5 de dezembro de 2016

Mulher não aceita fim do namoro e destrói carro de amigo do ex em MT

Uma mulher que não aceitava o fim do relacionamento destruiu o carro do amigo do ex-namorado dela, na cidade de Sorriso, a 420 km de Cuiabá. O ex-namorado, que é proprietário de um bar na cidade, registrou um boletim de ocorrência na delegacia da cidade contra a suspeita por ameaça e dano material. A situação ocorreu no sábado (3).
A suspeita, que tem 30 anos, fugiu do local e não foi encontrada até o momento. De acordo com a Polícia Civil, o empresário, de 31 anos, procurou a delegacia e disse que teve um relacionamento com a mulher. O namoro terminou há cinco meses.
Carro que estava estacionado no bar foi danificado pela ex-namorada da vítima (Foto: Rafael Sousa/Portal Sorriso)
Ele alegou à polícia que desde então a ex-namorada não aceitava o fim do relacionamento e ainda fazia ameaças. Ela teria dito que 'se ela não ficasse com ele, ninguém mais poderia ficar'. Enquanto trabalhava no bar, a vítima afirmou que a ex chegou ao estabelecimento armada com uma faca.
Depois de fazer ameaças contra o ex e contra as pessoas que estavam no local, a suspeita usou um pedaço de madeira para danificar um carro que estava estacionado no bar. O veículo pertence a um amigo do empresário.
A ex-namorada quebrou os para-brisas do carro, os vidros e danificou a lataria do carro em diversas partes.

GCCO suspeita que PMs estejam envolvidos em explosão de caixa

O delegado Flávio Stringuetta, do Grupo de Combate ao Crime Organizado (GCCO), não descarta a hipótese de participação de policiais militares na explosão do caixa eletrônico instalado dentro Comando Geral da Polícia Militar, na madrugada desta segunda-feira (5), em Cuiabá.

Em entrevista à TV Rondon, afiliada do SBT em Cuiabá, o delegado disse que a falta de reação dos policias e vigias presentes no local causa estranheza. Segundo ele, o caso está sendo investigado.

“Esses criminosos costumam render quem possa dar a primeira reação – no caso, os vigias e os policiais militares – , mas isso não aconteceu. Isso chama atenção aqui da Gerência porque não houve essa rendição. Eles agiram mesmo com os policiais militares estando bem próximos e sabendo que, com o barulho da explosão, haveria reação – caso, é claro, os policiais não tenham tido participação no fato. Isso é o que está sendo apurado e vai ser motivo de investigação por parte da Polícia Militar e da GCCO”, disse.

Stringuetta ainda caracterizou a ação como uma “afronta” e “audácia” e ressaltou que a quadrilha que tentou explodir o caixa é inexperiente.

Ministro de Temer e mais 50 têm quase R$ 1 bilhão bloqueados

A Justiça bloqueou cerca de R$ 950 milhões das contas de representantes de 51 propriedades rurais localizadas no interior do Parque Estadual Serra de Ricardo Franco, no Município de Vila Bela da Santíssima Trindade (521 Km a Oeste de Cuiabá).

As decisões liminares foram proferidas em ações civis públicas propostas pelo Ministério Público do Estado de Mato Grosso.

Entre os que tiveram bens bloqueados, está o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, que tem propriedade na região. Ele é considerado o homem mais forte do Governo do presidente Michel Temer.

Bióloga quer reciclar bitucas de cigarro e transformar em porta-copos

A bióloga Bárbara Sales, de 26 anos, vem desenvolvendo uma pesquisa para transformar as bitucas de cigarro em porta-copos. Ela apresentou seu trabalho durante a 7ª ExpoCatadores, em Belo Horizonte. O evento, organizado pelo Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR), começou no dia 28 e terminou no dia 30.
Atualmente trabalhando como educadora ambiental no Instituto Inhotim, Bárbara começou seu estudo, como projeto de final de curso, no Centro Universitário Newton Paiva. Ela coletou manualmente as bitucas pelas ruas da capital mineira e também disponibilizou um coletor em alguns bares, onde os fumantes poderiam fazer o descarte do resto do cigarro após o consumo.
Por meio de testes e de revisão bibliográfica, a bióloga estabeleceu um processo de reciclagem. “Eu deixei as bitucas de molho em um componente químico por cerca de sete dias. Em seguida, o material foi submetido a um cozimento a 200 graus e virou uma massa. Depois, há um processo para deixar as partículas mais homogêneas, a secagem e a confecção do porta-copo”, explica.

Governo prepara para janeiro MP para regularizar 25 mi de imóveis

O ministro das Cidades, Bruno Araújo, afirmou nesta segunda-feira, 5, que o governo federal pretende lançar em janeiro medida provisória (MP) para viabilizar a regularização fundiária daqueles imóveis onde os moradores não têm o documento que formaliza a sua propriedade.
Segundo Araújo, a medida será válida para todos os imóveis do País, nessa situação, menos para aqueles situados em áreas consideradas de risco. A estimativa é que existam cerca de 25 milhões de imóveis nessa situação.

Cubanos dão as costas para passagem funeral de Fidel Castro

Uma imagem que repercutiu nas redes sociais e que tem sido ignorada pela grande imprensa nacional, mostra um protesto de cubanos que viraram as costas durante a passagem do féretro de Fidel Castro.

A imagem foi registrada no último sábado (03), em Santiago de Cuba, na chegada do féretro que levava a urna com as cinzas do ditador. 

De acordo com o El País, o protesto foi organizado pela oposição. “Todos os funerais de tiranos são muito parecidos, é só olhar um pouco a história”, escreveu o ativista José Daniel Ferrer, da Unión Nacional Patriótica de Cuba. “A imprensa oficial diz que há pouca gente na rua porque as pessoas estão reclusas em sua dor. 

A verdade é que existe medo, muito medo”, disse por sua vez a jornalista crítica Yoani Sánchez, diretora do jornal digital 14 y médio.


Três padres se suicidam em 15 dias; psicóloga explica síndrome

Mês passado, num espaço de duas semanas, três padres — o baiano Ligivaldo, o mato-grossense Rosalino e o mineiro Renildo — se suicidaram. As idades variavam entre 31 e 37 anos. Uma pesquisa de 2012 revelou que o ofício de padre está entre as profissões mais estressantes, na frente de policiais. Essa depressão no meio de padres e pastores vem sendo exaustivamente estudada pela psicóloga clínica Luciana de Almeida Campos e será tema do seu livro “A dor invisível: A síndrome de Burnout e depressão entre os religiosos”. A informação é destaque no Ancelmo Góes.
A autora conta que se deparou, por exemplo, com pastores que, em razão da depressão, abandonaram o pastorado, mudaram de religião, migrando para o candomblé, ou viraram ateus. “Tenho acompanhado a sobrecarga dos religiosos com seus afazeres, pois, ao contrário do que muitos pensam, a vida deles é bastante difícil.” Luciana acentua a solidão dos religiosos como ponto delicado no “incremento do adoecimento”. Em tempo: a síndrome de Burnout, também chamada de síndrome do esgotamento profissional, atinge pessoas com dedicação exagerada ao trabalho e quase sempre desejando serem as melhores no que fazem.

Receita deve liberar esta semana consulta ao último lote do IR 2016

A Receita Federal deve anunciar nesta semana a liberação para consulta do último lote regular de restituição do Imposto de Renda Pessoa Física 2016. Serão liberadas também restituições dos exercícios de 2008 a 2015 de declarações que deixaram a malha fina. O crédito bancário para os contribuintes incluídos na lista será feito no próximo dia 15.
Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte terá que acessar a página da Receita na internet ou ligar para o Receitafone, no número 146. O Fisco disponibiliza ainda aplicativo para tablets e smartphones que facilita a consulta às declarações e à situação cadastral no CPF. Os contribuintes que não forem relacionados no último lote terão que aguardar a liberação de lotes residuais no próximo ano.

Elize Matsunaga é condenada a quase 20 anos de prisão pela morte do marido

A Justiça de São Paulo condenou na madrugada desta segunda-feira (5) a bacharel em direito Elize Matsunaga pela morte do marido, Marcos Kitano Matsunaga, diretor da Yoki alimentos, em maio de 2012. Elize foi condenada a 19 anos, 11 meses e 1 dia de prisão em regime fechado. O júri, iniciado na segunda-feira (28), ocorreu no Fórum Criminal da Barra Funda, na Zona Oeste da capital paulista.
O julgamento durou sete dias e foi um dos mais longos da Justiça de São Paulo. O júri foi formado por quatro mulheres e três homens. Eles ficaram reunidos por mais de 2h30 para definir o julgamento. O juiz Adilson Paukoski deu a sentença às 2h07 desta segunda-feira. Elize ouviu a sentença já vestida com camiseta branca, calça caqui e chinelo de dedos com as mãos para trás. O juiz não permitiu que se fizesse imagens dela.
Ela foi condenada a 18 anos e 9 meses por homicídio sem chances de defesa da vítima, e mais 1 ano, dois meses e 1 dia por destruição e ocultação de cadáver. Os jurados não consideraram as qualificadoras “motivo torpe” (por vingança e dinheiro) e “meio cruel” (que a vítima ainda estaria viva quando foi esquartejada), pedidas pela promotoria. Elize já cumpriu 4 anos e meio de prisão antes do julgamento.