22 de abril de 2016

Dilma se irrita: revista Time estava estampada para todo lado com foto de Sérgio Moro

dilma_time
Dilma chegou a dar um murro na porta do aeroporto ao ver a revista TIME com foto de Sérgio Moro para todo lado. Pessoas caminhavam para seu lado e pediam autografo na revista com Moro. A presidente Dilma Rousseff ficou visivelmente irritada ao ser informada, assim que chegou aos Estados Unidos nesta quinta, que o Juiz Federal Sérgio Moro foi eleito uma das 100 personalidades mais influentes do planeta pela revista Time. Dilma não se conforma com o fato de ter sido eleita a pior governante do mundo no ranking da revista Fortune.
Moro, que já havia figurado na lista dos 50 mais influentes da revista americana Fortune há poucos dias, figura agora entre nomes como Papa Francisco, o presidente dos EUA, Barack Obama, e o ator Leonardo DiCaprio. A lista dividida em cinco categorias, (titãs, pioneiros, artistas, líderes e ícones), conta com um artigo com o perfil de cada personalidade.

Operação Lava-Jato já tem 65 delações premiadas

lava_cunhaA Operação Lava-Jato já firmou 65 acordos de delação premiada, dos quais 51 de investigados soltos. A informação foi divulgada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, em palestra na Brazil Conference, realizada pela Universidade de Harvard e pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT), nos Estados Unidos – evento que ocorre nesta sexta-feira, 22, e sábado, 23.
O procurador-geral informou que 47 inquéritos já foram instaurados no Supremo Tribunal Federal, compreendendo 118 mandados de busca e apreensão também no âmbito da Corte, segundo informações divulgadas pela Secretaria de Comunicação Social da Procuradoria-Geral da República. Na primeira instância – em Curitiba, base da missão Lava-Jato -, destacou Janot, foram 1.177 procedimentos instaurados, com 574 mandados.

PMDB substitui José Maranhão por Dário Berger na comissão do impeachment

O senador José Maranhão (PMDB-PB) desistiu de participar da comissão que analisará, no Senado Federal, o processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. No lugar dele, assumirá Dário Berger (PMDB-SC). De acordo com a assessoria de Maranhão, o senador reconsiderou a decisão de participar do colegiado porque pretende atuar exclusivamente na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), da qual é presidente.
O PMDB, partido com maior bancada no Senado, tem direito a indicar cinco integrantes para a comissão do impeachment. Além de Berger, o partido terá como titulares os senadores Raimundo Lira (PB), Rose de Freitas (ES), Simone Tebet (MS) e Waldemir Moka (MS).

Temer diz que Brasil não merece desqualificação e agressões

dilma_temer
O presidente da República em exercício, Michel Temer, disse hoje (22) que o Brasil não merece ser desqualificado com agressões à vice-presidência e que decidiu dar entrevistas à imprensa estrangeira após se sentir atacado por declarações da presidenta Dilma Rousseff. O peemedebista ocupa a Presidência desde ontem (21), quando Dilma viajou para os Estados Unidos.
“Fui provocado para aquelas entrevistas, achei que deveria dizer alguma coisa à imprensa internacional, já que houve manifestações [de Dilma] em relação à imprensa internacional, especialmente pretendendo desqualificar a minha posição. Aí não é a coisa do vice-presidente, é uma coisa do Brasil, acho que o Brasil não merece desqualificação por meio de eventuais agressões à vice-presidência”, disse Temer em entrevista na saída de seu gabinete, no anexo do Palácio do Planalto.

Vice-líderes do governo declaram voto pela admissibilidade do impeachment

Os vice-líderes do governo no Senado, senadores Hélio José (PMDB-DF) e Wellington Fagundes (PR-MT), declararam hoje (22) em discursos no plenário da Casa que irão votar a favor da admissibilidade do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. O senador Wellington, que vai integrar a comissão especial encarregada de analisar o processo, disse que ainda não tem uma posição firmada sobre o mérito afastamento.
Também o senador Hélio José, que integra a comissão como suplente, disse que ao votar pela admissibilidade no plenário do Senado e, se for chamado para votar na comissão, não estará fazendo nenhum prejulgamento, uma vez que a analise do mérito da denúncia só será feita se houver a admissão do processo, nos 180 dias de afastamento da presidenta.

Delcídio pede ao STF suspensão de processo de cassação no Senado

delcidio_agA defesa do senador Delcídio do Amaral (MS) recorreu hoje (22) ao Supremo Tribunal Federal (STF) para suspender o processo de cassação contra o parlamentar no Conselho de Ética do Senado. Os advogados alegam que o colegiado tem cerceado o direito de defesa do senador.
Com o recurso, a defesa pretende impedir que o senador preste depoimento ao Conselho de Ética na próxima terça-feira (26). Logo após ser solto, em dezembro do ano passado, Delcídio conseguiu um atestado médico e não compareceu a três depoimentos que foram marcados.
De acordo com os advogados, a tramitação do processo disciplinar é ilegal porque não foi suspenso durante o período da licença médica, foram rejeitados pedidos de convocação de testemunhas, não foi feito laudo pericial na gravação que justificou sua prisão e falta apensamento da íntegra do inquérito que Delcídio responde no Supremo.

Brasil fecha 118.776 postos de trabalho em março, diz Caged

economia-trabalho-desemprego-carteira-20130527-71-originalO Brasil teve a maior perda de vagas formais para meses de março em 25 anos, segundo dados divulgados hoje (22) pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho. No mês passado, o país fechou 118.776 postos de trabalho com carteira assinada.
Nos últimos 12 meses, já foram suprimidas 1.853.076 milhões de vagas formais. Os números levam em conta a diferença entre demissões e contratações. Quase todos os setores da economia demitiram mais do que contrataram. A exceção foi a administração pública, com 4,3 mil vagas a mais no mês.

Mais de 118 mil empregos com carteira assinada foram extintos em março

tumblr_lrqpapi0Gx1qeg3bco1_5001
Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS) divulgou, na tarde desta sexta-feira (22/4), que 118.776 empregos com carteira assinada foram extintos no país em março. Os dados do Cadastro-Geral de Empregados e Desempregados (Caged) equivalem a uma variação negativa de 0,30% no estoque de empregos, comparada ao mês anterior. Com essa variação, o estoque atingiu 39,3 milhões de postos de trabalho em março.
É a primeira vez desde março de 1999 que o número de vagas cortadas é maior do que o de admissões. Também é o pior março da série histórica, que começou em 1997. No trimestre, já somam 322.992 postos de trabalho fechados.