13 de outubro de 2018

Bolsonaro quer propor novo modelo de urna

Bolsonaro quer urna que possa ser auferida


Diz o Antagonista: 

 Jair Bolsonaro disse neste sábado que, se eleito, vai propor um novo modelo de urna eletrônica. 

“É uma forma tranquila de votar, você aproveita a urna eletrônica, mas você tem rapidamente como provar com o voto de papel do lado o resultado das eleições”, afirmou. 

O candidato do PSL também foi questionado se sua proposta não enfrentaria problemas no Judiciário.

“Você vai mudar a forma, nós podemos mudar tudo, até a Constituição. 

O Supremo decidiu que o voto impresso não cabe, tudo bem. 

Agora, uma nova urna eletrônica mesmo, mas com o poder de ser auferida isso nós vamos propor sim”.

Wagner Ramos culpa Taques e Silval por seu fracasso eleitoral

Wagner Ramos está triste pelo fracasso nas urnas

O deputado estadual Wagner Ramos (PSD) aproveitou a oportunidade na primeira sessão, após a eleição, para justificar alguns motivos que conduziram o seu fracasso eleitoral nas urnas em 7 de outubro.

Ele destacou: 

1) A delação do ex-governador Silval Barbosa que jogou seu nome na vala dos corruptos;

2) O Interesse do eleitor por eleger pessoas novas na política;

3) O fracassado desempenho de Pedro Taques em Tangará da Serra e região. 

Ramos que já vinha de dois mandatos na Assembleia, recebeu míseros 8 mil votos e amargou uma derrota histórica. 

Mas, não foi só isso não.

Verdade é que Wagner de tanto prometer e não cumprir com suas promessas, acabou caindo no descrédito da população.

Wagner também mudou muito seu comportamento perante seus eleitores. 

Conversei com dezenas de cidadãos que em todas as eleições, além do voto, prestavam serviços eleitorais voluntários para o candidato.

Esses mesmos cidadãos me disseram ter estado abandonados (sem a presença do deputado) nos últimos anos. Wagner foi bem pouco às suas comunidades ouvir suas necessidades pessoais e coletivas.

Lembro de ter ouvido de influentes cidadãos de Tangará da Serra, que Wagner na Assembleia Legislativa, era um orgulho e uma esperança de avanços económicos e sociais para nossa região.

Não foi, dizem hoje os mesmos que o elegeu.

A verdade é que ele deixou muito a desejar em todos os mandatos. E a prova, é sua derrota. 



MT: LGBT critica público gay e declara voto em Bolsonaro

Madona Arruda: LGBT

A LGBT mato-grossense Madona Arruda, que concorreu pelo PPS a uma vaga na Assembleia Legislativa em 7 de outubro, declarou em emtrevista ao site Mídia News que apoia neste segundo turno a candidatura Jair Bolsonaro (PSL). 

 Em um momento ela diz: 

Agora vamos deixar eles [petistas] voltarem porque você tem medo do Bolsonaro ser homofóbico?”, questionou. "Eu estou defendendo o Bolsonaro porque não quero o PT", disse. 

Num segundo momento, Madona que é uma exemplar servidora pública enfatiza:

 “Os caras acham que quando o Bolsonaro ganhar vão poder colocar um revólver na cintura e sair dando tapa na cara. Eles estão confundindo. Talvez porque o próprio candidato no começo passava agressividade. Mas os caras do PT são iguais”, criticou. 

 “Nós somos 60 mil LGBTs em Mato Grosso. Nós conseguiríamos fazer um federal e dois estaduais. Mas eles não tiveram voto expressivo. Estão preocupados com Bolsonaro, mas não tiveram a preocupação de se unir e fazer um candidato para defender a eles mesmos?”, questionou. 

 “Sabe aquele cara que é preto e racista? Tem o cara que é gay, xinga os amigos gays, mas se alguém falar ‘bichinha’, ele processa. Esse tipo de coisa tem que terminar. Falta tolerância”, afirmou.

Madona recebeu 634 votos, mas não foi o suficiente para conseguir ocupar uma cadeira na Casa de Leis. Com informações do Mídia News.