28 de janeiro de 2016

Autoteste para detecção do HIV estará disponível nas farmácias ainda em 2016

aidslacoO autoteste de detecção do vírus do HIV estará disponível nas farmácias do país ainda neste semestre. A informação é do diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais, Fábio Mesquita, que falou hoje (28) durante o lançamento da campanha de prevenção às Doenças Sexualmente Transmissíveis e Aids para o Carnaval 2016.
“Ele tem o mesmo grau de confiança de qualquer outro teste. Será a oportunidade para uma parcela da população que tem vergonha de pedir o teste para o médico ou de ir a um posto de saúde fazer o teste” declarou ele ao ressaltar que o teste é de triagem e a pessoa precisará confirmar o resultado com outro teste.
O exame pode ser feito com saliva ou sangue e já foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância e Saúde (Anvisa). Ele já é oferecido em vários países do mundo, como Estados Unidos, Grã-Bretanha, França e África do Sul.

Número de pessoas em tratamento contra HIV/aids aumenta 13% em um ano no Brasil

O Brasil tinha 81 mil pessoas tomando antirretrovirais no ano passado, 13% a mais do que em 2014. Os dados foram apresentados hoje (28) pelo Ministério da Saúde no lançamento da Campanha Nacional de Prevenção à DST/Aids para o Carnaval 2016, na quadra da Escola de Samba da Mangueira.
Segundo o Departamento de DST/Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, antirretrovirais são medicamentos usados para impedir a multiplicação do vírus HIV no organismo. Eles não matam o vírus, causador da aids, mas ajudam a evitar o enfraquecimento do sistema imunológico.

OAB defende validade de cotas para negros em concursos públicos

A Ordem dos Advogados no Brasil (OAB) entrou com ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para que a Corte declare a constitucionalidade da Lei nº 12.990/2014, que reserva 20% das vagas em concursos públicos para negros nos órgãos da administração federal.
A ação foi protocolada uma semana após um juiz da Paraíba garantir a um candidato aprovado em um concurso público para o Banco do Brasil direito a ser nomeado na frente de candidatos que se autodeclararam negros e que obtiveram notas menores. Na decisão, o juiz considerou a lei inconstitucional.
Para a OAB, a implementação das cotas nas seleções para o serviço público é um instrumento necessário para combater a discriminação racial. Além disso, a entidade entende que o sistema cotas em concursos e nas universidades públicas não configura tratamento privilegiado à população negra.

Correios avançam no projeto de lançar marca própria de telefonia móvel

celular_correiosEm breve, os brasileiros poderão contratar serviços de telefonia móvel dos Correios. A empresa atuará como operadora virtual, ou seja, utilizará a infraestrutura e a frequência de operadoras tradicionais para comercializar planos de celular, mas sob a marca “Correios”. Neste momento, a estatal está na fase de recebimento de propostas (até 17 de março) das empresas interessadas em participar dessa iniciativa.
Para concorrer, a operadora deve estar presente em pelo menos 50% dos municípios brasileiros. Segundo o presidente da comissão de licitação, Ara Minassian, os Correios retomam o processo seletivo com um novo edital, aperfeiçoado com sugestões recebidas pelas operadoras.

Lava Jato se aproxima e Lula fica tenso

lula_frentes
Dizem lá de Brasília de que o ex-presidente Lula já teria manifestado contrariedade com a Polícia Federal e convicção de que ele se tornou foco da investigação da Lava Jato. Procuradores da operação afirmaram que todos os apartamentos do condomínio Solaris são alvo da Lava Jato na investigação de um esquema de offshores criadas para enviar ao exterior dinheiro desviado da Petrobras. Neste condomínio, a OAS havia reservado um tríplex para a família do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva Lula.

Reunião do PT teve acusações, briga e até tiro

brigaTerminou em briga e tiro uma reunião na sede do PMDB, em Goiânia, na noite desta quarta-feira. O presidente nacional da Juventude do PMDB, Pablo Rezende, que é ligado ao ex-governador Iris Rezende, e o deputado estadual Paulo Cezar Martins, que apoia o deputado federal Daniel Vilela para a presidência do diretório, protagonizaram uma briga que só foi interrompida por disparo de arma de fogo.
A confusão começou porque Pablo e integrantes da chapa de Nailton Oliveira, que é o candidato de Iris para o diretório, examinavam documentos com indícios de fraude e Paulo Cezar tentou impedir o acesso. Pablo Rezende acusa o deputado de quebrar a sala inteira e os dois então começaram a brigar. Paulo Cezar afirma que repreendeu os colegas de partido porque eles não teriam permissão para ver os documentos da eleição. O deputado diz que Pablo e outros homens começaram a lhe agredir e então um segurança teria disparado para separar a briga.

Lula não está acima da lei. Ninguém está!

lula_vermelhoNada atesta melhor o atraso político de certas cabeças coroadas da República do que a reação extemporânea e insolente a notícias ou a meras suspeitas em torno do possível envolvimento do ex-presidente Lula com fatos investigados pela Operação Lava-Jato.
Voltou a acontecer ontem quando a Polícia Federal, autorizada pelo juiz Sérgio Moro, saiu à caça de provas e de pessoas, dessa vez ligadas a um eventual esquema de offshores criadas para enviar ao exterior dinheiro desviado da Petrobras.
Todos os apartamentos do condomínio Solaris, em Guarujá, São Paulo, podem ter servido à prática de lavagem de dinheiro – entre eles um tríplex reformado pela construtora OAS para ser ocupado por Lula e sua família. Eles teriam desistido da compra.
Natural que áulicos e admiradores sinceros de Lula defendam sua honra. Se até eles se omitissem o que sobraria do ex-líder metalúrgico que, no passado, acusou, revoltado, o Congresso de abrigar mais de 300 picaretas, e a política de ser feita à base da ladroagem?
Patética, contudo, é a maneira como procedem de hábito. Em um país onde, pela primeira vez, a Justiça parece não distinguir entre poderosos e pés rapados, quer-se que a Lula seja conferido um tratamento especial. Como se ele estivesse acima da lei. Como se merecesse estar.
Que bom que não está. E que bom que nem ele e nem ninguém mereça um tratamento especial. Convenhamos: isso é prova para lá razoável de que, embora a um ritmo lento, finalmente avança entre nós a intolerância com a corrupção e com os gestores irresponsáveis.
É preciso bani-los do nosso meio.
Por Ricardo Noblat

Planalto convicto de que operação mira Lula

6b8c32a3-3601-4be1-b377-cf4d3d79a203A 22ª fase da Operação Laja-Jato, que ganhou o nome de Triplo X, cria mais um braço de investigação – e não mais apenas o que decorre de ações da Petrobras. Tendo como elo João Vaccari Netto, que está preso em Curitiba, a Lava Jato chega à Bancoop, a cooperativa de bancários de São Paulo, criada por Ricardo Berzoini, hoje ministro da Secretaria de Governo, com gabinete no Palácio do Planalto.
Ele teve como sucessor Vaccari, o tesoureiro do PT de quem Dilma fez questão de se distanciar na campanha de 2014. A suspeita é de uso dos imóveis para pagamento de propina, lavagem de dinheiro e criação de empresas offshore para transferência dos imóveis.
No Palácio do Planalto, a palavra de ordem é a mesma de desde o início da Lava-Jato: “Não há ninguém acima das investigações”, mas a apreensão é maior. Há a convicção de que o alvo é o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que comprou um apartamento da Bancoop e, depois do entendimento da cooperativa com a OAS, teve um triplex reservado para sua família.

Só a reforma no tríplex do Lula custou R$ 777 mil

triplex
O engenheiro Armando Dagre, sócio da Talento Construtora, disse ao Ministério Público de São Paulo que “praticamente” refez o tríplex 164-A, no condomínio Solaris, no Guarujá, no litoral de São Paulo – imóvel que a Promotoria suspeita pertencer ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele disse que não teve nenhum contato com Lula, mas com a ex-primeira-dama, Marisa Letícia.
“Em verdade tomou um susto quando vislumbrou a dona Marisa Letícia ingressando no meio da reunião existente no interior do apartamento”, diz o depoimento de Dagre. A reforma, contratada pela OAS, alvo da Operação Lava Jato, custou R$ 777 mil, segundo Dagre. Os trabalhos foram realizados entre abril e setembro de 2014.