19 de janeiro de 2016

Consumidor brasileiro paga gasolina até 44% mais cara que no exterior

20160119081040213537u
Os brasileiros estão pagando até 44% mais caro pelos combustíveis do que no exterior, segundo cálculos do banco Bradesco. A diferença se acelerou nas últimas semanas, diante do forte tombo do preço do barril de petróleo no mercado internacional.
Por enquanto, a determinação dentro do governo é para que a Petrobras aproveite o momento favorável e reforce o caixa. Mas não será surpresa se, ao longo do ano, a estatal for obrigada a reduzir o valor da gasolina e do diesel para evitar que a inflação estoure o teto da meta, de 6,5%, pelo segundo ano consecutivo.

Caixa concede patrocínio de R$ 83 milhões a dez times de futebol

dinheiro2A Caixa Econômica Federal anunciou hoje (19) o patrocínio, no valor de R$ 83 milhões, a dez clubes brasileiros. Oito clubes tiveram os patrocínios renovados e dois contratos são novos: do Cruzeiro e do Atlético Mineiro. Os patrocínios foram publicados na edição desta terça-feira do Diário Oficial da União.
O Flamengo recebe o maior valor: R$ 25 milhões. Em seguida, vêm o Cruzeiro e o Atlético Mineiro, com R$ 12,5 milhões cada. O Sport do Recife, o Coritiba, o Atlético Paranaense, o Vitória da Bahia recebem R$ 6 milhões cada. O Chapecoense e o Figueirense ficam com R$ 4 milhões cada e o CRB de Alagoas, R$ 1 milhão. Os contratos assinados têm vigência até 31 de dezembro deste ano.

Pena mais dura para explosão de caixa eletrônico está pronta para ir a Plenário

caixaBB
Está pronto para a votação no Plenário do Senado o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 24/2015, que prevê o aumento da pena para furto e roubo quando for praticado com a utilização de explosivo. Com o novo texto, a explosão de caixa eletrônico, por exemplo, poderá render até oito anos de prisão.
O Código Penal prevê atualmente reclusão de um a quatro anos e multa para esse tipo de crime. O projeto estabelece que a pena passa para três a oito anos de reclusão. O texto também aumenta a pena de um terço até a metade quando a arma de fogo, munição ou acessório explosivo for fruto de roubo.
De autoria do deputado Alexandre Leite (DEM-SP), a proposta foi aprovada na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) na forma de substitutivo apresentado pelo senador Romero Jucá (PMDB-RR). O senador acrescentou ao projeto o aumento de pena de até dois terços se, no crime, for empregada arma de fogo de uso restrito.