Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro 15, 2016

Com um golpe de faca no pescoço, Alexandre Dias põe fim à própria vida em Brasnorte

Imagem
A Polícia Judiciária Civil registrou um suposto suicídio em uma quitinete na Avenida Sete Quedas, centro, do município de Brasnorte. O fato foi registrado por volta das 17h, desta segunda-feira, 15. As primeiras informações colhidas pela polícia é que o açougueiro Alexandre Dias , 22, cometeu um possível suicídio. Ele teria pegado uma faca e desferido um golpe em seu pescoço, perdeu muito sangue, e em seguida, utilizou uma corda para o enforcamento. Os investigadores estiveram no local onde ocorreu o fato e levantaram essas informações que serão posteriormente apuradas. A polícia vai investigar o que de fato ocorreu, mas surgiram “comentários” de que ele enfrentava um “problema” com sua ex-mulher. Ele deixou uma filha com poucos meses de vida. O caso deixou os amigos entristecidos. Com Juína News.

É possível criar seu próprio negocio enquanto bate cartão em outra empresa?

Imagem
  Stefânia Akel A ideia de se tornar o próprio patrão ou patroa seduz muitas mentes inquietas, dispostas a trilhar um caminho independente como empresário. Empreender, porém, requer coragem e capital inicial (ou uma boa linha de crédito), nem sempre abundantes, dependendo das necessidades financeiras e materiais de cada pessoa. Uma saída para quem está indeciso entre permanecer empregado e virar empregador é, justamente, tocar o trabalho com carteira assinada enquanto cria sua própria firma. É o que fez o jornalista André Rossi, de 27 anos. De agosto de 2012 a agosto de 2013, ele planejou a criação da Veto, consultoria de tecnologia de dados focada na área pública. Paralelamente, de outubro de 2012 ao mesmo mês do ano seguinte, atuou em uma revista. Somando o expediente ao tempo investido na fundação da consultoria, Rossi trabalhou “de 14 a 16 horas” por dia com a jornada dupla. “Empreender enquanto se está empregado não é uma tarefa das mais simples”, reconhece. “É ne

Banco Central lança novas moedas comemorativas dos Jogos Rio 2016

Imagem
O quarto conjunto de nove moedas comemorativas dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 será lançado pelo Banco Central na próxima sexta-feira, 19 de fevereiro, no Rio de Janeiro. Fazem parte do conjunto uma moeda de ouro, quatro de prata e quatro de circulação comum. Esse lançamento encerra o programa de moedas comemorativas dos Jogos, que contém, ao todo, 36 peças. A moeda de ouro homenageia o Cristo Redentor e a Tocha Olímpica, símbolo dos Jogos que percorre diversos países até chegar à cidade-sede, onde acende a pira, dando início às competições. As moedas de prata homenageiam o Rio de Janeiro: os anversos, com paisagens conhecidas onde o carioca pratica esportes como remo, corrida, ciclismo e vôlei de praia; os reversos, com aspectos da cultura e da natureza da cidade e do Brasil. Borboleta-da-Praia, Pau-Brasil, Teatro Municipal e Samba encerram as quatro séries temáticas: Fauna, Flora, Arquitetura e Música Brasileira, respectivamente.

Juiz diz ao TSE que delatores confirmaram propina em doações eleitorais

Imagem
O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas investigações da Operação Lava Jato, informou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que delatores confirmaram desvio de dinheiro da Petrobras para doações eleitorais registradas e não registradas. O ofício foi enviado em outubro do ano passado ao TSE e tornou-se público hoje (15). No documento, Moro aceitou pedido de compartilhamento das provas das investigações, mas informou que não é possível enviar ao TSE cópias de centenas de processos. No entanto, o juiz remeteu cópia das delações e demais provas sobre o suposto repasse de propinas para campanhas eleitorais. “Saliento que os criminosos colaboradores Alberto Youssef [doleiro], Paulo Roberto Costa, [ex-diretor da Petrobras] Pedro Barusco [ex-gerente da estatal], Augusto Mendonça Neto [empresário], Milton Pascowitch [lobista] e Ricardo Pessoa [executivo da empreiteira UTC] declararam que parte dos recursos acertados no esquema criminoso da Petrobras era destinada a doações eleitora