29 de março de 2016

Ministro do PMDB só passou 12 dias no cargo

Mauro_LopesUm dos pivôs dos últimos confrontos entre o PMDB e o governo, o ministro da Aviação Civil, Mauro Lopes (PMDB-MG), entregará ainda nesta terça-feira (29) sua carta de demissão à presidente Dilma Rousseff, segundo o vice-líder do partido na Câmara Lúcio Vieira Lima (BA).
Mauro Lopes foi empossado no dia 17, ou seja, há apenas 12 dias, contrariando a decisão do comando partidário de proibir peemedebistas de aceitarem novos cargos no Executivo federal até o partido decidir se rompe ou não com o governo Dilma.
Secretário-geral do PMDB, Mauro Lopes vinha sendo ameaçado de expulsão pelos colegas caso não entregasse a pasta. A assessoria de imprensa da Secretaria de Aviação Civil informou ao Congresso em Foco que o ministro só vai se manifestar após a reunião do diretório nacional do PMDB, que deve selar o desembarque do partido.

PMDB entregará 7 pastas e 600 cargos no rompimento com Dilma

Destaque no Estadão. Num raro movimento de união partidária na história do partido, o PMDB vai aprovar na tarde desta terça-feira (29) o rompimento com o governo da presidente Dilma Rousseff.
A decisão, que deve ser tomada por aclamação em convenção partidária e levará à entrega de sete ministérios e outros 600 cargos na máquina pública federal, tem por objetivo fortalecer o vice-presidente e presidente do partido, Michel Temer, beneficiário direto de um eventual impeachment de Dilma.

Renan diz que vai pedir apoio ao STF caso impeachment chegue ao Senado

Renan
O presidente do Congresso Nacional e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse hoje (29) que, caso o processo de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff seja aprovado na Câmara, ele definirá junto com o Supremo Tribunal Federal (STF) um cronograma para a análise do Senado. “Se esse processo chegar ao Senado, e eu espero que não chegue, vamos, juntamente com o Supremo Tribunal Federal, decidir um calendário. A Constituição prevê que esse julgamento aconteça em até seis meses”, afirmou.

Temer tem de demitir todos os parasitas petistas

Michel Temer já tem um programa de governo.
Ele foi entoado na reunião de hoje pelos caciques do PMDB.
O programa é: “Fora PT”.
A primeira medida de Michel Temer tem de ser a demissão de todos parasitas petistas que ocuparam o poder público.
Se ele fizer isso, seu governo pode dar certo. Se não fizer, os parasitas petistas vão destruí-lo.

Partidos rejeitam votar impeachment no domingo

Os partidos de oposição querem que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, marque para o dia 14 de abril, quinta-feira, a votação do impeachment de Dilma Rousseff no plenário da Casa.
Para os líderes, a ideia de Cunha de fazer a votação no domingo, 17, passa a ideia de que o parlamento quer promover a “espetacularização” do processo.
Do Radar On line