4 de janeiro de 2016

Somadas, empresas brasileiras na bolsa valem menos que o Google

dinheiro_calculadoraO ano de 2015 foi ruim para as empresas brasileiras com ações negociadas na bolsa. Juntas, elas perderam US$ 333 bilhões em valor de mercado no ano passado, segundo levantamento da Economatica. O valor de mercado é a soma do valor das ações das empresas.
Com isso, ao final do ano as 289 empresas com ações negociadas na bolsa valiam, juntas, US$ 463,751 bilhões – menos que os US$ 528,448 bilhões do Google na mesma data.
A perda de US$ 333 bilhões representa uma perda de 41,9% do valor de mercado em relação ao fechamento de 2014, quando as empresas, somadas, valiam US$ 797 bilhões. Na América Latina, apenas a bolsa da Colômbia teve perda percentual maior, de 42,5% – equivalente a US$ 61,699 bilhões.
Juntas, as sete bolsas do continente “encolheram” US$ 588,9 bilhões – equivalente a uma perda de 31,5% em relação a 2014, quanto o valor de mercado das 710 empresas somado era de US$ 1,869 trilhão.

Vídeo: Mulher se distrai com smartphone e morre afogada

Uma mulher que caminhava concentrada no seu smartphone acabou caindo em um rio de Wenzhou (China) e morrendo afogada. A distraída ainda lutou para sair do rio, mas, sem forças, foi levada pelas águas. Uma câmera de segurança registrou a cena.
O corpo da mulher, identificada apenas como Wong, foi resgatado na manhã seguinte, após o marido achar os sapatos da esposa flutuando no rio. O incidente ocorreu em 29 de dezembro, segundo a imprensa local. Veja vídeo abaixo:

Comissão aprova aumento de pena para condutor que fugir do local de acidente

acidente-de-motoA Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados aprovou proposta que aumenta a pena para o condutor do veículo que se afastar do local de acidente de trânsito, para fugir à responsabilidade penal ou civil que lhe possa ser atribuída. Pela proposta, a pena passará a ser de detenção de seis meses a três anos e multa. O texto altera o Código de Trânsito Brasileiro (Lei 9.503/97), que hoje prevê pena de detenção de seis meses a um ano ou multa para a conduta.
O texto aprovado é o substitutivo do relator, deputado Hugo Leal (Pros-RJ), ao Projeto de Lei 2241/15, do deputado Veneziano Vital do Rêgo (PMDB-PB). No substitutivo, o relator também prevê pena de detenção de seis meses a três anos mais multa para a indução de erro – por exemplo, alterando o lugar do acidente – do agente policial, perito ou juiz, no caso de acidente automobilístico com vítima.