17 de fevereiro de 2016

Brasil investiga 3.935 casos suspeitos de microcefalia, diz levantamento

O Ministério da Saúde informou hoje que investiga 3.935 casos suspeitos de microcefalia. Até o dia 13 de fevereiro, 837 casos foram descartados de um total de 5.280 notificações de estados e municípios ao governo federal.
Os números foram divulgados pelo secretário de Vigilância em Saúde, Antônio Carlos Nardi, durante a Reunião Internacional para Implementação de Novas Alternativas para o Controle doAedes aegypti. O boletim epidemiológico completo deve sair na tarde de hoje.

Novo vírus para Android ‘apaga’ celular apenas com um SMS

virus androidDonos de aparelhos Android, cuidado. Um novo malware, batizado como Mazar, é capaz de apagar remotamente todos os dados armazenados no telefone. De acordo com a firma de segurança dinamarquesa Heimdal Security, o arquivo malicioso é disseminado por mensagens SMS. Após a instalação, os criminosos ganham direitos de administrador sobre o dispositivo da vítima, e têm acesso a diversas funções, como fazer e receber chamadas, acessar a internet, ler, escrever e enviar mensagens SMS e, por fim, apagar toda a memória do aparelho.
“Esse malware específico abre as portas para todos os tipos de consequências maliciosas para a vítima”, diz Andra Zaharia, analista da Heimdal, no blog da companhia. “Os atacantes podem abrir um backdoor no smartphone para monitorá-lo e controlá-lo; enviar mensagens SMS para canais por assinatura, aumentando a conta; ler mensagens SMS, o que significa que eles podem ler códigos de autenticação usados por aplicativos de bancos, sites de comércio eletrônico e redes sociais; usar o acesso para manipular o dispositivo para qualquer fim. E pode ficar pior”.
O SMS chega a vítima com um link, dizendo que existe uma mensagem multimídia para ela. Ao cair no golpe, um pacote APK é baixado e instalado no telefone. O primeiro passo do malware após a infecção é instalar o browser TOR, para navegação na web profunda. Na segunda fase, o Mazar roda o TOR para se conectar a um servidor na rede anônima e enviar um SMS automático para um telefone no Irã, com dados de localização do aparelho contaminado.

Justiça determina desbloqueio do site da Telexfree

telexfree internacionalEm decisão proferida na última quinta-feira (12), a juíza de Direito Thaís Khalil, titular da 2ª Vara Cível da Comarca de Rio Branco, decidiu receber os recursos de apelação apresentados tanto pelo autor (Ministério Público Estadual), como pelos réus (Ympactus Comercial Ltda e outros) – no que diz respeito ao processo nº 0800224-44.2013.8.01.0001). Os recursos foram recebidos no efeito devolutivo e ambas as partes já apresentaram suas contrarrazões. Os autos já foram encaminhados ao Tribunal de Justiça do Acre (TJAC), para julgamento das apelações.
Em outras palavras, o efeito devolutivo ocorre quando o juiz “devolve” ao Tribunal o conhecimento da causa para uma nova apreciação, no entanto pode manter a execução provisória da sentença proferida em 1ª Instância até o julgamento do recurso. De maneira ainda mais clara, está mantida a sentença proferida pela juíza de Direito Thaís Khalil em setembro de 2015, na qual condenou a Telexfree a pagar indenização por danos extrapatrimoniais coletivos, no valor de 3 milhões de reais, e também a restituir valores aos divulgadores, mas os recursos serão apreciados no âmbito do 2º Grau (TJAC).

MPF recorre da decisão da Justiça de rejeitar denúncia contra Neymar

neymar coletiva
O Ministério Público Federal em Santos recorreu, na sexta-feira (12), da decisão da Justiça Federal de rejeitar a denúncia oferecida, por falsidade ideológica e sonegação tributária, contra Neymar da Silva Santos Junior, seu pai, Neymar da Silva Santos, e dois dirigentes ligados ao Clube de Futebol Barcelona, Alexandre Rosell Feliu e Josep Maria Bartomeu Floresta. Segundo a procuradoria, o magistrado deixou de considerar diversos crimes descritos na peça de acusação e não observou o momento processual adequado para emitir um juízo sobre a prática dos delitos.
De acordo com o MPF, os envolvidos forjaram uma série de documentos entre 2006 e 2013, em prejuízo ao fisco e a terceiros. O juiz federal Mateus Castelo Branco rejeitou a denúncia alegando que há ainda um processo administrativo em curso para apurar a questão do pagamento de impostos, o que deve suspender uma ação penal por crime contra a ordem tributária enquanto não haja decisão de tal processo. “Pendente processo administrativo, descabe adentrar o campo penal quer considerada a ação propriamente dita, quer inquérito policial”, escreveu o juiz.

“Muitos parlamentares aqui são corruptos e votam com o bolso”, diz integrante do Conselho de Ética

size_810_16_9_corruptionUm dos parlamentares que votam pela continuidade do processo por quebra de decoro do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o tucano Nelson Marchezan Júnior (RS) disse durante a sessão do Conselho de Ética desta terça-feira, 16, que há deputados que votam de acordo com os interesses de seu bolso.
“Muitos parlamentares aqui são corruptos e votam com o bolso. Somos aqui a representação da sociedade que tem a sua parcela de corruptos representada”, afirmou à Agência Estado. Para o parlamentar, há grupos no colegiado – ligado ao PT – que têm interesse que Cunha permaneça sob os holofotes da imprensa, os que defendem o peemedebista e os parlamentares que gostam de ter espaço na mídia.

STF nega pedido da PGR para vender carros de luxo de Collor

carros_collor
A 2ª Turma do STF negou pedido da PGR para recuperar e vender os automóveis de luxo apreendidos na residência do senador Fernando Collor (PTB-AL). Para investigadores da Operação Lava Jato, os carros de luxo são possivelmente produto de crime e fazem parte de um “sofisticado esquema de lavagem de dinheiro” operado pelo senador, que teria sido beneficiado pelo recebimento de R$ 26 milhões em propina. Em julho, a PF areendeu na casa de Collor uma Lamborghini, um Bentley, uma Range Rover, uma Ferrari e um Porsche.