20 de junho de 2019

Morre o radialista tangaraense Zezinho Garcia, o apresentador de Joia Sertaneja


O radialista tangaraense José Martinez Garcia, popularmente conhecido por Zezinho Garcia, morreu na tarde desta quinta-feira. Ele sofria do mal de Alzheimer e ultimamente vinha enfrentando outros sérios problemas de saúde.

Conheci Zezinho logo que cheguei para morar em Tangará da Serra, no começo dos anos 2000. Ele já era famoso no rádio.

Ouvi muitas vezes seu programa ‘Joia Sertaneja’, uma das melhores atrações artísticas da Rádio Tangará AM, apresentado por mais de uma década, no horário das 19h às 21h de segunda à sexta-feira.

Fizemos rádio na mesma época. Ele na Tangará e eu na então Rádio Pioneira.

Quando seu programa saiu do ar, por imposição de um novo grupo que passou a chefia a emissora, ele ficou muito contrariado.

Revoltado, ele me disse numa conversa de colegas que iria cobrar na Justiça do Trabalho todos os anos de serviços prestados à emissora.

Zezinho Garcia, era o tipo do cara de bem com a vida. Homem religioso, temente a Deus, tinha sempre uma boa prosa quando nos encontrava.

O nome deste radialista deve ficar gravado nos anais da história do rádio tangaraense, por seu caráter, a pessoa humana que era e pelo excelente profissional que foi. Deixa uma grande lacuna entre todos nós da imprensa.

O velório de Zezinho ocorre a partir das 22h na capela mortuária da cidade. Não foi divulgada a hora do sepultamento.

Adeus, colega!                              


Cantor sertanejo é suspeito de participação em vários assaltos em cidade de Mato Grosso

Jeberson Viana Correa

Larissa de Oliveira Brandão
O cantor sertanejo Jeberson Viana Correa, 25 anos de idade, foi preso no final de semana passado, sob a acusação de participação em vários assaltos, praticados na Grande Cuiabá.

A Policia Civil de Mato Grosso investiga a participação do cantor em ações criminosas lideradas por Larissa de Oliveira Brandão, 19.

Já foi apurado que a jovem, por meio de mídias sociais como Tinder e Facebook, marcava supostos encontros amorosos, mas, no meio do caminho, dizia que iria pegar uma amiga e aparecia com o cantor armado e anunciando o assalto.

De acordo com as vítimas, Jeberson e Larissa batiam, amarravam, e as obrigavam a ir até caixas eletrônicos para sacar dinheiro, além de roubarem pertences eletrônicos como celulares, tablets, McBooks, relógios, joias ou o que quer que encontrassem, além, claro, dos carros das vítimas.

Nova lei facilita cancelamento de assinatura de TV paga pelos consumidores.


A Lei 13.828, de 2019, garante o cancelamento de serviços de TV por assinatura por telefone ou pela internet, como direito dos assinantes.
A intenção da nova lei é colocar fim aos constantes desrespeitos aos consumidores que perdem tempo em ligações telefônicas na tentativa de cancelar seus contratos. O texto altera a Lei da Comunicação Audiovisual de Acesso Condicionado (Lei 12.485, de 2011).
Atualmente, o cancelamento já é previsto em normas infralegais. Agora está assegurado esse direito em lei, permitindo maior segurança jurídica aos consumidores usuários dos serviços.

Comunidade LGBT+ menos vulnerável por decisão do STF


A partir de agora, a discriminação contra a comunidade LGBT+ passa a ser enquadrada na lei de racismo no Brasil.

O Plenário do Supremo Tribunal Federal aprovou a tese proposta pelo relator ministro Celso de Mello de Ação Direta de Inconstitucionalidade por Omissão (ODO) por unanimidade.

Enquanto o Congresso Nacional não editar lei específica sobre o tema, as condutas homofóbicas e transfóbicas se enquadram nos crimes previstos na Lei 7.716/1989 que trata do preconceito de raça e cor.

E, no caso de homicídio doloso (intencional), constitui circunstância que o qualifica, por configurar motivo torpe.

A tese aprovada pelo STF prevê, ainda, que a repressão penal à prática da homotransfobia não atinge a liberdade religiosa, desde que não se adotem discursos de ódio.

Também estabelece que o conceito de racismo ultrapassa aspectos estritamente biológicos ou da aparência e alcança a negação da dignidade e da humanidade de grupos vulneráveis.

Tem uma consulta médica no horário do trabalho? Sua falta pode ser abonada!


O artigo 473 da Consolidação das Leis do Trabalho enumera casos em que o trabalhador poderá deixar de comparecer ao serviço sem prejuízo do salário. 

Confira AQUI
São dispensados para consultas médicas no horário de trabalho: as gestantes (até 6 consultas); pai e mãe para acompanhar o filho de até 6 anos em consultas (1 vez ao ano); todos, para realizar exames de prevenção ao câncer (até 3 dias a cada 12 meses).


Passagem do Ministro Sérgio Moro na CCJ do Senado

Ministro Sérgio Moro fala aos seus inquisidores na Comissão de Constituição e Justiça do Senado brasileiro. A cena retrata cabalmente a ocasião histórica.