29 de janeiro de 2016

Comissão da Câmara aprova indenização para famílias de policiais mortos em cumprimento do dever

PMPBA Comissão do Trabalho, de Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados aprovou proposta que assegura aos dependentes de policiais militares e civis e bombeiros militares, mortos no cumprimento do dever, o recebimento de uma indenização correspondente a 12 vezes a última remuneração do servidor.
O texto aprovado é o substitutivo do relator, deputado Laerte Bessa (PR-DF), ao Projeto de Lei 4140/12, do deputado Alexandre Leite (DEM-SP). A proposta altera o Decreto-lei 667/69, que fixa normas sobre a organização de polícias militares e os corpos de bombeiros estaduais.
Segundo a proposta, a indenização será paga quando o militar morrer em decorrência da sua função, mesmo que esteja de folga. Laerte Bessa alterou o texto para estender o benefício aos policiais civis, os quais, segundo ele, estão sujeitos a riscos funcionais similares ao dos policiais militares.

Investigado que delatou Dirceu admite ao MPF que mentiu em depoimento

Fernando Moura Hourneaux,
Fernando Moura Hourneaux,
O empresário Fernando Moura Hourneaux, investigado na Operação Lava Jato, admitiu hoje (28), em depoimento ao Ministério Público Federal (MPF), que prestou informações falsas durante interrogatório ao juiz federal Sérgio Moro, na sexta-feira (22). Moura culpou o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu nas delações assinadas com o MPF. A confissão ocorreu após os procuradores abrirem procedimento para verificar se o réu quebrou acordo de delação premiada.
Aos procuradores, Moura disse que estava disposto a negar, perante Moro, as declarações prestadas nas delações. O empresário explicou que, um dia antes de embarcar para Curitiba para prestar depoimento, foi abordado por uma pesssoa em Vinhedo (SP), onde mora.
Segundo ele, o desconhecido perguntou sobre seus netos, que moram no Rio Grande do Sul. Diante da abordagem, o delator disse que ficou transtornado e passou a temer pela segurança de sua família.
“Eu ia negar toda a minha delação. Eu só não iria negar dois fatos, o Duque [Renato Duque, ex-diretor de Serviços da Petrobras] e a Hope [empresa acusada de fraudar contratos com a estatal], porque a pessoa que me abordou não tinha sotaque carioca, tinha sotaque paulista. Essa foi minha atitude”, informou aos procuradores.

Além da microcefalia, zika vírus pode transmitir doença rara em adultos

guilanAlém da microcefalia em recém-nascidos, o vírus zika pode transmitir também outra doença rara: a Síndrome de Guillain-Barré. Ela, contudo, atinge também pessoas adultas, e não só bebês. A infeccção ataca as células nervosas do corpo, provocando fraqueza muscular e, em casos graves, paralisia total. O alerta veio da agência americana CDC (Centros de Controle e Prevenção de Doenças), que junto às autoridades brasileiras, está investigando a provável conexão. A empresa pediu ainda que gestantes de todo o mundo evitassem viajar para os 22 países que estão com surto do vírus.
De acordo com o New York Times, pacientes do Brasil com a síndrome perderam a sensibilidade da pele e dos músculos — não conseguem sentir texturas, calor e dor nos membros, apenas um formigamento em algumas partes do corpo. Em casos avançados da doença, a vítima pode ter paralisia quase total, ou seja, ela fica consciente, mas incapaz de falar ou se mover. Este tipo de paciente corre sérios riscos de ter paralisia pulmonar, levando-o à morte.

Odebrecht gastou 500 mil reais para reformar o sítio de Lula

sitio_lula
A Odebrecht gastou 500 mil reais para reformar o sítio de Lula. Só em materiais.
A conta foi feita pela dona do Depósito Dias, fornecedora da obra.
Ela disse à Folha de São Paulo:
“A gente diluía esse valor total em notas para várias empresas, mas para mim todas elas eram Odebrecht”.
Os pagamentos, segundo ela, eram feitos em dinheiro vivo:
“Eu lembro que o Quico [apelido do engenheiro da Odebrecht] ligava para um outro senhor, que orientava sobre como era para fazer as notas. Eu não tinha o telefone, o endereço, nada desse outro senhor. Só sabia que na sexta-feira às três horas da tarde ele passava lá para pagar. Os pagamentos giravam em torno de R$ 75 mil a 90 mil por semana, em dinheiro vivo.
Era uma mala que tinha outros valores também para pagar para os pedreiros, serventes, etc. Ele ia tirando envelopes de papel pardo. Dava para ver que tinha uma organização na mala para ser rápido, pagar o pessoal em ir embora. Ele só fazia isso”.

Máfia da merenda atingiu 152 cidades

Três cooperativas de agricultura familiar formaram um cartel para definir vencedores em licitações de merenda escolar em até 152 municípios paulistas, de acordo com documento anexado aos autos da Operação Alba Branca a que a Folha teve acesso.
Planilha que estava em computador da Coaf (Cooperativa Orgânica Agrícola Familiar), de 2013, lista municípios e os contratos que cada um tem com as cooperativas, numa espécie de loteamento. O documento mostra ainda o total da verba para merenda e o valor destinado especificamente à agricultura familiar, que, por lei, pode ser contratado sem licitação.
Além da Coaf, são citadas a Coagrosol (Cooperativa dos Agropecuaristas Solidários de Itápolis) e a Cocer (Cooperativa de Citricultores de Engenheiro Coelho). Em depoimento, o ex-presidente da Coaf Cássio Izique Chebabi, delator na operação, confirmou a combinação de preços.
images