28 de junho de 2019

Clima é de desespero no Congresso Nacional


BOMBA!

A Suíça acaba de enviar a PGR cópia de todas as senhas das transações milionárias, pertencentes a ODEBRECHT.

Só do LULA, quando deixou o governo, tinha a sua disposição R$ 43 milhões para despesas pessoais.

O clima no Congresso é de desespero... Até Rodrigo Maia está na fita..

Para se proteger de ladrões, mulheres adotam novo modelo de segurança


Um pouco de criatividade sempre casa bem. Imagem do Twitter.

A escola pública está falida



É impressionante como os estudantes de hoje parecem viver em um mundo diferente da realidade. A gente percebe isso já nos alunos a partir dos 10 anos de idade, período em que estão matriculados no último ano do ensino fundamenta I.

Esses alunos chegam à escola com pouquíssima referência positiva dos que são responsáveis por eles. Conviventes com uma geração que também se perdeu pelo caminho, chegam à sala de aula sem o menor respeito ao próximo, sem o mínimo de formação cidadã, totalmente alienados das boas práticas comportamentais.

A escola como uma espécie de oficina, vem recebendo em seu quadro discente um indivíduo quase semi-primitivo, e insertar nele o conhecimento, novas práticas socioculturais, a vida cidadã está sendo um desafio dos mais árduos. 

A sala de aula pouco ou quase nada vem ajudando na transformação de sua clientela. 


Na escola, os alunos continuam adentrando à sala de aula feito rebanhos, atropelando uns aos outros, empurrando, socando, etc. Sentam-se nas cadeiras e põe os pés sobre as outras, picham mesas e paredes com palavras de baixo calão e de incentivo ao ódio, jogam lixo em todo canto, gritam o tempo todo, não participam das aulas, não leem, não escrevem, não colaboram com o professor.

No meio de tudo isso, o profissional que é pago para educar, perde quase metade do tempo que deveria ser dispensado para uma boa aula, apartando brigas, confusões, agressões físicas; e nas mais das vezes acaba perdendo mais tempo ainda conduzindo os brigões até a diretoria.

Como educar quem chega à sala de aula sem nenhuma formação familiar? Como construir conhecimento com quem não tem o menor interesse no saber, no aprender, no ser um ser social digno de direitos e deveres?

Escola e professor estão perdidos nesse universo, sem saber comoproceder para mudar as situações adversas do dia a dia. Em muitos casos a escola virou uma espécie de presídio, um espaço que não educa mais ninguém, que não auxiliar mais a sociedade. Não por sua vontade. Mas por causa do "sistema" que assim a impôs que fosse.

Escola não é mais sinônimo de lugar de aprendizagem como deveria ser. Escola não é mais aquele lugar de formação social que deveria ser. A escola está mais parecida a um depósito de pessoas desinteressadas do saber.E até de viver. 

Para minha pessoa, o modelo de escola pública não está alcançando seu objetivo.

Entra ano e sai ano e a clientela da escola, com raras exceções, não avança um milímetro no quesito cidadania. Só piora.


Barroso cassa decisão que autorizava desconto em folha de contribuição sindical

Ministro Barroso

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, suspendeu acordo coletivo que autorizava sindicato a descontar a contribuição diretamente da folha de pagamento. Segundo o ministro, o acordo não pode ser entendido como manifestação da vontade individual do trabalhador. Essa interpretação, segundo ele, é uma forma de esvaziar as decisões do STF sobre o tema.

Barroso cassou decisão de segundo grau que validou a cláusula do acordo. Com isso, manifestou entendimento semelhante ao da Medida Provisória 873/2019, que proíbe o desconto automático em folha da contribuição sindical.

A MP vem sofrendo com decisões judiciais que afastam sua aplicação e o prazo de votação pelo Congresso termina nesta quinta-feira (27/6). A MP diz que a cobrança da contribuição sindical só pode ser feita por boleto bancário e com autorização expressa de cada trabalhador.

Tangará da Serra avança sob a gestão de Fábio Martins Junqueira

Prefeito Fábio Junqueira

Já disse pessoalmente ao prefeito tangaraense Fábio Martins Junqueira (MDB) que ele deve ter sido professor do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Quem acha que Bolsonaro aprendeu tudo com o filósofo Olavo de Carvalho precisa também levar em consideração as semelhanças do governo dele com o do prefeito Fábio.

Desde a posse, JB não para de levar pauladas da oposição e mesmo assim, segue com sucesso governando o Brasil.

O Brasil tornar-se cada vez um excelente lugar para se viver.

Cópia idêntica e fiel ao que vem ocorrendo em Tangará da Serra desde que Fábio Junqueira se tornou prefeito. Não há um só dia em que o lombo do alcaide ganhe um desconto.

É paulada e mais paulada o tempo todo.

Não interessa o que o prefeito faça. Aparecerá sempre alguém para dizer que ele está errado, em direção contrária.

Sem dá ouvidos para seus ferrenhos críticos, Fábio segue desenvolvendo com sucesso seu governo, para sofrimento dos oposicionistas.

Assim como o Brasil que começa a entrar nos eixos com a eleição de Bolsonaro, graças a Deus e a muita competência do prefeito tangaraense, nossa cidade voltou ao equilíbrio.

Nosso município não deve nada a ninguém. Tem recursos em caixa. Paga seus servidores e aos fornecedores sempre em dia.

Não obstante os problemas infraestruturais comuns da maioria das cidades brasileiras, Tangará da Serra avança com a chegada de grandes empresas, gerando mais emprego e renda para a população.

Pouco se ouve falar em desemprego entre nós.

A rede escolar de Tangará da Serra é de causar inveja na particular. Educação valorizada.

Não se ouve falar em corrupção no governo municipal. Moralidade e austeridade com a coisa pública.

A cidade cresce e avança em direção aos 150 mil habitantes. Gente honesta e trabalhadora, prestadora dos mais variados tipos de serviços.

Assim é Tangará da Serra, uma cidade que ainda tem muito para melhorar, mas que hoje já nos enche de orgulho e prazer de nela morar.

Nossos aplausos à gestão!

Sobre a "alma mais honesta do Brasil"


Um presidente no Brasil em 8 anos recebe de salário um total de R$ 2,5 milhões.

Aí aparece a “alma mais honesta do Brasil” com R$ 78 milhões de bens e você petista aí cagando pela boca pedindo “Lula Livre”.

SETENTA E OITO MILHÕES. 78 MILHÕES...

Mas o que importa é o bolsa família né? 

Por André Fernandes

Deu tudo errado para o sargento bandido



Esse sargento da FAB teve um azar danado.

Achou de ser flagrado (na Espanha) portando 39 k de cocaína em um avião que dava apoio à comitiva do presidente Jair Bolsonaro em viagem ao Japão.

Não poderia ocorrer algo pior a ele: expulsão da corporação e prisão na Europa.

Certamente se o mesmo tivess ocorrido num avião de apoio a Lula e Dilma, o vagabundo receberia uma medalha, um pedido de perdão, porque afinal de contas, ele seria uma vítima da sociedade! 

Não é rapaziada da esquerda?