11 de novembro de 2016

Vilhena tem prefeito, vice e metade dos vereadores presos

Uma cidade no interior de Rondônia está praticamente parada, depois que o prefeito, o vice e metade dos vereadores foram presos. Todos são acusados de corrupção.
Uma cidade parada pela corrupção. Mais de 700 funcionários da Saúde estão sem receber o salário do mês de outubro.
Sem dinheiro para pagar os servidores, a prefeitura de Vilhena teve que pedir autorização à Câmara dos Vereadores para remanejar o orçamento.
O problema é que dos dez vereadores, cinco estão presos e dois, foragidos. Eles são suspeitos de fraude na aprovação e regularização de loteamentos comerciais.
Desde a operação da Polícia Federal, no mês passado, a Câmara ficou sem quórum para votar os projetos.
Na prefeitura, a situação também não é das melhores. Poucas secretarias estão funcionando, e é até difícil encontrar alguém circulando pelo pátio. No gabinete, a porta está fechada. É que o prefeito e o vice-prefeito também estão presos.
O prefeito José Luis Rover, do PP, foi preso na quinta-feira (10), suspeito de chefiar uma organização criminosa, que desviava dinheiro das secretarias de Comunicação e de Obras. Além de cobrar propina de empresas prestadoras de serviço. Os investigadores dizem que o desvio pode chegar a R$ 5 milhões.
A população está indignada com a situação política da cidade.
O advogado do prefeito José Luís Rover disse que vai pedir a revogação da prisão. As defesas dos vereadores presos não se manifestaram.

Onde o dinheiro do Bolsa Família foi parar...

Diagnóstico

O Ministério Público Federal (MPF) desenvolveu uma ferramenta de inteligência para apurar possíveis irregularidades relativas ao requisito legal de renda para inclusão de pessoas no Programa Bolsa Família, do Governo Federal.
As bases de dados cruzados foram fornecidas pelo próprio Governo Federal, pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), pela Receita Federal e pelos Tribunais de Contas estaduais e municipais, na maior mobilização de instituições para fiscalizar o programa. O período de fiscalização abrange todos os valores pagos no período de 2013 a maio de 2016.
A plataforma digital identificou grupos de beneficiários com indicativos de renda incompatíveis com o perfil de pobreza ou extrema pobreza exigido pelas normas do programa Bolsa Família para a concessão do benefício.
Com o objetivo de racionalizar e permitir uma atuação coordenada e nacional do MPF, os beneficiários que apresentaram indicativos de capacidade econômica superior aos limites legais do programa foram classificados em cinco grupos:
  • PERFIL FALECIDOS;
  • PERFIL SERVIDORES PÚBLICOS cujo clã familiar possui até quatro pessoas;
  • PERFIL DOADORES DE CAMPANHA que doaram valores superiores aos recebidos pelo programa;
  • PERFIL EMPRESÁRIOS;
  • PERFIL SERVIDORES DOADORES DE CAMPANHA.

Apodi tem 76 empresários, quase 100 servidores e 2 defuntos recebendo Bolsa Família

 
Levantamento do Ministério Público Federal (MPF), divulgado nesta sexta-feira (11), aponta que 76 empresários e quase 100 servidores públicos de Apodi (RN) recebem o Bolsa Família, ilegalmente. 

Eles são suspeitos de não cumprir os requisitos econômicos estabelecidos pelo Governo Federal para o recebimento do benefício. 

Os valores suspeitos recebidos pelos empresários ultrapassaram R$ 300 mil, enquanto que os servidores receberam quase R$ 400 mil. De acordo com o Projeto Raio-X Bolsa Família, esses valores são referentes ao período entre 2013/2016. 

Ainda na lista dos irregulares de Apodi, duas pessoas falecidas continuam recebendo o Bolsa Família. Nos três últimos anos, “eles” sacaram R$ 7.852,00 do programa federal. 

Ao todo, são 177 beneficiários irregulares no município. Juntos, eles receberam R$ 701.757,00 durante o período investigado.

Ações da Lava Jato e Gaeco nos dão um fio de esperança

No Judiciário brasileiro, a Operação Lava Jato, é o que podemos ver como o que ocorreu de extraordinário nas últimas décadas. Essa Operação não pode parar, jamais.

Digno de reconhecimento também é o trabalho que vem sendo desenvolvido nos estados pelo GRUPO DE ATUAÇÃO ESPECIAL DE COMBATE AO CRIME ORGANIZADO – GAECO.

Tentar frear a corrupção, não é tarefa fácil.   

Mas, acredito que o trabalho do Juiz Federal Moro, dos Procuradores da República e dos Estados, uma hora deixará corruptos e corruptores no fundo do poço.

Por isso mesmo, a sociedade tem que apoiar irrestritamente, em particular, essa ação desenvolvida pelo Judiciário e Ministério Público. 

Juíza é condenada por envolvimento com narcotraficante colombiano

A juíza aposentada por invalidez Olga Regina de Souza Santiago, do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), foi condenada nesta terça-feira (8) pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) por envolvimento com o narcotraficante colombiano Gustavo Duran Bautista, apontado como líder de um grupo criminoso especializado na exportação de cocaína da América do Sul para a Europa.
A juíza, investigada desde 2007, foi condenada por unanimidade dos conselheiros à pena de aposentadoria compulsória, punição máxima prevista na Lei Orgânica da Magistratura. A informação foi divulgada pelo CNJ.
NOTA DO BLOG: Essa tal aposentadoria compulsória precisa se acabar no Brasil. 

Aprendam a perder seus falsos democratas

Faz parte da Democracia aceitar o resultado das urnas. Em qualquer lugar do Mundo.

Portanto, os protestos contra a eleição deste ou daquele são inúteis, servem apenas para manifestar indignação.

Envergonha-nos o comportamento imbecil desses democratas da América do Norte que saem às ruas para protestar contra Trump.

O cara ganhou de forma honesta. Então, aprendam a perder seus falsos democratas! 

Vamos eleger nosso Trump brasileiro

Precisamos em 2018, eleger o nosso “Donald Trump” presidente do Brasil.

Chega de falsos democratas no poder. Precisamos de um líder que ponha ordem no Brasil.

Até aqui, nossos “Obamas” têm sido uma tremenda decepção para nossa Nação. 

Médicos brasileiros formados no exterior poderão complementar curso no Acre

Uma ação do deputado Federal Alan Rick (PRB) junto a Universidade Camilo Castelo Branco, vai trazer para o Acre um curso de extensão para alunos formados em medicina no exterior e que agora poderão fazer a complementação para revalidação dos seus diplomas no Estado. Esses cursos complementares são exigidos pela Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT) para a revalidação do diploma de médico no Brasil.
Na manhã desta sexta-feira, acompanhado do Coordenador Geral do Curso de Extensão da UniCastelo, Dr. Frank Ronaldo Soares, o deputado Alan Rick esteve reunido com o governador Tião Viana e o prefeito Marcus Alexandre para tratar da questão.
Segundo o governador Tião Viana, os estudantes de medicina no exterior serão os maiores beneficiados, uma vez que a parceria entre o governo do Estado, prefeitura de Rio Branco e a Universidade Camilo Castelo Branco, trará para o Acre a fase de estudos para revalidação de diploma de medicina expedido no exterior.
alan-estudantes-vxvxvxvxvx
O Governo do Estado e a Prefeitura, disponibilizarão as UPA’s e Unidades Básicas de Saúde para aulas práticas do curso
Nessa parceria, Governo do Estado e Prefeitura, disponibilizarão as UPA’s e Unidades Básicas de Saúde para aulas práticas do curso, monitorada por preceptores-médicos da própria unidade. Em contrapartida, a UniCastelo fornecerá material médico hospitalar, medicamentos e uma carreta de saúde para atendimento itinerante, na capital e interior.
“Tenho trabalhado de forma constante na defesa dos interesses dos brasileiros e, em especial, dos acreanos que fazem medicina no exterior. Temos conseguido vitórias importantes, como a nossa emenda que assegura aos médicos brasileiros formados em universidades brasileiras e estrangeiras a preferência sobre os estrangeiros no Programa Mais Médicos e que está incluída na portaria Interministerial que trata da nova etapa do programa”, destaca Alan Rick.
O parlamentar acreano lembra ainda que a parceria da UniCastelo com o governo do Estado e a Prefeitura de Rio Branco “é mais uma vitória para os nossos estudantes que agora podem fazer o processo do Revalida mais próximo de suas famílias. Além disso, teremos mais profissionais atendendo a população do nosso Estado”, disse Alan Rick.