29 de dezembro de 2016

Prefeitura de Tangará tem horário especial nesta sexta e segunda-feira


A exemplo do que foi praticado no Natal, a Prefeitura Municipal de Tangará da Serra terá expediente diferenciado neste período de virada de ano.
De acordo com a Secretária Municipal de Administração Maria das Graças Souto, o expediente nesta sexta-feira (30) encerra as 13h na Prefeitura. O atendimento inicia às 07:00 da manhã.
Já na próxima segunda-feira, 02 de janeiro, a Prefeitura abre as portas somente às 12h mantendo o atendimento até o final da tarde.
A mudança foi determinada via decreto pelo Prefeito Municipal Fábio Martins Junqueira.
Serviços considerados essenciais devem funcionar em horário normal. “Teremos funcionamento normal no Hospital, SAMAE e SINFRA nesses dias, onde os turnos são ininterruptos”, salientou a Secretária.
Bancos:
Comércio:
Diferente do que foi registrado na véspera do Natal, o comércio tangaraense funciona somente até às 12:00 neste sábado (31).

PM prende ladrão de capacetes na área central de Juína

                                                                                                                                    FOTO: Juína News

A Polícia Militar de Juína prendeu em flagrante nesta quarta-feira (28), o ladrão de capacetes Douglas Francisco Nunes, 34 anos de idade. No momento da prisão ele conduzia dois capacetes que acabara de furtar na área central da cidade.

Com inúmeras passagens pela Polícia, o marginal foi apresentado ao delegado José Ricardo Garcia Bruno para ser enquadrado e responder por mais esse crime.

Financial Times: “Odebrecht é máquina de propinas”

O jornal britânico “Financial Times” classificou a Odebrecht como uma “máquina de propina” em reportagem publicada nesta quarta-feira (28).
“O maior grupo de construção da América Latina corre o risco de ficar mais conhecido por criar uma das maiores máquinas de propina da história corporativa”, diz o texto.
A reportagem menciona o Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, departamento criado para controlar e distribuir os subornos de governantes”de Brasília a Maputo, em Moçambique”.
O jornal destaca ainda que, para o Departamento de Justiça dos EUA, a Odebrecht operava um “esquema de propina e fraudes sem paralelo”. Junto com o Brasil e a Suíça, os EUA fecharam um acordo de US$ 3,5 bilhões com a Odebrecht em troca do fim de ações judiciais contra a empresa.
“A descoberta de que uma das mais importantes empresas da América Latina conduziu esses crimes por tanto tempo e em tantas jurisdições abalou as bases do mercado brasileiro”, afirma o “Financial Times”.