrapalhar investigações da Operação Lava Jato. O alvará de soltura de Esteves foi expedido pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki. Do lado de fora do presídio, pessoas que assistiam à cena protestaram e o chamaram de “ladrão”, quando a viatura passou. “Uma pessoa rouba uma manteiga e fica anos presa. Esse homem rouba o Brasil e é logo solto”, protestou a faxineira Maria das Graças Rosa, que mora nas proximidades do presídio.

Em depoimento à PF, Lula diz que não interferiu em nomeações para diretorias da Petrobras

lula_frenteEm depoimento prestado na quarta-feira (16), na sede da Polícia Federal em Brasília, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva negou interferência em nomeações para as diretorias da Petrobras durante os oito anos de seu mandato. A informação foi divulgada hoje (18) . Na oitiva, Lula declarou que nunca tratou com qualquer partido sobre a indicação de nomes para ocupação de vagas na administração pública e disse que há um processo de criminalização do PT.
O ex-presidente prestou depoimento na condição de informante no principal inquérito da Operação Lava Jato que tramita no Supremo. A investigação envolve 39 pessoas. Para a PF, Lula poderia contribuir com as investigações por ter sido presidente da República na época dos fatos investigados.
Aos investigadores, Lula declarou que “não crê” que os partidos políticos que formaram a base aliada de seu governo receberam vantagens indevidas em contratos da Petrobras. Questionado sobre a que atribui a existência de pessoas de seu governo que são investigadas na Lava Jato, Lula disse que isso se deve ao processo de transparência dos órgãos de fiscalização, como a Polícia Federal, o Ministério Público Federal (MPF) e a Controladoria-Geral da Uni o (CGU) durante os últimos 12 anos, além da imprensa livre e a um processo de criminalização do PT.

Pegaram Temer! Ele é acusado de receber R$ 5 milhões

cunha com temer
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, reuniu indícios de que o vice-presidente, Michel Temer(PMDB), recebeu R$ 5 milhões do dono da OAS, José Adelmário Pinheiro, o Leo Pinheiro, um dos empreiteiros condenados em decorrência do escândalo da Petrobras.
A informação sobre o suposto pagamento a Temer está em uma das manifestações do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki, que fundamentou as buscas da Operação Catilinárias, deflagrada na última terça-feira (15).
A menção ao pagamento está em uma troca de mensagens entre Pinheiro e o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), em que o deputado reclama que o empreiteiro pagou a Temer e deixou“inadvertidamente adiado” o repasse a outros líderes peemedebistas.
“Eduardo Cunha cobrou Leo Pinheiro por ter pago, de uma vez, para Michel Temer a quantia de R$ 5 milhões, tendo adiado os compromissos com a ‘turma'”, afirmou Janot, conforme a reprodução feita no documento assinado por Teori.

Cerveró denuncia propina na compra da refinaria de Pasadena

Delcidio_do_AmaralO ex-diretor de Internacional da Petrobras Nestor Cerveró afirmou em delação premiada à Procuradoria-Geral da República que o senador Delcídio Amaral (PT-MS), no fim de 2005 e início de 2006, o “procurava insistentemente” solicitando dinheiro para a campanha ao governo de Mato Grosso do Sul. Cerveró disse que, na ocasião, o petista soube da compra da refinaria de Pasadena (EUA) – negócio que causou, segundo o Tribunal de Contas da União, prejuízo de US$ 792 milhões à estatal.
Cerveró disse que, com as cobranças constantes de Delcídio, acertou uma propina de US$ 2,5 milhões para o ex-líder do governo no Senado, comprometendo-se a repassar “parte de sua propina para o parlamentar”. Destinou então a Delcídio US$ 1,5 milhão “decorrente do contrato de Pasadena”. Ficou devendo US$ 1 milhão.
Cerveró declarou que cedeu à pressão do senador porque achava que sua permanência no comando da área Internacional da estatal estava “ameaçada”.

Levy levou um chute na bunda da turma de Dilma e Lula

chute

José Jailson dos Santos mata a mãe por atropelamento

jailsonNa cidade de Lagoa Nova, na região Seridó, uma briga familiar se transformou em tragédia. O fato ocorreu na comunidade rural Macambira III, na tarde de ontem (18). José Jailson dos Santos, de 37 anos, é acusado de matar sua mãe, atropelar o irmão e espancar o pai. O acusado passou a manhã trabalhando, mas resolveu sair de casa para beber. Ao retornar embriagado iniciou uma discussão com o irmão mais novo.
Jailson quebrou vários objetos dentro de casa e começou a espancar o pai com um facão. O irmão pegou a mãe, identificada por Antônia Maria Damasceno, de 60 anos, e fugiu de moto. Mesmo não sabendo dirigir, o acusado conseguiu seguir os familiares de carro e os atropelou. Sua mãe não resistiu aos ferimentos.
Detido por familiares e moradores da comunidade, Jailson foi encontrado pelos policiais militares com sinais de espancamento. Conduzido à delegacia de Polícia Civil em Caicó, o acusado disse não se lembrar de nada do que fez, inclusive admitiu que não soubesse dirigir. Em seu depoimento, o pai do acusado disse que o filho havia chegado de Goiás, onde trabalhou por dez anos. Os familiares e nem o próprio Jailson conseguem explicar porque tudo isso aconteceu.

Renan teve seus sigilos quebrados

renan (1)A Época informa que o STF autorizou, no último dia 9, a quebra do sigilo bancário e fiscal de Renan Calheiros.
O documento assinado por Teori Zavascki destaca a auditoria da CGU sobre a Transpetro, revelada em O Antagonista (leiaaqui) e diz:
“Constata-se que em 19 de julho de 2010 ocorreram duas transferências para a campanha de José Renan Vasconcelos Calheiros, ambas no valor de R$ 200 mil perfazendo-se o total de R$ 400 mil correspondentes aos valores depositados pelas empresas que fraudulentamente venceriam a licitação em comento”.

Lula “dedura” o amigão José Dirceu. Eu, hein?

lula atibui

STF quebra sigilo de Renan Calheiros. Ele será o próximo

o proximo

Ho, Ho, Ho! O Natal dos mensaleiros vai ser viajando

Pai-Natal-E-Presentes-71051A Veja destaca que a doleiro Alberto Youssef e o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, delatores do petrolão, não foram os únicos personagens centrais de escândalos de corrupção já condenados que obtiveram autorização para passar o Natal e o Ano Novo em casa.
A partir da semana que vem, os mensaleiros Delúbio Soares (PT), João Paulo Cunha (PT) e Valdemar Costa Neto (PR) começam a deixar Brasília (DF), onde cumpriram prisão na Papuda e agora estão em regime aberto, para aproveitar os festejos de fim de ano ao lado da família. Ex-tesoureiro do PT, Delúbio costuma visitar os pais em Buriti Alegre (GO); o ex-presidente da Câmara João Paulo Cunha ficará em sua casa de Osasco (SP); e o ex-deputado Costa Neto irá a Mogi das Cruzes (SP).

Livro revela que Hitler só tinha “uma bola”

hitlerUm relatório médico do ditador Adolf Hitler, datado de 1923, confirmou em parte uma das lendas sobre ele, ao assinalar que sofria de criptorquia, ou seja, que só um de seus testículos tinha descido à bolsa escrotal. O ata foi assinada pelo médico Josef Brinsteiner na prisão da Baviera onde Hitler ficou recluso após o fracassado golpe de estado que protagonizou em Munique em 1923, e faz parte do livro “Hitler como prisioneiro em Landsberg am Lech, 1923/24” que acaba de ser publicado na Alemanha pelo historiador Peter Fleischmann.
O médico anotou em um relatório assinado em 12 de novembro, após uma revisão médica, que o “preso número 45”, Hitler, se encontra em bom estado de saúde, e que padece de “criptorquia do lado direito”. Como lembraram neste sábado vários meios de comunicação alemães, pouco se equivocaram os soldados britânicos, que na Segunda Guerra Mundial cantavam “Hitler has only got one ball” (“Hitler só tem uma bola”), uma paródia da popular “Marcha do coronel Bogey”.

Morre em Minas Gerais a mãe do cantor Gusttavo Lima

gustavo_mae
Mãe de Gusttavo Lima, Sebastiana Maria de Lima morreu, na manhã deste sábado, aos 66 anos, em uma fazenda, no distrito de Barreiro de Minas, que fica a 78 km de Presidente Olegário, cidade do cantor, na região do Alto Paranaíba, em Minas Gerais. A causa da morte ainda é desconhecida, no entanto, segundo informações, ela enfrentava graves problemas cardíacos.
O corpo de Sebastiana está sendo levado para a funerária Bom Pastor, que fica na cidade vizinha de Patos de Minas. Familiares ainda não chegaram ao local. Por isso, não há informações sobre o velório e horário do enterro. Tudo indica que o corpo seja sepultado, em Barreiro de Minas, no mesmo cemitério onde foi enterrada Luciana dos Reis Lima, irmã do cantor que morreu enquanto dormia, há três anos, vítima de um infarto do miocárdio.
Gusttavo Lima se casou com a modelo Andressa Suita, em Goiânia, na última terça-feira. O casal oficializou a união no civil na casa do sertanejo. “Senhor e senhora Lima seguindo o caminho natural da vida! Que Deus nos abençoe, amor. Te amo muito, minha missão é te fazer feliz!”, escreveu em uma rede social ao postar uma foto do casamento

Ministério Público investiga venda de rádio de Eduardo Cunha em Pernambuco

cunha_globoTrês organizações da sociedade civil são autoras de representação contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), feita ao Ministério Público Federal (MPF) do Rio por ele ser sócio da Rádio Satélite Ltda., de Pernambuco.
As instituições citam o artigo 54, que proíbe deputados e senadores de firmar ou manter contrato com concessionárias de serviço público, como são as empresas de radiodifusão. Cunha diz ter vendido a rádio em 2007, mas seu nome consta como sócio nos registros oficiais da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e do Ministério das Comunicações.
A pasta informou que a venda ocorreu sem sua autorização, obrigatória no caso de emissoras de rádio e TV. Segundo o ministério, o pedido para “realizar alteração contratual” foi protocolado em 12 de abril de 2011 – quatro anos após a venda – e “o processo ainda está em análise”, sem prazo para conclusão. A sociedade na Rádio Satélite não consta da declaração de bens de Cunha enviada à Justiça Eleitoral.